Arquivo da categoria: 2017

Espertos cartolas burros! Não se esconde dinheiro nos EUA!

Leia o post original por Milton Neves

Ao final do Brasileirão – porcaria dos malditos e imbecis pontos corridozzzzzzzz – de 2017, temos ainda alguns joguinhos-cemitério para times com um pé na cova e uma festa pasteurizada em Itaquera.

Até a Série B morreu antes da hora nas duas pontas.

Um mata-mata dos oito piores e dos oito melhores teria inclusive o Papai Noel vibrando na arquibancada de jogos decisivos e emocionantes até a metade de dezembro.

E na Série A foi mais um campeonato-lixo que terminou “antes de acabar”.

Hoje, o que sobrou, só se resume a três velórios ainda indefinidos.

Mas tem festa!

Uma festa pré-marcada e sem a espontaneidade da vitória de um jogo final, porque no dia da explosão natural do título da Fiel, o maldito regulamento impediu a entrega da taça, a tal cereja do bolo.

Mas e se o Galo ganhar do Corinthians neste domingo?

Aí vai ser uma coisa de festa de corintiano cabisbaixo com todos saindo com cara de “santo achado” ou com “cara de tacho”.

E olha que o Galo gosta de colocar mais água do muito que já tem no chope, hein?

Uma vez ele ganhou da seleção do Saldanha no Mineirão e na estreia de Gérson e de Toninho Guerreiro meteu 5 a 2 no São Paulo naquele 25 de janeiro de 1970 no Morumbi.

Mas, deixa para lá, tô logo entrando em férias enquanto parte de nossa ótima mídia esportiva fica aí uns 45 dias batendo lata e falando de assuntos periféricos em belas fábricas de enchimento de linguiça.

Eu vou para os EUA, Ilha de Manhattan, Nova York.

Trata-se do pior lugar do mundo para se esconder dinheiro.

Dinheiro roubado!

Ora, se nem Al Capone escapou, por que os sul-americanos cartolas propineiros dos milionários direitos de transmissão de futebol pela TV foram se “mocozar” justamente lá?

Ouvi outro dia de um figurão, em espera de embarque de aeroporto, “que essa turma escolheu os EUA porque lá eles nem sabem que a bola é redonda”.

Ora, que santa ignorância.

Sim, o tradicional futebol ainda é lá uma espécie de nossos campeonatos de basquete, vôlei de praia, futebol de areia e da F1 atual aqui no Brasil.

Mas se eles não adotaram ainda o futebol da Fifa, em matéria de dinheiros eles são verdadeiros Pelés.

Qualquer dinheiro que entrou lá, que passou por lá ou que saiu de lá, o Leão deles abre os olhos, trinca os dentes, sente o cheiro e afia as garras querendo saber de onde veio, para quem foi, o que comprou e quem mandou.

Sendo assim, tem simplório por aí até alegando que “o enxerido FBI não tem que se meter em assunto que não tem nada que lhe diga respeito”.

Quanta burrice!

Santa jumentice!

E oxalá tivéssemos um FBI desse aqui nos mensalões e petrolões da vida.

Se aqui temos o nosso maldito jeitinho, lá nos EUA é tudo no preto, no branco, no azul, no verde, no amarelo, no cinza, no vermelho e em todas as cores.

Mandou dinheiro para lá?

Dinheiro com origem!

Então use sempre um banco brasileiro como o Bradesco do Brasil ou de Nova York, declarando tudo em nossa Receita Federal.

E, querendo, compre imóvel lá, mas via escritório de advocacia top de linha da capital do mundo e especializado no tema.

Assim, viva esporadicamente num desses imóveis, alugue outro para ricos executivos chineses, curta o Central Park ou o Oculus de Santiago Calatrava de Tribecca do lado do One World Trade Center e seja feliz vivendo tranquilo.

E se você tem direito ainda a uma piscina do Atlântico em Sunny Isles de Miami, aí a coisa esquenta de vez enquanto Nova York gela.

Mas declare tudo para nossa Receita Federal para não ser pego pelas garras implacáveis do FBI dos homens de preto de lá.

De lá e daqui.

Marin, Teixeira, falecido Grondona, Del Nero e outros 10 ou 15 cartolas empepinados em Nova York deveriam ter aprendido o que Al Capone ignorou e o que Pablo Escobar soube evitar.

Um era sonegador e o outro não depositava nada nos EUA, preferia enterrar toneladas de dólares em cantos colombianos.

Todo mundo se ferrou.

Bem feito!

Opine!

Com mais sorte que juízo, Grêmio vence o Lanús e fica perto do tri!

Leia o post original por Milton Neves

Grêmio 1 x 0 Lanús

Todo mundo esperava muito mais futebol em uma final de Libertadores.

Especialmente do time da casa, que levou um baile no primeiro tempo e só conseguiu equilibrar o duelo na etapa final.

Mas, contando com mais sorte que juízo, o Grêmio achou um golzinho no final do jogo, com Cícero (que estava encostado no São Paulo), e ficou, claro, pertinho de conquistar o seu terceiro título da Libertadores.

Mas, se essa taça vier mesmo, os gremistas terão que agradecer de joelhos ao goleirão Marcelo Grohe.

Novamente ele operou um milagre, desta vez após cabeçada de Braghieri, que por muito pouco não entrou.

E, no intervalo da Rádio Bandeirantes, previ:

“Depois dessa defesa de Marcelo Grohe, está na cara que o Grêmio vencerá a partida por 1 a 0”.

Dito e feito!

Às vezes até me assusto com o tanto que eu entendo de futebol!

Bom, mas agora o Imortal tem uma enorme vantagem, é verdade.

Mas não custa lembrar que esse mesmo Lanús, na fase anterior, conseguiu reverter uma vantagem muito maior do poderoso River Plate!

Então, vamos com calma…

Opine!

Nunca mereceram tanto, mas…

Leia o post original por Rica Perrone

Eu acho que nunca vou conseguir saber se em 2017 vimos o saopaulino de fato invadir o espaço dos “finalistas” e empurrarem o time contra a queda ou se todos, até os “de final”, entenderam o processo e sentiram o peso de ter que ajudar e não só de ir pra festa.

Seja lá como for, o ano que todos chamam de “trágico” tem algo histórico e que pode refletir no futuro do clube. Uma torcida que sempre esperou o título hoje sabe poder ser parte dele. E isso pode deixar o SPFC ainda mais forte.

Eu sei que a torcida surpreendentemente esse ano merecia a vaga na Libertadores. Mas se for só por torcida o futebol surta. Infelizmente a realidade triste é que o São Paulo como time não merece vaga a nada, aplauso algum, nem mesmo ser feliz por nào ter caido.

Alguns, como Hernanes, salvador da pátria, sim. Mas o clube, o time, não. Esses merecem vaias e cobrança, que aliás, é o que sugiro ao torcedor agora que a queda não existe mais.

Esse time não pode sair vencedor do ano. Tem que sair vaiado. Foi ridículo. E com todos os problemas de diretoria possíveis, como elenco, como futebol apenas, esses caras podem dar muito mais pelas condições de treino e jogo que lhes são dadas.

Se milhões de saopaulinos mereciam ir a Libertadores, uns 30 caras não. E são eles quem decidem.

Não lamentemos. Lembre-se que torcemos por um clube “cuja grandeza não consiste em ganhar títulos e sim merece-los”.

E essa, nós merecemos. Mas eles não.

abs,
RicaPerrone

O Palmeiras não se cansa de pagar mico!

Leia o post original por Milton Neves

Avaí 2 x 1 Palmeiras

2017: um ano que todo palmeirense PRECISA esquecer.

Uma temporada que começou com promessas de títulos no Paulista, na Copa do Brasil, na Libertadores, no Brasileiro e até no Mundial diante do poderoso Real Madrid de Cristiano Ronaldo.

E que termina com uma derrota vergonhosa para o ameaçadíssimo Avaí dos intermináveis Marquinhos e Betão.

Que coisa…

Sobre o revés em Santa Catarina, é bem provável que Alberto Valentim tenha hoje jogado fora a sua chance de ser técnico do Palmeiras em 2018.

Isso porque ele armou muito mal o time, especialmente o setor defensivo, para um duelo relativamente fácil.

Aí, não teve jeito: levou dois gols no início do segundo tempo e não teve força para buscar o empate.

Mas, e aí, se Valentim não vai mesmo seguir como treinador, quem seria um bom nome para 2018?

Estão falando muito em Abel Braga e em Roger Machado.

Mas e o Jair Ventura, não seria uma boa?

Bom, por outro lado, o Avaí cria agora esperanças de escapar do rebaixamento.

Será que ainda dá tempo?

Opine!

São Paulo não colabora com o Timão e não vai à Libertadores!

Leia o post original por Milton Neves

FOTO: LUCAS UEBEL/GREMIO FBPA

Grêmio 1 x 0 São Paulo

Matematicamente, não definiria o campeonato, já que o Palmeiras ainda joga amanhã.

Mas o São Paulo, em Porto Alegre, poderia ter tirado o Grêmio da briga pelo título brasileiro.

Ou seja, o Tricolor não conseguiu dar uma mãozinha para o Corinthians, como fez em 2004, quando venceu o Juventus e evitou o rebaixamento do Timão para a A-2 do Paulista.

E a verdade é que o clube do Morumbi não está conseguindo nem se ajudar.

Depois que garantiu a permanência na Série A, parece que relaxou.

Por essas e outras, deve mesmo ficar de fora da Libertadores-2018.

Bom, mas para quem flertou a temporada inteira com a Série B, está de bom tamanho.

Não é mesmo?

Cruzeiro 2 x 2 Avaí

Empate injusto no Mineirão!

Afinal, o Cruzeiro marcou o seu segundo gol em cobrança de uma penalidade completamente inexistente.

Operaram o esforçado Avaí em BH!

E, agora, a situação ficou para lá de complicada para o time da Ilha da Magia!

Opine!

Um empate preocupante em Wembley!

Leia o post original por Milton Neves

Foto: Lucas Figueiredo/CBF

Inglaterra 0 x 0 Brasil

No histórico estádio de Wembley, Inglaterra e Brasil fizeram um amistoso tão emocionante quanto dançar de rosto colado com a mãe ao som de “Sentimental Demais” na voz do saudoso Altemar Dutra.

A sensação era de que o jogo poderia ter mais uns 300 minutos que ninguém conseguiria nem acertar um chute no gol.

Tá louco, sô!

Mas, honestamente, por mais que tenha sido um amistoso, esse duelo me deixou com a pulga atrás da orelha.

Afinal, a Inglaterra foi a primeira seleção europeia que o Brasil de Tite enfrentou.

E, logo neste primeiro grande teste, chamou a atenção a dificuldade que o escrete canarinho teve para criar jogadas no ataque.

Agora, se sofremos tanto diante dos ingleses, como será quando enfrentarmos os alemães em março do ano que vem?

Quero nem pensar!

Opine!

Palmeiras atropela o Fla, que leva o “Troféu Bola Murcha-2017”!

Leia o post original por Milton Neves

Foto: Cesar Greco/Agência Palmeiras

Palmeiras 2 x 0 Flamengo

No Allianz Parque, um duelo entre os dois elencos mais caros do Brasil.

E, neste ano, Palmeiras e Flamengo comprovaram a tese de que se dinheiro ganhasse jogo, o Tio Patinhas seria o Pelé.

Afinal, quantas decepções alviverdes e rubro-negros em 2017.

E, neste confronto de endinheirados que fracassaram, o Verdão acabou levando a melhor.

E em grande estilo!

Vitória por 2 a 0, com dois gols do criticado Deyverson!

E poderia ter sido mais, hein?

Por isso, o Flamengo volta para o Rio com o “Troféu Bola Murcha-2017”!

Pô, sacanagem, nem essa taça o Verdão conseguiu conquistar, não é mesmo?

Mas soube que para salvar 2017 a diretoria do Palmeiras já contratou 11 ótimos quenianos para a São Silvestre.

Quem sabe assim…

Vasco 1 x 1 São Paulo

No Rio, o São Paulo perdeu ótima chance de encostar ainda mais na zona de classificação para a Libertadores.

Afinal, voltou do intervalo vencendo o Vasco por 1 a 0 (golaço de Marcos Guilherme), mas não conseguiu segurar o ímpeto cruzmaltino na etapa final.

Agora, terá que correr atrás do prejuízo contra o Grêmio, no meio de semana.

E, de quebra, pode deixar o rival Corinthians numa situação ainda mais confortável.

Paciência…

Grêmio 1 x 1 Vitória

E por falar no Grêmio, que pipocada do Tricolor Gaúcho em Caxias do Sul, não é mesmo?

Pô, não conseguiu superar o nada mais que esforçado Vitória e acabou jogando a taça do Brasileirão ainda mais no colo do Corinthians.

Bem feito, castigo por ter poupado tanto jogador no decorrer do campeonato!

O Imortal vai ganhar a Libertadores, mas tem que aprender que não se deixa o Brasileiro em segundo plano!

Atlético-GO 2 x 0 Sport

E o Sport, que chegou a sonhar com a Libertadores, está cada dia mais próximo da Série B.

Que coisa!

Nesta rodada, conseguiu perder para o lanterna Atlético-GO e se complicou de vez.

O que será que está acontecendo com o futebol pernambucano?

Opine!

De vilão a herói: Kazim faz Fiel soltar grito de “campeão”!

Leia o post original por Milton Neves

Que jogo horrível meu amigo!

Um primeiro tempo inexistente, que me fez lembrar das tradicionais “peladas” entre “rua de cima e rua debaixo”.

E para uma partida nesses moldes, apenas um herói poderia aparecer.

Kazim, o “salvador”!

Contestado desde sua chegada ao Corinthians, o turco até que incorporou o espírito alvinegro, mas não obteve o sucesso esperado.

Contra o Avaí, ele livrou o Timão do empate amargo e de um possível vexame.

Afinal, é do futebol apresentado pelo líder que estamos falando.

A vitória veio, “magrinha”, 1 a 0, mas não convenceu.

Um importante passo corintiano rumo ao título, mas graças ao excepcional primeiro turno.

Pois com essa “bolinha” jogada no returno, o Corinthians está somando pontos apenas para o “gasto”.

Mas e você torcedor, após esse resultado, acredita que o Timão leva o Brasileirão?

OPINE!!!

Palmeiras começou 2017 como banco e termina como feira!

Leia o post original por Milton Neves

A Crefisa seria a nova Parmalat.

Djalminha, Cafu, Marcos, Müller, Antônio Carlos, Rivaldo, Zinho, Paulo Nunes, Roberto Carlos, Edmundo, Evair e tantos craques fariam de novo um Palmeiras do tamanho do Barcelona e do Real Madrid.

Torcida do Verdão ficou eufórica e a onda verde não parou de crescer.

Pois a Crefisa jogou mesmo tão bem quanto a Parmalat e escancarou seus grandes cofres com tantos fundos tão profundos.

Enquanto isso o Corinthians era a quarta força e sério candidato ao rebaixamento no Brasileiro.

O São Paulo era uma incógnita e o Santos coadjuvante.

Mas o Palmeiras teve péssimos administradores financeiros.

Alexandre Mattos foi horroroso gerente de banco e aplicou muito mal os recursos a ele confiados.

Teve rentabilidade negativa na base de 19,51% abaixo do CDI, mensalmente.

Uma proeza!

Seus outros gerentes de aplicação de recursos também foram muito mal no mercado financeiro.

Eduardo Baptista, Cuca e Galiotte “brilharam” tanto, tecnicamente, quanto os administradores do Comind, Caderneta de Poupança, Haspa, Papa-Tudo, Banco Santos, Boi Gordo, Bamerindus, Banco Nacional, Mesbla e Mappin.

Mas, é claro, nesta exagerada simbologia, talvez cruel, o Palmeiras não quebrou, jamais quebrará e muito menos um dia desaparecerá.

Mas, que vergonha!

Que fracasso!

Que decepção!

Tanto dinheiro à vontade e tantas derrotas e eliminações.

Era muita cobra a picar a outra em espaço menor a comportar tanta gente.

Não foi por falta de aviso!

Agora é lamber as feridas, como dizem os gaúchos, limpar a “agência”, verificar com verdadeiros profissionais do sensível mercado financeiro quais as melhores aplicações para 2018 e escalar operadores que saibam fazer muito gol jogando do goleiro ao ponta-esquerda.

Isso tudo urge, sob pena de “quebrarem” a inquebrável Crefisa e soterrarem o sonho de “Dona Leila Presidenta” do Verdão.

Gastaram muito mal seu dinheiro, minha senhora, comprando a esmo muita quantidade e pouca qualidade.

Formaram um time de baciada, com muito legume vencido e com frutas passadas.

Que os feirantes também desarmem suas barracas procurando outra freguesia.

Mas na “Feira do Palmeiras” tinha literalmente um barraqueiro muito mal aproveitado e que ninguém notou, prestigiou, escutou ou escalou.

Felipe Melo!

Sim, Felipe Melo, ele mesmo!

E não fiquei louco!

Não souberam aproveitar a rara e única virtude dele: seu poder de acordar os outros 10 jogadores do Palmeiras que andaram perdendo bovinamente dois jogos para o Corinthians e até para o Vitória.

Sim, um destemperado com fio desencapado, mas não uma meiga mocinha como alguns jogadores dóceis que desfilaram vestidos de verde pelos campos do Brasil neste ano de 2017.

Todo time precisa de um líder e o Palmeiras é um amontoado assustado.

Menos o ótimo Moisés, o resto é tudo gente que precisa de líder, maestro ou berrador a acordá-los.

O Porco joga bovinamente à procura do matadouro.

Longe, e bota longe nisso, de um Dudu, Zito, Clodoaldo ou Dunga, mas Felipe Melo é indispensável em jogo pegado, nervoso, decisivo, dramático.

Ele teria eletrificado o elenco do Palmeiras que joga bola praticando ioga.

Virou um fim de feira!

Opine!

Quanto vale o seu amor?

Leia o post original por Rica Perrone

Eu poderia fazer essa pergunta a qualquer vascaíno, qualquer conselheiro, qualquer torcedor organizado e especialmente ao Eurico Miranda.  Farei a todos eles neste post. Porque todos precisam esclarecer isso.

O que houve hoje em São Januário não é uma questão política, nem mesmo um caso de justiça. É imoral. É deboche. É estupidamente descarado. É humilhante.

Eu não sei mapear os problemas políticos do clube. Não frequento pois desde que cheguei ao Rio a gestão do Vasco é “isso aí” e eu não concordo com ela, embora tenha feito ações para o marketing do clube sempre que fui solicitado em minhas mídias sem jamais cobrar por isso.  E não negaria isso ao Vasco com Eurico lá, diga-se.

Sabe porque? Porque é o Vasco e não o Eurico. Não importa quem comande, quando você ama você quer limpa-lo e não deixa-lo. O vascaíno está de mãos atadas acordado até as 3 da manhã em dia útil pra saber se a fraude da urna seria suficiente para causar discussão sobre o resultado.

E foi.

É evidente. É grotesco.  Centenas de sócios novos num curto período, cadastros bizarros, mais de 50 no mesmo endereço. mesmo cenário de 2014, mas dessa vez a justiça entrou no meio. Ela viu! Ela sabe! E a brutal diferença das 6 urnas pra essa, que separavam os suspeitos, é impossível de ignorar.

O presidente eleito no Vasco é Julio Brant. O dono Vasco é Eurico Miranda.

Dono do conselho, dono de torcida, dono de formas para se perpetuar no poder e entender no alto de sua prepotencia que só ele pode cuidar do Vasco.

Talvez seja a idade. Talvez seja maldade.  A única certeza que temos é que isso não é mais amor. Pelo menos não o amor de verdade.

É vaidade. Covarde.

Um sujeito com serviços relevantes prestados a história de um dos maiores patrimonios culturais do país, o Vasco da Gama, consegue escolher deixa-lo pela porta dos fundos e só sairá empurrado. Porque sozinho se recusa.

Não é uma questão de justiça. É uma questão de vergonha na cara.  O Vasco não pode aceitar aquela urna. O conselho do Vasco não pode amanhecer nesta quarta-feira como se fosse mais um dia comum.

Não foi. Foi o dia que o amor pelo Vasco tomou conta do Rio, o dia em que torcedores de outros clubes se revoltaram tamanha cara de pau.

Foi também o triste dia que pela segunda vez um homem derrotou um clube.

Então não parem! Não parem, não!
Não abandone seu amor antigo, seu primeiro amigo.

Parabéns, Julio!
Parabéns, torcida vascaína!

abs,
RicaPerrone