Medo de represália dos juízes faz Mano avaliar se usa Petros

Leia o post original por blogdoboleiro

O Corinthians já enviou ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva o recurso da punição de 180 dias de suspensão imposta ao jogador Petros. No documento, o advogado do clube, João Zanforlim, colocou as alegações e insiste na tentativa de enquadrar o atleta no artigo 250 (“praticar ato hostil ou desleal durante a partida”) ou no 258 (“conduta contrária à disciplina”), que determinam penas mais leves, de três até seis partidas de suspensão).

Julgado culpado por três votos a dois na primeira instância do Tribunal na CBF, Petros foi acusado de agressão contra o árbitro Raphael Claus, durante o clássico entre Corinthians e Santos. O clube recorreu.

Nesta quarta-feira, por volta das 18h00, o relator do caso concedeu o efeito suspensivo até que o caso seja julgado no pleno do STJD. Petros será novamente julgado, agora por nove integrantes, indicados pela CBF (2), pela Ordem dos Advogados do Brasil (2), pelo Sindicato dos Atletas Profissionais (2), pelo Sindicato dos Árbitros (1) e pelos clubes que disputam a Série A do Campeonato Brasileiro (2).

A expectativa é de que o jogador terá mais chances de uma pena branda com esta composição de julgadores.

Mesmo com o efeito suspensivo, que permite Petros jogar enquanto não é julgado novamente, o técnico corintiano Mano Menezes acena com a possibilidade de deixar o jogador de fora das partidas.

Um dos motivos: receio de que o volante baiano seja “perseguido” pelos árbitros, numa ação coorporativa. O treinador disse que vai falar com Petros, mas deu a pista: “Essas coisas podem influenciar nas decisões em campo. Não quero prejudicar a equipe”.

Assim, Petros precisa convencer Mano que não será perseguido pelos homens do apito. Além disso, terá que mostrar que está focado e pronto para jogar, mesmo encarando a possibilidade de ficar seis meses parado.