Corinthians põe em pauta cobrar Andrés por juros de impostos

Leia o post original por Perrone

O Cori (Conselho de Orientação do Corinthians) fará reunião para decidir se abre uma investigação interna sobre os impostos que não foram pagos na gestão de Andrés Sanchez a fim de pedir que os dirigentes envolvidos paguem eventuais prejuízos do próprio bolso.

O encontro deve acontecer no próximo dia 29. A inclusão do tema na pauta é fruto de um requerimento enviado ao órgão pelo conselheiro Romeu Tuma Júnior. Ele pediu a abertura de uma sindicância para verificar prejuízos sofridos pelo clube pela ação de seus dirigentes. Solicita também que ao final do procedimento o Corinthians entre na Justiça com uma ação de ressarcimento para que os responsáveis arquem com a quantia que o clube terá de pagar em juros por causa da dívida fiscal. São R$ 94,3 milhões de juros que fazem parte do parcelamento para quitar uma dívida de R$ 188,1 milhões referentes a impostos.

Em junho, Andrés, ex-presidente do clube, Raul Corrêa da Silva, diretor financeiro, André Luiz  de Oliveira, ex-diretor administrativo, e Roberto de Andrade, ex-diretor de futebol, foram acusados pelo Ministério Público de crime fiscal por recolher impostos na fonte e não repassar o dinheiro para a União. O acordo para parcelamento pode extinguir a acusação.

Tuma Júnior também pediu que o Cori verifique outras dívidas do clube feitas nas administrações de Andrés e de Mário Gobbi, atual presidente. Ele solicita ainda que seja contratada uma empresa para fazer a auditoria e pede o afastamento do diretor financeiro durante a investigação.

Procurado pelo blog, Alexandre Husni, presidente do Cori, disse que não poderia se manifestar sobre questões internas do órgão.

Tuma Júnior não quis dar detalhes, mas confirmou o pedido. “Realmente fiz como havia prometido. Mas por enquanto mantenho a questão interna corporis porque acho que os órgãos do clube têm que tomar providencia. Entendo que os órgãos do Corinthians têm boa fé, mas se não tomarem providências, vou acionar a Justiça [para pedir o ressarcimento]”, disse ele.

Andrés não fala com o blog, por isso não pôde ser ouvido, e o diretor financeiro decidiu não comentar mais o assunto. “Não estou sabendo de reunião do Cori. Não fui eu que recolhi e deixei de pagar, não tenho nada a ver com isso. Então não posso falar nada” disse André Luiz. Roberto de Andrade não atendeu o celular.