Arquivo da categoria: 2014

Um ano do maior vexame da história do futebol mundial! Hoje, com a cabeça mais fria, você já consegue explicar o inesquecível 7 a 1? E será que aprendemos algo com o passeio que levamos da Alemanha no Mineirão?

Leia o post original por Milton Neves

7777Montagem: Futebol da Depressão

7 a 1 foi pouco!

Essa expressão não sai da boca do brasileiro há exatos 365 dias.

Como o tempo passa rápido, não é mesmo?

Afinal, parece que foi ontem que, no Mineirão, Thomas Muller, após cobrança de escanteio, encontrou a zaga brasileira completamente escancarada para abrir o placar da semifinal da Copa do Mundo de 2014.

Depois, Klose, Kroos (duas vezes), Khedira e Schürrle (também duas vezes) completaram o verdadeiro passeio alemão sobre o Brasil.

E, no finalzinho da partida, o destino ainda quis que Oscar marcasse um golzinho de honra, que não diminuiu em nada o maior vexame da história do futebol mundial.

Mas, e então, amigo internauta!

Um ano se passou e, com a cabeça mais fria, certamente já conseguimos analisar melhor os inacreditáveis 7 a 1 para a Alemanha.

Apagão, acaso ou choque de realidade: para você, o que aconteceu?

E, hoje, quem você elege como o grande vilão desse vexame brasileiro?

Eu não vou falar o meu escolhido para não influenciar o seu voto (mas você deve imaginar…).

E tendo em vista os resultados em campo da seleção e toda a crise pela qual a CBF passa neste ano, será que já conseguimos aprender alguma lição com os 7 a 1?

Opine!

A folha seca de Didi, o Santos “quebrado” e o “Caso Neymar”!

Leia o post original por Milton Neves

pdt_img_1105664

Canhota de Neymar já empata com a direita.

Com Pelé foi assim também e muito mais, é claro.

Coisas raras, mas muitos “direitos” igualmente melhoraram suas esquerdas.

Já o canhoto melhora a sua direita só em exatos 52.67%, no máximo.

Rivellino, genial, só fez um gol com a direita.

Foi no Maracanã, de sem pulo, de fora da área, pelo Fluminense.

O levantamento é do não menos genial Cláudio Scaff Zaidan, das Rádios Bandeirantes e Bradesco FM.

Zaidan, belo historiador e frio pesquisador, também decreta que Didi só fez um gol de “Folha Seca” na vida.

Ele “leu” todos os jogos de Didi pelo Flu, Botafogo, seleção, Real Madrid e São Paulo.

E viu e ouviu 42.87% deles.

O gol único foi naquela falta, contra o Peru, no Maracanã, pela eliminatória direta para a Copa de 1958.

Só dois jogos porque os cartolas burros não tinham descoberto ainda os direitos de TV e o marketing esportivo.

Lá, foi 1 a 1, com Índio empatando para o Brasil.

No Rio, na volta, estava um 0 a 0 chorado, no lotado Maracanã, quando Didi venceu o gigante negro Rafael Asca em cobrança de falta que Nelson Rodrigues imortalizou como “Chute de Folha Seca”.

É que uma folha seca levada pelo vento sempre tem destino improvável, impreciso, lotérico.

Estudei a trajetória da bola no chute de Didi em imagens claríssimas em 1994 quando apresentava o “Canal 100″ pela finada TV Manchete.

À época, com assessoria de Narcizo Vernizzi, o homem do tempo, do sol, da chuva e dos ventos, e do onipresente Álvaro Paes Leme, da Rede Record e da Bradesco FM, concluímos que a bola ia fora, mas no caminho dela em direção ao gol “ia passando um vento noroeste” que alterou a sua trajetória.

E o goleiro Asca, o “Pássaro Negro” do Peru, até fica olhando para cima “xingando” o vento, após o gol.

Vento esportivo que foi também imortalizado pelo não menos célebre Roberto Drummond, o Nelson Rodrigues de Minas Gerais.

“Quando vejo uma camisa do Atlético Mineiro estendida no varal, torço contra o vento”.

E eu torço pelo esclarecimento do “Caso Neymar”.

Quase voz isolada contra a “doação” do jogador ao Barcelona, mesmo inicial e burramente tendo apoiado em minhas mídias a antecipação em um ano do vencimento do contrato do Pelezinho da Vila, vejo hoje que o assunto está cada vez mais mal cheiroso.

Não me surpreenderei se pintar no caso, entre tantos envolvidos nos dois extremos e entre tantos intermediários ou empresários do negócio, alguma “delação premiada”, algo tão em moda hoje no Brasil.

“Você quer chegar no ponto final de uma história? Então siga o caminho percorrido pelo dinheiro”, ensinam experientes investigadores internacionais.

Na ponta do comprador a polêmica fedida já virou “batom na cueca”.

Sandro Rosell, seu vice e o Barça, perante o MP e o fisco espanhóis, estão envolvidos ou enrolados até a medula.
A coisa vai chegar aqui?

Aguardemos.

Enquanto isso o quase falido Santos do coitado do Modesto Roma vai capengando tentando sair do buraco em que o clube se meteu pós-Laor-Odílio.

Na semana, outra bordoada no caixa da Vila.

O TJ-SP, por 3 a 0, decidiu que foram legais os contratos que Marcelo Teixeira assinou com a DIS vendendo à empresa jogadores como Wesley, Ganso, Andre e outros de “baciada” de uma molecada que, na maioria, sumiu.

Ou seja, ao invés de pagar à época o percentual da empresa quando da venda dos jogadores, a dupla Laor-Odílio preferiu “empurrar com a barriga” e entrar na Justiça contra os atos de Marcelo Teixeira.

Foram para o Poder Judiciário, postergaram os pagamentos e perderam.

Aliás, eles nada perderam porque agora quem perdeu, seis anos depois, foi o Santos, hoje com o CT Meninos da Vila sujeito à humilhante leilão judicial.

Justamente os dois cartolas que deviam ter se rebelado muitíssimo mais contra o não recebimento dos 55% dos direitos do Santos FC sobre os mais de 100 milhões de euros, o verdadeiro custo da transferência do “Menino de Ouro”, segundo autoridades espanholas.

Alegam que não sabiam e temos que acreditar porque eu também não sabia, ao contrário de Neymar pai e da ponta compradora.

E lembrar que Neymar, lá pelos fins de 2008, à época um “projeto de craque” como talvez um Victor Andrade, um Neilton ou um Gabigol, só não deixou o Santos e foi para o Real Madrid por R$ 5 milhões porque Neymar pai vendeu os 40% do filho para a DIS, que também micou, por enquanto, no mais nebuloso negócio da história do futebol.

Mas, tenho para mim, que esse jogo só está em seu primeiro tempo e que temos ainda muito esgoto para passar debaixo da ponte que liga Santos a Barcelona.

Foto: UOL

Guerrero segue meus conselhos, marca dois gols e Corinthians vence o Bayer Leverkusen

Leia o post original por Milton Neves

2

Eu avise ao Tite que o lado direito da defesa do Corinthians precisa ser mais rápido!

Ele não me ouviu e o Yurchenko marcou o gol do Bayer Leverkusen.

Fisicamente melhores, os alemães começaram pressionando o Timão.

Com uma bela cabeçada de Guerrero, o Corinthians empatou o jogo e o Sheik quase virou no final na primeira etapa.

No intervalo da partida liguei para o Guerrero e reforcei o que disse que nos Estados Unidos.

“Fica na área do Bayer, pois vai sobrar uma bola e você vai fazer o gol”.

No segundo tempo o Corinthians começou melhor e foi para cima dos alemães.

O peruano me ouviu e o Timão venceu de virada.

Corinthians e Guerrero ainda não renovaram  contrato. O atacante já pode assinar um pré-contrato com outro clube.

Vão deixar o Peruano ir embora? Corinthians, cuidado com o Alexandre Mattos!

Opine!

Que fim levará o Santos? Conforme este blog profetizou, teremos terra arrasada na Vila pós-Laor/Odílio? Ou já temos?

Leia o post original por Milton Neves

1

Modesto Roma Júnior não está conseguindo evitar que a Vila afunde.

A era Laor-Odílio foi terrível para o clube e o novo presidente nada pode fazer.

Com salários atrasados, jogadores importantes como Arouca e Aranha entraram na justiça em busca de uma liminar para sair do Peixe.

Os dois podem acabar no Palmeiras.

O volante Alan Santos foi para o Coxa, abandonou o Santos também por não receber salário.

Lucas Lima, meio-campista talentoso, e o bom marcador Alisson são assediados por outros clubes.

Se o Santos não encontrar uma maneira de pagar esses atletas, ficará sem jogadores no meio-campo.

Cadê o dinheiro da venda do Neymar?

A Vila Mais Famosa do Mundo passa por uma turbulência e pode não suportar esta crise.

Opine!

Foto: UOL

Esperança de um ano melhor…

Leia o post original por Neto

Torcedores do Palmeiras lamentam instabilidade do time em 2014

Torcedores do Palmeiras lamentam instabilidade do time em 2014

…. Para o Botafogo que passou vergonha com o rebaixamento no Brasileirão de 2014 e precisa de uma reconstrução absoluta em seu departamento de futebol profissional.

…. Para o Corinthians, que alternou altos e baixos e não conquistou nada na temporada. Pré-Libertadores? Muito pouco para o investimento que é feito no futebol.

…. Para o São Paulo, que nada, nada e morre na praia. O Tricolor não conquista um título decente desde o tri do Brasileirão em 2008. Ah, aquela Sul-Americana pela metade não conta, vai!

…. Para o Santos, que depois da saída do Neymar simplesmente sumiu!

…. Para o Palmeiras, que tem se apequenado e feito seu torcedor morrer de vergonha e frustração. Chega de lutar contra o rebaixamento! O Verdão merece uma diretoria capaz de formar uma equipe competitiva e que brigue por títulos.

…. Para o Vasco, que terá que fazer uma campanha bem melhor que fez na Série B para se manter na Série A de 2015. Remodelar o elenco é fundamental.

…. Para o Flamengo, que ofereceu este ano para sua maravilhosa torcida um timinho ridículo e coadjuvante.

…. Para o Fluminense, que depois de perder seu patrocinador master terá que suar sangue para se manter como protagonista do futebol brasileiro. A verdade é que a direção do clube poderia ter explorado melhor a grana e investido em infraestrutura para o time. Mas preferiram gastar horrores com jogadores…

…. Para Bahia e Vitória que fizeram papelão com o descendo em 2014. Ambos apresentaram administrações vergonhosas e futebol ridículo. Recomeço urgente!

…. Para o Grêmio, que apostou as fichas no Felipão e naufragou na empáfia do técnico da Seleção do fatídico 7 a 1.

…. Para o Coritiba e Atlético/PR, que precisam voltar a figurar entre os primeiros. Um Estado forte como o Paraná precisa de times brigando por títulos nacionais. Participar só é muito pouco. Mesmo exemplo vale para o Goiás, que é um clube com uma estrutura de primeiro mundo.

…. Para o Sport, que também precisa de mais ambição. Algo que teve em 87 e 2008.

…. Só vou aliviar com a dupla mineira Cruzeiro e Atlético/MG, além do quarteto catarinense: Chapecoense, Figueirense, Joinville e Avaí. Todos tiveram um 2014 excelente! Os dois primeiros pelos títulos e pela supremacia nacional. Já os quatro pelo conjunto da obra, que só não ficou melhor pela campanha vergonhosa do rebaixado Criciúma. Um Estado pequeno como Santa Catarina, com recursos bem menores para os clubes, alcançar tamanho status, é digno de aplausos. Parabéns a todos!

Isso não é Palmeiras

Leia o post original por Rica Perrone

Não sei bem por onde começar o texto. Menos ainda por onde passar e onde terminá-lo. É uma vontade tremenda de dizer aos palmeirenses que tudo acabou bem, que deu tudo “certo” e que em 2015 o clube poderá tentar sua retomada ainda na série A. Mas é inaceitável que esse não rebaixamento seja uma […]

No apito e na sacanagem do Furacão com os times baianos, Palmeiras garante sua permanência na Série A; Bahia e Vitória pagam o pato, e jogarão a segundona em 2015; SPFC é derrotado pelo Sport; Cruzeiro vira sobre o Flu; e Fla e Grêmio e Bota e Galo ficam no empate!

Leia o post original por Milton Neves

dorival serie b

Palmeiras 1 x 1 Atlético-PR

A pesadíssima camisa salvou o Palmeiras da terceira queda para Série B do Campeonato Brasileiro em sua história.

Afinal, nesta última rodada, o clube alviverde recebeu duas ajudas fundamentais para não ser mais uma vez rebaixado.

A primeira veio de seu próprio rival, o Atlético-PR, que, para atrapalhar a vida dos times baianos, seus desafetos, decidiu mandar a campo praticamente sua equipe “sub-10”.

Os garotos do Furacão até têm qualidade, mas faltou experiência para uma partida tão importante quanto essa.

A segunda foi dada pela equipe de arbitragem, liderada nesta tarde por Leandro Pedro Vuaden.

Se o gaúcho viu pênalti no toque de mão completamente involuntário do atleticano Draúzio no primeiro tempo, que resultou no gol de empate do Verdão, ele também deveria ter marcado penalidade no toque do atrapalhadíssimo Lúcio, no comecinho da etapa complementar, não é mesmo?

No MÍNIMO, faltou critério.

Ah, se fosse ao contrário…

Enfim, independente desses fatos lamentáveis, comemorem, palmeirenses, pois VOCÊS, os torcedores apaixonados, merecem.

Já os atrapalhados cartolas, que tomem vergonha na cara e montem para o ano que vem um time que honre a lindíssima história da Sociedade Esportiva Palmeiras.

Coritiba 3 x 2 Bahia e Vitória 0 x 1 Santos

Bahia e Vitória, que também não fizeram suas lições de casa, acabaram pagando o pato e jogarão a segundona em 2015.

O Tricolor de Aço até começou bem diante do Coxa, abrindo 2 a 0 ainda no primeiro tempo.

No entanto, o nervosismo acabou atrapalhando a equipe da Boa Terra, que levou a virada.

Já o Vitória, que recebeu o Santos em casa, foi derrotado com um gol de Thiago Ribeiro nos acréscimos.

Que os baianos consigam fazer um bom papel na Série B em 2015 e voltem mais fortes para a elite do futebol nacional.

Sport 1 x 0 São Paulo

Na Arena Pernambuco, o São Paulo, em clima de férias, foi derrotado pelo Sport pelo placar de 1 a 0.

Mas o Tricolor que abra o olho e comece logo a sua preparação para 2015, pois seu grupo na Libertadores é dificílimo e ainda pode contar com seu rival Corinthians.

Alguns reforços também cairiam bem, né?

Nos demais jogos, o Cruzeiro bateu o Fluminense por 2 a 1; o Grêmio ficou na igualdade com o Flamengo pelo placar de 1 a 1; e o Galo também empatou com o Botafogo por 0 a 0.

Opine!

STJD, você vai permitir time reserva do Atlético-PR contra o Palmeiras para ferrar o Bahia? Que moralidade é essa de poupar jogador que só voltará a jogar em fevereiro? Ora, punir Icasa, Lusa, Prass e Felipe fácil, né? Mata-mata já!!!

Leia o post original por Milton Neves

A última rodada do Campeonato Brasileiro acontece só no final de semana, mas o cheiro de marmelada já exala pelo ar.

Graças aos malditos pontos corridos, os únicos interessados nos jogos derradeiros do Brasileirão-2014 são Palmeiras, Vitória e Bahia, que lutam contra o rebaixamento.

O grande problema é que, indecentemente, o Atlético-PR, que enfrentará o Alviverde, já admite que deve mandar a campo seu time RESERVA!

E há rumores de que o Santos também fará o mesmo e não escalará força máxima contra o Rubro-Negro baiano.

Ora, e como fica o Bahia nessa história, que só se salva com um triunfo (jogará contra o Coxa, no Couto Pereira, em partida de despedida do meia Alex) e com tropeços de seus rivais?

O STJD, craque em punir Icasas, Lusas e Américas, não fará nada contra essa indecência?

E outra: que moralidade é essa de poupar jogadores de salários astronômicos que só voltarão a jogar em fevereiro?

Só os “meus” mata-matas poderiam dar fim a esse tipo de marmelada no futebol brasileiro.

Sim, pois não sugiro apenas um, mas três mata-matas.

Um para a definição do campeão entre os oito primeiros, como no passado.

Outro para os oito piores, que se enfrentariam da mesma forma para sabermos quais os quatro rebaixados.

Além de um terceiro mata-mata para os quatro intermediários rumo à Sul-Americana.

Não é simples e brilhante?

E olho neles, hein, STJD?

Opine!