Todos os posts de Michelle Giannella

Era uma tragédia anunciada…

Leia o post original por Michelle Giannella

Quando Rogério Ceni foi anunciado como treinador do São Paulo, pensei: não vai dar certo.

Ele nunca foi treinador e, de repente, pegaria um dos maiores times do Brasil pra dirigir, time onde era ídolo. Não seria tarefa das mais simples. Mas Rogério confiou em seu taco ( e por isso admiro a coragem dele) mas ao mesmo tempo achei um pouco pretensioso assumir tal missão.

Se dependesse apenas de si, tenho certeza de que daria certo. A dedicação, obstinação, determinação, garra, força de vontade e seriedade dele como profissional são inquestionáveis. No entanto, o treinador precisa lidar com um grupo de pessoas, não só os jogadores, mas seus auxiliares, empresários, dirigentes, médicos, enfim, um mundo de pessoas. E aí acho que Ceni tem pecado. 

Claro que a diretoria não ajudou. Ele começou o ano com um elenco que foi sendo desfeito ao longo da temporada. Além disso, faltou liga, química, entre o comandante e a equipe. O chefe precisa ter autoridade para conquistar o respeito de seus subordinados, mas também precisa ser um bom gestor de grupo, administrando egos, sentimentos, vaidades, cobranças, panelinhas…  Faltou isso, Rogério.

Claro que não é o fim da carreira dele, mas a vida não gosta de atalhos. Talvez Ceni não tenha que estudar grandes táticas e técnicas para ser treinador de futebol, mas sim fazer cursos de coach e gestão de pessoas e equipes. Isso facilitaria muito o relacionamento com o grupo tirando o melhor de cada um e conquistando sua confiança.

Rogério, você perdeu uma batalha, não a guerra. Este foi apenas o primeiro de muitos ensinamentos dessa nova etapa de sua vida. E aprendizado sempre vale a pena, certo? Boa sorte, mito!

Flamengo x São Paulo: alerta na Ilha do Urubu

Leia o post original por Michelle Giannella

Foto: Djalma Vassão/Gazeta Press

Palmeiras e Grêmio, um jogão nesta rodada! As duas equipes podem chegar perto da liderança, pena que os dois times irão poupar alguns de seus principais jogadores por causa da Libertadores.

Corinthians e Botafogo, outro jogão onde o líder pode ficar ainda mais na ponta da tabelSa.

Mas o sinal de alerta neste final de semana é para São Paulo e Flamengo. O time paulista vai encarar o Mengão na Ilha do Urubu e não terá vida fácil porque o Fla encontrou um jeito de jogar nesse estádio e está indo bem. Se o São Paulo perder pode ficar na zona de rebaixamento.

Bom final de semana, pessoal!

 

 

 

O imbatível Corinthians

Leia o post original por Michelle Giannella

(Foto: Rodrigo Gazzanel/Ag. Corinthians)

10ª rodada do Brasileirão invicto.

Um time que começou o ano desacreditado e chamado de quarta força.

O Timão do novato Carille segue imbatível no Campeonato Brasileiro.

No primeiro dos principais embates do ano contra o Grêmio, o Corinthians se mostrou uma equipe organizada e fria para aguentar a pressão da Arena do Grêmio e do forte time gaúcho.

Cássio brilhou contra o melhor jogador do Campeonato Brasileiro até agora pegando o pênalti de Luan, além disso fez excelentes defesas na partida mostrando que está em excelente forma.

Jádson deu o nome fazendo o golaço da vitória corintiana. E precisamos ressaltar ainda Paulo Roberto pelos lances espetaculares do atleta durante o jogo que culminaram com a vitória corintiana.

Um jogaço de tirar o chapéu para a forte equipe alvinegra.

 

 

Sobre as torcidas organizadas

Leia o post original por Michelle Giannella

Foto: Geraldo Bubniak/AGB/Gazeta Press

É muito simples e fácil falar que as torcidas organizadas precisam acabar.
É muito fácil jogar a culpa em algo genérico, algo que não seja palpável.
A Constituição garante a liberdade de associação, liberdade de reunião, assegura o direito de ir e vir.
Claro que odeio violência. Sou contra toda forma de briga, até boxe e UFC me dão arrepios e não gosto. Mas dizer que acabar com as torcidas organizadas resolveria os problemas de violência no futebol é exagerado.

Discuti com o Flavio Prado sobre o assunto.
Não é certo generalizar e dizer que todo torcedor organizado é bandido. Isso não é verdade. O que gera a sensação de impunidade é que no Brasil as leis são brandas e nao são cumpridas. Tenho familiares e amigos que são de torcidas organizadas.
Eles não são bandidos. Eles nunca brigaram. Mas eles cantam e vibram e gritam e torcem e amam seu time com uma força e uma vibração difíceis de explicar.
Só quem já esteve num estádio e ouviu os cânticos e gritos das organizadas sabe o arrepio que aquilo dá. Enche o corpo de adrenalina e emoção.
É lindo. Será que tudo isso precisa acabar pra violência terminar no futebol? Tomara que não. Infelizmente alguns seres humanos fazem a gente perder a fé na humanidade. O espírito de massa é ignorante e agressivo.
Que as pessoas tenham mais amor, mais tolerância e saibam torcer sem brigar.
Afinal, tudo é um grande jogo, uma grande brincadeira. Ou no dia seguinte a maioria dos mortais não tem que acordar cedo e sair pra ganhar seu suado salário?
Paz no futebol.
Paz no mundo.
Paz na vida de cada um.

Sobre as torcidas organizadas

Leia o post original por Michelle Giannella

Foto: Geraldo Bubniak/AGB/Gazeta Press

É muito simples e fácil falar que as torcidas organizadas precisam acabar.
É muito fácil jogar a culpa em algo genérico, algo que não seja palpável.
A Constituição garante a liberdade de associação, liberdade de reunião, assegura o direito de ir e vir.
Claro que odeio violência. Sou contra toda forma de briga, até boxe e UFC me dão arrepios e não gosto. Mas dizer que acabar com as torcidas organizadas resolveria os problemas de violência no futebol é exagerado.

Discuti com o Flavio Prado sobre o assunto.
Não é certo generalizar e dizer que todo torcedor organizado é bandido. Isso não é verdade. O que gera a sensação de impunidade é que no Brasil as leis são brandas e nao são cumpridas. Tenho familiares e amigos que são de torcidas organizadas.
Eles não são bandidos. Eles nunca brigaram. Mas eles cantam e vibram e gritam e torcem e amam seu time com uma força e uma vibração difíceis de explicar.
Só quem já esteve num estádio e ouviu os cânticos e gritos das organizadas sabe o arrepio que aquilo dá. Enche o corpo de adrenalina e emoção.
É lindo. Será que tudo isso precisa acabar pra violência terminar no futebol? Tomara que não. Infelizmente alguns seres humanos fazem a gente perder a fé na humanidade. O espírito de massa é ignorante e agressivo.
Que as pessoas tenham mais amor, mais tolerância e saibam torcer sem brigar.
Afinal, tudo é um grande jogo, uma grande brincadeira. Ou no dia seguinte a maioria dos mortais não tem que acordar cedo e sair pra ganhar seu suado salário?
Paz no futebol.
Paz no mundo.
Paz na vida de cada um.

Corinthians x Coritiba: não vai ser tão fácil

Leia o post original por Michelle Giannella

Foto: Daniel Augusto Jr/Gazeta Press

O time do Corinthians segue em constante evolução desde o começo do ano e está na ponta do Brasileirão. E quando o alvinegro embala, ninguém segura. O azarão, a quarta força (como alguns diziam no início do ano) deu as caras e Carille mostrou as garras.

No domingo de manhã, o Coringão terá uma parada não tão fácil contra o bom time do Coritiba, no Couto Pereira. Apesar dos 100% de aproveitamento fora de casa, o Timão terá um Coritiba que é forte. Joga um futebol vertical com jogadas rápidas em direção ao gol, oferecendo perigo nas bolas na áreas.

O Corinthians sofreu contra o Cruzeiro no segundo tempo, não teve muita força de ataque, mas não tomou gols e manteve seu bom padrão tático. O time de Carille tem bastante confiança e se sai bem quando tanto dentro de casa, como quando joga no campo do adversário, afinal, a equipe está com 100% de aproveitamento fora de casa. Será que vai continuar assim contra o Coritiba?

Vamos esperar domingo de manhã. O palpite? Que vai estar frio. O placar? Deixo pra vocês opinarem.

Beijos e bom final de semana.