Todos os posts de Michelle Giannella

Ritmo quente no mercado da bola

Leia o post original por Michelle Giannella

Marcos Rocha é um dos reforços do Palmeiras para 2018 (Foto: Bruno Cantini)

Oi turma! Contagem regressiva para o final do ano, para a São Silvestre, galera de férias, mas nós aqui continuamos firmes e fortes com as notícias sobre as negociações do mercado da bola.

O Palmeiras investiu menos do que no ano passado, mas é o time que fez mais contratações até o momento, e contratações inteligentes, sem gastar muito (até agora apenas R$ 8 milhões, no ano passado mais de R$ 35 milhões). Este ano o Verdão aproveitou bem os atletas que ficaram liberados de seus times, outros foram negociados na base da troca. Belo trabalho.

O Corinthians tem perdido muitos jogadores e Carille terá bastante trabalho no ano que vem. O Fluminense liberou Henrique, que não fez uma grande temporada em 2017, e talvez seja interessante para o Timão, que não tem mais Pablo e talvez perca Balbuena, mas vale dizer que não tem como pagar o que ele ganhava no Flu.

O São Paulo tem mais reforços fora de campo do que nas quatro linhas, tomara que Dorival consiga surpreender.

O Santos pode contar com o retorno de Robinho. Eu, particularmente, preferiria ver o Peixe buscar novos talentos na base.

Vamos que vamos, pesssoal!

Domingo temos um encontro marcado na São Silvestre com transmissão ao vivo pela TV Gazeta e pelo site Gazeta Esportiva.com a partir das 8h25 da manhã.

Beijos e eu te espero lá!

 

Troféu Mesa Redonda 2017

Leia o post original por Michelle Giannella

Quando acontece a gravação do Troféu Mesa Redonda, pronto. O ano está memso chegando ao fim. A décima quarta edição para mim foi a mais emocionante. Quem assitiu a premiação viu como o prêmio tem crescido a cada ano, como o conteúdo é bonito e trabalho. Nas fotos acima são dois momentos de homenagens do prêmio.

Esse vento é a cereja do bolo de uma equipe que batalha muito.

Obrigada a todos que nos acompanham e que gostam do nosso trabalho!

Tudo o que fazemos é por vocês!

Prós e contras de Roger Machado no Palmeiras

Leia o post original por Michelle Giannella

Foto: Bruno Cantini/CAM

A contratação de uma das revelações do futebol brasileiro como treinador, nos últimos anos, tem gerado polêmica nas redes sociais. Abaixo, listo alguns prós e contras em relação à contratação de Roger Machado pelo Palmeiras:

A favor do treinador:
– Comenta-se que foi indicado por Tite para assumir o Verdão e já recebeu elogios em outras oportunidades do treinador da Seleção
– Já foi jogador, então sabe como lidar com os atletas
– Já treinou equipes grandes como Grêmio e Atlético Mineiro
– Ganhou o Campeonato Mineiro com o Atlético em 2017
– Trabalha com um estilo de futebol moderno e tem ideias inovadoras

Contra o treinador:
– A pressão de dirigir um time como o Palmeiras. Se não tiver o apoio da diretoria, não dura até a final do Paulistão
– Faltam títulos ao treinador, falta currículo, ou seja, ainda é visto por muitos como inexperiente para uma equipe do tamanho do Palmeiras
– Chega com a obrigação de vencer a Libertadores. Imagine só a pressão!
– O elenco gostava e apoiava Alberto Valentim
– Tem no grupo muitos jogadores medalhões, assim sendo, vai ter que conquistar o apoio e respeito dos atletas para ser o real comandante dessa equipe.

 

Pressão tem que ser na arquibancada

Leia o post original por Michelle Giannella

Foto: Marcelo D. Sants/FramePhoto/Gazeta Press

Oi gente! É o seguinte, eu sempre defendo as torcidas, a liberdade de expressão das pessoas, acho lindas as manifestações nas arquibancadas, os gritos de guerra, as comemorações… Mas hoje, a intimidação da torcida do Palmeiras sobre os jogadores, jogando pamonhas e pipocas no ônibus, gritando e batendo no ônibus do time, não foi legal. Lugar de protesto é na arquibancada, lugar de xingar, gritar, é lá, não na rua.

Os jogadores são seres humanos, são pais de família, são atletas e profissionais. Não podemos tratar as pessoas assim. Eu entendo que a torcida esteja irritada, mas a pressão nas ruas, jogando coisas, não é certo. Já pensou você sair pra trabalhar e se deparar com essa pressão?

A entrevista coletiva com todo o elenco foi constrangedora. Esses atletas precisam de respaldo da diretoria. Lugar de protesto é no estádio, na arquibancada, sem violência.

5 Motivos pra vitória do Corinthians

Leia o post original por Michelle Giannella

Foto: Sergio Barzaghi/Gazeta Press

Que jogo!

Parou a cidade. Ruas vazias, tensão… Não achava que daria para o Timão porque apresentava os últimos jogos ruins, aliás, todo o segundo turno bem fraco, fora a pressão psicológica, a falta de peças de reposição no elenco…

Abaixo os meus motivos para a vitória do Timão sobre o Verdão:

1. O Corinthians tem um poder, uma força, uma torcida que fazem a diferença. O primeiro gol a favor do time veio sábado, quando o elenco treinou com 32 mil pessoas assistindo e apoiando. Claro que os jogadores sentiram a pressão, mas também o amor pelo time. E outra coisa, quando entraram em campo pro clássico, já estavam mais preparados e acostumados psicologicamente aos gritos vindos das arquibancadas.

2. O Corinthians jogou melhor. As mudanças táticas e técnicas fizeram bem ao time, a formação diferente e sem Jadson deu certo.

3. O Corinthians mostrou força e qualidade especialmente sabendo atuar em cima do lado esquerdo da defesa palmeirense.

4. Não foi a arbitragem que determinou o resultado do jogo. Nos últimos dois jogos, o Palmeiras poderia ter conquistado seis pontos e  conseguiu apenas um. Então… menos.

5. O Corinthians reagiu. Os jogadores jogaram com a seriedade e a vontade que faltava nos últimos jogos.

Faltam 6 rodadas ou 4 vitórias pro Corinthians ser campeão.

 

Verdão acordou e Timão não pode dormir no ponto

Leia o post original por Michelle Giannella

Foto: Djalma Vassão/Gazeta Press

Todo mundo esperava uma vitória do Palmeiras sobre o Cruzeiro, mas esqueceram de avisar o time de Mano Menezes. O treinador encheu o time de brio quando mostrou ao elenco que a mídia comentava apenas a possível vitória do Verdão e o confronto seguinte contra o Timão.

Ok, deu empate. Foi um jogão. Mas o Palmeiras poderia ter saído com a vitória, sim. Teve gol legítimo anulado e gol contra. O imponderável acontece no futebol, essa é a graça! Mas uma coisa é certa, os alviverdes podem respirar aliviados porque o reforço Borja finalmente chegou!

O Corinthians depende só de si para ganhar o título, mas com a bolinha que está jogando, melhor torcer para os adversários tropeçarem.

Domingo que vem tem clássico em Itaquera. Se o Corinthians perder, continuará dois pontos a frente do Verdão, mas a grande questão é o Corinthians voltar a apresentar um futebol razoável , menos irregular e que confie em si próprio. O Corinthians continua sendo favorito para ganhar esse título, mas o Palmeiras acordou e não é hora do Timão dormir no ponto.

Campeonato pegando fogo: Corinthians x Palmeiras

Leia o post original por Michelle Giannella

Foto: Fernando Dantas/Gazeta Press

Se o Palmeiras continuar jogando o que joga, com a determinação e vontade dos últimos jogos, não tem pra ninguém, será campeão. Me desculpe, Corinthians, mas o que estamos vendo em campo é um time cansado, um treinador sem opções no banco, um elenco limitado e que deu sorte na primeira etapa do campeonato.

O Corinthians não dá mais conta de depender apenas de si mesmo para vencer o campeonato. Perdeu jogos fáceis. Esqueceu o que é empatar, agora vê a bela vantagem conquistada no primeiro turno ir pelo ralo abaixo. Depende do Palmeiras vacilar para tentar manter os dedos na taça.

Carille, tenso, quer manter a cabeça para não perder de vez a moral do grupo, mas o clima realmente não é dos melhores no alvinegro. Tanto que Clayson se desentendeu com Jádson no meio do jogo de hoje, vocês viram?

Vamos aguardar as cenas dos próximos capítulos. Se o Verdão vencer segunda -feira a partida contra o Cruzeiro, o Campeonato Brasileiro vai pegar fogo.

Demissão de Levir seria ato de covardia

Leia o post original por Michelle Giannella

Foto: Ivan Storti/Santos FC

Hoje surgiu a notícia de que Levir Culpi teria sido demitido do Peixe. Isso teria acontecido não pelos resultados do time, mas sim porque ele entrou em combate direto com a diretoria do clube. O treinador justificou, numa entrevista coletiva, que o ano do time não era dos melhores devido à situação política do Peixe. Pronto, deu sopa pro azar, munição para que explodissem ele do cargo assim que possível.

Os torcedores que sempre picham os muros da Vila não tinham como alvo Levir Culpi, mas sim Lucas Lima, Zeca e demais jogadores. Levir é quem menos culpa tem pela campanha do time, que não é ruim: está em quarto lugar no Campeonato Brasileiro. O aproveitamento do técnico é de quase 60%. Apenas 4 derrotas, 13 vitórias e 12 empates, para quem pegou o time no mês de junho com saída de Dorival.

Nosso futebol é assim, comandado por medíocres que fazem de tudo para justificar sua mediocridade, exceto tentar melhorar o nosso futebol.