Arquivo da categoria: Corinthians

Adílson Batista sobre Carille: Grandes treinadores são simples

Leia o post original por Craque Neto

O treinador Adílson Batista analisou a trajetória do Timão no campeonato e afirmou que o time evoluiu ao manter sua organização. Além disso, ele ressaltou as técnicas usadas por Fábio Carille.

O post Adílson Batista sobre Carille: Grandes treinadores são simples apareceu primeiro em Craque Neto 10.

Sem receber propostas, Lucca vê indefinição do Corinthians

Leia o post original por Perrone

O Corinthians quer um atacante para se reforçar na próxima temporada. Mesmo assim, não existe certeza no clube em relação ao aproveitamento de Lucca, emprestado até dezembro para a Ponte Preta.

De acordo com a diretoria, a palavra final sobre todos os jogadores que voltarão de empréstimo será de Fábio Carille, mas o treinador não quer pensar nisso agora, antes de o Brasileirão acabar, mesmo com o título já conquistado pelo alvinegro.

Pelo menos parte da direção entende que a melhor opção é negociar o atacante, autor de 11 gols pela Ponte no Nacional. Porém, até agora nenhuma proposta apareceu para ele. Assim, Lucca vive uma indefinição sobre sua próxima temporada, apesar do bom desempenho.

Na janela europeia no meio do ano, o Nantes, da França, acenou com  cerca de US$ 3 milhões pelo jogador, mas a direção alvinegra achou pouco. O clube do Parque São Jorge tem 60% dos direitos econômicos do atleta.

Ingresso em nome de candidato a vice do Corinthians é revendido na arena

Leia o post original por Perrone

Nesta quinta, o blog ouviu o relato de um torcedor corintiano que afirma ter comprado ingresso para o jogo com o Fluminense de um homem que se dizia conselheiro e candidato a vice-presidente do Corinthians. Para comprovar sua versão, enviou fotografia da entrada. Nela aparece o nome de Augusto Melo. É como se chama o postulante à  vice-presidência pela chapa do opositor Antonio Roque Citadini.

O preço de face registrado no tíquete é de R$ 125, mas o torcedor conta que o vendedor cobrou R$ 100. Ou seja, agiu de maneira diferente da prática adotada por cambistas que aumentam o preço em relação à comercialização oficial. A venda, de acordo com o relato, foi feita perto do portão de acesso de um dos setores da arena e pouco antes de a bola começar a rolar.

O bilhete é de meia-entrada do setor oeste inferior. No espaço destinado à identificação do cliente está escrito: “Augusto Melo – Conselho”.

Indagado pelo blog, o candidato a vice-presidente negou que tivesse revendido para um desconhecido entrada para o jogo em que o Corinthians confirmou a conquista do título brasileiro. “Comprei dois ingressos dentro da cota que cada conselheiro pode comprar, por R$ 125. Repassei para dois amigos pelo mesmo preço. Talvez um deles não tenha ido e decidiu vender o ingresso. Não vejo problema. Se ele vendeu abaixo do preço de bilheteria, pra mim tá ótimo. Não agiu como cambista”, disse Melo.

Abaixo, veja a fotografia do bilhete.

 

Foto: Arquivo pessoal

 

Corinthians campeão com elenco pequeno

Leia o post original por Flavio Prado

O Corinthians conquistou o Campeonato Brasileiro por pontos corridos utilizando basicamente 15 jogadores.

Uma das teses em relação ao atual formato do campeonato é exatamente o contrário, sempre dissemos que o time com maior elenco e investimento seria o favorito. O Corinthians quebrou esta regra.

Neste ano aconteceu uma mudança importante no calendário. A Libertadores e a Copa Sul-Americana são disputadas durante toda temporada, a Copa do Brasil já estava assim desde 2013. O Corinthians disputou Copa do Brasil e Copa Sul-Americana, mas largou na frente no Brasileiro e consequentemente priorizou a competição nacional, além de ter sido eliminado cedo da Copa do Brasil.

Durante o primeiro turno, Carille conseguiu usar os titulares mais vezes, a queda no segundo turno era natural, mas foi intensificada pelas contusões de jogadores como Pablo, Arana e Jádson. A vantagem já era muito grande pelo excepcional primeiro turno e ninguém teve competência de brigar de verdade com o Corinthians, mesmo com os tropeços no segundo turno.

Outro fator fundamental foi a estabilidade. O Corinthians foi um dos poucos times que não trocou de técnico na temporada e não negociou nenhum jogador importante no meio do ano. Com o jogo coletivo bem consolidado, o time de Carille foi um adversário duro de ser batido, mesmo nos dias em que não estava tão bem.

Com o atual calendário, priorizar o Brasileiro e ter o mínimo de estabilidade, talvez seja uma receita mais eficiente do que ter elenco grande e estar dividido em várias competições.

Velloso: Timão tem que reconstruir o elenco para 2018

Leia o post original por Craque Neto

O ex-goleiro e comentarista acredita que, para manter o ritmo que teve esta temporada, o Timão precisa reconstruir seu elenco após a possível saída de jogadores importantes como Guilherme Arana, Pablo e Jô.

O post Velloso: Timão tem que reconstruir o elenco para 2018 apareceu primeiro em Craque Neto 10.

Deixa a gente em paz

Leia o post original por Rica Perrone

Dá aqui minha taça! Me deixa correr na volta olímpica com ela.  Não me faça ser campeão no sofá, nem mesmo atrele a zona que era isso aqui ao formato.

Deixa o menino entrar com a bandeira, policial!  Ele não vai fazer nada que não seja torcer. E se fizer, aí sim, você o pune.

Sinalizador não faz mal a ninguém.  Fez uma vez, em jogo onde ele era PERMITIDO e foi um acidente, queiram ou não aceitar, só porque partiu de um grupo marginal.

Papel picado não machuca.

O que machuca é ver a taça que “conquistamos” com nosso time ser dada no teatro de terno onde nem estaremos.  O que nos machuca é a entrada dos dois times com uma música que tenta ofuscar meu grito.

É o protocolo a troco de nada que me impede de vaiar o adversário e pressiona-lo na entrada.  É a justiça que julga inteligente punir meu time porque um ou outro animal identificável cometeu um erro na arquibancada.

Tira esse hino! Você tem que ser muito desrespeitoso com a pátria para fazer milhares de pessoas com enorme expectativa em algo receberem seu time e segundos depois terem que parar uma festa para ouvir um hino de mãos no peito. Não é o momento. Não tem ambiente. É um pedido pra que ele seja desrespeitado.

“Ah mas no mundo todo é assim”.  Então me dá a escola da Suiça, a polícia do Canadá, depois enche o saco do meu futebol como ele é.

O mundo nos copia quando a bola rola. Nunca o contrário.  A gente não quer que vocês façam nada por nós, apenas que não façam nada.

A bandeira, o sinalizador, a faixa, o papel picado, nada disso machuca pessoas. Pessoas machucam pessoas. Basta cumprir a lei e prende-las quando necessário.

Não é o formato com finais que faz do futebol brasileiro uma zona. São as pessoas como Eurico Miranda e suas urnas misteriosas que faziam isso. Se fosse pontos corridos, a zona seria exatamente como foi.

Ser europeu não é uma qualidade, mas sim uma característica. Ser brasileiro idem. Mas a gente não é mais.

Deixa a gente em paz. Só precisamos de um pernil na entrada, uma bandeira com um tambor durante o jogo e de uma taça no fim.  O resto vocês que inventaram. Nós nunca pedimos.

abs,
RicaPerrone

Corinthians reduz proposta para Pablo, mas está otimista sobre renovação

Leia o post original por Perrone

Em reunião na última terça-feira, o Corinthians remodelou a proposta que havia feito de um novo contrato para Pablo. O blog apurou que o clube ofereceu redução de cerca de 30% nos valores que tinha apresentado ao jogador. Mesmo assim, ele terá aumento em comparação com o que ganha hoje.

No encontro, o empresário Fernando César aceitou estudar as novas condições, por isso há otimismo na diretoria em relação a um acerto rápido. “As conversas estão caminhando e ficamos de conversar de novo ainda nesta semana”, disse ao blog Flávio Adauto, diretor de futebol corintiano.

Pablo está emprestado pelo Bordeaux, e o Corinthians tem prioridade até o fim deste mês para dizer se vai pagar 3 milhões de euros (R$ 11,5 milhões) para ficar definitivamente com o beque.

Os franceses permitiram as conversas entre a direção alvinegra e o jogador sobre um novo contrato. O acerto esteve perto de acontecer, mas a negociação travou. O Corinthians decidiu tentar a redução de valores e está perto de conseguir. As quantias envolvidas têm sido mantidas em sigilo.

Único time do Brasil com POSTER de Hepta!

Leia o post original por Craque Neto

Que noite feliz para os corintianos, hein? Quem acompanhou a partida contra o Fluminense levou um susto logo no início, no primeiro minuto, com o gol do Henrique. Mas o Timão dominou a partida do início ao final. A verdade é essa! E por mais que o primeiro tempo tenha virado com o resultado adverso, a etapa final foi eletrizante. Nos primeiro minutos o Jô fez dois. Não só virou a partida como também ultrapassou o ‘Ceifador’ na artilharia do Campeonato Brasileiro. E essa seria uma baita marca já que o Corinthians NUNCA consagrou um goleador máximo da competição. O […]

O post Único time do Brasil com POSTER de Hepta! apareceu primeiro em Craque Neto 10.

Corintianíssimo!

Leia o post original por Rica Perrone

Do remanescente Cássio ao novo ídolo Carille. Da volta do Jadson ao talento oscilante de Rodriguinho.  Da quarta força ao título brasileiro, esse Corinthians é no mínimo corintiano.

Colocado em dúvida. Sem ser galático, porque ali brilha quase sempre mais o clube do que o ídolo. Um monte de jogadores com pontos de interrogação na cabeça que hoje saem coroados por um título improvável.

Embora o corintiano vá dizer que sempre acreditou, é mentira dele. Quando o ano começou ele mesmo reclamava e dizia que “esse time” não era suficiente.  Mas talvez por não ser se tornou um time. E futebol, hoje, ganha quem tem time e não quem tem jogadores.

Esse Corinthians é chato. Não joga bonito, até porque nem pode.  Mas joga o que dá, como precisar, até que a vitória venha.

Trata-se de uma discussão meio boba o futebol apresentado. Primeiro porque no primeiro turno foi sim um futebol bem jogado. Mas estudam, aprendem, o time sente, cansa, não tem peças sobrando, se torna previsível e ainda assim manteve o título e o conquistou antecipadamente.

Não há “poréns”.

Todos os jogadores entenderam seu papel para criar uma engrenagem que não era provável que funcionasse tão bem. Carille, o autor intelectual deste Corinthians,  nunca forçou uma forma de jogar acima dos limites do que tinha em mãos. Nunca perdeu a linha, o controle e a convicção.

Esse Corinthians pouco brilhante é memorável não só pela conquista, mas pela identificação com a sua história.  Aguerrido, desacreditado, sem nenhuma estrela acima do escudo do clube, e vencedor.

Um Corinthians corintianíssimo! E portanto, campeão.

abs,
RicaPerrone

Corinthians, sem dúvida

Leia o post original por Antero Greco

Título tem de vir de forma incontestável, sem choro nem vela. Com autoridade, com vitória, que é pra ninguém botar defeito. Quer dizer, os outros torcedores chiam, reclamam, desdenham, mas isso faz parte do futebol…

Pois bem, o Corinthians fechou com antecedência, e em grande estilo, a caminhada rumo ao sétimo título do Brasileiro, ao lascar 3 a 1 no Fluminense, na noite deste 15 de novembro. Fez a festa em casa, em Itaquera, mesmo sem a presença da taça.

(Ah, a CBF não quis levar o troféu, porque o clássico acabou tarde e iria prejudicar a volta do torcedor pra casa. Conta outra… Por que não marcaram o jogo para a tarde?)

Deixa pra lá. O que importa é que, com ou sem medalha, taça e rococós, o Corinthians consolidou campanha vitoriosa com resultado incontornável. Com uma ligeira pitada de ansiedade, na forma do gol sofrido com um minuto, em cabeçada de Henrique.

A vantagem tricolor deixou apenas o jogo mais elétrico e fez com que o Corinthians se lançasse à frente desde o início. Encontrou dificuldade no primeiro tempo, ao não encaixar com frequências jogadas de ataque. O Flu, que precisava ganhar, ficou ali, a se segurar.

A história mudou em três minutos, na etapa final. Tempo suficiente para Jô fazer os dois gols que iniciaram a virada. Duas arrancadas, dois vacilos do Flu e a euforia no estádio. Dali em diante só deu Corinthians, com a certeza de que não seria mais surpreendido. E, para não dar sopa pro azar, veio o gol de Jadson, para fechar a conta.

O Corinthians é campeão nacional de 2017 por merecimento. Superou os demais pela regularidade, pela eficiência, pela simplicidade. Nem as turbulências no returno foram suficientes para tirá-lo do prumo.

Os outros não tiveram competência sequer para fazer cócegas no líder. Ah, o nível não é dos melhores? Sim, e daí? Por acaso foi nos últimos anos? A decadência surgiu agora? Assim como houve reconhecimento para as conquistas de São Paulo, Flamengo, Fluminense, Cruzeiro, Palmeiras, para ficar na história recente, o mesmo vale agora para o Corinthians.

Papo de apito amigo, de pouco empenho de outros concorrentes, são apenas amenidades para os torcedores “inimigos”. Zoeira é do futebol, assim como a taça de 2017 é do Corinthians. E vida que segue.

Parabéns aos corintianos!