Arquivo da categoria: clube dos 13

Quem são vocês pra reclamar?

Leia o post original por Rica Perrone

Na história fica a verdade e para a história fica o que vocês quiserem contar.  Um dia os clubes TIVERAM que se unir para fazer um Brasileirão e formaram nossa primeira e sonhada Liga. A Copa União de 87 foi seguramente o melhor campeonato brasileiro que já tivemos. Durante o processo político com a CBF, …

Clubes fazem ‘vaquinha’ contra penhora de bens de ex-cartolas do C13

Leia o post original por Perrone

Pelo menos nove times que pertenciam ao Clube dos 13 aceitaram pagar parte de uma dívida milionária para evitar a penhora dos bens de dois ex-dirigentes da entidade.

O débito é cobrado pelo BIC Banco, que pediu a penhora dos bens de Fábio Koff, ex-presidente, e de Fernando Carvalho, ex-vice. O credor alega ter R$ 16.918.556,49 a receber do C13, que fechou as portas.

Segundo Carvalho, Koff chegou a sofrer o bloqueio, mas obteve a liberação após um acordo começar a ser costurado com o banco. Os dois ex-dirigentes explicaram a importância de os clubes colaborarem para não correrem o risco de também serem acionados pelo credor, já que como ex-sócios da entidade têm responsabilidade sobre o débito. Isso apesar de a dívida ter sido gerada por três clubes que, segundo o ex-vice-presidente, deixaram de honrar seus compromissos com o C13: Botafogo, Goiás e Guarani.

De acordo com Carvalho, Grêmio, Internacional, Santos, Corinthians, São Paulo, Atlético-MG e Vasco já assinaram documento aceitando fazer o pagamento parcelado. Ele não revelou quanto cada um vai pagar, mas afirmou que conseguiu um desconto na dívida.

O valor varia de acordo com quanto cada um recebia por meio do Clube dos 13 de cota de TV. Quem tinha maiores cotas paga mais. Alguns dos pagamentos já começaram a ser feitos. Parte dos times parcelou o débito em 47 meses.

Além desses sete clubes, outros dois já toparam pagar, mas ainda não formalizaram o compromisso. Nove não resolveram o que fazer.

Em sua última reunião com o COF (Conselho de Orientação e Fiscalização), Paulo Nobre, presidente do Palmeiras, informou aos conselheiros sobre a situação. Ele ainda não tomou uma posição oficial a respeito do assunto.

Carvalho não tem esperanças de que Botafogo, Guarani e Goiás ajudem no pagamento por conta de suas condições financeiras. Porém, os outros times podem cobrar a dívida deles depois.

O ex-dirigente não quis revelar os nomes dos clubes que ainda não assinaram o trato. Mas, além dos times já citados neste post, faziam parte do C13 Atlético-PR, Bahia, Coritiba, Cruzeiro, Fluminense, Vitória, Juventude, Portuguesa, Flamengo e Sport.

“É uma operação muito complexa. Não é fácil negociar com tantos clubes, mas espero que em um mês seja possível resolver tudo”, disse Carvalho..

 

 

Banco pede penhora de bens de ex-dirigentes do Clube dos 13 por R$ 16,9 mi

Leia o post original por Perrone

Uma herança indesejada deixada pelo extinto Clube dos 13 ameaça o patrimônio de dois de seus ex-dirigentes: Fábio Koff e Fernando Carvalho. A penhora de bens da dupla foi pedida pelo Bicbanco (Banco Comercial e Industrial).

A instituição financeira cobra uma dívida de R$ 16.918.556,49 da associação que reunia os principais clubes do Brasil. Como Koff, ex-presidente do C13, e Carvalho, que era vice, foram avalistas dos empréstimos, o credor resolveu pedir o arresto dos bens deles e do que o Clube dos 13 ainda tiver, se existir algo, como garantia de pagamento.

A ação corre em primeira instância. Nesta quinta, a 34ª Vara Cível do Foro Central de São Paulo expediu uma carta precatória de citação, penhora e avaliação para Koff e Carvalho no Rio Grande do Sul. Ela funciona com um mandado de pagamento. Os ex-dirigentes precisam quitar o débito para impedir a penhora.

“O Bicbanco é obrigado a fazer isso por causa do Banco Central, mas eles estão nos dando a oportunidade de fazer um acordo. Então, não é agora que vou adiantar as medidas que podemos tomar”, disse Carvalho, também ex-presidente do Internacional ao blog.

Segundo o ex-dirigente, o C13 fazia empréstimos e repassava o dinheiro aos clubes. Antes de a entidade fechar as portas foi feito um acerto de contas. “Só três clubes não pagaram o que deviam: Botafogo, Goiás e Guarani. É esse valor que o banco está cobrando. Agora estamos conversando para ver o que podemos fazer, mas o problema é que o Clube dos 13 não tem mais uma diretoria constituída para resolver esses assuntos”, declarou Carvalho.

No final da tarde desta quinta, o blog enviou e-mail para a assessoria de imprensa do Botafogo sobre o tema, mas não obteve resposta até a publicação deste post. Por sua vez, Horley Senna, presidente do Guarani, não atendeu aos telefonemas, assim como Koff, que se recupera de problemas de saúde. O blog não conseguiu localizar a diretoria do Goiás.

Antes de a carta precatória ser enviada, o Bicbanco havia tentado obter uma liminar para conseguir o arresto dos bens mais rapidamente. Porém, o pedido foi negado no dia 4 de maio. Na ocasião, foi dado prazo de três dias para o pagamento ser feito. No caso de o débito não ser quitado, ficou determinado que seriam feitas penhora e a avaliação dos bens para garantir a execução.

Na ação, o Bicbanco pinta um quadro de penúria do C13. “Em pesquisa realizada pela credora em 20 de janeiro de 2010, o número de protestos (em nome do Clube dos 13) já era de 188, assim também como revelou a nova consulta a existência de 16 cheques sem fundos”, escreveram os advogados do banco. A intenção deles era mostrar a urgência do arresto de bens.

 

Jogo Rápido – CBF, Liga, Clube dos 13?

Leia o post original por Rica Perrone

Afinal de contas, existe alguma sugestão de fato para melhorar o futebol brasileiro ou apenas gritaria?  Existe alguém disposto a mudar alguma coisa? Você já parou pra pensar se é viável a idéia de “se espelhar na Europa”?  Já avaliou que ninguém aqui cuida de um negócio e portanto não há lucro? Então se liga […]

E porque não?

Leia o post original por RicaPerrone

Imagine este cara mandando no futebol brasileiro.

Eu sei, você fez carinha de “aff”, que aliás, é coisa de viado. Mas enfim, voltando ao tema, me responde rápido: “Porque não?”.

O Andrés fez um trabalho ruim no Corinthians?

Mais alguém se propôs a peitar a CBF, quebrar o clube dos 13, aumentar os faturamentos absurdamente e se expor por este ideal?

Quantos você ouve dizer que “discordam de tudo” mas assinam todo ano os regulamentos, calendários e reelegem presidentes de federações e CBF?

E quantos, de fato, reclamam e fazem algo pra tentar mudar?

Andrés deve ter seus defeitos e eu não o conheço pra citá-los. Mas me espanta a reação de rejeição ao seu nome baseado em “nada”.  Tirando a idéia inconsequente brasileira de que todo sujeito que já chegou a um cargo de poder é ladrão, é claro.

Não tenho fato algum pra insinuar e acusar Andrés de nada. Portanto, o que tenho a avaliar é seu trabalho como presidente do Corinthians e suas idéias para o futebol brasileiro, como a criação da liga, retirada do controle da CBF, entre outros.

Porque isso?

Ontem, numa mesa com 8 pessoas que gostam de futebol, disse a seguinte frase: “Eu queria ver o Andrés presidente da CBF”.

Como que orquestradamente pelo hábito de ouvir dizer que não presta sem saber exatamente o motivo, TODOS eles reagiram mal, com um nariz torcido ou um sonoro “nem fodendo”.

E então, perguntei: “Porque não?”.

E ninguém disse uma palavra.

Apontar problema é fácil. Assumir riscos e dizer o que fazer pra resolve-los, quase ninguém faz. Não sei se Andrés faria. Mas de tudo que vi “contra” o sistema de comandar o futebol brasileiro atual, ninguém foi tão próximo do que penso.

E eu te pergunto, meu caro leitor: “Porque não?”.

abs,
RicaPerrone

Os gringos

Leia o post original por Pedro Ernesto

Por Leonardo Oliveira (interino) – leonardo.oliveira@diariogaucho.com.br

O Inter, enfim, concluiu que cinco estrangeiros podendo usar apenas três é colocar dinheiro fora. E muito, diga-se de passagem. Por isso, a República do Prata do vestiário será reduzida a três. O único garantido é D’Alessandro, craque do time e, com Dunga, guindado à líder do grupo.

Bolatti está fora. Nunca foi o primeiro volante que o Inter imaginou e tampouco se firmou como segundo. Guiñazú é pouco provável que saia. Há o interesse no Newell’s, mas falta dinheiro aos hermanos e pouca disposição de Giovanni Luigi em liberá-lo.

Já o caso de Forlán é diferente. A relação custo-benefício foi baixa. O uruguaio custa perto de R$ 900 mil mensais. Se aparecer proposta, o Inter topa na hora.

Há quem aposte no Inter que Dátolo, bem condicionado na pré-temporada, possa se livrar das dores sentidas desde a cirurgia no púbis e que o deixaram com a pecha de dodói no Beira-Rio.

Lugano

Enquanto o Inter tenta despachar alguns hermanos, o Grêmio ainda busca um para comandar a zaga. A informação que recebi é de que Lugano teria acertado salários e tempo de contrato com o Grêmio.

O negócio teria esfriado no pouco interesse de Vanderlei Luxemburgo em contar com o uruguaio. Além, é claro, da negociação com o PSG. Luxemburgo não está errado. Lugano representa mais pelo simbolismo do xerife charrua do que pelo futebol. Sempre foi mais de posicionamento e imposição. O que, aos 33 anos, deve estar ainda mais lento.

Quem segura?

Quando os clubes passaram a negociar de forma direta as verbas de tevê e esvaziaram o Clube dos 13, a previsão era de que se criaria um abismo entre times como Corinthians, Flamengo, São Paulo e Santos e a Dupla Gre-Nal. Esse dia chegou.

O Timão, estruturado e com o caixa organizado, começa a dar mostras de sua força. Fechou com Renato Augusto, deseja Dedé e ofereceu R$ 42 milhões por 50% de Pato. Grêmio e Inter precisarão de muita criatividade para não perdê-los de vista. Caso contrário, ganhar o Brasileirão de pontos corridos ficará no campo dos sonhos.

Você sabia?

* Que a última vaga na Libertadores será decidida amanhã, entre os bolivianos Oriente Petrolero e Bolívar?

* Que o vencedor desse jogo jogará a pré-Libertadores?

* Que estão com o Grêmio na pré-Libertadores São Paulo, Tolima/Col, LDU/Equ, Tigre/Arg, Olimpia/Par, Leon/Mex, Defensor/Uru, Iquique/Chi, Univ. Cesar Vallejo/Per e Anzoátegui/Ven?

Corinthians usa dinheiro de novo contrato com lojas para pagar prêmio atrasado pelo título Brasileiro

Leia o post original por Perrone

 O Corinthians ampliou por mais três anos o contrato com a empresa que explora as lojas de produtos do time. Está usando o dinheiro para pagar o prêmio pela conquista do Brasileirão de 2011, atrasado desde dezembro (como revelou o blog).

Pelo acordo, o clube recebeu uma garantia mínima de R$ 5 milhões por ano referente à sua participação na venda de produtos nas lojas. Os R$ 15 milhões são suficientes para quitar a dívida com o elenco e ainda sobra dinheiro.

O combinado era que o Corinthians repassasse aos jogadores a maior parte do prêmio que seria pago ao campeão pelo Clube dos 13. A expectativa era de que a verba dada pela entidade pudesse chegar a R$ 10 milhões.

Mas o clube alega que não recebeu do C13, e promete continuar cobrando a entidade.

Por sua vez, Fábio Koff nega a dívida. O presidente do Clube dos 13 diz que a comissão que auditou as contas da instituição proibiu o pagamento de prêmios aos participantes do Brasileirão. Ordenou que o dinheiro fosse dividido pelos times conforme suas fatias no pay-per-view, já que se tratava de lucro obtido com a venda de jogos do nacional transmitidos por esse sistema.

 A medida teria feito parte da liquidação do C13, após implosão comandada pelo corintiano Andrés Sanchez. A comissão que auditou as contas, ironicamente, também foi capitaneada por um alvinegro, Raul Corrêa da Silva, vice de finanças do time.

Ninguém tira da cabeça dos corintianos que o não pagamento foi uma retaliação ao fato de Andrés arrebentar o C13. Cobranças à parte, o clube se livrou do constrangimento de ir às semifinais da Libertadores devendo prêmio aos atletas. E, em tese, injeta ânimo novo no grupo.

Corinthians não paga prêmio por título Brasileiro de 2011, é cobrado por Adriano e culpa C13

Leia o post original por Perrone

Adriano também cobra do Corinthians na Justiça o prêmio pela conquista do título brasileiro de 2011. A cobrança é feita na mesma ação em que ele contesta a demissão por justa causa e alega ter quatro meses de direitos de imagem atrasados, conforme revelou o blog nesta segunda (o clube diz que ele não apresentou as notas fiscais para receber).

Mas o não pagamento da premiação é a ponta de um imbróglio que vai muito além das desavenças entre o Imperador e a diretoria alvinegra. Os colegas de Adriano também não receberam o bônus.

Segundo a assessoria de imprensa do Corinthians, os atletas têm direito a uma porcentagem do prêmio que o campeão receberia do Clube dos 13. Só que a entidade não repassou o dinheiro. Assim que isso acontecer, a diretoria promete fazer o repasse ao elenco.

A dívida não tem a ver com os bichos referentes aos jogos vencidos no Nacional do ano passado. Foram todos pagos, segundo a diretoria.

Já o C13 nega estar em débito com o Corinthians. “Nós sempre usamos o dinheiro excedente do pagamento que recebemos do pay-per-view para premiar os clubes no Brasileirão. Mas, no ano passado, a comissão que auditou as contas do Clube dos 13 decidiu que não haveria premiação. Então, não tem prêmio a ser pago”, disse ao blog Fábio Koff, presidente do C13.

Segundo o cartola, a quantia que superou a cota mínima estipulada pela Globo, antes destinada à premiação, foi dividida entre os clubes conforme a porcentagem a que cada um tinha direito. Koff ressalta que Raul Correa da Silva, diretor de finanças do Corinthians, foi um dos principais responsáveis pela auditoria.

Assim, foi dado um nó difícil de ser desatado. Os jogadores esperam o Corinthians pagar, e o clube aguarda o mesmo ser feito pelo C13, que alega não haver premiação a ser repassada.

Mário Gobbi, presidente corintiano, chegou a enviar uma notificação ao Clube dos 13 pedindo o pagamento. Também já foi pediu, em vão, ajuda para CBF e Globo.

Internamente, os cartolas corintianos afirmam se tratar de uma retaliação, já que Andrés Sanchez liderou a implosão do C13, enquanto presidia o clube. Argumentam também que o Corinthians ainda não tinha cancelado sua filiação junto à entidade quando a premiação foi prometida.

Os corintianos não sabem informar o valor exato do bônus. Em 2010, o Fluminense ganhou cerca de R$ 8 milhões pelo título, segundo Koff.

Implosão do C13 e mão fechada da Globo fazem Fla, Vasco e Cruzeiro atrasarem pagamentos

Leia o post original por Perrone

O ano começou com alguns dos principais clubes brasileiros em sérias dificuldades para pagar em dia salários e luvas a seus jogadores. São os casos de Flamengo, Vasco e Cruzeiro. A tendência é que mais casos apareçam.

Um dos motivos para esse princípio de epidemia de calotes é a implosão do Clube dos 13, obra de dirigentes que agora penam pra arrumar dinheiro. Hoje, o C13 não tem mais o poder de avalizar empréstimos para os times.

Na esteira da implosão, a Globo estipulou novas regras para a antecipação de cotas. Decidiu que sairiam de seus cofres antecipadamente no máximo R$ 100 milhões referentes ao contrato de 2012. O teto já foi atingido graças a pedidos de diversos clubes.

Em dezembro, como escrevi aqui, os times já se queixavam de que ficaram com menos dinheiro para contratar por causa da nova situação. A dificuldade em levantar dinheiro nos bancos sem o contrato da Globo e sem a ajuda do C13 agora reflete nos pagamentos.

Pelo menos por enquanto, o Corinthians, de Andrés Sanchez, líder do motim contra o C13 e da negociação do novo contrato com a Globo, segue pagando seus jogadores em dia.