Palmeiras decepciona em Curitiba

Leia o post original por Fernando Sampaio

henriqueO Palmeiras perdeu a terceira seguida.

Ney Franco, Henrique, Negueba e Juan.

Meu Deus !!!

O Verdão não jogou nada, o time mostrou afobação, errou muitos passes, deu mole, levou dois gols do lanterna da competição. O Palmeiras que parecia entrar na briga até pelo título agora não mostra futebol nem para disputar o G-4.

Achei válida a troca de Osvaldo pelo Marcelo, porém não vi mudança radical.

Aliás ambos são Oliveira.

Não achei que Osvaldo fosse o culpado pelo fraco futebol no início do Brasileirão. Nunca vi o elenco do Palmeiras como acima da média. Minha expectativa era ver o Verdão entre os dez ou oito primeiros. O elenco não tem individualidades, sua força está no coletivo. É um time operário, e como todo operário, precisa trabalhar muito forte para dar resultado.

Em algumas partidas na temporada o time mostrou força para G-4.

Marcelo Oliveira chegou. Achei que a troca era válida para mexer com o elenco. O clube investiu, trouxe Barrios e Alecsandro para resolver a deficiência técnica do ataque. Pegou uma tabela favorável.  Minha expectativa era de melhora. Fez a lição de casa e subiu na tabela. Nos jogos contra São Paulo, Sport e Vasco fiquei otimista, passei a ver um time que poderia entrar na briga até pelo título. Atlético-MG, Corinthians e São Paulo tem mais time, mas não são insuperáveis.

Ontem o gato subiu no telhado.

Nem tanto ao céu nem tanto à terra, o Verdão continua o mesmo, elenco equilibrado, dois bons laterais que são os pontos fortes da equipe, meio campo sem criação, atacantes razoáveis, zaga tecnicamente fraca. O Palmeiras não tem qualidade técnica acima da média, não tem jogadores que façam a diferença numa partida.

A força do Verdão é o coletivo.

Para que o Palmeiras possa sonhar com título ou G-4 é preciso que os jogadores joguem no limite, mantenham a pegada e a intensidade em todos os jogos. Não vejo isso em alguns jogadores.

O Coritiba manteve o tabu em casa, não perde do Verdão em Brasileiro desde 1989.