Sempre Flamengo

Leia o post original por Mauro Beting

(ADENDO: Impressiona como o Flamengo suscita tudo e todos: a arbitragem foi ruim, tanto no Rio como no Couto Pereira, discutível em todo o lugar de más arbitragens e mau futebol geral pelo Brasil. Ponto.

O que não deprecia o Flamengo e nem o Coritiba.

Querer entrelinhas e insinuações neste texto é ler o que não está escrito e não entender o que está escrito.

Mais uma vez, recuperação memorável do Flamengo.

Mais uma vez, o Coritiba tem o que reclamar na Copa do Brasil.

Não sou Flamengo e nem anti-Flamengo.

Ponto.

Quem quiser ser só Flamengo e anti tudo, ou se quiser ser só Anti-Flamengo e contra todos, o espaço é de vocês.

Mas não enxerguem no texto abaixo qualquer outra coisa.

Abraços.

E voltemos ao primeiro texto:)

 

 

Eu não marcaria pênalti para o Flamengo.

Nem ótima parte da maior torcida do país marcaria.

O Coritiba foi prejudicado pela arbitragem. Não é a primeira vez numa Copa do Brasil. Também foi assim em 2012, foi um pouco menos em 2011.

Vasco, Palmeiras e, agora, o Flamengo, não foram prejudicados pela arbitragem – para abusar do eufemismo.

Merecia maior sorte o Coxa nesta Copa que dificilmente venceria. Diferente dos títulos que estiveram perto, em 2011 e 2012.

Coritiba que foi ao Maracanã fazer a festa que, em 1985, foi toda dele contra um Bangu que reuniu a torcida carioca. Como, mais uma vez, a maior torcida do Brasil (a do arco-íris, a anti-Flamengo) se uniu em verso, prosa e redes sociais para ver algo além do pênalti que, também, só o árbitro viu a favor da maior torcida de fato do país.

Eu não marcaria o pênalti que ajudou o Flamengo a devolver o 3 a 0 e, depois, em mais pênaltis, seguir adiante como ninguém dava muita bola. Como, em 2013, não era favorito contra o Cruzeiro, e passou. E, depois, foi derrubando rivais até ser mais uma vez Flamengo em decisão.

Como não vinha sendo com Jayme e Ney Franco.

Como voltou a ser com Wanderley. Nunca sei se tem y ou i no fim. Como também não sei se é Jayme ou Jaime. Ney ou Nei.

Não é fácil escrever.

Mais difícil ainda é descrever certas vitórias que podem virar o jogo.

Como Luxemburgo está fazendo história com um elenco que parecia condenado e contaminado.

E que agora, se não é o clássico “deixaram o Flamengo chegar…”, quem pode duvidar?

Teve apito no Rio contra o Coritiba.

Mas quem pode apitar algo contra essa espantosa recuperação rubro-negra?

Com titulares ou reservas, essa camisa pesa. Esse estádio treme. Até a arbitragem parece torcer a favor.

Vão dizer que é esquema. Sempre dizem.

Eu digo que é Flamengo. Pouco mais preciso dizer.