Arquivo da categoria: Copa Sul-Americana

Argentinos festejam em nossa casa

Leia o post original por Antero Greco

Os argentinos sabem jogar bola; isso é óbvio, antigo e escancarado. O Independiente, por exemplo, não tem sete Libertadores por obra do acaso, mas por mérito. Abriu vantagem de 2 a 1 no primeiro duelo da final da Sul-Americana e jogava por empate com o Fla no Maracanã. Ou seja, entrou em campo com uma mão na taça, saiu com as duas. Ponto.

Mas dava para o Fla, sem presunção nem desprezo pelos adversários. Havia equilíbrio nessa disputa, como se viu na semana passada em Avellaneda. No mínimo dava para a prorrogação. Durante boa parte do jogo, essa sensação prevaleceu, pela forma como o time brasileiro se comportou: com marcação boa, sem ser sufocante, com jogadas rápidas e com o gol de Lucas Paquetá. E como jogou esse moço!

Dava, ainda, quando tomou um abalo com o empate, que veio em pênalti cobrado por Barco, jovem revelação do “hermanos”. Pênalti que ainda agora me deixa em dúvida, embora tenha revisto algumas vezes. Só abalou minha convicção declaração do próprio Cuellar, que participou do lance. Depois do jogo, ele disse: “Não sei se foi pênalti ou não.” Isso em linguagem boleira costuma ser admissão de culpa…

Enfim, mesmo com o 1 a 1 era possível o Fla virar o quadro. Na pior da hipóteses, fazer outro gol e empurrar para os 30 minutos adicionais. Começou bem o segundo tempo, a todo vapor, com pressão intensa, sem deixar o Independiente sair da sua parte do campo.

Até que Reinaldo Rueda quis ser atrevido de vez, ao colocar Vinicius Júnior no lugar de Trauco e depois Everton Ribeiro na vaga de Cuellar. Uma forma de mandar o Fla para a frente, no abafa, na raça, na empolgação. A equipe até tentou, mas se desconjuntou.

Desmontou a partir do momento em que Everton recuou para compor o sistema defensivo. Levou baile pelo lado dele. Além disso, Vinicius Júnior e Paquetá correram, mas sem serem municiados por bolas boas. Nesse quesito não funcionaram Everton Ribeiro nem Diego. (A propósito, em sem caça às bruxas: Diego sucumbiu na etapa final.)

Bom, o que parecia blitz para cima do Independiente se revelou apenas uma bagunça. O Flamengo perdeu o rumo, o controle do jogo. Aquele pedido do Rueda para que o torcedor tivesse paciência foi negado por ele mesmo, com as modificações que pretendiam tornar o time mais perigoso e que, na prática, o deixou vulnerável.

O Independiente percebeu, saiu para os contragolpes, esteve perto do segundo gol (Juan tirou em cima da linha), apostou no passar do tempo e no nervosismo do rival. Deu certo. O relógio correu, Wilmar Roldán deu só 3 de acréscimos, Réver ainda mandou para o céu o último lance de perigo e… os argentinos fizeram a festa no Maracanã.

Os gringos se deram bem em nossa casa. Acontece, é da vida. Duas semanas atrás, o Grêmio havia dado a volta olímpica no campo do Lanús. Agora, não cabe procurar culpados, e sim planejar 2018 vitorioso.

Confusão na Arena Corinthians foi precedida por falha da PM em revista

Leia o post original por Perrone

 A confusão entre torcedores da Universidad de Chile e policiais militares nesta quarta, na Arena Corinthians, foi precedida por falha da PM na revista dos torcedores das duas equipes, que entraram com muitos sinalizadores e, do lado chileno, pelo menos um rojão.

O blog presenciou caso de negligência policial durante a revista de torcedor corintiano. Ao verificar a mochila do alvinegro o policial identificou uma série de itens proibidos no estádio. “Isso não pode, isso não pode, isso é inflamável…”, afirmou o PM antes de citar o estatuto do torcedor, com número da lei e tudo, recomendando que o corintiano estudasse a legislação. Em seguida, ele perguntou se o rapaz tinha onde deixar o material vetado. Diante da resposta negativa, disse: “Então entra, agora vai lá e protesta contra a PM”. Ou seja, deu lição de moral no torcedor, mas foi negligente permitindo a entrada de objetos proibidos.

O episódio não tem relação com a barbárie provocada pelos fãs da La U, mas ajuda a entender como tantos sinalizadores, que não são permitidos, entraram na arena. Como mostrou o UOL Esporte, o confronto começou porque os chilenos se revoltaram com a apreensão de parte dos artefatos, acenderam outros e passaram a depredar cadeiras.

O tamanho da dificuldade da PM em revistar as torcidas pode ser mensurado nas imagens de instantes antes de o jogo começar, quando era possível ver uma nuvem de fumaça formada pelos sinalizadores, a maioria levada pelos corintianos. Pior, os chilenos acenderam um rojão na arquibancada.

Os visitantes foram hostis não só com os policiais, mas com a torcida da casa, arremessando na direção dos corintianos parte das cadeiras quebradas. Houve também provocação entre os seguidores dos dois clubes perto da divisão de espaço das torcidas.

A PM mostrou eficiência perto do fim do jogo, quando policiais entraram na arquibancada chilena e rapidamente, sem tumulto, retiraram de lá um torcedor que estavam procurando para deter.

O trabalho dos policiais na vitória corintiana por 2 a 0 pela Copa Sul-Americana foi enormemente dificultado pelos torcedores da La U, que brigam com a mesma disposição com que cantam. Sem dúvida, foi a maior pancadaria que este blogueiro presenciou na casa alvinegra.

 

Drogba e chefe de segurança viram munição para impeachment de Andrade

Leia o post original por Perrone

Conselheiros que defendem o impeachment de Roberto de Andrade no Corinthians contaram com dois fatos inusitados para engrossar a lista de apoiadores do movimento: a confusa negociação com Drogba e o envio do chefe de segurança do clube para o sorteio dos jogos da Copa Sul-Americana no Paraguai.

Os episódios aumentaram o número de conselheiros e sócios insatisfeitos com o presidente alvinegro, conforme apurou o blog.

Ambos os casos são apontados por críticos do cartola como demonstração  de desleixo de Andrade na forma de administrar o clube.

Em relação ao atacante marfinense, a principal queixa é sobre ele ter assinado proposta enviada ao empresário Franck Assunção, que não é o agente direto de Drogba, mas teria autorização para apresentar ofertas de clubes sul-americanos ao jogador. Ele teve uma polêmica e rápida passagem pela diretoria de Roberto Dinamite no Vasco que é usada como prova da suposta falta de cuidado de Andrade na operação.

Além disso há queixas no Parque porque conselheiros entendem que o contato com Drogba poderia ter sido feito sem intermediários, por meio de Willian, ex-jogador do Corinthians e que foi companheiro do marfinense no Chelsea.

Durante a negociação, o brasileiro jantou com Drogba e disse a amigos no clube do Parque São Jorge que o ex-colega afirmava não ter falado com ninguém do Corinthians. Só depois de a novela se arrastar ele viria a conversar com Andrade.

Também existem críticas ao presidente por ter permitido que um ex-funcionário, Gustavo Herbetta, ex-gerente de marketing, e um ex-conselheiro, o empresário André Campoy, tocassem as negociações. Os dois se afastaram da operação quando Andrade entrou no circuito.

 Alguns conselheiros que relutavam em aceitar o impeachment se voltaram contra Andrade só depois de saberem o nome do representante corintiano no sorteio da Sul-Americana. O presidente escolheu Waldir Rapello Dutra, conhecido como coronel Dutra, chefe de segurança do clube.

A reclamação é de que Andrade não teria se preocupado em enviar um representante com voz ativa no departamento de futebol para defender os interesses do Corinthians e nem com a imagem da instituição. A tese é de que na impossibilidade de um dirigente do futebol viajar outro diretor deveria ter sido destacado para a missão.

O blog enviou e-mails desde o último dia 3 para a assessoria de Andrade preguntando qual o motivo que o levou a enviar o chefe da segurança para o sorteio e sua opinião sobre esse fato e a frustrada contratação de Drogba aumentarem o número de apoiadores do impeachment, mas não recebeu resposta até a publicação deste post.

Os defensores do afastamento calculam que com os últimos episódios já existem pelo menos 140 conselheiros dispostos a votar pela punição ao dirigente. Esse é o número mínimo que eles acreditam ser necessário para derrubar Andrade.

Por sua vez, a situação não revela quantos apoiadores acredita ter, mas calcula que seja preciso obter entre 175 e 180 votos para garantir a vitória na disputa. O Corinthians têm cerca de 344 conselheiros só que não é possível prever quantos comparecerão à reunião sobre o impeachment, que deve acontecer ainda em fevereiro.

A Comissão de Ética que analisou o caso já concluiu seu parecer, mas não tornou pública a decisão. Mesmo que ela não indique o afastamento de Andrade, os conselheiros podem aprovar o impeachment.

A punição ao presidente foi pedida por um grupo de conselheiros que entende que ele feriu o estatuto supostamente provocando prejuízos à imagem do clube por ter assinado a ata de uma assembleia do fundo que administra a arena corintiana e o contrato de locação do estacionamento do estádio com datas nos papéis anteriores à sua posse. Ele alega que colocou sua firma no documento depois de eleito e que houve apenas erro nas datas. Diz ainda que o episódio não provocou dano material ou à imagem alvinegra.

O que você quer? Copa do Brasil ou Sul-americana?

Leia o post original por Odir Cunha

Campeão até no inferno: Após vencer na Vila (1 a 0), Santos empata com o Rosário Central (0 a 0) e conquista a Conmebol em 1998.

FALTAM 05 DIAS! VOCÊ NÃO PODE PERDER!
Conheça os tempos em que o Santos ia pra cima e ganhava dentro ou fora do Alçapão
Pague 1, leve 2 exemplares do livro Time dos Sonhos, a Bíblia do Santista, com dedicatória exclusiva, e ainda ganhe o e-book do livro Donos da Terra. Receba em casa sem custo de correio. Tudo por apenas 68 reais. Mas só até 31 de julho. Aproveite antes que acabe!
Pelé dormindo com os livros Time dos Sonhos
A promoção continua até 31 de julho. Clique aqui para comprar o livro Time dos Sonhos, a Bíblia do Santista, e ganhar mais um exemplar de graça, além da versão eletrônica do livro Donos da Terra, frete pago e dedicatória exclusiva. Tudo isso só por R$ 68,00 e ainda dá pra parcelar. Clique já!


O que você quer? Copa do Brasil ou Sul-americana?

Foram vãos os esforços para se trazer o jogo com o Flamengo para a Vila Belmiro (pelo que sei, nem houve a tentativa de levá-lo para o Allianz Parque, o que poderia convencer o empresário a trazer o jogo para São Paulo). A inversão do mando de campo está consolidada e o Santos terá de fazer um jogo decisivo na luta pelo título brasileiro com maioria de torcida contra. Lamentável.

E agora falarei de outro assunto lamentável, este proporcionado pela Conmebol, com anuência da CBF: como pode um time ganhar vaga em uma importante competição internacional apenas se for eliminado na competição nacional? É o verdadeiro samba do crioulo doido, no entanto a imprensa não diz nada e segue tudo na maior loucura. Porém, isso deixa o Santos e os santistas em uma sinuca de bico.

Se vencer o Gama, amanhã, na Vila Belmiro, o Santos terá de prosseguir na Copa do Brasil e ficará fora de mais uma edição da Sul-americana, uma competição tão ou mais importante do que a Copa do Brasil. Porém, caso empate, com gols, será eliminado de uma, mas terá a oportunidade de jogar a outra. Dorival Junior já adiantou que escalará uma equipe de reservas. Então, perguntou a você, leitor e leitora deste blog: você quer que o Santos siga na Copa do Brasil, ou dispute a Sul-americana?

E para não dizer que não falei do caso Gabriel, que acaba de recusar uma proposta da Juventus, eu só adianto que agora a situação, como ocorreu com Robinho e Neymar, será decidida pelos empresários. Ao Santos restará pouco, a não ser defender os seus direitos com coragem e astúcia. O jogador e seu staff agirão profissionalmente, esqueçam qualquer gratidão romântica. O dinheiro falará mais alto.

E você, o que acha disso?

FALTAM 05 DIAS! VOCÊ NÃO PODE PERDER!
Conheça os tempos em que o Santos ia pra cima e ganhava dentro ou fora do Alçapão
Pague 1, leve 2 exemplares do livro Time dos Sonhos, a Bíblia do Santista, com dedicatória exclusiva, e ainda ganhe o e-book do livro Donos da Terra. Receba em casa sem custo de correio. Tudo por apenas 68 reais. Mas só até 31 de julho. Aproveite antes que acabe!
Pelé dormindo com os livros Time dos Sonhos
A promoção continua até 31 de julho. Clique aqui para comprar o livro Time dos Sonhos, a Bíblia do Santista, e ganhar mais um exemplar de graça, além da versão eletrônica do livro Donos da Terra, frete pago e dedicatória exclusiva. Tudo isso só por R$ 68,00 e ainda dá pra parcelar. Clique já!


São Paulo supera a expulsão infantil de Fabuloso e larga na frente do Huachipato na Sul-Americana! Mas é incrível o descontrole emocional da equipe tricolor após a briga entre Aidar e Juvenal…

Leia o post original por Milton Neves

placar 3009

fabulo

São Paulo 1 x 0 Huachipato

Nesta noite, no Morumbi, diante do Huachipato, do Chile, Luis Fabiano foi… Luis Fabiano!!!

Uma pena, mas quando o São Paulo mais precisa, o centroavante perde a cabeça e acaba comprometendo o trabalho de seus companheiros.

Assim como já tinha acontecido em tantos outros jogos decisivos, o Fabuloso foi expulso de campo, ainda no primeiro tempo, após acertar um golpe no rosto de um adversário.

Atitude completamente infantil que não PODE partir de um dos jogadores mais experientes do São Paulo.

A sorte foi que, no começo do segundo tempo, o Tricolor achou um gol em um belo chute de fora da área de Michel Bastos.

Digo que “achou um gol” porque em diversos outros momentos da partida o Huachipato foi superior ao time da casa, perdendo algumas boas chances de balançar as redes.

Sim, o Tricolor venceu, mas não jogou bem.

E não jogou bem assim como nos últimos jogos do Brasileirão.

Mais precisamente, nos jogos que aconteceram após a briga entre Carlos Miguel Aidar e Juvenal Juvêncio.

Aidar e Juvenal travaram na má língua o bom time do São Paulo em seu melhor momento em anos.

Mas, com a vitória de hoje, quem sabe o Tricolor não acabe se animando e vá com tudo para buscar o bi da Sul-Americana.

É o que resta, pois no Brasileirão ainda é provável que a equipe do Morumbi, por conta das ótimas fases de Atlético-MG, Grêmio e Internacional, termine fora do G-4.

Opine!

Melhor marketing do Santos tem 3 letras e uma exclamação: GOL!

Leia o post original por Odir Cunha

Robinho decidiu! Logo mais eu posto o texto de Santos 2 x 0 Londrina.

Com todo o respeito ao Londrina, hoje é dia de goleada

jubal
Recuperado, Jubal volta hoje, completando a zaga com David Braz (Foto: Ricardo Saibun/ Santos FC)

Amigo, pegue o ataque do Santos: Robinho jogou duas Copas, Leandro Damião foi titular da Seleção Brasileira, para a qual Thiago Ribeiro já foi muito cotado. No meio de campo ainda há Arouca, festejado como um dos melhores volantes do Brasil. Nem vou citar os jogadores do bravo Londrina, pois, sinceramente, não conheço nenhum. Então, por mais que o futebol apresente surpresas, um resultado esta noite, na Vila Belmiro, que não seja a vitória santista, será não só surpreendente, como decepcionante, e colocará em dúvida a capacidade desses jogadores e de seu técnico.

Como o texto principal deste post diz, o gol sempre foi a maior arma de marketing do Santos (até antes do ataque de 100 gols, de 1927). Porque apaixona o público, chama a atenção, entra na história. Hoje, com todo o respeito que tenho pelo time e a boa terra de Londrina, no rico norte do Paraná, é dia de voltar a ver o Santos ofensivo, goleador. E outra: time grande não entra em campo para outro resultado que não seja a vitória.

Nem quero saber se a Sul-americana é mais fácil e dá mais vantagens. Derrotas como São Paulo e Fluminense sofreram ontem são vexatórias e mancham a história de um clube. É melhor e mais digno vencer hoje, ficar na Copa do Brasil e lutar pelo segundo título nesta competição que é a mais difícil e importante depois do Campeonato Brasileiro. Deixemos a Sul-americana para os perdedores.

Hoje, na partida marcada para as 19h30, o Santos deverá jogar com Aranha, Cicinho, Jubal, David Braz e Mena; Alison, Arouca e Lucas Lima; Thiago Ribeiro, Leandro Damião e Robinho. Sei que o clube tem de expor o Damião para tentar vendê-lo, mas acho que o time joga melhor com mais um no meio que possa avançar. De qualquer forma, hoje é um bom jogo para o contestado Damião tirar o pé – ou a cabeça – da lama.

O Londrina, do técnico Claudio Tencati, deverá atuar com Vitor, Lucas Ramon, Dirceu, Silvio e Allan Vieira; Diogo Roque, Bidía, Léo Maringá e Celsinho; Paulinho e Joel. É bem provável que vá se fechar, na velha e boa retranca, e especular alguma coisa nos contra-ataques. Se o time paranaense for esperto, tentará pegar o Santos desprevenido no começo do jogo e marcar um golzinho logo de cara, o que obrigaria o Alvinegro Praiano a marcar três para se classificar.

A arbitragem será de Wagner dos Santos Rosa, auxiliado por Wendel de Paiva Gouveia-RJ e Michael Correia, todos do Rio de Janeiro. Não faço a mínima ideia do nível profissional destes senhores, mas espero que atuem bem melhor do que o trio que operou no clássico, domingo.

À torcida que for à Vila Belmiro eu só peço que não deixe o time se acomodar. Depois de três derrotas consecutivas, está na hora de o Santos voltar a vencer e estes jogadores justificarem o que o clube lhes dá.

Como você acha que o Santos se sairá hoje?

O São Paulo estava ganhando, mas perdeu de 3 a 1 para o Bragantino, em pleno Morumbi, e com isso saiu da difícil Copa do Brasil para jogar a menos complicada Copa Sul-americana. Veja como o Rogério Ceni se empenhou nos gols do Bragantino. Enquanto isso, no Maracanã, o Fluminense, que podia perder por dois gols de diferença, perdeu por 5 a 2 do poderoso America de Natal e também saiu Copa do Brasil para a Sul-americana. Outro time grande surpreendido, o Inter perdeu de 3 a 1 no Ceará e também seguiu para a Sul-americana. Fico aqui pensando: que competição será que Oswaldo Oliveira e os jogadores preferem jogar?

Quando o humor parece mais sério que o jornalismo “sério”

1.731.450 apostas em 65% das cidades brasileiras foram feitas no teste 612 da Timemania, em 12 de agosto, terça-feira passada. Os dez clubes mais votados foram:

1º FLAMENGO RJ 84.637 4,88%
2º CORINTHIANS SP 73.799 4,26
3º SAO PAULO SP 59.792 3,45
4º SANTOS SP 58.296 3,36
5º GREMIO RS 50.524 2,91
6º PALMEIRAS SP 50.405 2,91
7º VASCO DA GAMA RJ 45.241 2,61
8º INTERNACIONAL RS 45.077 2,6
9º CRUZEIRO MG 43.789 2,53
10º BOTAFOGO RJ 38.890 2,24

santosaaaaaaa
Titulares que devem jogar contra o Londrina, nesta quinta-feira, treinam no CT Rei Pelé. Só a vitória interessa (Foto: Ricardo Saibun/ Santos FC)

Meus amigos, compactuo com as reclamações e queixas de todo santista, mas às vezes me pego pensando se não exageramos nas nossas lamentações. Sabemos que a Globo e muitos outros veículos de comunicação falam pouco do Santos por puro amadorismo, incompetência ou clubismo, mas a verdade é que já falaram e ainda vão falar muito. E quando falam? Quando nosso Glorioso Alvinegro Praiano faz algo espetacular.

É injusto falar do Santos apenas quando ele transcende a mediocridade geral? Sim. Mas tem um lado bom? Tem. E qual é ele? O lado bom é que para ter espaço na mídia, o Santos tem de fazer, sempre, algo excepcional. E volta e meia ele faz. E quando faz, não há veículo de comunicação parcial que resista, pois o povo quer saber como foi.

E o que o Santos, de vez em quando, faz de verdadeiramente extraordinário? Uma dica: tem três letras e faz um estádio inteiro ficar de pé. Isso mesmo, brother: GOL! Gols aos montões e bonitos como nenhum outro no mundo. Não é à toa que foi feito um filme de Pelé com duas horas de um gol atrás do outro, todos lindíssimos. E não é à toa que o último prêmio que o futebol brasilerio ganhou da Fifa foi o Puskas, pelo gol mais bonito do Menino de Ouro, nosso sempre querido Neymar.

Lembro-me como se fosse hoje da tarde de domingo, 21 de março de 2010. Eu e Suzana éramos dois dos 10.015 pagantes que foram ao Pacaembu ver o Santos, sem Neymar e sem Robinho, contra o Ituano de Juninho Paulista. Não importa que time entrasse em campo, sabíamos que iria pra cima do Ituano. E nem mesmo quando o time de Itu abriu o marcador, logo a um minuto de jogo, a confiança arrefeceu.

O empate veio aos 14 minutos, com André, e ao final do primeiro tempo já estava 4 a 1 pro Santos. Começou o segundo e com ele, mais gols. O Pacaembu entrou em transe. Queríamos gols, mais gols. Eles surgiam, mas queríamos mais. O técnico Dorival Junior fez algo que nenhum técnico do mundo jamais fez: foi tirando jogadores de defesa e de marcação para colocar atacantes. Saiu Pará para entrar Zé Eduardo e Arouca para entrar Maikon Leite. O zagueiro Edu Dracena deu lugar ao meio-campo Roberto Brum. Dez! Dez! Dez! gritava o Pacaembu enlouquecido!

O décimo não veio, mas veio o nono, marcado por André, de pênalti, no finzinho do jogo. Que festa! Saímos do Pacaembu com a alma lavada. Dirá o pragmático, dando de ombros: “Mas o jogo não valia nada…” Sai pra lá, mocorongo, valia tudo! Valia um momento tão inesquecível que hoje e sempre será lembrado. Porque o futebol não é só feito de taças suadas e derrotas magérrimas, meus caros. O futebol que empolga e fascina exige momentos de profunda e total explosão!

Esse, meus amigos, é o marketing que não quer calar, que ninguém segura, que fica gritando nos ouvidos dos experts que jamais chutaram uma bola na vida: GOOOOOOLLLL do SAAAAAANNNNNTOSSS!!!

Por isso, não sei e nem quero saber quem vai jogar nesta quinta-feira à noite, na Vila Belmiro, contra o simpático Londrina. Sei que o Robinho vai. Mas, qualquer que seja o time escalado para tentar vencer o bravo campeão do Paraná e seguir na Copa do Brasil, a obrigação, o dom, a vocação do Santos exige que se ataque do primeiro ao último minuto e se faça o maior número possível de gols. Duvido, se isso acontecer, que os programas esportivos não deixem de falar do joanete do fulano, ou da frieira do beltrano, para dar espaço ao maior time artilheiro do mundo.

Reveja Santos 9 x 1 Ituano, sem Neymar e Robinho:

E você, não acha que o maior marketing do Santos é fazer muitos gols?

Quando perder é melhor do que ganhar. E prossegue o Febeapá…

Leia o post original por Odir Cunha

Leia minha coluna no jornal Metro:
O Brasil não precisa mais do futebol

No teste da Timemania de 26/07, com 1.264.960 apostas em 65% das cidades brasileiras, Santos aparece em terceiro. Confira:

1ºFLAMENGO RJ 63.248 5,08
2º CORINTHIANS SP 56.731 4,56
3º SANTOS SP 45.019 3,62
4º SAO PAULO SP 44.971 3,61
5º PALMEIRAS SP 37.656 3,03
6º GREMIO RS 37.478 3,01
7º VASCO DA GAMA RJ 34.808 2,8
8º INTERNACIONAL RS 33.757 2,71
9º CRUZEIRO MG 31.773 2,55
10º BOTAFOGO RJ 30.546 2,45

Amigos, ser espancado na Copa em sua própria casa não mudou em nada o futebol brasileiro. Ao contrário. Parece que de complexo de vira-lata, agora adotamos o de mulher de malandro, pois apanhamos e gostamos. Vejam vocês que está para haver país no mundo em que perder é melhor do que ganhar. Pois você vive exatamente nele.

Perceba o time que o Oswaldo de Oliveira levará para Londrina, cidade boa e progressista do Norte do Paraná, onde o Glorioso Alvinegro Praiano enfrentará o campeão paranaense Londrina e a torcida do Santos é mais abundante do que comentarista de futebol na tevê: Aranha, Zé Carlos, Paulo Ricardo, Vinicius Simon, Emerson Palmieri, Alan Santos, Renato e Souza; Jorge Eduardo, Diego Cardoso e Stéfano Yuri.

Interessante descobrir que Vinicius Simon ainda está no Santos e na defesa há um tal de Paulo Ricardo, que me lembra aquele cantor do RPM. Mas o que quer dizer esse time de reservas, só com o Black Spider no gol? Quer dizer que o Santos não faz a mínima questão de passar pelo Londrina na Copa do Brasil. Atrevo-me a dizer que a eliminação diante do time paranaense será bem-vinda na Vila Belmiro.

E digo isso porque caso seja eliminado nesta fase da Copa do Brasil, o Santos poderá jogar a Sul-americana, competição que ainda não venceu e lhe dará alguma visibilidade internacional, o que não ocorre há mais de ano. Ou seja: devido a mais um regulamento esdrúxulo assinado pelos indolentes dirigentes do futebol brasileiros, valerá mais a pena perder do que ganhar.

Entre a novela e o metrô, prioriza-se a novela

Outro fato que daria uma bela história do lendário Stanislaw Ponte Preta, o criador do Febeapá, o Festival de Besteiras que assola o País, nos foi proporcionado pelo imbróglio sobre o horário do metrô nos jogos noturnos em Itaquera.

Quando se iniciou a construção do estádio, já se sabia que a Rede Globo, proprietária do futebol brasileiro, não mudaria o horário da novela nem que Hugo Chaves ressuscitasse, judeus e palestinos proclamassem, de mãos dadas, a paz eterna, e extraterrestres trouxessem um time para também golear a Seleção Brasileira. Porém, como ainda se aposta no jeitinho, estádio feito, foram pedir para que o horário do metrô fosse alterado.

Ora bolas, não é mais fácil marcar os jogos para, no máximo, 21 horas, já que o trânsito está cada vez mais moroso na Grande São Paulo e as pessoas continuam tendo de acordar cedo para ir ao sagrado trabalho? E como a Globo jamais concordará com isso, não está na hora de se pensar em outra alternativa para as transmissões do futebol brasileiro?

Quem deve, paga menos

Nos últimos dias, presidentes de grandes clubes brasileiros e alguns bicões que vivem rondando Brasília, reuniram-se com a presidente Dilma Roussef para pedir o parcelamento da enorme dívida que contraíram por pura e absoluta leviandade e incompetência. A presidente prometeu dar um jeitinho.

Ou seja: o clube que deu um passo maior do que a perna, que fez investimentos que não poderia fazer – ou trazendo jogadores muito caros, ou construindo e reformando estádios –, será agraciado com o parcelamento de sua dívida em suaves parcelas. Enquanto isso, o dirigente honesto e responsável, que evitou endividar sua agremiação, continuará tendo de pagar tudo em dia e à vista.

Assim, o crime compensa e o futebol prossegue premiando os espertalhões, desorganizados e incompetentes, e punindo os que tentam fazer a coisa certa.

E você, o que acha de tudo isso?

Ética, a exigência de José Carlos Peres para presidir o Santos

Leia o post original por Odir Cunha

Média de comentários dos 10 posts mais recentes deste blog:
271,6 comentários por post

Viva a diversidade! Viva a Ponte Preta!

Não, você não entrou no blog errado. Este espaço aqui é para santistas, e santistas apaixonados. Mas também é um lugar de pessoas justas que, por serem santistas, aprenderam a valorizar o mérito alheio, principalmente de equipes que lutam contra tudo e contra todos para assegurar um lugarzinho ao sol. Esta Ponte, meus amigos, vem buscando um título há décadas e várias vezes, como a gente sabe, viu o seu sonho ser surrupiado na hora agá.

Nesta noite o Brasil torcerá pela Ponte Preta, na audiência mais unânime que um time poderia ter no País. Sim, porque a Ponte é valente, é romântica e não tem nenhuma rejeição (a não ser do rival alviverde de Campinas). Todos sabemos que é justo a Ponte ser campeã da Sul-americana, como foi justo o Atlético Mineiro ser campeão da Libertadores e o Cruzeiro campeão do Brasil. E quando é justo, a gente aplaude, mesmo que não seja o Santos.

É exatamente isso que quero dizer quando defendo que a tevê divida suas cotas por mérito e não por uma pretensa quantidade de torcedores. Quem gosta de futebol, gosta que o melhor seja premiado, qualquer que seja ele. Isso motiva o nosso time para se aperfeiçoar e um dia também ganhar títulos e visibilidade. Essa reserva de mercado, promovido pela tevê, a um ou dois privilegiados, é indecente, promíscua, imoral e desestimulante. Depois, por não conhecerem a essência do esporte, ainda ficam discutindo as causas da queda da audiência do futebol…

Vai Macaca! Realize o seu sonho secular! Você merece. Sei que meu amigo Renilton, da extinta e querida Revista do Futebol, estará torcendo como um louco, assim como Mário Macedo e os amigos de Jaguariúna. Nesta noite, verdadeiramente, a Ponte é Brasil.

E você, santista, vai torcer pra Ponte?

O Santos só tem um caminho viável: Ética total!

Meus amigos, em 2013 a atual gestão esgotou a possibilidade de errar. Com menos dinheiro, menos visibilidade e menos força política do que alguns adversários, o Santos não pode se dar ao luxo de ser administrado de maneira tão negligente, medíocre e suspeita, como foi em 2013. Continuo dizendo que sem criatividade, trabalho e, acrescento, sem ética, nosso querido Alvinegro Praiano não vai a lugar algum. A ética traz a credibilidade e faz os santistas remarem, juntos, na mesma direção.

Aqui neste blog defendemos que o sócio e o torcedor do Santos sejam ouvidos em todas as decisões cruciais do clube. Não é um favor, mas sim um respeito obrigatório a quem dá a cara, literalmente, para bater, nos estádios da vida. Porém, com a mesma empáfia que jogou um time improvisado contra o quase perfeito Barcelona, no vexame dos 8 a 0, os homens que dirigem o Santos continuam decidindo por suas próprias cabeças. Contratam quem querem, trazem o técnico que querem e pagam o salário que bem entendem. O torcedor? Ora, o torcedor. As dívidas? Ora as dívidas, que fiquem para as gestões futuras.

Não estou escrevendo isso por causa da perspectiva de vinda do técnico Oswaldo Oliveira, que nem é dos piores. Mas por 400 mil mensais?! Será que não dava para negociar melhor? E o papo de que Vargas e Leandro Damião podem vir, por outras fortunas? Ambos não têm jogado bem e Damião tem passado mais tempo na enfermaria do que em campo. Se forem mais duas contratações fracassadas, quem se responsabilizará pelo dinheiro jogado fora?

Como todo santista, estou preocupado com 2014. Confesso que anseio pelo começo de 2015, quando o Santos deverá ser governado por outras pessoas, com novas ideias e muita disposição, o que deverá chacoalhar o clube que hoje anda em um marasmo de dar dó (briguei com meio mundo para o Neymar ficar no Santos e no Brasil, mas hoje reconheço o papel ridículo que fiz. Ninguém, em sã consciência, poderia ter uma carreira profissional digna em meio a tanta bagunça. Boa sorte Neymar e Neymar pai! Desculpem alguma coisa!).

Desde a eleição que substituiu Marcelo Teixeira por Luis Álvaro, tenho repetido que, qualquer que seja o presidente eleito, o Santos precisa de trabalho e criatividade. Trabalho porque sem ele não se faz nada, fica-se apenas no acho isso, acho aquilo. E criatividade, no sentido mais amplo, que envolve ousadia, porque sem ela um clube com menos possibilidades e privilégios, como o nosso, não conseguirá alterar o status quo do futebol brasileiro.

Porém, ultimamente tenho analisado a importância vital da ética. Não sei se usamos essa palavra no sentido correto, mas para nós ela quer dizer honestidade, hombridade, sinceridade. É ter isso como princípio, chova ou faça sol, nos tempos bons ou ruins. É não se apropriar de um centavo que não seja seu, é ser justo com todas as pessoas, mesmo com as que não nos são queridas, é até perdoar quem nos ofendeu, pois construir algo sempre será mais importante do que se vingar.

As pessoas escolhidas por José Carlos Peres

Um dia desses encontrei-me com o amigo José Carlos Peres, com quem tive a honra e o prazer de fazer o trabalho que gerou a Unificação dos títulos brasileiros a partir de 1959. Disse a ele que aqui no blog tem muita gente que gostaria de vê-lo como presidente do Santos.

Quis saber se ele se candidatará nas eleições do final de 2014 e, caso pense em fazê-lo, quais seriam as pessoas que ele gostaria de ter trabalhando com ele. Peres começou a falar, mas o interrompi. Pedi para que escrevesse, pois assim eu poderia publicar aqui no blog. Hoje recebi um texto que ele diz ter confeccionado pegando ideias aqui e ali que exprimem o seu pensamento. Vamos a ele?

Predicados para trabalhar no Santos, segundo José Carlos Peres

1 – Faça diferente
Ter um currículo com atividades diferenciadas é importante. Há pessoas que aos 20 anos já fizeram algo. Têm muitos que podem até ser ótimos e ter uma boa faculdade, mas não fizeram nada (de diferente). Gosto de olhar o que o sujeito já fez de diferente, independentemente se tem diploma ou não.

2 – Tenha brilho no olho
Ser apaixonado pelo que faz e almejar o sucesso também são características importantes. Gosto de pessoas com brilho no olho, que querem fazer alguma coisa e serem bem-sucedidas.

3 – Tenha iniciativa
Ter vontade de mudar as coisas é uma das características fundamentais de um perfil talentoso. Gosto de pessoas que andam sozinhas. Prefiro aquele profissional que nós sabemos que vai criar algum problema, porque vai querer andar um pouco sozinho e vai fazer alguma besteira até. Eu não gosto tanto daquele soldado disciplinado que só vai fazer a coisa quando receber uma ordem.

4 – Atinja resultados
Falar é menos importante do que fazer. Gosto de pessoas que atinjam resultados. Tem gente que fala muito, fala bonito, mas que não faz, não acontece. Outros nem falam tanto e fazem de uma maneira diferente, mas de alguma maneira conseguem chegar lá.

5 – Saiba trabalhar em equipe
Não basta ter iniciativa, é preciso se dar bem com o time. Gosto de profissionais que conseguem trabalhar com outras pessoas. Aquele gênio, louco e sozinho, não funciona muito bem dentro do sistema.

6 – Tenha ética
Dou uma importância muito grande para a ética. A pessoa pode ser diferente, pode vir de origens diferentes, pode ter qualquer religião, mas tem de ser ética. Se não é ética, não dá pra trabalhar.

(Mandamentos extraídos de uma matéria com o empresário brasileiro Jorge Paulo Lemann).

E pra você, o que falta para este Santos ser um clube ético?

Noite viva do futebol brasileiro pela força do mata-mata! Só o mata-mata mesmo para salvar os modorrentos campeonatos dos pontos mais parados do que corridos no Brasil! E alô, Paulo André, não tem Bom Senso FC para os jogadores de ontem e só tem para vocês, milionários de hoje? Por quê?

Leia o post original por Milton Neves

Para quem estava e está com saudades dos emocionantes mata-matas como eu, foi mais uma noite inolvidável, como diria o “bíblico” Fiori Giglioti.

Estádios cheios como no 1 a 1 de Curitiba entre Furacão e Mengão e ontem no espetacular Maracanã rubro-negro que estava lotadíssimo como que a reverenciar Nilton Santos.

Festa humilde e apertada só em Mogi Mirim porque o mesquinho São Paulo trabalhou forte para não jogar em Campinas.

E aí o São Paulo se ferrou.

Bem feito!

E o bom Bom Senso FC?

Assustar o quase aposentado José Maria Marin é fácil.

E por que é tão difícil colocar um “artiguinho” na lista de exigências dos ricos e consagrados jogadores de hoje em prol dos abandonados craques de ontem?

E por que o Bom Senso FC não abraça a minha ideia de EXIGIR da CBF de 1.5% a 2% da cota de TODO amistoso da seleção em qualquer parte do mundo?

Ora, a seleção brasileira só recebe por volta de U$ 2 milhões por jogo porque a seleção BRASILEIRA de futebol ganhou cinco Copas do Mundo.

Fosse uma Noruega, Romênia, Bulgária ou Coréia do Sul, jogaria pelo que custam Peru, Equador e Paraguai.

Ou seja, seleções de série B ou C, sem grife.

E os jogadores de ontem que contribuíram para isso – jogando pela seleção ou não -, são completamente esquecidos?

Viu, Paulo André, peite os caras… também pelo craque de ontem!

E desde já escalo o “ministro” Badeco, o Dr. Ivan Manoel de Oliveira, delegado aposentado da Polícia Federal, para gerir este dinheiro em pasta a ser criada pela CBF!

Gente, isso é o ovo de Colombo da bola e da gratidão!

E alô também “coerente” crônica esportiva brasileira: quando vocês vão parar de falar de jogador aposentado só quando ele morre?

Façam homenagens – e ajudem – em vida ou ignorem a morte deles também.

Hipócritas!

Opine!

São Paulo renasce e segue na Sul-Americana

Leia o post original por Antero Greco

O São Paulo definitivamente renasceu. Até um tempo atrás lutava contra o fantasma do rebaixamento no Campeonato Brasileiro e derrubava treinadores. Agora, ocupa posição boa no torneio nacional e segue para a semifinal da Copa Sul-Americana. Uma guinada impressionante, obtida desde a chegada de Muricy Ramalho, depois de perambular por quatro anos por alguns clubes e ganhar títulos.

A comprovação do renascimento veio na noite desta quarta-feira, com o empate por 0 a 0 com o Atlético Nacional, em Medellin. Com esse placar, o tricolor se manteve no caminho do bi da competição, já que havia vencido por 3 a 2 no confronto de ida, na semana passada.

Os são-paulinos passaram sufoco, é verdade. Mas não se esperava nada muito diferente, porque os colombianos tinham a obrigação de vencer, por 1 a 0 que fosse. E trataram de seguir o roteiro imaginado, com pressão desde o início. Não faltou vontade ao time da casa, assim como ocorreram muitas finalizações. Mas esteve ausente o principal: qualidade ao Atlético Nacional.

A postura do São Paulo foi claramente defensiva. Muricy armou a equipe para aguentar o tranco e aproveitar-se de contragolpes, com Aluísio e Luis Fabiano. Poucas, porém, fora as oportunidades que ambos tiveram de incomodar o goleiro Armani. Na verdade, o time brasileiro se ressentiu do desfalque de Ganso, já que Jadson não cumpriu o papel de regente do meio-campo.

O Atlético Nacional forçou o ritmo na etapa final, exigiu boa presença de Rogério Ceni. A rigor, não criou situação evidente de gol. Não foi desempenho de deixar o torcedor empolgado. O São Paulo apostou no tempo, tocou a bola como foi possível e deixou o adversário enervar-se. Deu-se bem com a estratégia.

O São Paulo volta confiante pela reação na Série A e pela classificação na Sul-Americana. Mas com uma dúvida: o que será de Luis Fabiano. O centroavante esteve sem ritmo, apático e saiu com pouco mais de 10 minutos no segundo tempo. Ademilson entrou e, mesmo sem jogar bem, fez mais do que o titular.