Vila Nova 2 x 1 Vasco | E Diogo Silva voltou…

Leia o post original por Bruno Maia

14973054381_9147b0e1ca_o

Sempre repito o que um amigo sabiamente me disse um dia: “o problema de ter jogador que ‘compõe elenco’ é que um dia ele entra no jogo e aí fudeu”. Sábias palavras proferidas em São Januário em 2011, quando num despretensioso Vasco x Figueirense, o encosto daquele zagueiro mulambo chamado Fernando foi escalado, depois de passar rodadas fora de jogo, acho que por contusão. Dito e feito. Aos 43 minutos do segundo tempo, Vasco ganhando de 1×0, a lontra tropeça sozinho e entrega um gol para os catarinenses. Menos dois pontos na tabela. Era a quinta ou sexta rodada ainda. E no final, o Corinthians nos levou o campeonato por exatos dois pontos.

Não dá para ter Diogo Silva no elenco do Vasco. PONTO FINAL. Não pode entrar nunca. Mesmo que seja melhor – duvido! – que os garotos da base. Ele NÃO PODE jogar pelo Vasco mais. Nunca mais. Nem que se supere, vire o melhor goleiro do mundo, pegue oito pênaltis numa final de Copa. No Vasco, NÃO.

Estou focando no mãos de alface para não comprometer o time. A atuação de terça-feira foi fraquíssima e, mais uma vez, mostrou como o futebol brasileiro é nivelado por baixo. Uma semana antes, o Ceará emendava a segunda vitória seguida sobre o Internacional, vice-líder da primeira divisão. Dias depois, o Vasco bagunça, sem dificuldades, o Ceará, líder da segunda divisão e chega a dividir a primeira colocação com os cearenses. Três dias depois, esse mesmo Vasco me perde para o Vila Nova! De longe, o lanterna da segunda divisão. É constrangedor se dar conta que você gasta energia torcendo num cenário tão mambembe quanto esse.

Mas desabafos feitos, tropeçamos dando a sorte de que o Ceará, que jogava em casa, também perdeu. Na próxima partida, é recompor o caminho e atropelar o Icasa. Não há crise nenhuma para ser criada neste momento. O time passou um longo período sem perder – ainda que sem jogar bem quase nunca e tendo tido mais empate do que qualquer outro -, encontrou uma forma de jogar e tinha começado a engrenar. É preciso ter uma certa parcimônia agora.

Isso não nos torna cegos a nada. A atuação da defesa no primeiro tempo foi completamente desastrada, a pior em muito tempo. Se você assiste os gols do Vila Nova, vê que era um jogador dos caras contra 5 ou 6 nossos no meio da área, todos batendo cabeça e assistindo a cagada com aquela cara de “comigo não tá”. No segundo gol, então, o atacante vermelhinho chega com uma facilidade à linha de fundo que parecia até Brasil x Alemanha na Copa do Mundo. O gol de Carlos César – que também falhou feio no lance do primeiro gol – não diminuiu em nada o saldo negativo da defesa naquela noite.

Não é tempo para alardes, mas é preciso se recuperar rápido. E que Martín Silva não se ausente mais nesse campeonato, pelo amor de Deus!