Arquivo da categoria: Bolívia

Seleção Brasileira sofre com safra de artilheiros???

Leia o post original por Craque Neto

Confesso que sou meio saudosista com o futebol do passado. Quem acompanha minhas mídias sabe o quanto eu valorizo o ex-jogador e a história do esporte. Poxa vida! Sou do tempo que jogar contra a Bolívia era pra ser goleada de 5 a 0 pra cima. Quando o Brasil fazia uns 3 tinha um gostinho amargo de mau resultado. Veja bem, claro que todo mundo evoluiu. Hoje em dia Seleções como a da Bolívia e da Venezuela evoluíram tecnicamente. Só que ao mesmo tempo acho que a qualidade técnica dos nossos artilheiros caiu bastante. Com exceção do Neymar, que de […]

O post Seleção Brasileira sofre com safra de artilheiros??? apareceu primeiro em Craque Neto 10.

Opinião: na Bolívia, seleção brasileira comprova boa preparação

Leia o post original por Perrone

Conforme se aproxima a Copa do Mundo da Rússia, a seleção brasileira aumenta a impressão de que já está bem preparada para a competição, apesar de ainda poder e precisar evoluir. Isso foi reforçado no empate sem gols nesta quinta com a Bolívia.

O futebol do time comandando por Tite não foi brilhante. Ficou um pouco abaixo de sua média, porém foi uma boa apresentação.

Os brasileiros dominaram praticamente toda a partida, mas esbarraram na boa atuação do goleiro Lampe, autor de pelo menos cinco defesas difíceis, e em seus erros de finalização. A seleção também mostrou variação de jogadas, com alternância de trocas de passes e lançamentos. A solidez na marcação fez com que os bolivianos tivessem apenas uma grande chance ao acertarem a trave no primeiro tempo.

Por tudo isso, o jogo na altitude de La Paz não foi tão sofrido como costuma ser para o Brasil. Nada de jogadores desabando sem ar no campo, o que também é prova de uma preparação bem feita. O saldo é o aumento da sensação de que a seleção está em boas mãos e no caminho certo para fazer um Mundial pelo menos decente. Faltando pouco menos de um ano para a Copa, o time é organizado e competitivo, algo que não conseguiu durante toda a competição de 2014, por exemplo.

Bolívia não tem uma boa Seleção, diz Maravilha

Leia o post original por Craque Neto

Além de apontar as diferenças em se jogar na altitude da cidade de La Paz, na Bolívia, o narrador Dirceu Maravilha lembra que o resultado da partida não é importante para o Brasil, já que está classificado para a Copa de 2018.

O post Bolívia não tem uma boa Seleção, diz Maravilha apareceu primeiro em Craque Neto 10.

Casal boliviano homenageia filho em jogo na Arena do Verdão

Leia o post original por Craque Neto

Um casal apaixonado que fugiu da Bolívia para o Brasil, conta por que mesmo sendo torcedores do Palmeiras, foram com a camisa do Jorge Wilstermann para a partida pela Libertadores homenagear o filho falecido.

O post Casal boliviano homenageia filho em jogo na Arena do Verdão apareceu primeiro em Craque Neto 10.

Palmeiras não se apavorou

Leia o post original por Flavio Prado

Na vitória contra o Jorge Wilstermann, o Palmeiras precisou de calma e paciência para conseguir o resultado.

O Palmeiras investiu pesado, formou um elenco forte e naturalmente vem a cobrança por títulos e grandes atuações. Essa cobrança pode atrapalhar o andamento da temporada, mas no jogo da Libertadores a torcida apoiou e jogou com o time.

Eduardo Baptista trabalhou bem. O time boliviano jogou com uma linha de 5 defensores, colada com uma segunda linha com 4 atletas, os espaços eram pequenos e Eduardo colocou jogadores nas pontas para abrir o adversário, esticar a linha defensiva boliviana e abrir buracos. As entradas de Keno e Roger Guedes foram fundamentais na vitória.

Mesmo em uma noite apagada de Dudu e Tchê-Tchê e com Borja perdendo muitos gols, o elenco pesou e outras jogadores fizeram diferença.

“Bad” boys

Leia o post original por Rica Perrone

O futebol é um universo paralelo onde quem manda somos nós, seus devotos. O mundo clama por gente chata, padrão, muda, que não erra. Nós, no futebol, somos o único mundo possível de não nos rendermos. Aqui ainda podemos rejeitar a idéia de que um drible bem dado é humilhação, mesmo com 5×0 no placar. Podemos …

Hoy, se puede!

Leia o post original por Rica Perrone

E não precisa nem olhar a camisa. O futebol chegou num nível de competitividade, força, tática e inteligência em campo que qualquer time é capaz de enfrentar qualquer outro time, seja do nível que for. Quando falamos de seleções, especialmente as que chegam a uma Copa, não existe mais o timinho, o timaço. Não existe […]

Corinthians 1 x 1 Boca, o jogo que não acaba nunca

Leia o post original por Quartarollo

Escutas divulgadas na Argentina mostraram que Julio Grondona, falecido presidente da Associação do Futebol Argentino (AFA), teve influência na escalação do paraguaio Carlos Amarilla naquele fatídico jogo Corinthians 1 x 1 Boca, dia 15 de maio de 2013, que eliminou o time brasileiro da Libertadores.

Chega a dizer em conversa com o responsável pela arbitragem de então, Abel Gneco, que Amarilla foi o melhor reforço do Boca no jogo.

Poucas vezes em minha carreira vi um time ser tão prejudicado num jogo só como o Corinthians foi naquela noite no Pacaembu.

O gol do Boca feito por Riquelme nasceu de um pênalti cometido por Marin e não marcado para o Corinthians.

Se o pênalti fosse marcado não sei se o Corinthians o converteria, mas com certeza Riquelme não faria o gol do Boca.

Amarilla também não deu outro pênalti para o Corinthians e anulou bem um gol em impedimento de Paulinho.

Houve um gol de Romarinho anulado pelo bandeirinha Rodney Aquino, filho do mesmo Ubaldo Aquino que não deu pênalti claro para o Palmeiras na Libertadores-2000, no La Bombonera.

Seria a chance do Palmeiras fazer 3 x 2, mas trouxe o empate de 2 x 2. Rodney tem para quem puxar.

O Corinthians precisava vencer por dois gols de diferença porque tinha perdido o jogo de ida por 1 x 0.

Com os acontecimentos de campo certamente dava para fazer dois gols de diferença na volta, mas o árbitro e seus assistentes não deixaram.

Amarilla jura inocência, mas a Federação Paraguaia o afastou por tempo indeterminado depois que as gravações vieram a público.

Os bandeiras Rodney Aquino e Carlos Cáceres também foram afastados.

Estavam trabalhando normalmente na Copa América e bandeiraram domingo passado para o paraguaio Enrique Cáceres o jogo Brasil 2 x 1 Venezuela.

O que o Corinthians pode fazer a respeito? No aspecto esportivo nada. O jogo já acabou há muito tempo e a Libertadores-2013 não voltará.

Pode pedir uma indenização, mas também é difícil conseguir.

A Conmebol teria que ressarcir o clube prejudicado. A mesma Conmebol que não teve coragem de punir mais fortemente o Corinthians por conta dos acontecimentos de Oruro quando o garoto Beltran Martinez foi atingido por um sinalizador que saiu da torcida organizada alvi-negra e morreu instantaneamente.

Doze torcedores chegaram a ficar detido por bom tempo na Bolívia. Foram soltos até com esforço da própria diretoria do Corinthians e até hoje nunca se encontrou o verdadeiro culpado.

Como a Conmebol não puniu administrativamente, mandou alguém fazer o serviço e o Corinthians foi crucificado por Amarilla e Aquino.

A maior ironia foi a manchete do nacionalista jornal argentino Olé no dia seguinte: “Una mano Amarilla (“Uma Mão Amarela”) em referência a uma das cores do Boca Júnior e a ajuda da arbitragem. Precisa dizer algo mais.

 

Share This:

Corinthians e Atlético Mineiro entram sobrando na próxima fase da Libertadores

Leia o post original por Quartarollo

atlético mg

atlético mgO Atlético Mineiro é a melhor campanha da primeira fase e o Corinthians depois da vitória sobre o San José, 3 x 0, com facilidade ontem à noite, no Pacaembu, com  quase 34 mil corintianos aplaudindo a boa exibição do … Continuar lendo

Amistoso serviu para o Felipão tirar algumas dúvidas

Leia o post original por Neto

Paulinho é volante titular da Seleção

Evidente que não dá pra usar a Bolívia como parâmetro para definir o elenco que vai defender o Brasil na próxima Copa das Confederações. É um adversário quase inofensivo. Mas ao menos serviu para o Felipão tirar algumas dúvidas. Uma delas, por exemplo, era quanto a capacidade do Ronaldinho de ainda vestir a camisa verde-amarela. Será que dá pra contar com ele? Na minha visão sim. Ele está arrebentando no Galo e atuou muito bem na armação das jogadas.

E os volantes? Apesar do treinador ainda ter dúvidas e os anti-corintianos detestarem a ideia, pra mim o Ralf e o Paulinho tem que ser a dupla titular no Mundial de 2014. E não simplesmente por serem os melhores tecnicamentes na posição (tem gente com mais qualidade pra jogar que o Ralf). Mas os dois se completam. Podem usar o entrosamento de anos no Timão em benefício da Seleção.

No ataque penso que o Felipão não tenha dúvidas em relação ao Fred e Neymar. Mas os outros nomes estão em aberto. E como o Leandro Damião, até então esquecido, já fez gol logo de cara, pode ganhar mais oportunidades. Até o palmeirense Leandro, que virou motivo de piadas pra muita gente, entrou, mostrou personalidade e balançou a rede. Muito legal. Réver e Dedé também compõe um miolo de zaga de responsa.

Os bolivianos serviram também para o Neymar voltar a fazer gols. Por falta de um, fez dois. Somou a bela média de gols que ele tem. Só que ainda falta brilhar contra os grandes. Afinal com todo respeito ao time de Evo Morales, só servem de sparring e nada mais.

Em tempo: o jogo não serviu para homenagear o garoto Kevin, morto na partida do Corinthians contra o San Jose pela Libertadores? Pois é, não ouvi falar o nome dele durante a transmissão do jogo? Esquisito, hein?