Arquivo da categoria: comentaristas

Jornalistas não são especialistas

Leia o post original por Rica Perrone

Você deve estar se deparando pela web com desabafos de jornalistas “revoltados” com os vários convidados especiais para comentar Olimpíadas enquanto o desemprego toma as redações.  É previsível no país onde o taxista agride o motorista de Uber que a reação seja essa. Mas… peraí.

Eu fiz faculdade de jornalismo. Em 4 anos nenhuma vez, em nenhuma aula, alguém me ensinou algo sobre futebol, por exemplo. Eu aprendi a colocar virgulas (não muito), talvez a me comunicar, a levar informação, a como tratar uma apuração, mas em momento algum me tornei especialista em NADA.

A função de comentarista, me parece claro, é para alguém preparado a opinar sobre um assunto. Logo, deve ter conhecimento sobre este assunto. E nenhum jornalista sai da faculdade credenciado a comentar futebol, por exemplo. Você sai dali pra levar informação. A sua opinião não tem qualquer motivo para ser mais ou menos respeitada que a de alguém que assiste jogos toda semana como você.

Os convidados a comentar são especialistas seja por ter praticado ou por terem estudado aquilo. Mas não tem absolutamente nada a ver com “jornalismo”.  Absurdo seria coloca-los para fazer reportagem.  Não é o caso.  Talvez tão absurdo a eles seja ver alguém que aprendeu ontem a escrever se achar no direito de opinar nacionalmente sobre um esporte que nunca teve contato.

O cargo de comentarista nunca foi, e nem deveria ser, um privilegio jornalístico.

Na faculdade você aprende a usar virgulas. O que vai ser colocado entre elas são outros 500.

abs,
RicaPerrone

“O que se espera dele”

Leia o post original por Rica Perrone

Assisti atentamente alguns programas de TV nos últimos 3 dias em virtude de uma merda de pneumonia que arrumei. Fazia tempo que não fazia isso. Me arrependi, óbvio.  Mas algo me chamou atenção. De dia tinha um pessoal comparando Messi, Cristiano e Neymar, algo que toda vez que não há assunto pra mesa é convocado …

Jornalistas não são especialistas

Leia o post original por Rica Perrone

Você deve estar se deparando pela web com desabafos de jornalistas “revoltados” com os vários convidados especiais para comentar Olimpíadas enquanto o desemprego toma as redações.  É previsível no país onde o taxista agride o motorista de Uber que a reação seja essa. Mas… peraí. Eu fiz faculdade de jornalismo. Em 4 anos nenhuma vez, …

Seco Pra Você: minhas certezas, constatações, chutes e opiniões

Leia o post original por Milton Neves

@10Neto, Casagrande e Mário Sérgio enxergam muito mais do que nós “só jornalistas letrados, mas cegos de bola no pé”.

Que a moribunda patrulha acabe de vez porque ex-atleta é realidade irremovível e definitiva em toda a mídia esportiva do mundo.

Os caras, como Charles Barkley no basquete e John McEnroe no tênis, por exemplo, são os reis da TV americana com shows de conhecimento, irreverência e ibope, muito ibope.

E sem ibope programa de TV é como peixe sem água.

Mas comentaristas “intelectuais”, mesmo sem carisma, sem popularidade e sem audiência própria, também são importantes complementos.

Complementos.

Na TV comanda o narrador.

Galvão Bueno e Luciano do Valle continuam liderando, queiram ou não.

Só não entendi a inventada que a Globo deu com o eclético @AlexEscobar virando, sem ser, narrador de Copa do Mundo na rede líder do Brasil.

Ora, sei lá, mas @miltonleitereal é muito melhor e se é que foi barrado mesmo, talvez tenha sido por “coisas do vestiário” ou por falta de carisma quando aparece no vídeo.

Lembra Woody Allen enquanto Cléber Machado remete ao rosto de Rock Hudson.

Eu disse o rosto.

Mas, na voz, @miltonleitereal é, digamos, um Oscar, do Chelsea.

Mas o bom mesmo é @GustavoVillani, hoje na Fox.

Mas falta-lhe uma forte TV esportiva… aberta.

As fechadas, boas, ainda são juniores da mídia.

Ele foi “meu” repórter esportivo por bom tempo em sete anos de Rede Record e seu crescimento agora como narrador está sendo algo espantoso.

Foi um “Luciano Galvão Januário José de Almeida” no ótimo Cruzeiro 2 x 2 Defensor, quinta-feira pela Fox Sports de meus alunos @EduZebini e @MaQuaranta.

De molho no Einstein e em casa, após santa cirurgia de retirada de hérnia incisional que “sorrateira e silenciosamente” pressionava meu estômago, andei vendo tudo na TV.

Sabiam que eu corria sério risco de “nó nas tripas” sem saber?

E coçando o saco vi a precisão internacional do @TeoJose, a inteligência do @RafinhaBastos, o melhor CQC da história do @MarceloTas, o imenso talento do @Porpetonehumor, a cintura de @ThomazRafael, que nunca tinha visto e ouvido direito, a felicidade estampada no rosto de @DaniloGentili, mesmo com infelizes e desnecessárias estocadas na Band, e a irreverência de @10Neto.

E lembra, @DaniloGentili, quando te disse naquele restaurante argentino, após seu terceiro programa na Band, há três anos, que entrando um pouco mais tarde você ganharia muita mídia em cima do Jô?

E saiba, Gentili, que a gratidão é a primeira virtude do homem e base de todas as demais.

Assim, seja grato ou silencioso com a Band que o inventou, assim como inventou a mim na TV em 1999.

Antes, em 1998, fui “contratado” pelo “caneiro” do sumido Marco Antonio Coelho para fazer o “Cartão Verde” no lugar do então auto-demitido José Trajano.

Fiz dois programas e Coelho não ligou mais, não pagou os dois programas feitos e sumiu dando o cano em mim e em R@iCapriotti.
Foi mais uma sorte em minha vida.

Se empossado no “Cartão Verde”, à época ao lado de @FlavioaPradojpgz e de @BlogdoJuca, teria emplacado muito fácil no tradicional esportivo da TV Cultura e em vários outros programas da Fundação Padre Anchieta, mas ficaria engessado na publicidade e não teriam pintado o santo “SuperTécnico” e a abençoada Band em minha carreira.

Afinal, a publicidade, desde os tempos da “Grande Resenha Facit” lá do Rio, sempre esteve entrelaçada, não tanto quanto atualmente, com o jornalismo esportivo.

Mas hoje abrangeu geral e atraiu figuras top como Fátima Bernardes, @MGabriela e @MarceloTas dentre tanta gente boa, além das capas das revistas semanais e das primeiras páginas dos grandes jornais.

Na falta de merchan impresso na capa falsa, o que ocorre todo dia, há tempos envelopa-se até a… edição inteira!!!

É o merchan do merchan, algo inteligente e inexorável.

Sem publicidade qualquer veículo vira um goleiro sem os braços.
E sem as pernas.

Mas eu odeio publicidade.

Sou comunista.

Ah, a anarquizada Argentina de presidenta ruim como o matuto Maduro da Venezuela vai ganhar a Copa, viu Felipão?

Tira o Júlio César e o @Fredgol9, Felipão!

E vê se para de fazer propaganda, gauchão!

Que feio!