Figueirense 1 x 1 Faltadeesportividade – Que jogo!

Leia o post original por diego simao

O Figueirense foi para partida contra um dos melhores times do Brasileiro recheado de desfalques. Era volante, goleiro, lateral e atacante titular fora. Não era pouco.

Sem tanta gente, o alvinegro poderia acabar se mostrando desentrosado ou qualquer outro problema. Mas não, mostrou muita qualidade e vontade. Algo que devemos a Argel.

O que mais chamou atenção, entretanto, foi a bela dupla de ataque, Everaldo e Clayton. Jogou tão bem que fez o torcedor alvinegro se perguntar qual o motivo de Marcão ser o titular. Aliás, que gol. Pode até não ter sido um golaço, mas para quem estava no Scarpelli, foi emocionante a jogada de Everaldo!

Mas fora estes bons questionamentos diante o bom desempenho alvinegro (defesa mais uma vez sólida), devemos lamentar o empate. Não por jogar mal, nem por colocar a culpa no juiz. O gol sofrido por Polli, que vinha de partida razoável diante a situação (fogueira) onde foi jogado, não era fácil. No campo até achei que poderia ter sido erro do goleiro, mas vendo o replay, o desviou matou Polli.

Dito isso, é bom falar: que papelão do Fluminense. O time mais identificado pela falcatrua no futebol brasileiro, deu amostras disso. Em certo momento, com o atleta caido, pediu para parar o ataque alvinegro (que era bom!) e conseguiu. Juiz parou e expulsou Leandro Silva por uma falta boba, o que foi justo.

Aliás, o jogo acabou nesse lance. O Figueirense acabou desmontado e mesmo tendo algumas boas chances, o alvinegro cansou. Everaldo, foi exemplo, mal conseguia correr ao fim da partida.

O “porém” todo se deu, entretanto, pela falta de desportividade do Fluminense. O jogador caído, se “recuperou” ao ver o cartão vermelho e veio correndo. O Fluminense, por sua vez, não devolveu a posse de bola.

Pode parecer bobagem, coisa pequena. Mas é neste momentos que o Fluminense reforça a mancha na imagem.

Enfim. O jogo foi bom, o resultado não foi de todo ruim, mas aquele gostinho de que a vitória passou muito perto, assim como a batida de Marco Antônio. Talvez um dos gols mais perdidos do ano.

Faz parte. E cá estamos nós para estar do lado do alvinegro nos momentos não tão bons também.

Abraço do Tainha