Técnicos não podem mudar de equipe durante Paulista-2016

Leia o post original por Quartarollo

Congresso Técnico da Federação Paulista de Futebol, entre outras coisas, deliberou que os clubes que disputarão o Campeonato Paulista-2016 não poderão trocar de técnico entre si.

Foi uma proposta do presidente do Palmeiras, Paulo Nobre.

A coisa então fica assim: Se ele demitir Marcelo Oliveira durante o Campeonato, o treinador não poderá trabalhar em outro time que esteja disputando a competição, mas também terá que comprovar que pagou tudo o que devia ao profissional.

A medida visa a primeira vista acabar com a dança dos treinadores, mas será que acaba mesmo?

É um item que não tem nada a ver diretamente com o Campeonato na verdade.

Tem a ver com problema trabalhista e talvez aí resida um complicador. Juridicamente um clube pode impedir que seu ex-técnico vá trabalhar no concorrente no mesmo campeonato?

Se estiver no regulamento todos vão cumprir? E se não cumprirem qual é a sanção?

A proposta tem ótima intenção, mas acima de tudo é preciso que os clubes deem respaldo aos seus treinadores para fazerem o seu trabalho.

Vale lembrar que no ano que vem 6 equipes cairão para a série A-2 de 2017 e subirão apenas duas para a Série A-1, o que quer dizer que seis treinadores no mínimo estarão na berlinda no fim da competição.

A ideia é ter um Campeonato mais enxuto e com melhores jogos em 2017 com apenas 16 equipes.

O formato atual será mantido para o próximo ano. Serão 20 equipes divididas em quatro grupos e se classificam os dois primeiros para as quartas que terão um jogo só para decidir qual time vai às semifinais que também serão jogadas numa partida só.

As finais terão dois jogos. O Campeonato começará no dia 31 de janeiro e terminará no dia 8 de maio.

Outro item interessante é que foi mantido o número de apenas 28 jogadores inscritos por equipes, mas em caso de contusão grave pode haver substituição.

Os grupos ficaram assim:

Grupo A: Santos, Botafogo, São Bento, Linense e Oeste, de Itápolis.

Grupo B: Palmeiras, Ponte Preta, Ituano, São Bernardo e Novorizontino.

Grupo C; São Paulo, XV de Piracicaba, Audax, Capivariano e Ferroviária.

Grupo D: Corinthians, Red Bul Brasil, Mogi-Mirim, Rio Claro e Água Santa.

O Água Santa tem uma pendência ainda. Tem que comprovar com documentos quef no seu estádio cabem pelo menos 10 mil torcedores.

Caso contrário entra o Mirasol no seu lugar.