Arquivo da categoria: Botafogo

Cartada certeira!

Leia o post original por Craque Neto

Vou ser sincero que não conheço o Sr. José Carlos Peres, presidente eleito do Santos. Em entrevista à Folha de S. Paulo ele criticou a diretoria anterior por, segundo ele, deixar o cofre do clube ZERADO! Não sei qual exatamente será a política de trabalho dele, mas é fato que duas atitudes já me agradaram como analista de futebol. A primeira é o fato de priorizar os jogos do Peixe no Pacaembu. Sei que isso traz uma polêmica danada com a torcida santista na Baixada, mas em São Paulo as partidas darão o triplo da renda. Não dá nem pra […]

O post Cartada certeira! apareceu primeiro em Craque Neto 10.

99% torcem, mas aquele 1%…

Leia o post original por Rica Perrone

A megalomania dos times brasileiros em apresentar números exorbitantes para indicar paixão são facilmente desmascarados por dados mais concretos.  Brasileiro gosta de futebol quando o time dele ganha. Caso contrário, não é um dos maiores consumidores do esporte.

Consome o clube. E conforme a fase.  O futebol em si, muito pouco. E ainda que pelo próprio clube, embora as vendas de camisas atinjam números expressivos como os 2 milhões por ano do Flamengo, os sócios engajados em ter facilidades de ir a jogos e contribuir com o clube são ridículos.

Com base na pesquisa Ibope de 2017 as maiores torcidas do Brasil tem números de torcedores menores do que ditos pelas massas. A maior delas estima-se ser de 32 milhões e é a do Flamengo.

Fizemos um calculo simples de % entre total de torcedores declarados e sócios de fato, auditados no site oficial da campanha de socios torcedores (Futebolmelhor.com.br).

O Grêmio é o time com maior engajamento. 2,27% dos seus torcedores são sócios.  O Inter em segundo, com 2,01%.

Os cariocas Flamengo e Vasco são os piores na proporção torcida/sócios. Embora o rubro negro até tenha mais de 100 mil sócios, sua torcida é muito maior e portanto o % não acompanha.

Imagine você se cada time conseguisse 10% de sua torcida como sócios ativos. Será que precisaríamos vender nossos garotos pra Europa?

Em média apenas 1% dos torcedores de times grandes no Brasil são sócios torcedores. Segue a lista % de torcedores x sócios.

TimeTorcidaSocios%
Gremio6.000.000136.2832,27%
Inter5.600.000112.7522,01%
Sport2.400.00043.2881,80%
Atletico MG7.000.000100.7321,44%
Palmeiras10.600.000122.9231,16%
Botafogo3.400.00035.1321,03%
Cruzeiro6.200.00064.0171,03%
Fluminense3.600.00037.0951,03%
Sao Paulo13.600.000117.8940,87%
Santos4.800.00024.6920,51%
Vitória2.600.00013.1570,51%
Corinthians27.300.000125.4710,46%
Bahia3.400.00014.7620,43%
Flamengo32.500.000106.9380,33%
Vasco7.200.00017.0650,24%

Minha seleção do Brasileirão

Leia o post original por Rica Perrone

É muito difícil sair de Corinthians, Grêmio e Botafogo. Os três jogaram um futebol muito acima dos demais, e embora o Bota tenha despencado no fim, teve um grande ano.  Hernanes e Dourado entraram ali por terem carregado seus times nas costas. Especialmente o saopaulino.

Que tal?

abs,
RicaPerrone

 

Fora da Libertadores

Leia o post original por Rica Perrone

Há alguns meses sei que há uma dívida entre Botafogo e elenco.  Essa dívida não faz diferença se é salário, bicho, luva. O que é combinado entre as partes é devido. E se deve e não paga, vira dívida.

Toda dívida dá ao credor uma condição diferenciada.  Não há clube no mundo onde o elenco que tem algo a receber do time seja cobrado e tratado da mesma forma que quando em dia.  Clube, padaria, loja, tanto faz.  Quem deve, manda menos do que poderia.

Some o cansaço do ano, da temporada que começou antes do que todos os demais, a limitação absurda de elenco, a perda de peças e o descontrole sobre o elenco por dívidas, o Botafogo cairia de rendimento sem a menor dúvida.

Aconteceu. Foi por pouco, mas de fato dava pra ter se classificado. Como historicamente acontece, ficou fora da Libertadores e tratar isso como um absurdo é tipo o flamenguista revoltado com a má campanha na Libertadores. Acontece todo ano, e cobram como se fosse comum o contrário.

Não é comum o Botafogo ir a Libertadores. Então não façam cara de espanto quando ele não for.

A tristeza é aceitável. A raiva de ter visto nas mãos e perdido, idem. Mas a queda do time é absolutamente compreensível e dá pra listar fatores. O time do Botafogo que entrou em campo hoje é rebaixável no papel.  Não um time de alto desempenho.

Acostumar-se com o limite gera decepção. E o Botafogo que você se apaixonou jogou 8 meses no limite. Uma hora não resistiu.

Ano que vem tem tudo de novo. E nenhum desses 11 é culpado por 22 anos sem o título que vocês esperam.  Cobre da sorte, das diretorias passadas, mas não bata no filho de um assassino achando que isso é justiça contra o crime do pai.

Foi um ano que terminou mal, mas que você nunca mais vai esquecer tudo que viveu nele.

abs,
RicaPerrone

SACANAGEM! Como futebol tem POBREZA de espírito, viu?

Leia o post original por Craque Neto

Uma notícia ganhou muita repercussão neste sábado. Em uma entrevista aos canais ESPN – que ainda não foi ao ar – o atacante Roger, artilheiro do Botafogo nesta temporada, afirmou com todas as letras que o clube carioca não se responsabilizou financeiramente por parte da cirurgia que ele fez para a retirada de um tumor no rim. Só pode ser uma brincadeira de mau gosto, não é verdade? Segundo o jogador ele recebeu uma ligação do vice de futebol do Fogão dizendo que não achava justo bancar tudo. É mole? Quer dizer, o atleta é funcionário do clube e deveria […]

O post SACANAGEM! Como futebol tem POBREZA de espírito, viu? apareceu primeiro em Craque Neto 10.

11 “crises” e uma reflexão

Leia o post original por Rica Perrone

Tente imaginar que dos 12 grandes do futebol brasileiro 11 deles estejam terminando um ano conturbado e com “crise”.  É quase inacreditável, mas é real.  Com a fase do Corinthians e as cobranças, apenas o Grêmio tem um ano de paz. Todos os demais conseguiram curtir suas crises e terminar o ano com alguma insatisfação. …

Braghetto: Jô sofreu pênalti no jogo contra o Botafogo

Leia o post original por Craque Neto

De acordo com o ex-árbitro Rodrigo Braghetto, o centroavante Jô sofreu um ‘carrinho’ do zagueiro Igor Rabelo, dentro da área do Botafogo. Além disso, ele ressaltou que o árbitro adicional poderia ter validado o pênalti a favor do Timão.

O post Braghetto: Jô sofreu pênalti no jogo contra o Botafogo apareceu primeiro em Craque Neto 10.

Pênalti? O Corinthians tem mais a lamentar…

Leia o post original por Antero Greco

Os corintianos ficaram fulos com a arbitragem, por entenderem que Jô sofreu pênalti em disputa com Igor Rabello, nos segundos finais do jogo com o Botafogo. Lance no mínimo discutível. Se a falta fosse marcada, quem sabe o destino do duelo seria outro, que não a derrota por 2 a 1, a quinta do líder no campeonato, e todas no returno?

Porém, mais do que lamentar uma jogada que representaria a cartada final, a turma do Corinthians precisa rever que trajetória traça na segunda parte da competição. A primeira foi perfeita, a melhor da história. Impecável, proeza que sequer Barcelona, Real Madrid, Bayern e outros grandões fariam, em seus países nem aqui.

Mas, e agora?

Agora virou time comum, com algumas qualidades e os muitos defeitos dos demais concorrentes – ou ao menos daqueles que o perseguem. O Corinthians de sintonia fina e invejável, de aproveitamento máximo, de equilíbrio irritante, ficou no passado, nas 19 rodadas iniciais da Série A. Ultimamente, o que se vê é o acúmulo de falhas, a perda da eficiência, o crescimento da preocupação. E a sombra dos concorrentes a crescer.

Não que tenha jogado mal na noite desta segunda-feira. A derrota no Engenhão não entra na conta das apresentações sem graça. No entanto, ela é consequência da queda de produção. Antes os adversários temiam os alvinegros; neste momento, o encaram confiantes na possibilidade de pará-lo, porque tem sido rotineiro. Afinal, em dez rodadas do returno, eram 4 derrotas, 3 empates e 3 vitórias.

O Corinthians vulnerável foi o que animou o Botafogo a partir para cima, sem o medo de que estaria à mercê de contragolpes milimetricamente decididos. Nada. O primeiro tempo foi até morno demais, sem grandes emoções, exceto uma finalização de Marquinhos Gabriel que acertou o travessão do gol de Gatito Fernandes.

No segundo tempo, se impôs o mau pedaço corintiano. Começou com o gol de Brenner, aos cinco minutos, após cobrança de escanteio. Jô empatou pouco depois. Mas, em novo escanteio, aos 30, Igor Rabello de cabeça fez o gol da vitória.

E o Corinthians praticamente não criou oportunidades, não testou os reflexos de Gatito, não se comportou com a autoridade de quem está na ponta há muito tempo. Ao contrário, foi à frente com tudo, para ver no que ia dar. E deu a quinta derrota no segundo turno.

O que parecia questão de tempo para se transformar no título brasileiro mais fácil virou uma tarefa mais complicada. Ok, o Corinthians tem 6 pontos a mais do que Palmeiras e Santos, depende só de si. Mas ele não se tem ajudado. Eis o problema.

 

Desempenho é o que mais preocupa no Corinthians

Leia o post original por Flavio Prado

Os resultados ruins e a diminuição da vantagem na liderança do campeonato preocupam o Corinthians, mas o pior sinal é o baixo desempenho.

O time caiu muito em alguns aspectos, piorou na bola parada defensiva, está mais lento na mudança de postura quando recupera ou perde a bola e individualmente alguns jogadores caíram bastante, principalmente Jádson, Rodriguinho e Arana.

Um vantagem de 6 pontos com 24 em disputa ainda é muito boa, o time pode melhorar tecnicamente e mentalmente, mas o sinal de alerta deve estar ligado.