Arquivo da categoria: Cotidiano

O Santos acima de tudo

Leia o post original por Odir Cunha

A demissão do executivo de futebol Gustavo Vieira provocou muitas críticas, até de quem pedia insistentemente a demissão de Gustavo Vieira. Vai entender… Alguns frequentadores saíram do blog e criaram um grupo de oposição a esta gestão. E alguns desses usam o espaço reservado aos comentários deste blog para atrair mais correligionários ao seu grupo. Ou seja: entram aqui para tirar as pessoas daqui. E falam de ética… Realmente, tudo indica que a campanha eleitoral para 2020 já começou… Mas nada disso é importante para o Santos. O essencial é ajudar o Santos e a melhor maneira para fazer isso é tornar-se sócio do clube.

Alguns comentários do post anterior diziam coisas do tipo: “É, Odir, vai ser difícil fazer uma campanha de sócios depois da demissão do Gustavo Vieira, pois isso mostra que não há transparência nesta gestâo”. Pois eu gostaria de saber o que uma coisa tem a ver com a outra. Você não ficará sócio do Santos para ajudar uma gestão, para ajudar o Peres, o Rollo, a mim ou a qualquer outro. Você ficará sócio para ajudar o Santos a crescer, a sair da enrascada em que está após décadas de gestões temerárias.

Diz um ditado: “Em casa que não tem pão, irmão briga com irmão e ninguém tem razão”. Pois qualquer santista mais perspicaz perceberá que os males atuais do clube derivam dessa escassez do vil metal. Sairemos dessa? Sim, tenho absoluta fé. Mas sairemos melhor e com mais força caso cada um de nós faça a sua parte e se associe, ou associe um filho, filha, esposa, ou ainda convença outros santistas a se associarem.

Sei que uma campanha de sócios bem articulada precisa de planejamento, benefícios, recompensas e muitas ações mais. Isso será feito pelo departamento comandado pelo dedicado Sylvio Novelli, que atende pelo e-mail social@santosfc.com.br Meu apelo não é o oficial do clube, não é a voz da gestão, é apenas o apelo de um santista que após décadas de interesse pela história do Santos, chegou à conclusão de que só o sócio salva.

A meta de 100 mil sócios, ao ser alcançada, descortinará um mundo novo de oportunidades à frente do nosso Glorioso Alvinegro Praiano. Iniciaremos um círculo virtuoso que levará nosso time e nosso clube a uma outra dimensão do futebol. Haverá saúde financeira, não faltará verba para as contratações necessárias e os críticos se calarão, ou chiarão baixinho, pelos cantos.

A perseguição cega que alguns estão empreendendo contra esta diretoria não lhes deixa ver, por exemplo, que depois de décadas o clube gastará menos do que arrecada e, no caso do futebol, já contratou os titulares Sasha e Gabigol, enquanto a última gestão trouxe jogadores à beça em 2017 e deles só Bruno Henrique virou titular. Sem contar o esquema reprovável montado nas categorias de base, nas quais só o sub-15 contava com 73 atletas, a maioria sem a mínima condição de ser jogador de futebol.

Bem, como já disse antes, respeito as críticas, principalmente as ponderadas e bem embasadas, mas percebo de longe quando querem usar esse espaço para perseguir pessoas, sem o mínimo interesse de contribuir para o crescimento do Santos. Quem age assim, obviamente, não é bem-vindo aqui. Que saia, junte-se com os seus e destile o seu veneno diariamente onde quiser e para quem se dispor a envenenar-se. Esses movimentos, porém, são interessantes e podem se tornar purificadores. Prefiro que o blog seja frequentado por quem coloque o Santos acima de tudo, nos bons e nos maus momentos, e não apenas pelos torcedores de só vitórias.

Quanto a mim, continuo o mesmo. Desde que este blog foi criado, mantenho a mesma filosofia e acredito nas mesmas pessoas, entre elas aquela que hoje preside o nosso Santos. Não há comparação entre José Carlos Peres e os presidentes que o antecederam, e o tempo mostrará isso. Os árabes dizem que se a caravana parar a cada cão que late, não chegará a lugar algum. E queremos levar o Santos a um oásia que ele ainda não conheceu.


Gostou? Então jogue junto!

Leia o post original por Odir Cunha

A vitória de 1 a 0 sobre o São Paulo, domingo, mostrou que o técnico Jair Ventura está começando a tirar o máximo do elenco. As virtudes já saltam aos olhos. O time da casa teve o chamado domínio estéril, mas o Santos jogou com mais inteligência e não só fez um gol, como até poderia fazer outros, no bendito contra-ataque.

Perceba, leitor e leitora, que Sasha e Gabigol começam a se ente nder como se fossem criados juntos. Nossa dupla de zaga é sempre um esteio, e a do clássico, Lucas Veríssimo e Gustavo Henrique, foi praticamente perfeita, assim como o indefectível goleiro Vanderlei. Nas laterais, Daniel Guedes e Jean Mota deram conta do recado. Alison foi bem, assim como Vecchio. Copete lutou e Renato errou pouco.

Talvez este seja o time na Copa Libertadores, com os reforços de Bruno Henrique, Victor Ferraz e Vitor Bueno. É o que temos e para quem devemos torcer. Afinal, acima de tudo, não nos esqueçamos, somos torcedores.

Mas podemos ser mais do que isso, claro. Podemos ser sócios e ajudar o Santos a tornar-se saudável financeiramente e mergulhar em uma era de maior prosperidade. A maioria das pessoas que me cerca já se associou. Associe-se você também e convença outros santistas a fazer o mesmo.

Sócios, o caminho para a maior grandeza

Sim, o Santos pode chegar a 100, 200, 300 mil sócios e, se conseguir isso, todas as portas da fortuna e da felicidade se abrirão. Teremos estádios lotados em Santos ou São Paulo, cotas maiores de patrocínio e da tevê, com isso contrataremos mais jogadores gabaritados, testemunharemos o aumento de nossa torcida e, enfim, mergulharemos o Santos em um círculo virtuoso que não mais retornará ao passado de dívidas, carências e estádios vazios.

O bom desse plano é que só depende de nós, ou melhor, só depende de cada santista. Se em cada 30 torcedores do Santos, apenas um se associar ao clube, daremos o passo definitivo para um futuro irreversível. E não se preocupe porque desta vez você terá recompensas e benefícios, além de poder atuar diretamente na vida do Santos de qualquer lugar do planeta.

Associe-se e cobre o clube com mais força, faça valer a sua voz. Como eu disse certa vez, o santista precisa se conscientizar de que o verdadeiro torcedor é aquele que NASCE, CRESCE, FICA SÓCIO E MORRE.

Clique aqui para se tornar sócio do Santos


Só o sócio salva

Leia o post original por Odir Cunha

Meus caras e minhas caras, vamos passar a vida inteira discutindo assuntos relativos ao nosso querido Santos, mas sabemos que o que interessa mesmo é colocarmos o Glorioso Alvinegro Praiano na reta da prosperidade e do sucesso que ele merece. E para isso, não que jogos como o de ontem, na boa vitória sobre o São Caetano, não sejam importantes, mas o mais relevante mesmo é termos um plano para multiplicar todos os números relativos ao Santos até tornar o time e o clube aquilo que sonhamos.

Quanto ao jogo, gostei. Não foi feio, nem retrancado. O São Caetano também se expôs, buscou a vitória, mas o Santos foi mais desenvolto, mais harmônico, melhor. Sinto que aos poucos o técnico Jair Ventura vai sabendo como tirar o máximo de cada jogador. É impossível não perceber a evolução de Daniel Guedes, que não permite uma avenida pelo seu setor e ainda apoia muito bem.

É impossível também não perceber que o ataque se afina a cada partida. Os rápidos Sasha e Gabigol começam a se entender, deslocando-se continuamente pela defesa adversária. E Lucas Veríssimo continua tão bom como sempre, dominado o jogo aéreo tanto na defesa como no ataque. Ele e Gabriel marcaram os gols santistas, em uma noite de pouco público, mas de muito otimismo.

Vitórias sempre fazem bem à alma e imagino desde já o que um triunfo no clássico contra o Corinthians, dia 4 de março, no Pacaembu, não fará para a autoestima do santista. Será mais um jogo histórico entre os dois rivais, em que pela primeira vez o Santos mandará o clássico alvinegro no Pacaembu. Para viver essa emoção, garanta o seu ingresso desde já clicando aqui.

Sócios, o caminho para a maior grandeza

Sim, o Santos pode chegar a 100, 200, 300 mil sócios e, se conseguir isso, todas as portas da fortuna e da felicidade se abrirão. Teremos estádios lotados em Santos ou São Paulo, cotas maiores de patrocínio e da tevê, com isso contrataremos mais jogadores gabaritados, testemunharemos o aumento de nossa torcida e, enfim, mergulharemos o Santos em um círculo virtuoso que não mais retornará ao passado de dívidas, carências e estádios vazios.

O bom desse plano é que só depende de nós, ou melhor, só depende de cada santista. Se em cada 30 torcedores do Santos, apenas um se associar ao clube, daremos o passo definitivo para um futuro irreversível. E não se preocupe porque desta vez você terá recompensas e benefícios, além de poder atuar diretamente na vida do Santos de qualquer lugar do planeta.

Associe-se e cobre o clube com mais força, faça valer a sua voz. Como eu disse certa vez, o santista precisa se conscientizar de que o verdadeiro torcedor é aquele que NASCE, CRESCE, FICA SÓCIO E MORRE.


Hoje tem Gabigol na Vila!

Leia o post original por Odir Cunha

Vencer, e voltar à liderança do Grupo D, é o grande objetivo do Santos logo mais, às 19h30, na Vila Belmiro, contra o São Caetano, em partida que marcará a volta de Gabigol ao Urbano Caldeira.

O ingresso está barato, o Santos é o grande favorito e a partida promete ser uma boa exibição do Alvinegro Praiano, que continua sendo ajustado por Jair Ventura para esta temporada de muitos compromissos.

Clique aqui para comprar o seu ingresso para assistir Santos e São Caetano, hoje, às 19h30

O Santos, que está em segundo no Grupo D, um ponto atrás do Botafogo, deverá começar a partida com Vanderlei, Daniel Guedes, David Braz, Gustavo Henrique, Caju (Copete); Alison, Jean Mota (Renato) e Vecchio; Arthur Gomes, Eduardo Sasha e Gabigol.

O São Caetano, que só tem quatro pontos ganhos, deverá ser escalado pelo técnico Pintado com Helton Leite, Alex Reinaldo, Domingues, Sandoval, Bruno Recife; Marino, Paulinho Santos, Chiquinho, Diego Rosa; Rafael Costa e Ermínio.

A arbitragem será de Vinicius Furlan, auxiliado por Vitor Carmona Metestaine e Herman Brumel Vani.

Hora de confiar no Santos

O time ainda está em formação? Sim. Pode-se garantir que hoje teremos um grande espetáculo na Vila? Acho que poderá ser uma boa exibição, não graaaande. De qualquer forma, são nesses momentos de incerteza que o time precisa do apoio de seu torcedor. Quando tem jogadores renomados e está jogando o fino, aí fica fácil ir ao estádio.

Mais do que ir ao estádio, o importante, nesse momento, é o santista tornar-se sócio do clube. Se um dia 5% dos torcedores do Santos no Brasil forem sócios, o Alvinegro Praiano será um dos times mais competitivos da América do Sul, independentemente de cota de televisão, patrocínios e vendas de jogadores. Portanto, o destino do Santos está em nossas mãos.

Sei que a economia do País está em baixa, há muito desemprego, salários ridículos, e tudo isso afeta também o santista. Conheço bem essa situação. No meu caso, resolvi me tornar sócio há 10 anos, convencido por José Carlos Peres quando este era o responsável pela subsede do Santos em São Paulo.

Torcedor eu sempre fui, já tinha escrito muitas matérias sobre o Santos para jornais e revistas, além de ter falado do time em emissoras de rádios. Também estava começando a escrever os livros sobre a história do Santos, mas faltava alguma coisa. Peres me convenceu de que para ser um santista cem por cento, eu deveria me associar. Assim o fiz e jamais me arrependi, mesmo nos piores momentos do time.

Pago uma anuidade que é menor do que 300 reais (prefiro pagar de uma vez só do que mensalmente, que sai mais caro no final). Já me acostumei. É menos de um terço do que a taxa de condomínio do prédio que pago todos os meses. Não pago pensando em apoiar este ou aquele presidente, esta ou aquela gestão. Pago pelo Santos, pela instituição Santos Futebol Clube.

E paguei muito tempo sem receber nada em troca, a não ser o desconto nos ingressos. Paguei mesmo nas gestões de Odílio Rodrigues e Modesto Roma, bastante nocivas ao clube, e continuarei pagando com prazer agora, momento em que o clube está sendo passado a limpo com a gestão de José Carlos Peres.

E não é só isso: agora o sócio terá recompensas, benefícios e brindes. É o momento de os santistas se associarem em massa e participarem mais ativamente da vida do clube. Até porque queremos instituir o voto à distância, que dará ao sócio de qualquer parte do planeta o poder de influir na vida e nas decisões do Santos.

Clique aqui para ficar sócio do Santos

E você, o que acha disso?


Campanha, não!

Leia o post original por Odir Cunha

Uma das lições que aprendi nos meus muitos anos de jornalista profissional é que críticas, análises e sugestões são sempre bem-vindas, mas a perseguição contumaz a pessoas e instituições não informa adequadamente e apenas distorce os fatos, com o intuito de provocar a confusão e o inconformismo.

Este blog está sendo mantido com o objetivo de manter um canal aberto com o sócio e o torcedor do Santos. Nesses 40 dias de gestão já foi possível perceber os motivos de queixas dos santistas, todos eles já na pauta da nova diretoria do clube.

Não vejo, porém, razão para a campanha sistemática promovida por alguns frequentadores deste espaço contra uma gestão honesta, que luta para tentar livrar o Santos do caminho da falência.

Essas pessoas que criticam tudo e todos, exigindo em pouquíssimo tempo o que a última gestão não conseguiu em três anos de mandato, não estão ajudando em nada o projeto de reconstrução do nosso Santos.

As mudanças estão menos rápidas do que todos nós pretendíamos? Sim, realmente estão. O maior motivo é a falta de recursos. Agora, além da velocidade das mudanças, quais são os motivos para tanta crítica, tanta insinuação e ironia? Só pode ser o ativismo político e a oposição pela oposição.

Esse tipo de atitude, repito, nada ajudará o Santos neste momento em que boas ideias, trabalho e cooperação são os requisitos para solucionar os graves problemas herdados pela temerária gestão anterior.


O Rei é Nosso

Leia o post original por Odir Cunha

27459324_1674565855968998_4900384359416452411_n (1) Presidente José Carlos Peres, Edson Arantes do Nascimento, o vice Orlando Galante Rollo e este humilde blogueiro que vos fala. Juntos pelo Santos!

Às vezes é bom parar um pouco e pensar: o Rei do Futebol é universal, mas é um pouco mais dos santistas. Pelé é o Santos. Nós somos Pelé. E quem não gosta dele, me desculpe, mas bom sujeito não é.

Agora as portas do Santos estão abertas para o Rei. Ele será muito bem recebido na Vila Belmiro, no CT que leva o seu nome, onde quiser, pois o Santos é dele, assim como nosso amor e nosso reconhecimento.

Vida longa a Pelé, o primeiro, único e eterno Rei do Futebol!

Despacito também se chega lá

A pressa dos santistas por definições é compreensível, mas a cautela para escolher o passo certo é recomendável. Disseram que Gabigol não viria, ele veio. Já deram por encerrada as chances de ter o argentino Lucas Zelarayán, mas ele ainda está na mira. Falaram que Diogo Vitor sumiu, mas ele está chegando à Vila Belmiro. Assim como no futebol, nem tudo dará certo no início, mas com intenções sinceras e disposição para trabalhar por elas, as metas acabarão sendo alcançadas. Quem viver, verá!

Administrar um clube que tem um caminhão de dinheiro à disposição é fácil; gastar o que não se tem e deixar o rombo para a gestão seguinte também não é vantagem alguma. O correto, mas honesto e trabalhoso, é tornar as despesas menores do que as receitas, optar pela competência, insistir nas melhores negociações e ir corrigindo a rota com a locomotiva em movimento.

A aparente falta de velocidade nas ações deixa muito torcedor irritado e dá aos que torcem contra farto material para maledicências. Mas a caravana prossegue, pois tem um destino determinado, do qual não se afastará. Sigamos juntos. O Santos só tem a ganhar com a união de todos.


Um passo a mais

Leia o post original por Odir Cunha

A derrota no clássico foi normal. 2 a 1, com gols no início dos dois tempos, poderia ter ocorrido com qualquer Santos. O que importa é em que ponto do caminho o Santos está para se tornar um grande time.

Não podemos esquecer que o time estava sem os titulares Bruno Henrique, Gabigol, Vitor Bueno e ainda faltam outros jogadores a serem contratados.

Dos que jogaram, gostei da atitude de quase todos. Daniel Guedes, taticamente, compromete menos do que Victor Ferraz. E ainda deu a assistência para o gol de um mais participativo Renato.

Gostei do garoto Robson Bambu e dos também garotos Arthur Gomes e Rodrygo. Tudo indica que se tornarão bons profissionais.

Acho que Vecchio fez o máximo que pôde, assim como Alison e Renato. Enfim, o meio de campo conseguiu, em alguns momentos, equilibrar a partida.

Copete foi melhor na lateral do que Caju, David Braz e Vanderlei não foram tão felizes como em outras jornadas. Sasha estava bem até cabecearem a sua nuca. Rodrigão nada fez. Luiz Felipe saiu machucado e já estou fazendo figa para que não seja nada grave.

A situação financeira do clube continua caótica e não haverá outro remédio a não ser vender o passe de Lucas Veríssimo, um dos melhores zagueiros do Brasil em 2017. Antes de alguém culpar esta gestão, que se pergunte onde foi parar o superávit de 85 milhões anunciado pelo presidente que está de férias na Europa.

Pois eu saio deste domingo mais confiante. Não falta mais atitude a esta equipe. Faltam alguns jogadores, que logo se incorporarão ao time. Acreditemos!


Opiniões

Leia o post original por Odir Cunha

Um amigo já me disse que basta você dar uma opinião para fazer inimizades. Sim, imagine assistir a um jogo do Santos ao lado de outros torcedores e de repente elogiar um jogador. Veja bem que eu disse elogiar, não criticar. Pois alguém ao lado pode detestar o dito cujo e reagir de maneira agressiva, iniciando uma discussão.

Meu problema, se é que se trata de um problema, é ser crítico e sincero. Sou assim com meus amigos, irmãos, filhos e parentes. Sei que a sinceridade dói e não ajuda em nada no estreitamento de amizades e estou tentando me tornar um senhor mais comedido. Mesmo originalmente passional, hoje acredito que é possível discutir ideias, não pessoas, e por isso, entre outras coisas, este blog tem regras e não tolera palavrões ou expressões chulas.

Como toda ação provoca uma reação, cortando o mal pela raiz conseguiremos discutir o Santos de maneira mais civilizada. Isso serve para todos e, evidentemente, também para mim. Talvez muito mais para mim, que hoje sou dirigente do Santos e preciso tomar cuidado dobrado com minhas palavras.

Sei muito bem que virei vidraça, assim como meus companheiros de gestão, e aceito isso como o preço que se paga por ter a honra de ser escolhido para gerir um clube tão poderoso como o nosso querido Alvinegro Praiano. É evidente que nem todas as críticas que recebemos são justas e espontâneas, mas a situação já era esperada por nós.

Hoje a mídia social supervaloriza acertos e erros e o futebol está longe de ser uma ciência exata. Por mais que se planeje e se trabalhe, um fato inesperado, de última hora, pode mudar uma situação amplamente favorável. Paciência. Quando isso acontece, é preciso levantar a cabeça e continuar lutando. Afinal, os valores de nosso clube são Técnica, Disciplina, Garra e Ousadia. Não temos qualquer dúvida de que, ao final desses três anos de gestão, entregaremos o Santos muito mais estabilizado, transparente e próspero do que o encontramos.

Já estamos correndo para realizar os compromissos de campanha, em várias áreas. Sabemos que o futebol é a menina dos olhos de todos nós e, principalmente, do torcedor e do sócio, mas um clube também depende de vários outros departamentos para crescer com harmonia e solidez.

A ampliação do Memorial das Conquistas, projeto que toco ao lado de Alex Fernandes e a equipe do Memorial, e a restauração da Chácara Nicolau Moran, que encabeçarei com o vice-presidente Orlando Rollo e outros companheiros, já saíram da inércia. Novos capítulos virão. O selo editorial Memorial das Conquistas também está a caminho.

A 1ª Semana Santos está aberta às inscrições de empreendedores, artistas e comerciantes que queiram comemorar o 106º aniversário do Santos na semana de 9 a 15 de abril. Em meados de março divulgaremos o calendário oficial da Semana. Enfim, mesmo com a grana curta, estamos usando a criatividade e o velho e bom trabalho para fazer as coisas andarem.

O que você pode fazer para ajudar o Santos

Suas opiniões e sugestões são muito importantes e nos ajudam a corrigir a rota rumo ao futuro, mas há maneiras mais efetivas de caminhar ao lado do Santos na busca desse objetivo. As duas mais palpáveis são associar-se ao clube, ir aos jogos e adquirir produtos oficiais do Santos. Se tiver de escolher apenas uma das três, torne-se sócio.

Garanto que nesta gestão o sócio do Santos deixará de se sentir apenas um contribuinte que não recebe nada, ou quase nada, em troca. Você terá recompensas e benefícios que compensarão o seu investimento no clube e o seu apoio tornará, a médio prazo, o nosso Alvinegro muito mais forte.

Imagine 100 mil pessoas pagando, em média, 30 reais por mês. Isso dará 36 milhões brutos por ano, ou cerca de 26 milhões líquidos, um valor superior a duas verbas de patrocínio máster.

É a associação em massa que tem dado fôlego a Grêmio e Internacional e também pode proporcionar ao Santos, que tem mais torcedores do que esses times do Sul, a independência e poder que precisa para implantar seus projetos e desenvolver toda a sua ousadia também fora do campo.

Como sócio, você terá a oportunidade de votar para presidente do Santos sem precisar se deslocar para Santos ou São Paulo, pois lutaremos para implantar o voto à distância, além de participar ativamente da vida do clube, respondendo a enquetes dirigidas diretamente a você. Ou seja, finalmente suas opiniões serão ouvidas e, na medida do possível atendidas.

Como jornalista formado no Jornal da Tarde, um veículo que cultuava a crítica e a rebeldia, estou preparado para o julgamento dos santistas. Sei o quanto essa fiscalização é importante e quanto ela nos ajuda. Só peço, principalmente aos que tiveram tanta paciência com os 36 meses ruinosos da última gestão, que sejam um pouquinho mais tolerantes com uma administração que neste dia 2 de fevereiro completa apenas um mês de trabalho oficial. Fortes abraços!

E você, já se associou ao Santos?


Últimas do Santos

Leia o post original por Odir Cunha

William Machado – É gente boa, sóbrio, entende muito de futebol e formará um belo trio com Jair Ventura e Gustavo Vieira no comando do futebol profissional do Santos. Conversei com ele no CT, presenteei-o com um exemplar do Time dos Sonhos e creio que já recebeu um sinal do que é trabalhar com o futebol do Santos, um time bem maior do que parte da mídia faz crer.

O prefeito de Santos – Paulo Alexandre Barbosa, recebeu a mim e ao vice-presidente Orlando Rollo e prometeu estreitar os laços entre a prefeitura e o Santos Futebol Clube. Faremos ações conjuntas no projeto A Cidade do Futebol, teremos eventos na Semana Santos e, o que é mais urgente, a Prefeitura apoiará as obras de revitalização no entorno da Vila Belmiro. Creio que finalmente prefeitura e Santos andarão juntos.

Endomarketing – Segunda-feira, às 9h15, como parte do trabalho prometido de endomarketing, iniciaremos as visitas guiadas dos funcionários do Santos ao Memorial das Conquistas. O primeiro grupo será o dos funcionários da limpeza. Alguns deles jamais pisaram no Memorial e nesse dia poderão conhecer um pouco mais da história a das glórias do clube em que trabalham. As visitas se estenderão a todos os funcionários do Santos, incluindo jogadores profissionais e da base.

Onde nasceu o Santos – Uma placa será colocada no imóvel da Rua João Pessoa, número 10, onde ficava o Clube Concórdia, que sediou a assembleia de 39 jovens estudantes e comerciários que no dia 14 de abril de 1912 fundaram o Santos. Será o marco inicial de muitas ações que envolverão o turismo cultural em torno do Santos e de Pelé.

Semana Santos – De 9 a 15 de abril comemoraremos o 106º aniversário do nosso Santos Futebol Clube. Serão organizados eventos culturais e esportivos, envolvendo música, artes plásticas, poesia, literatura, fotografia, jogos e vídeos. Os interessados em criar e produzir um evento em homenagem ao Santos devem entrar em contato comigo. O calendário da Semana Santos será definido em meados de março.

Assophis – A Associação dos Pesquisadores e Historiadores do Santos, presidida por Wesley Miranda, trabalhará em sintonia com o Departamento de Memória e Estatística do Clube. Para começar, o Santos chancelará um trabalho produzido pelo assophista Léo Devezas, trabalho que será apresentado à Federação Paulista de Futebol e corrigirá algumas informações históricas sobre o Campeonato Paulista.

Quem comanda o Santos – Eu brinco que José Carlos Peres é o pai, Orlando Rollo o filho e eu o Espírito Santo. Enfim, nós três continuamos unidos e trabalhando para cumprir as metas da campanha. Há ainda os ótimos profissionais responsáveis pelas diversas áreas do clube, todos com autonomia para tomar decisões baseadas no profissionalismo, na ética e na democracia. Por mais que ex-presidentes sejam respeitados, hoje não exercem mais nenhuma autoridade na instituição e nem devem querer influenciar os rumos que o Santos tomará sob sua nova e oxigenada gestão.
A verdade é que a última diretoria, após uma gestão temerária, perdeu nas urnas e deve, assim como aos que a apoiaram, abster-se de palpitar sobre os destinos do Santos. Deveriam, aliás, nem dar entrevistas sobre isso. Essa atitude não é ética. Tiveram a sua chance de servir ao Santos e serviram-se dele, essa é a verdade.

Livraria Fechada – A Livraria deste Blog não venderá mais livros físicos. Percebo que não me sobra mais tempo para atender pessoalmente aos compradores. Enquanto eu estiver trabalhando no Santos a venda de livros físicos estará suspensa. Usarei os exemplares de Time dos Sonhos e do Dossiê para presentear os jogadores e componentes da comissão técnica contratados pelo clube, como parte do nosso trabalho de endomarketing.

Reforços – Romário, Sasha… Creio que devemos receber os novos contratados com alegria e confiança. Futebol depende muito de motivação, de um bom ambiente, e isso podemos oferecer a esses bravos rapazes que chegam para ajudar o clube a cumprir uma boa temporada em 2018. Um jogador com vontade e bem preparado fisicamente pode render até mais do que outro com melhor técnica, mas sem motivação para lutar pela vitória – como, aliás, cansamos de ver em 2017. Acreditemos, portanto!

E você, o que acha disso?