Kazim!?! Hoje é sim! Corinthians 1 x 0 Avaí

Leia o post original por Mauro Beting

Jô foi suspenso pelo STJD. Sem Carlinhos da base, que já merecia mais chances, sem Danilo ainda (que vai merecer fazer o gol do mais que provável hepta brasileiro), Carille só tinha Kazim. O centroavante que não fazia gols havia 266 dias.

O atacante que até não vinha entrando tão mal nos últimos jogos corintianos. Fazia algumas paredes, repintava alguns cantos, não dava mais tantos canos. Mas, diferente do Timão dele, o assim chamado Gringo da Favela só levava no peito a esperança quase galhofeira de ainda fazer um gol até o final do campeonato.

Muito mal comparando, para ser em 2017 o que Adriano Imperador havia sido contra o Atlético Mineiro, no Pacaembu, no gol que encaminhou o penta, em 2011. Além da abismal diferença técnica entre eles, o que poderia haver em comum era quase a desistência geral de que algo ainda poderia ser feito por eles.

Na raça, Adriano fez belo gol em 2011. No peito, Kazim definiu mais um jogo arrastado do campeonato do Corinthians. Do Corinthians no campeonato.

Não são brilhantes. Não são mesmo. Mas quem pode ousar dizer que não foram superiores?

Contra o Avaí, domínio completo, ainda que sem muita criatividade e emoções na primeira etapa. O gol com 3 minutos da segunda etapa ajudou a acalmar e aquietar a equipe que se afobava e, no final, liberar o grito contido e represado no peito corintiano. E reprisado mais uma vez na Arena Corinthians.

“É campeão”.

Ainda não. Mas já será.