Arquivo da categoria: Atlético MG

Vocês precisam entender a Florida Cup

Leia o post original por Rica Perrone

Há no Brasil um erro grotesco de interpretação quanto ao torneio norte-americano.  “Não vale nada”, diz o torcedor.  Mas é óbvio que não! E nunca foi intenção do torneio que valesse algo, tanto que nem tem final.

A idéia é muito mais simples e mais interessante do que a disputa de um torneio.

Ninguém quer disputar título com 5 dias de treinamento. Mas treinar a 20 graus ao invés de 35, com estrutura de primeiro mundo, onde as famílias dos jogadores curtem os parques enquanto eles trabalham, com 5% de imprensa por perto pra perturbar e ainda jogar dois amistosos maneiros contra times de fora é um problema?

Tudo que fazem no futebol brasileiro é criticado.  É quase um hábito. Mas as vezes eles conseguem boas coisas, como por exemplo o Florida CUP.

Nao é pra dar audiência, público, título. É pra ser uma pré temporada diferenciada, em paz, aproveitando para fazer negócios e relacionamentos com clubes do mundo todo e dezenas de personalidades do esporte que estão aqui de férias e vão ao evento.

A sala vip da Florida Cup é surreal. Tem desde os craques do passado até os donos de empresas gigantes do mundo. E ali se faz negócios, enquanto os times em campo jogam amistosos e treinam pro ano que vem aí.

Parem de discutir o quanto vale o torneio. Ele não é feito pra valer título, mas sim pra valer a pena. E vale. Eu lhes digo de perto, após alguns anos, que vale!

Não há perda. Se ganha em todos os sentidos. E quando o Galo manda o sub 23, por exemplo, apenas comete mais um dos mil erros que cometemos no Brasil ao desvalorizar um negócio que estamos dentro. E depois não sabemos porque nos falta dinheiro…

abs,
RicaPerrone

Claro que faz diferença

Leia o post original por Rica Perrone

Eu adoro o Robinho. Não o conheço pessoalmente, mas como personagem e jogador, gosto muito.  Carinhosamente o chamo de “Nego Robson” nas minhas postagens e não sei o quanto acredito num estupro envolvendo seu nome.  Mas, hoje, ele está condenado pela justiça italiana por isso.

Eu não tenho a menor condição de julgar, e tal qual 99,9% de vocês, só posso respeitar uma decisão da justiça e entender que mesmo cabendo mil recursos, há um processo bem ruim para o jogador em andamento.

Enquanto acusação, ok. Quando condenado, muda de status e sim, tem que mudar mesmo. Não é possível que a gente tenha que ser radical pra um lado ou outro e achar que ele é um estuprador, nem mesmo insinuar que uma condenação de estupro não interfira na sua imagem profissional.

É natural e aceitável que clubes rejeitem a idéia de ter Robinho, como era com o Bruno. Como talvez seja em outra proporção com o Breno, por não envolver terceiros em seu crime. Mas ter uma condenação muda sim o status de qualquer pessoa. E deve mudar. É natural.

Robinho é um jogador diferente. Caro, mas que vende, joga bem, é carismático. Eu sempre gostei da idéia de tê-lo no meu time. Hoje eu pensaria. Porque sim, amanhã você pode ter um condenado por estupro no seu time tendo que estampar a porra da foto em tudo que é jornal com a camisa de voces e seu patrocinador.

Sim, tem um peso.

Eu espero mesmo que ele seja inocente e que seja um erro da justiça italiana. Mas enquanto isso não mudar, é realmente complicado contratar o jogador.

E por mais que cobrem da imprensa um massacre como fizeram com o Bruno, é compreensível o pé atrás em falar sobre. Amanhã pode haver uma segunda decisão e ele ser absolvido. Mas falamos de hoje. E hoje ele foi condenado.

Que merda. Mas é isso. Hoje, é isso. Infelizmente.

abs,
RicaPerrone

Identidade

Leia o post original por Rica Perrone

Acho incomparável a possível troca de Fred pelo Fla com a ida ao Cruzeiro.  Como falei sobre Kaká outro dia, o mesmo se aplica ao Fred. Ter revelado o jogador não faz dele um ídolo do clube.

A ligação Fred/Cruzeiro nem a esse ponto chega porque ele veio do América. Ou seja, é só um cara que jogou lá (e bem) por 1 ano e meio. Não vi a ida dele pro Galo como “trairagem” ou sequer “polêmica”, idem pra sua volta, embora tenha sido direta.

Ele também não é um ídolo do Galo. Foi só um grande jogador que atuou lá.

Separemos.

No Fluminense ele é um dos maiores, se não for o maior. Ir ao rival tiraria dele uma parte considerável da relação torcida/ídolo que construiu ao longo de 8 anos de clube. Lá foi campeão, jogou Copa, outro patamar.

A ida pro Cruzeiro me chama mais atenção pelo timaço que eles tão montando do que por qualquer dor de corno ou polêmica em terceiros.

Outro dia falava sobre o pensamento pequeno da diretoria do Flu e em massa sua torcida concordava.  Mas sim, achei meio “pequeno” por parte de parte torcida do Flu “comemorar” a ida dele ao Cruzeiro. Afinal, se houve proposta, ele também recusou a sua. Embora “não ir pro Flamengo” seja uma vitória, não se posta festa em família porque o primo saiu de cadeia, né?

Entre os “vencedores e vencidos”, acho que ficou bom pra todos. Eles segue ganhando uma grana, morando perto da família e jogará a Libertadores.

Ah, mas a organizada é contra!

Mais um indicativo que o clube agiu certo. Ótimo reforço. Ainda o melhor do país na posição.

E azar de quem não levou ou não pode pagar.  Simples assim.

Queria eu ter o Fred no meu time.

abs,
RicaPerrone

‘Bom mas desgastado’, Guedes é ‘problema a ser resolvido’ pelo Palmeiras

Leia o post original por Perrone

Muito bom jogador mas que não serve para o Palmeiras neste momento. Assim é definido Róger Guedes pela direção do clube.

A avaliação é de que o meia está desgastado com parte do elenco, torcida e direção. Nesse cenário, a situação do atacante é tratada como um problema a ser resolvido. A solução preferencial é a venda do jogador, mas o negócio mais viável até agora é a troca por empréstimo de um ano com Marcos Rocha, do Atlético-MG.

Apesar de não ter espaço no elenco, Róger é avaliado pelos palmeirenses como um dos atletas mais cobiçados do time no mercado brasileiro. Além do Galo, o Internacional também se interessa por ele. O Fluminense chegou a aceitar Guedes numa negociação que colocaria Gustavo Scarpa no Palmeiras, mas o atleta não quis ir para as Laranjeiras.

O desgaste que torna inviável o aproveitamento do atacante se deu principalmente pela suposta falta de aplicação dele em treinos. Durante o Brasileirão, ele foi cobrado por jogadores e direção por conta dessa análise. Chegou a ser afastado da equipe para passar por uma reciclagem.

A intenção dos palmeirenses é definir o futuro de Róger nesta semana.

 

Conca, Fred e as “escolhas”

Leia o post original por Rica Perrone

Vou opinar antes de qualquer uma das partes se manifestar pra que não pareça um “lado”.  A diferença entre Conca, Fred, a relação FlaxFlu e os julgamentos são grandes.

Os dois jogadores são idolos do Flu. Ou “era”, pro argentino inteligente que foi ganhar um trocado a mais e ficar encostado no rival.  O Fred ainda é.  Especialmente porque qualquer pessoa razoavelmente próxima ao clube sabe que Peter fez de tudo para empurra-lo pra fora e não por vontade do jogador.

Conca, por sua vez, fez de tudo pra ir pro rival, inclusive quando o Flu ainda o queria e ele vestia a camisa do clube. Na saída da Unimed, negociou e se ofereceu para o Flamengo ainda jogador do Tricolor.

Nada errado. Apenas burro.  Conca tem suas escolhas claras: grana, grana, grana e foda-se.

Fred nunca tentou sair do Fluminense. Ao contrário, foi “vendido” contra sua vontade.  Isso dá ao Fred um “direito” que honestamente eu nem queria que ele fizesse uso.  Acho importantíssimo pra um jogador terminar a carreira ídolo de um clube. E o Fred tem muito a perder, embora em 2 anos possa se tornar também ídolo do Fla tal qual o Renato foi do Flu um dia.

Mas é um risco. E esse risco se divide entre jogadores que se oferecem e jogadores que são rejeitados. O Fluminense deu ao Flamengo a possibilidade do Fred. O Conca foi buscar no Flamengo essa oportunidade enquanto o Flu o queria.

São situações muito diferentes embora pessoas de má fé tentarão mistura-las pra vender na mesma sacola.

O Flamengo está apenas buscando o melhor centroavante do país. E o Flu, pensando pequeno, sem entender a importância de um ícone na relação torcida/clube, especialmente com crianças, deu ao Flamengo a oportunidade de negociar com esse ídolo e o alvará para que ele aceite sem ser “mercenário”, já que a dispensa partiu do clube.

abs,
RicaPerrone

99% torcem, mas aquele 1%…

Leia o post original por Rica Perrone

A megalomania dos times brasileiros em apresentar números exorbitantes para indicar paixão são facilmente desmascarados por dados mais concretos.  Brasileiro gosta de futebol quando o time dele ganha. Caso contrário, não é um dos maiores consumidores do esporte.

Consome o clube. E conforme a fase.  O futebol em si, muito pouco. E ainda que pelo próprio clube, embora as vendas de camisas atinjam números expressivos como os 2 milhões por ano do Flamengo, os sócios engajados em ter facilidades de ir a jogos e contribuir com o clube são ridículos.

Com base na pesquisa Ibope de 2017 as maiores torcidas do Brasil tem números de torcedores menores do que ditos pelas massas. A maior delas estima-se ser de 32 milhões e é a do Flamengo.

Fizemos um calculo simples de % entre total de torcedores declarados e sócios de fato, auditados no site oficial da campanha de socios torcedores (Futebolmelhor.com.br).

O Grêmio é o time com maior engajamento. 2,27% dos seus torcedores são sócios.  O Inter em segundo, com 2,01%.

Os cariocas Flamengo e Vasco são os piores na proporção torcida/sócios. Embora o rubro negro até tenha mais de 100 mil sócios, sua torcida é muito maior e portanto o % não acompanha.

Imagine você se cada time conseguisse 10% de sua torcida como sócios ativos. Será que precisaríamos vender nossos garotos pra Europa?

Em média apenas 1% dos torcedores de times grandes no Brasil são sócios torcedores. Segue a lista % de torcedores x sócios.

TimeTorcidaSocios%
Gremio6.000.000136.2832,27%
Inter5.600.000112.7522,01%
Sport2.400.00043.2881,80%
Atletico MG7.000.000100.7321,44%
Palmeiras10.600.000122.9231,16%
Botafogo3.400.00035.1321,03%
Cruzeiro6.200.00064.0171,03%
Fluminense3.600.00037.0951,03%
Sao Paulo13.600.000117.8940,87%
Santos4.800.00024.6920,51%
Vitória2.600.00013.1570,51%
Corinthians27.300.000125.4710,46%
Bahia3.400.00014.7620,43%
Flamengo32.500.000106.9380,33%
Vasco7.200.00017.0650,24%

Agente fala em sondagem da China por R. Guedes, mas não anima Palmeiras

Leia o post original por Perrone

Com José Edgar de Matos, do UOL, em São Paulo

Na última terça, Fernando César, agente do zagueiro Pablo, sondou o Palmeiras sobre Roger Guedes. Conforme apurou o blog, o empresário disse para Alexandre Mattos, diretor palmeirense, apenas que há um clube chinês interessado no jogador. Não apresentou uma proposta e nem falou o nome do time. Apenas quis saber da possibilidade de o atacante ser vendido.

A direção alviverde tem interesse em negociar o atleta, mas não se animou com a procura. A avaliação é de que o contato foi muito superficial.

Os palmeirenses acreditam que Guedes vale pelo menos oito milhões de euros. Porém, o clube aceita analisar propostas inferiores. A equipe paulista tem apenas 25% dos direitos econômicos. O restante pertence ao Criciúma.

Paulo Pitombeira, empresário do jogador, diz desconhecer a sondagem feita pelo agente de Pablo.

César não quis dar entrevista ao blog sobre o assunto.

Ao conversar com o agente de Pablo, Mattos não fez proposta pelo zagueiro, fora dos planos do Corinthians para a próxima temporada. O entendimento da diretoria do Palmeiras é de que não há a necessidade de contratar alguém para a posição neste momento. Por sua vez, Pablo recebeu proposta do Atlético-MG.

Pablo recebe proposta do Atlético-MG e gosta da oferta

Leia o post original por Perrone

Com Thiago Fernandes, do UOL em Belo Horizonte

O Atlético-MG apresentou proposta para o zagueiro Pablo, que não acertou sua permanência no Corinthians. Os valores, mantidos em sigilo, agradaram ao jogador, que tem contrato com o alvinegro paulista até o fim do ano.

Além de esperar o encerramento desse compromisso, o Galo depende do resultado de sua eleição presidencial e de um acerto com o Bordeaux, dono dos direitos econômicos do zagueiro.

O novo presidente atleticano será definido no próximo dia 11. Para a proposta vingar, é necessária a vitória do candidato situacionista Sérgio Sette Câmara. Conforme apurou o blog, os contatos com Fernando César, empresário de Pablo, foram feitos por Alexandre Gallo, que deve ser diretor de futebol remunerado do clube, caso Câmara vença o pleito. Mesmo sem certeza da vitória, o candidato tenta antecipar o planejamento da equipe para a próxima temporada.

Apesar das conversas com o representante do atleta, o Atlético-MG ainda não enviou oferta oficial ao Bordeaux. Isso só deve acontecer depois que houver o acerto verbal com Pablo. O clube francês venderia o zagueiro para o Corinthians por 3 milhões de euros (cerca de R$ 11,4 milhões). Mas não houve acordo principalmente porque Pablo e seu empresário queriam o pagamento de cerca de 40% das luvas à vista, além de outras medidas que diminuíssem o risco de calote.

Procurado pelo blog, César não quis dar entrevista sobre o assunto.

 

Minha seleção do Brasileirão

Leia o post original por Rica Perrone

É muito difícil sair de Corinthians, Grêmio e Botafogo. Os três jogaram um futebol muito acima dos demais, e embora o Bota tenha despencado no fim, teve um grande ano.  Hernanes e Dourado entraram ali por terem carregado seus times nas costas. Especialmente o saopaulino.

Que tal?

abs,
RicaPerrone

 

Eu também faria

Leia o post original por Rica Perrone

Não sei se o Galo que apagou a luz.  Nem sei se o Cruzeiro entregaria o jogo pro Botafogo ao ouvir no rádio que o Galo estava vencendo.  Nunca saberemos. Mas tem uma coisa que eu sei, e que não vou omitir pra parecer fofo: eu faria os dois.

Se eu fosse atleticano, apagaria a luz porque na minha cabeça o Cruzeiro sabendo que um gol sofrido eliminaria o Galo e não lhe causaria NENHUM dano, eu amoleceria, como já vimos campeonatos e mais campeonatos serem decididos dessa forma. Não é ética, é lógica.  Se meu gol ajuda meu rival e não me dá nada de bom, ele é um gol contra. Logo não o farei.

Se fosse cruzeirense, sabendo que o Galo está ganhando, não faria a menor questão de endurecer pro Botafogo e veria com ótimos olhos o gol alheio.  Seja hipócrita na rede social, lá funciona. Mas na vida real, qualquer torcedor do Cruzeiro preferia tomar o terceiro do Botafogo se já soubesse do gol do Galo.

Os dois times estão com o regulamento, o direito anti ético de ser prático e de ostentar a rivalidade entre eles.  Fazer gol pra nós dois é uma coisa. Só pra ajudar meu rival? Não. Ninguém faz.

Nunca saberemos se a luz apagou de propósito, nem se o Cruzeiro entregaria o jogo. Mas por dignidade ou desapego a ele, confesso: Faria os dois. Só depende do lado que eu estivesse.

abs,
RicaPerrone