Tem como ter equilíbrio?

Leia o post original por Mauro Beting

O Barcelona recebeu da Liga Espanhola a bagatela de 146 milhões euros pela transmissão de suas partidas no Espnholão e Copa do Rei. É muito. E claro que é merecido. Como também foram os 140 para o Real Madrid. As contas se devem a critérios técnicos também.

A fortuna é merecida para quem, no final do ano, protagonizou o clássico visto por mais de 700 milhões de pessoas em 180 países. Mais que o maior clássico intermunicipal do planeta, também é o jogo que mais se quer ver no universo onde nasceram Messi e Cristiano Ronaldo.

O problema é a diferença ainda perniciosa para os rivais. O Atlético de Madrid ficou com 99 de euros. Duas vezes vice europeu nos últimos quatro anos, ainda consegue ser competitivo interna e externamente. E estamos só falando dos direitos de TV, as únicas receitas que podem e devem ser mais equânimes.

No mais é tudo aquilo que pode fazer com que o Barcelona invista até “pouco” para trazer por 160 paus P.Coutinho. E ainda uns trocos para ainda em janeiro levar Mina do Palmeiras para a Catalunha.

Ou que dê ao Real Madrid bicampeão europeu a tranquilidade de não precisar gastar os tubos que ainda não são tudo.

O Brasil que fique esperto e que não faça a mesma coisa. A televisão é muito parceira dos clubes brasileiros para ser amiga demais de Flamengo, Corinthians, Palmeiras, São Paulo e Vasco.