Arquivo da categoria: Copa das Confederações

Privilégio de comentar grandes eventos

Leia o post original por Craque Neto

Chegou ao fim a Copa das Confederações da Rússia 2017 e por méritos a Alemanha foi a campeã. O mais incrível foi saber que esse grupo de jogadores é uma espécie de expressinho. E como é bom trabalhar nesses grandes eventos do esporte mundial, viu!? Tudo funciona com uma qualidade incrível! Sem erros. Sem atrasos. Fora que ficamos atualizados com tudo que gira de melhor no futebol. Poxa vida, e pra falar os nomes dos jogadores russos? Pelo amor de Deus! É quase impossível! Bonito também ver o coração do veterano time chileno, que lutou até o fim e literalmente […]

O post Privilégio de comentar grandes eventos apareceu primeiro em Craque Neto 10.

Brasil encerra a participação mais vexatória da história e Felipão e os jogadores dão as mesmas desculpas de sempre

Leia o post original por Quartarollo

Brasil caiu diante da Holanda, 3 x 0, em Brasília, e encerrou melancolicamente a sua mais vexatória participação em Copas do Mundo. Nunca um time brasileiro foi tão humilhado em mais de cem anos de história e nunca tomou tantos … Continuar lendo

O futebol deveria ser usado como exemplo no combate ao racismo

Leia o post original por Neto

Tinga sofreu com o racismo da torcida peruana

Tinga sofreu com o racismo da torcida peruana

O meia Tinga foi alvo de manifestações racistas na partida entre Cruzeiro e Real Garcilaso pela Libertadores da América. Toda vez que o brasileiro pegava na bola a torcida peruana fazia um ruído esquisito em alusão a um macaco. Isso foi horrível e todo mundo viu AO VIVO na televisão. Aí pergunto a vocês meus caros internautas: o que aconteceu? Que atitude foi tomada por parte da Conmebol, que é a entidade que administra o futebol sul-americano? ABSOLUTAMENTE NADA!

No clássico italiano entre Roma e Lazio é muito frequente ver ofensas racistas. Brasileiros parceiros meus como Aldair e Cafu, campeões do mundo, sofreram muito com isso por lá. E o que a Federação Italiana fez a respeito? NADA! Na Rússia chegaram ao ponto de arremessar uma banana em direção ao lateral Roberto Carlos. É brincadeira? O cara é mito no futebol e tem que passar por isso. Aí pergunto: o que os russos fizeram pra coibir isso? NADAAAAA!

Poxa vida, ninguém faz nada. Aí esses babacas racistas deitam e rola. A verdade é que o futebol, que mexe com a paixão de milhares de torcedores, deveria ser usado como exemplo pra ao menos tentar coibir esse tipo de coisa. Por exemplo, o correto era a Conmebol eliminar o Real Garcilaso e qualquer equipe peruana de disputar a Libertadores por 5 anos. Queria ver se isso aconteceria de novo por lá.

Infelizmente vai ser difícil extinguirmos o racismo do mundo. Pra falar a verdade, impossível. Mas podíamos tentar melhorar alguma coisa. Para o bem da humanidade.

EM TEMPO: É bom que se diga que a mesma torcida do Cruzeiro que hoje repudia as atitudes racistas dos peruanos, há algum tempo teve atitude homofóbica com o jogador de vôlei Michael, que na época atuava pelo Vôlei Futuro na Superliga. Cantavam em coro a palavra VIADO várias vezes. Um absurdo! Não à toa o clube foi punido pelo STJD com a multa de R$ 50 mil. Preconceito é preconceito. Ridículo, diga-se de passagem. Seja ele qual for.

A CBF pirou…

Leia o post original por Wanderley Nogueira

Marin, Marco Polo e SarneyO presidente da CBF, José Maria Marin, e o vice, Marco Polo Del Nero, continuam intensificando o processo de aproximação com as principais autoridades do país.

Ambos estiveram visitando o senador José Sarney , o ministro Gilmar Mendes e o ministro da Justiça, José Eduardo Cardoso.

Mas o ponto alto foi o encontro com o presidente da Câmara Federal, Henrique Eduardo Alves.

Lá , Marin e Del Nero convidaram o deputado para ser o chefe da delegação brasileira na jogo contra Portugal, dia 10 de setembro, em Boston, Estados Unidos.

A CBF mostra mais uma vez que está bem distante do momento vivido pelo país.

Hoje, seguramente, nenhum parlamentar tem o apoio popular para chefiar a principal delegação de futebol do Brasil.

É verdade que chefe de delegação não tem poder de decisão, às vezes nem fica no mesmo hotel, é quase sempre o último a saber das coisas, mas usufrui das mais luxuosas mordomias.

Na Copa das Confederações o chefe da delegação brasileira foi o presidente da Federação de Futebol de Alagoas, Gustavo Feijó, prefeito da cidade de Boca da Mata e que já foi preso por desacato e desordem em cartório eleitoral e infrator da Lei da Ficha Limpa. Vale esclarecer que para todos os cargos foi apoiado pelo presidente do Senado, Renan Calheiros, também de Alagoas.

Convidar políticos para chefiar a delegação da seleção brasileira, especialmente nesse momento, é a confirmação de que a CBF continua achando que toda aquela movimentação fora dos estádios, durante a Copa das Confederações, era o povo querendo entrar para assistir as partidas…


Fifa se sente vitoriosa por levar competição até o fim no Brasil

Leia o post original por Perrone

Levar até o fim a Copa das Confederações n o Brasil, apesar das manifestações cada vez mais violentas durante a competição, é motivo de orgulho para dirigentes da Fifa. Consideram uma vitória da entidade não tirar as partidas do país, apesar dos graves conflitos entre manifestantes e policiais.

Oficialmente, a federação afirma não ter se envolvido em questões de segurança pública. Internamente, porém, os cartolas avaliam que a federação internacional agiu com habilidade.

Soube, por exemplo, pressionar o Governo Federal a reforçar a segurança em pontos estratégicos. Conseguiu escolta para seus parceiros levarem convidados em dia de jogo. E ainda ouviu Dilma Rousseff falar tudo o que a Fifa queria.

O tom é de que, apesar dos problemas do Brasil, a Fifa conseguiu tocar a competição.

Inúmeras teorias da conspiração “pipocam” por aí para desmerecer a maravilhosa vitória do Brasil. Seria a solução encontrada pelo pessoal “do contra” para explicar o, enfim, excepcional momento de Neymar e de Felipão na equipe canarinha?

Leia o post original por Milton Neves

Não demorou nada!

Logo após o término da espetacular vitória brasileira sobre a Espanha, o que mais se lia por aí, principalmente nas redes sociais, eram teorias da conspiração sobre o título da equipe canarinha.

“Não é possível. Os espanhóis jogaram tão bem o torneio inteiro. Muito estranho terem jogado tão mal contra o Brasil, não?”.

“A Espanha fez para o Brasil o que o Brasil fez para a França em 1998”.

“Isso aí foi a mando da Dilma, que não queria que sua popularidade continuasse despencando”.

“Agora está explicado. Colocaram várias mulheres no hotel dos espanhóis bem para que eles não conseguissem se concentrar”.

Entre outras dezenas e centenas…

Seria melhor fazer como eu: errei na “campeã” Espanha e no “superado” Felipão e pronto!

Teorias da conspiração para explicar nossas derrotas eu já tinha ouvido às pencas.

Entre as mais famosas, a da Copa de 1982, quando muitos disseram que Paolo Rossi teria jogado contra o Brasil dopado e que nós, por isso, ganharíamos os pontos do jogo do Sarriá.

E a da Copa de 98, quando diziam ter certeza que houve um esquema envolvendo a Nike, a Fifa e a CBF, e que o Brasil seria recompensado pela derrota na decisão com uma Copa do Mundo no país.

Mas devaneios desmerecendo as nossas vitórias, para mim, é uma grande novidade.

Afinal, por que essa necessidade de criar teorias para explicar nossas derrotas – e agora até vitórias – inesperadas?

Por que, simplesmente, não passamos a reconhecer que estávamos errados quando as coisas não saem como esperávamos ou torcíamos?

E o Neymar, hein?

Até a Copa das Confederações, alguns insistiam em chamá-lo de “Cai-Cai”, de “Neymarketing” e até mesmo de “Robinho Piorado”.

Agora, o craque calou a boca daqueles que diziam que ele nunca jogaria nada na seleção.

Diferenciado que é, estava na cara que era só dar um tempo a ele para que passasse a brilhar também com a camisa canarinho.

Pena – e bota pena nisso – que foi “doado” pela incompetente diretoria santista ao Barcelona, e agora, para vê-lo, só pela TV!

Ah, e isso, infelizmente, não se trata de uma simples teoria da conspiração…

Opine!

O campeão voltou

Leia o post original por Pedro Ernesto

No confronto mais esperado pelo mundo nesta Copa das Confederações, o Brasil venceu com sobras a Espanha, bicampeão da Europa, campeã do mundo e número 1 do ranking da Fifa. E o melhor de tudo, é que a Seleção Brasileira foi quem mostrou força, não deixando a Fúria mostrar o futebol que vem encantando o planeta.

O Brasil é que mostrou o verdadeiro futebol. Goleou e deixou barato. Deu show de bola. O que se pode dizer do jogo de ontem é que o campão voltou!


Obra pronta

Aquela que parecia ser a obra mais atrasada para a Copa do Mundo de 2014 foi assumida por Luiz Felipe Scolari em janeiro, quando estreou no comando da Seleção Brasileira. Desde lá, vinha capengando, até que goleou a França, no começo de junho, na Arena do Grêmio. E fez o que se espera de um grupo que representa o país pentacampeão do mundo.

Nesta Copa das Confederações, não perdeu um jogo sequer. Vejamos o que Felipão vai conseguir nesse um ano que temos até a Copa do Mundo, em 12 de junho.


Satisfação

Apesar da reação popular contra a Copa, a Fifa está feliz da vida com a Copa das  Confederações. Grandes públicos, superando 50 mil pagantes por jogo, partidas de alto nível e uma final Brasil x Espanha, que era o sonho da entidade. Para se ter uma ideia, mais 43 mil pessoas viram na Fonte Nova a vitória da Itália sobre o Uruguai ontem, nos pênaltis, em Salvador, depois de 2 a 2 no tempo normal.


Conselho

O presidente Fábio Koff negocia com a OAS, traz jogadores, demite e contrata treinador. E o Conselho de Administração e o departamento de futebol? É gestão de um homem só. Não sei se é por iniciativa do presidente ou porque os outros não aparecem nas grandes questões.


Demissão

Vanderlei Luxemburgo fez de tudo para ser demitido. Falo do péssimo Gauchão, de  fraca campanha na Libertadores e de um início ruim de Brasileirão. Só não sei porque essa demissão não aconteceu depois de Grêmio x São Paulo. O clube já teria outro técnico e estaria com o trabalho avançado.


Repouso

Dunga levará seus jogadores para uma semana de refugio nas belas instalações do Hotel Vila Ventura, em Viamão. Bom para treinar, descansar e fazer bela preparação para reiniciar o Brasileirão a mil, domingo, às 16h, contra o Vasco, em Caxias do Sul.


Jornalistas

Só na grande final de ontem, no Rio, foram mais de 2 mil jornalistas. Só esse número é capaz de lotar os hotéis de Porto Alegre. Ainda bem que a quantidade de leitos na Capital aumentará.


É demaaaiis!

Foi o turismo interno que fez a Copa das Confederações. Poucos torcedores vieram do Exterior – o que já era esperado pelos organizadores. Mas os brasileiros lotaram os estádios. As cidades sedes entupiram de gente.


Supremacia brasileira

Leia o post original por Neto

Fred foi um dos artilheiros do Brasil

Apesar de ter conceitos táticos bem diferentes dos apresentados pelo Felipão, tenho que reconhecer que o estilo de jogo implantado por ele na Seleção Brasileira contra a Espanha acabou dando resultado. Neste domingo o Brasil sobrou contra os gringos e beliscou pela quarta vez o troféu da Copa das Confederações. Ao contrário do que muitos pensavam, inclusive eu, nossos adversários dormiram no jogo. Demos um show de bola! Os atuais campeões mundiais não tiveram nem chances.

É claro que o título tem um significado importante para a formação de um novo elenco. Mas pouco importa se pensarmos a curto prazo. Afinal essa vitória de agora não tem nada a ver com a Copa de 2014. Até lá tudo muda, a dificuldade aumenta e uma conquista valoriza ainda mais os jogadores. Ao menos formamos uma base sólida de qualidade. Mais interessante ainda foi acabar com a aparente soberba dos espanhóis. Eles achavam que poderiam vencer tranquilamente. Isso não aconteceu. Pelo contrário! Tomaram um baile.

Essa base da Seleção é jovem e acredito que tenha lenha para queimar por mais duas ou até três Copas do Mundo. Afinal meninos como Oscar, Neymar e Lucas tem vinte e poucos anos. Só acho que precisamos sim reciclar o comando. Chega de Felipões, Parreiras, Zagallos, etc… Tá louco! Esses caras foram bons, conquistaram muitos títulos, mas precisamos de uma nova visão de futebol dentro da Seleção. Sempre os mesmos não dá, né? Quer dizer, eles venceram e tem que ter nosso respeito. Mas depois da próxima Copa precisamos mudar.

Campeões da Copa das Confederações de 2013

Minha Seleção da Copa das Confederações: Júlio César, Daniel Alves, Piqué, Thiago Silva e Candreva; Pirlo, Paulinho, Xavi e Iniesta; Neymar e Pedro.

Mesclei os melhores de Brasil e Espanha e coloquei dois italianos que me agradam. O Pirlo, pela genialidade de sempre, e o Candreva, que é um meia de qualidade que resolvi improvisar pela esquerda. Na nossa Seleção tirando o Neymar, que é indiscutivelmente genial, valorizei o sistema defensivo. Principalmente o Julio César e o Paulinho, que foram muito bem nesse torneio. Já a Fúria tem em seus meias o ponto de desequilíbrio.

*Assim como faz a Fifa, escolhi essa Seleção do campeonato antes da final. Senão é claro que teria entrado o Fred, que é um baita artilheiro.

Brasil passeia, goleia a Espanha e conquista a Copa das Confederações!

Leia o post original por Milton Neves

Eu errei e adorei!

Me sinto vingado do chocolate do Barcelona sobre o Santos em Yokohama/2011, quando vi de pertinho aqueles 4 a 0… Isso porque eles “tiraram o pé…

A Espanha, poderosa, campeã mundial, não foi sombra do time quase imbatível propalado pelos quatro cantos do mundo.

A seleção brasileira colocou os espanhóis na roda! 3 a 0!!!

Os adversários começaram a sentir as pernas tremerem com o coro da torcida cantando o Hino Nacional.

Aí, logo aos dois minutos, a bola sobrou para Fred, no chão, fazer 1 a 0.

A Espanha teve uma chance de ouro para empatar, mas assim como Fred marcou de canela contra o Uruguai, David Luiz também usou a canela para salvar o gol certo de Pedro, com Julio Cesar já batido.

No final do primeiro tempo, aos 43, golaço de Neymar. Um petardo de esquerda, como diriam os antigos locutores.

Se a Espanha quisesse “entrar no jogo” deveria começar o segundo tempo marcando um golzinho, para assustar, mas aconteceu exatamente o contrário.

Fred, novamente ele, também aos 2 minutos, fez o terceiro gol brasileiro, para deixar o time vermelho mais atônito ainda…

A Espanha até poderia ter diminuído aos 9 minutos, mas Sergio Ramos chutou um pênalti para fora…

Neymar tinha tudo para fazer o quarto gol brasileiro, iria sair cara a cara com Casillas, mas Piqué derrubou o craque.

O zagueiro espanhol recebeu cartão vermelho e foi se encontrar com a mulher Shakira mais cedo (convenhamos, nada mal…).

Bem diferente do que aconteceu em 1950, desta vez nada de Maracanazo no Maracanã.

Tivemos sim um Fredazo, um Neymarzazo, e até um Felipãozazo, que mostrou que tem estrela mesmo, calando muita gente, inclusive eu!!!

Então, vamos falar de 2014?

Se a Espanha se assustou tanto na Copa das Confederações, terá chance de ganhar do Brasil no ano que vem?

Ou serão Alemanha e Argentina os “ossos duros de roer” na Copa?

Opine!!!