Figueira precisa reencontrar seu caminho

Leia o post original por diego simao

Dentro das circunstâncias do jogo, o resultado foi bom. Porém, dentro da realidade do campeonato, foi ruim“.

O resumo é do meu amigo Nikolas Bottós, e serve para a noite de ontem.

O alvinegro atuou com certa dificuldade e não apresentou o mesmo futebol daquela sequência invicta. Com não foi tão ruim em relação ao último jogo, mas ineficiente para assegurar a vitória. Principalmente no primeiro tempo, onde não soube se defender e atacar.

O problema de marcação pela lateral e um retorno ruim de França, dificultou a vida do Figueirense. Willian foi um corredor e França estava sem ritmo nenhum para figurar entre os titulares.

Mas é aquela. Se tratam de improvisações que não deram certo neste jogo. No próximo pode melhorar. Não dá para simplesmente achar que tem que mandar embora. Muita calma e paciência neste momento são necessários para não criar um clima de guerra no elenco.

Porém, ficam claras as posições carentes. Sem Cereceda e um parceiro para Paulo Roberto, o sistema defensivo fica muito exposto, e mesmo um time não tão bom quanto o Criciúma, tem espaço demais para atuar. O gol do Tigre foi reflexo destes problemas de marcação, assim como a penalidade sofrida.

São problemas que Argel terá que contornar para voltar a ter aquele Figueirense competitivo nas mãos. O perigo está neste período de problemas. Como vai reagir o grupo? Como Argel vai manter a empolgação do elenco?

Argel vem fazendo um trabalho excelente no Figueirense até este momento. É sua melhor passagem pelo Figueirense, mas tem um passado e esperamos que tenha evoluído para não perder o momento.

Se fala em contratações. Sinceramente não sei. França tem futebol, mas precisa de tempo para se recuperar fisicamente. Psicologicamente é uma incógnita, seu comportamento com a torcida demonstrou isso.

As laterais, tantas vezes cantadas em verso e prosa como a posição que mais revelou talentos no alvinegro, não conta com seus titulares. Em seus lugares, atletas que precisam de mais tempo para amadurecer, mas no estado que se encontra o Figueirense existe espaço para isso?

Bom, o momento é de alerta. Temos jogos difíceis pela frente. Não são impossíveis de vencer, mas são complicados. Cabe ao elenco e ao treinador manter a cabeça no lugar e buscar o melhor possível nestes jogos. Afinal, perder três seguidas é a senha para voltar para maldita zona de rebaixamento.

Abraço do Tainha