Arquivo da categoria: Diego Costa

Diego Costa: gol, alegria e expulsão

Leia o post original por Antero Greco

Diego Costa é atacante à moda antiga, do tipo hoje em extinção: valente, provocador, exagerado, goleador. Com ele não tem meio-termo, é radical e não se incomoda com isso. Não por acaso já se envolveu num monte de confusões e foi até dispensado por mensagem em celular, como aconteceu com o Chelsea, do técnico Antonio Conte.

Mas há ocasiões em que a intolerância ronda as atitudes de Diego Costa. Foi o que aconteceu neste sábado, no primeiro contato com a torcida do Atlético, desde o retorno a Madri.

O sergipano naturalizado espanhol fez gol nos 2 a 0 contra o Getafe e foi comemorar com o povo. Literalmente foi para os braços da galera, ao subir os degraus que ligam o gramado às arquibancadas no novo estádio do time.

Cena bacana, diferente, espontânea, que se via tanto em outros tempos, quando jogador trepava no alambrado e vibrava com os fãs. Só que agora isso não é de bom-tom, não pega bem, está vetado pelos códigos dos senhores que cuidam das boas maneiras dos boleiros.

Pois bem, o que fez então sua senhoria Munuera Montero? Mostrou o cartão amarelo para Diego Costa, aos 28 minutos do segundo tempo. Como ele havia recebido outro, seis minutos antes, veio o vermelho. O assoprador tirou os dois cartões com gosto, para ostentar autoridade. O rapaz ficou com cara de tacho e foi embora.

Ok, alguém pode dizer que a advertência está prevista nos regulamentos e outros quetais. Mas é estúpida, autoritária, broxante, negação da alegria contida no gol. O auge de uma partida, a jogada que todos esperam, é mantida em camisa de força sem sentido.

E os árbitros seguem esse estrupício ao pé da letra, sem levar em consideração atenuantes, circunstâncias do jogo, clima. Diego Costa estava de regresso para um clube onde é querido, fez um gol, festejou com o público. Sem desrespeitar ninguém, sem provocação, sem retardar o reinício do jogo (e, se atrasasse, que se acrescentasse no final). Enfim, não fez nada de anormal.

O prêmio? O cartão vermelho. Ou seja, foi punido como se tivesse dado um pontapé, uma cotovelada, uma cusparada em um adversário. Aliás, ele mesmo em muitas ocasiões apelou para a ignorância e só levou amarelo – como acontece com frequência com qualquer jogador. E ficou até o encerramento da partida.

Está na hora de acabar com essa castração, a antítese do que significa um jogo de bola. Deixem a moçada comemorar em paz, desde que não haja desrespeito contra ninguém.

Como tem juiz estraga-prazer!

 

Se fosse na liga inglesa David Braz já teria vermelho anulado

Leia o post original por Quartarollo

A Comissão Disciplinar da Federação Inglesa anulou o cartão vermelho dado ao zagueiro Gabriel Paulista, do Arsenal, que se envolveu em confusão com Diego Costa, do Chelsea, depois de ser muito provocado pelo atacante.

A Comissão entendeu que houve a tentativa de chutar o adversário, mas ele errou o alvo. Não acertou e além disso houve a provocação contrária.

Já Diego Costa foi julgado pelas imagens por agressão ao zagueiro Koscielny e foi suspenso por três jogos.

Não foi expulso no jogo, mas cumprirá suspensão pelos seus atos.

Na Inglaterra um cartão vermelho direto suspende o jogador por três partidas e era o que Gabriel iria cumprir caso não fosse anulado seu cartão.

A Federação agiu rápido e resolveu a questão em dois dias.

Aqui no Brasil no último domingo David Braz foi expulso injustamente e até agora ninguém tomou providências.

Se fosse na Inglaterra já teria seu cartão anulado e provavelmente o lateral Zeca que fez o pênalti em Vagner Love estaria suspenso pelo menos por um jogo.

O árbitro também não passaria em branco. Levaria uma suspensão pelos dois erros.

Um quando expulsou o atleta errado e outro na justificativa colocada na súmula quando inventou um xingamento que não houve por parte do zagueiro santista.

O STJD diz que está analisado e que até sexta-feira dará um parecer sobre a situação.

A expectativa é que o cartão vermelho seja anulado, mas aqui tudo pode acontecer.

Pode até anular o cartão, mas na próxima semana quando David já teria cumprido a suspensão automática.

Seria a justiça tardia, o que também é injustiça.

Aqui não se duvida de nada. Mas se duvida muito do STJD.

Empáfia de Felipão fez Brasil perder Diego Costa

Leia o post original por Neto

Atacante é uma das principais estrelas do Chelsea da Inglaterra

Atacante é uma das principais estrelas do Chelsea da Inglaterra

Mal começou a temporada na Europa e quem está brilhando com intensidade no Chelsea da Inglaterra é o atacante Diego Costa. Tem feito um gol atrás do outro! Bom, ele é brasileiro, natural da cidade de Lagarto, em Sergipe, mas se naturalizou espanhol para poder realizar o sonho de atuar em uma Copa do Mundo. Quer dizer, pela bola que se está jogando hoje em dia ele teria tudo para estar na Seleção Brasileira no último mundial. Mas no comando estava o Felipão e suas convicções. Aí já viu, né? Perdemos um jogador que poderia servir de referência de área.

O mais curioso é que o ex-técnico do Brasil fez toda uma cena para parecer que o cara foi ingrato. Gravou até um vídeo ridículo para o site da CBF. Deu a entender que o jogador foi uma espécie de desertor da pátria. Essas baboseiras. Mas a verdade é que o Diego tinha sim como objetivo defender o nosso País. É que o Felipão pensava mais em enfraquecer a rival Espanha do que propriamente fortalecer nosso time. Não à toa o rapaz não sentiu a confiança necessária e pulou do barco.

Uma pena que não dá mais pra voltar no tempo. Porque não restam dúvidas sobre a capacidade desse rapaz em balançar as redes. Já há algumas temporadas é um dos principais artilheiros do mundo. E agora no Chelsea, contratado a peso de ouro, segue provando isso.

Espanha 1 x 5 Holanda. Uma derrota histórica contra uma vitória histórica

Leia o post original por Quartarollo

Por essa ninguém esperava. Ninguém acertou o bolão. Nem Van Gaal, o técnico holandês, esperava tanto. Depois de um primeiro tempo de domínio quase que absoluto da Espanha, a Holanda reagiu no segundo e goleou por 5 x 1 dando … Continuar lendo

Vaia de torcida para Diego Costa é vitória de Felipão

Leia o post original por Perrone

As vaias e ofensas da torcida brasileira a Diego Costa durante a derrota por 5 a 1 da Espanha diante da Holanda podem ser consideradas uma vitória de Luiz Felipe Scolari.

Os brasileiros não perdoaram o jogador, que sem espaço na seleção de Felipão decidiu defender a Espanha por também ter nacionalidade espanhola.

Nesta sexta, os torcedores entoaram em Salvador o grito de “Diego viado” e mostraram como vai ser difícil a vida dele durante o Mundial.

Melhor para Scolari, que no ano passado detonou publicamente Diego e abriu a temporada de caça ao atacante, ainda que não tenha sido essa intenção. “Um jogador brasileiro que se recusa a vestir a camisa da Seleção Brasileira e a disputar uma Copa do Mundo no seu país só pode estar automaticamente desconvocado. Ele está dando as costas para um sonho de milhões, o de representar a nossa seleção numa Copa do Mundo no Brasil”, sentenciou o treinador brasileiro quando Diego pediu para ser desconvocado de dois amistosos.

Felipão corria o risco de ser cobrado por deixar escapar um excelente jogador, mas o ônus ficou com Diego, agora encarado como traidor da nação. A pressão tem potencial para atrapalhar o atacante, que pode enfrentar o Brasil na segunda fase.

Mas o vexame da Espanha diante da Holanda pode até ter outro gostinho doce para Scolari. Afinal, ele foi o primeiro a humilhar os atuais campeões do mundo, isso na final Copa das Confederações. Agora vai ficar no ar se não foi o técnico brasileiro quem ensinou o caminho das pedras para abater a Espanha.

Atlético vira em cima do Chelsea e Espanha ganha a Liga dos Campeões. Madrid é a capital mundial do futebol, mas a decisão será em Lisboa

Leia o post original por Quartarollo

Atlético de Madrid passeou em Londres. Tomou gol de Fernando Torres e virou para 3 x 1 se classificando para a grande final da Liga dos Campeões que será dia 24, em Lisboa, no estádio da Luz. O Chelsea lotou … Continuar lendo

Quartas do Paulista vem aí, mas só se fala de Messi e companhia

Leia o post original por Quartarollo

Foi a última rodada do Paulista que valeu para algumas equipes, para outras nem tanto. O clássico da Vila Belmiro foi movimentado e o Santos mais uma vez provou que não se importa muito com esse negócio de jogar com … Continuar lendo

O desdém ao Felipão valeu a pena?

Leia o post original por Neto

Diego Costa comemora gol contra Rayo Vallecano

Diego Costa comemora gol contra Rayo Vallecano

O atacante Diego Costa já estava há sete partidas sem fazer gols com a camisa do Atlético de Madrid. E muita gente já questionava o cara se ele era bom mesmo para ser alvo de disputa entre Felipão e a Seleção Espanhola. Contra o Rayo Vallecano, na última rodada da Liga, ele marcou o quarto da goleada de 4 a 2 dos visitantes, o vigésimo dele no campeonato, onde é vice-artilheiro apenas dois gols atrás do Cristiano Ronaldo. De quebra o time dele divide a liderança da competição com o Barcelona.

Na minha visão, para o padrões modernos, Diego Costa é bom centroavante sim. Sabe fazer gols e tem boa velocidade nas arrancadas. Só não acho, com toda a sinceridade do mundo, que ele seja essa joia a ser disputada. Diego Costa não amarraria as chuteiras de caras como Ronaldo, Romário, Careca, Reinaldo e tantos outros atacantes que brilharam por aqui.

Profissionalmente o fato de dizer não para a Seleção Brasileira foi a melhor atitude que o Diego poderia ter. Afinal a Fúria não tem centroavantes tão destacados que pudesse fazer sombra a ele. Aquele Torres, por exemplo, não joga nada! Agora no Brasil ele seria um eterno coadjuvante. Reservaço pra dizer bem a verdade.

É sempre importante dizer que Diego Costa pensou na família, na carreira, não disse NÃO ao País como Felipão andou insinuando. Torço para que ele esteja no Brasil durante a Copa e brilhe. Não como Romários e Ronaldos, mas sim como Diego Costa.

Pelé não acredita que Bom Senso vá mudar alguma coisa no futebol brasileiro

Leia o post original por Quartarollo

Estive nesta segunda-feira em evento publicitário que teve a presença de Pelé aqui em São Paulo. Logo após falou com a imprensa e eu quis saber a opinião dele sobre esse movimento dos atletas do Bom Senso Futebol Clube pedindo … Continuar lendo

Consequências

Leia o post original por RicaPerrone

As causas da polêmica todos nós sabemos. Sua opinião, a minha, a do Felipão ou do Zé da esquina sobre Diego Costa pouco importa no final das contas. O que realmente importa, e que pouco discutimos, é talvez estarmos diante do fim das seleções de futebol.

Arriscado dizer isso. Eu sei. Mas imagine se isso virar um mercado.

O vai causar em você um campeonato onde seleções “contratam” jogadores para atuar por seu país?  Perde completamente a sensação de “nós”, de “representação”.   Torna-se mais do mesmo. E é o fim de tudo que torna atrativo uma Copa do mundo, por exemplo.

Não quero jogar contra uma Itália com 3 portugueses, 2 brasileiros e 1 alemão. Não é a Itália! É um time italiano.

Pra isso tem o Milan, a Juve, a Inter. Não a seleção.

Com Diego Costa vão muitos outros. E é claro que seremos exportadores. Sempre foi assim, será também com seleções.  Qual a dúvida que se isso fica comum em 8 anos teremos seleções de Catar, Emirados Arabes e coisas do tipo com 11 brasileiros em campo?

Não é um mercado. É uma competição que diz respeito a pátria, que envolve nacionalismo, orgulho, muito mais do que um jogo de futebol.

Diego Costa pode ir. Acho que ele tem todo direito de ser espanhol se sente assim. Não tinha, no entanto, o direito de ter jogado pela nossa seleção. E agora, já tendo feito, acho que não deveria jogar na espanhola.

Mas foda-se. É só o Diego Costa.

O problema é o que vem com ele depois.

Deco, Pepe, Felipão, Parreira? Casos diferentes.  Treinadores estão sob a regra da nacionalidade desde sempre. Até acho que deveriam, inclusive. Mas não estão.

Deco e Pepe não jogaram pelo Brasil. E ainda assim, não gosto da idéia. Mas respeito.

Mas quem já jogou poder escolher depois, sem que a FIFA sequer dificulte o processo, não. Vai virar negócio. E aí sim, teremos um problema sem solução.

Não é pelo Diego Costa. É pela saúde das competições entre seleções em todo mundo.

abs,
RicaPerrone