Arquivo da categoria: Eduardo Ferreira

Por explicações, comissão eleitoral chama agente e ex-diretor corintiano

Leia o post original por Perrone

A comissão eleitoral do Corinthians chamou o empresário Carlos Leite e o ex-diretor de futebol Eduardo Ferreira. O órgão quer pedir explicações sobre a suposta quitação de taxas para a regularização de sócios inadimplentes. Com os pagamentos eles poderiam votar na eleição presidencial alvinegra em 3 de fevereiro. A convocação foi confirmada ao blog por Miguel Marques e Silva, presidente da comissão. Porém, Ferreira, nega que tenha sido convocado.

Em relação ao agente de Cássio, Fágner e Camacho a intenção é perguntar, principalmente, porque ele enviou no final de novembro R$ 200 mil ao clube e se o dinheiro foi mandado para quitar taxas de inadimplentes. Segundo Silva, uma funcionária do Corinthians afirmou em depoimento que a quantia foi enviada com esse fim.

Ao blog, Leite negou essa versão e declarou que emprestou os R$ 200 mil ao clube sem saber como o dinheiro foi usado. Uma cópia do contrato deve ser pedida a ele, apesar de a comissão não ter poder para obrigar o empresário a comparecer e nem para aplicar eventuais punições já que ele não é sócio da agremiação.

“Mandaram uma mensagem me convidando para ir lá. Vou responder que irei quando tiver tempo. Estamos no meio de uma janela de transferências e não posso priorizar esse assunto agora”, declarou Leite no final da tarde desta sexta-feira.

O desejo da comissão era ouvir o empresário já na próxima segunda, mesmo dia para o qual Ferreira foi chamado para dar explicações à comissão, de acordo com a versão de Silva. O conselheiro, no entanto, não especificou qual o caso de quitação de taxas que motivou a intenção de ouvir o ex-diretor de futebol, homem de confiança de Andrés Sanchez e candidato à reeleição ao conselho.

Ferreira negou ter sido convocado. Disse que pediu para conversar neste sábado com o presidente da comissão para tirar dúvidas em relação a candidatos ao conselho por sua chapa.

A investigação no clube começou por conta da suspeita de que candidatos à presidência bancaram taxas de sócios inadimplentes. Paulo Garcia foi o único dos postulantes a admitir a prática.

Por ordem da diretoria, foi dado desconto de 50% para os devedores normalizarem suas situações. Mas a comissão tirou da lista de votantes todos os beneficiados com a promoção alegando que o estatuto alvinegro proíbe anistias a partir de um ano antes da eleição. Por sua vez, a direção defende a tese de que a anistia só se configuraria com o perdão total da dívida.

 

Candidatura de Andrés ameaça premanência de Alessandro no Corinthians

Leia o post original por Perrone

O lançamento da candidatura de Andrés Sanchez à presidência do Corinthians, feito na semana passada, deixou o gerente de futebol do clube, Alessandro Nunes, em situação delicada. Entre o final da temporada passada e parte da atual, o grupo do ex-presidente fez pressão pela demissão do ex-lateral. Por isso, é grande a chance de saída dele caso o deputado federal vença o pleito marcado para fevereiro do ano que vem.

Ao mesmo tempo, é normal nos clubes a oposição fazer mudanças no departamento de futebol quando vence a eleição. O discurso interno do opositor Antonio Roque Citadini é de avaliar o trabalho do gerente depois da eleição, caso sua chapa triunfe. Porém, a avaliação inicial é de que as informações a respeito do trabalho do funcionário são boas.

De acordo com pesquisas encomendadas por diversos grupos políticos corintianos,  Citadini e Andrés são os favoritos para assumir o posto de Roberto de Andrade. Assim, Alessandro dificilmente será mantido no caso de vitória do situacionista e tem futuro incerto se o opositor mais cotado ganhar. Isso apesar da campanha vitoriosa do alvinegro neste ano, com as conquistas dos campeonatos Paulista e Brasileiro.

Outro candidato de oposição, Romeu Tuma Júnior, disse ao blog que, se for presidente, pelo menos no início manterá Alessandro. “A eleição é só em fevereiro, então não vou mexer no futebol para não atrapalhar o time. Depois, vou avaliando o trabalho de cada funcionário. Quem for competente fica”, declarou o oposicionista.

Posição semelhante tem o outro postulante à presidência, Felipe Ezabella, ex-integrante do Renovação e Transparência, grupo liderado por Andrés. “Nossa avaliação do trabalho dele é de que tem sido muito bom.  Mas uma avalição definitiva só conseguiremos depois de trabalharmos juntos. De início, Alessandro permanece, sim”, disse o candidato.

As rusgas da ala comandada por Sanchez com Alessandro começaram no ano passado. Um dos principais pontos de atrito foi o fato de o gerente atuar com Andrade na contratação de Oswaldo de Oliveira sem informar Eduardo Ferreira, então diretor de futebol e homem de confiança do deputado federal.  O ex-dirigente se sentiu traído pelo ex-lateral por não ter sido avisado sobre a contratação e pediu demissão. Oliveira não era um nome que agradava a Ferreira e a Andrés. A dupla havia apostado em Cristóvão, que acabou demitido por conta dos maus resultados. Ferreira é cotado para voltar a dirigir o futebol corintiano, se Andrés ganhar.

 

Diretor de futebol tem dever de cobrar apuração sobre filho de Lula

Leia o post original por Perrone

Atual diretor de futebol do Corinthians, Eduardo Ferreira era conhecido como Edu dos Gaviões, por ser membro da organizada, quando começou a entrar na política corintiana.

Era uma das caras mais conhecidas do Movimento Fora Dualib. Infernizou conselheiros até em peladas no Parque São Jorge para cobrar deles que apurassem denúncias contra a administração Alberto Dualib e que punissem os responsáveis.

O movimento ganhou força no clube e na arquibancada. Dualib acabou deixando a presidência. Foi escorraçado do Corinthians.

De lá para cá, Edu conquistou a confiança de Andrés, foi fiel escudeiro de Roberto de Andrade na última eleição e ganhou o cargo de ajunto na diretoria de futebol (na prática é o diretor, já que oficialmente o posto principal está vago).

Estar na diretoria não impede, porém, que ele exerça seus deveres como conselheiro alvinegro. E, por seu histórico de  luta contra desvios na era Dualib, tem a obrigação de cobrar firmemente a apuração da denúncia publicada pela Folha de que Luis Cláudio Lula da Silva, filho do ex-presidente Lula, um dos responsáveis por viabilizar o estádio corintiano, teria recebido cerca de R$ 500 mil do Corinthians sem prestar serviços entre 2011 e 2013.

Na opinião deste blogueiro, Edu tem que demonstrar que não tolera malfeitos no clube, seja qual for o sobrenome do suspeito. E, dessa vez, deve ser até mais fácil do que na era Dualib. Isso porque Andrés Sanchez, que levou o filho de Lula para o departamento de marketing do alvinegro, disse à Folha que tem documentos para mostrar a quem quer que seja.

Também não será difícil para Edu, se ele tiver interesse em esclarecer o caso, trabalhar por uma investigação no Conselho Deliberativo do Corinthians. Ele nem era conselheiro quando ajudou, e muito, o clube a investigar as suspeitas na era Dualib. Imagine agora o que pode fazer como membro do conselho e diretor.

 

“Gavião” é um dos favoritos para direção de futebol corintiano

Leia o post original por Perrone

Com Dassler Marques, do UOL, em São Paulo

O conselheiro Eduardo Almgren Ferreira, conhecido como Edu da Gaviões, é um dos favoritos para assumir a direção de futebol do Corinthians. O departamento costuma ter um diretor e um adjunto. Ele pode se encaixar numa das duas funções. Atualmente, Edu atua na ouvidoria do clube e já esteve na assessoria de imprensa da Gaviões da Fiel.

Sócio do Corinthians, ele logo ficou conhecido no Parque São Jorge por ser membro da principal torcida organizada alvinegra. Também chamado de Edu Gaguinho, ganhou destaque ao ser um dos líderes do movimento Fora Dualib, que pressionou conselheiros para afastar o ex-presidente.

Rapidamente, Edu ganhou a confiança de Andrés Sanchez, passou a frequentar o andar da presidência, foi eleito conselheiro e indicado para a ouvidoria. Ainda se transformou num dos principais colaboradores da campanha de Roberto de Andrade, eleito presidente do Corinthians no último sábado. Fernando Alba, diretor de futebol amador, também é cotado para atuar no futebol profissional.

Conforme subiu degraus no Corinthians, o agora cartola passou a ter menos participação na Gaviões.

Aliados de Andrade esperam que ele anuncie quem vai comandar o departamento mais desejado do clube na próxima sexta-feira.