Oposição do São Paulo diz que Aidar está fazendo o que ela queria

Leia o post original por blogdoboleiro

A oposição do São Paulo anda feliz e intrigada com as recentes decisões do presidente Carlos Miguel Aidar e a crise que culminou nesta segunda-feira com a demissão do ex-presidente Juvenal Juvêncio, responsável para base do futebol em Cotia. Integrantes da chapa São Paulo Forte, liderada pelo médico Kalil Rocha Abdalla, disseram ao Blog do Boleiro que Aidar está tomando medidas administrativas que faziam parte do programa da oposição.

“Ele está fazendo aquilo que a gente propunha, como enxugamento da máquina administrativa e restruturação trocando pessoas que estavam em cargos chaves há muito tempo”, disse o conselheiro Dorival Decoussau, que já fez parte da diretoria de Juvenal Juvêncio e apoiou Kalil e Marco Aurélio Cunha. “Desde que ele continue na linha do que vem fazendo, criando profissionalismo, a gente aplaude a gestão do Carlos Miguel”, completou.

A postura do grupo de oposição é a de assistir à crise gerada por demissões que Aidar vem fazendo, mais uma entrevista ao jornal Folha de S. Paulo, onde o dirigente criticou a gestão anterior de Juvenal Juvêncio. JJ, que escolheu Aidar para sucessor, acusou o golpe, emitiu uma carta aberta e bateu boca com Aidar na sala da presidência, nesta segunda-feira. Saiu demitido e atirando, chamando o ex-parceiro de “traíra e mau administrador”. “Ele quer demitir o Muricy Ramalho e já está convidando gente da oposição para trabalhar com ele”, afirmou Juvêncio.

Decoussau garantiu que o grupo São Paulo Forte não está querendo cargo na diretoria. “Não estamos atrás disso. Não estamos fazendo nada. Apenas estamos acompanhando com atenção e torcendo para que Aidar remodele o São Paulo”, falou ao Blog do Boleiro.

O vereador Marco  Aurélio Cunha, ex-médico e gerente de futebol do São Paulo, negou que tenha sido convidado para trabalhar com Aidar. Ao Blog do Boleiro, o atual presidente disse que esta aproximação será “uma questão de tempo”.

Na noite desta segunda-feira, o vice-presidente Roberto Natel pediu demissão para demonstrar sua irritação com a demissão de Juvenal. Os observadores da política interna do São Paulo esperam agora a reação do presidente do Conselho Deliberativo. Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, disse ao Blog do Boleiro que Aidar anda “falando muita besteira” e fez eco a Juvenal: “Ele é fraco como gestor do clube”.

Falta saber o que Leco, que queria ser o presidente indicado por Juvenal, pretende fazer nos próximos dias.