Arquivo da categoria: federação paulista de futebol

Cambada de incompetentes!

Leia o post original por Neto

Não tenho nada pessoal contra o Marco Polo del Nero, presidente da Federação Paulista de Futebol. Mas é impressionante a quantidade de lambanças que a turma dele faz a frente da entidade. Não bastasse o histórico negativo, eles pisaram feio no andamento da escolha do árbitro da final do Campeonato Paulista. Primeiro estava tudo definido que seria o Rodrigo Braghetto. Depois soltaram em cima da hora um comunicado vetando o cara. E pior, dizendo que era um pedido do mesmo pelo fato dele ter uma empresa vinculada ao Timão. É brincadeira? Os caras sabiam disso há um tempão e só tomaram agora uma providência? Que absurdo! O Coronel Marinho, que comanda o apito em São Paulo, liberou o cara para trabalhar nessa condição. Pra piorar eles vetaram gandula Pércia dos jogos do Paulistão só porque ela apareceu no ‘Os Donos da Bola’ da Band. É mole? Ridículo! Muita incompetência e despreparo.

Del Nero é detido pela Polícia Federal! O que isso influenciará na vida da CBF e na escolha do novo treinador?

Leia o post original por Milton Neves

Ainda sem maiores detalhes, começa a bombar em todos os veículos a informação de que, nesta madruga, Marco Polo Del Nero, presidente da FPF e vice-presidente da CBF, foi detido pela Polícia Federal.

O dirigente teve computadores e documentos apreendidos em sua casa, foi levado para prestar depoimento e liberado em seguida.

Sobre o assunto, Del Nero divulgou a seguinte nota:

Marco Polo Del Nero, presidente da Federação Paulista de Futebol, esclarece que foi surpreendido em uma operação da Polícia Federal durante esta madrugada em sua residência, em busca de documentos não relacionados à sua atividade na entidade e de seu escritório de advocacia.

Conhecido advogado criminalista, Marco Polo Del Nero prestou depoimento regulamentar na Polícia Federal sendo liberado em seguida. O teor do depoimento segue em sigilo de justiça.

Agora, amigo internauta, você acredita que esta investigação influenciará na vida da CBF e na escolha do novo treinador da seleção?

Opine!

Mais de 20 mil ingressos ainda estarão à venda no Morumbi neste domingo

Leia o post original por Odir Cunha

Ainda está sem ingresso para a partida entre Santos e Guarani, neste domingo? Não há problema. Mais de 20 mil ingresos serão colocados à venda nas bilheterias do estádio das 10 às 14 horas.

Leia abaixo o comunicado enviado à imprensa pela departamento de comunicação do Santos Futebol Clube:

Guarani x Santos FC – Ingressos para primeiro jogo da final do Paulista seguem à venda neste domingo (06) somente no Morumbi

Cerca de 33 mil e 100 ingressos foram vendidos – 25 mil e 500 para santistas e 7 mil 600 para bugrinos – para o primeiro jogo da final do Paulista 2012, entre Santos FC e Guarani. Como a carga total para a partida é de 60 mil torcedores, os ingressos continuam à venda neste domingo (06) somente no estádio do Morumbi das 10 às 14 horas. O primeiro jogo da final acontece domingo (06), às 16 horas, no Morumbi.

A torcida do Santos FC ainda tem disponível para compra ingressos de arquibancada do setor amarelo, que teve abertura de vendas neste sábado.

Todos os outros setores do estádio têm venda liberada para qualquer torcedor, independente da agremiação.

Sócios

Como as finais são mando da Federação Paulista de Futebol, e não dos clubes, e a renda será dividida entre os dois times, os associados do Santos não terão a possibilidade de comprar ingressos pelo portal www.sociorei.com.br . Em compensação, a diretoria santista, em negociação com o Guarani e a Federação Paulista, conseguiu garantir que os sócios paguem meia-entrada em qualquer um dos setores do Morumbi nas duas partidas.

Para comprar ingressos, os sócios devem se dirigir a um dos postos de venda munidos de suas carteirinhas. Haverá guichê especial de atendimento para associados.

Para entrar no estádio, sócios devem apresentar carteirinha e ingresso.

Donos de cadeira

Por conta do mando das partidas ser da FPF, donos de cadeira na Vila Belmiro também devem comprar ingressos da mesma forma que os sócios que não possuem cadeira.

Para entrar no estádio, sócios devem apresentar carteirinha e ingresso.

Opções de ingresso

Arquibancada Azul – Setor esgotado – portão 6 – torcida do Santos FC: R$ 60,00 (meia entrada R$ 30,00);

Arquibancada Laranja – Setor esgotado – portão 6 – torcida do Santos FC: R$ 60,00 (meia entrada R$ 30,00);

Arquibancada Amarela – Torcida do Santos FC: R$ 60,00 (meia entrada R$ 30,00);

Setor Térreo VISA (Vermelha) – portão 3: R$ 70,00 (meia entrada R$ 35,00);

Morumbi Premium Clube – portão 4: R$ 120,00 (meia entrada R$ 60,00);

Cativa Azul – Proprietário – portão 5: R$ 60,00 – disposição de venda apenas no Morumbi;

Cadeira Especial Azul – portão 5: R$ 120,00 (meia entrada R$ 60,00);

Laranja Premium – portão 5: R$ 120,00 (meia entrada R$ 60,00);

Cadeira Laranja – portão 5: R$ 70,00 (meia entrada R$ 35,00);

Setor Visa Infinite – portão 5: R$ 170,00 (meia entrada R$ 85,00);

Cativa Vermelha – Proprietário – portão 16: R$ 60,00 – disposição de venda apenas no Morumbi;

Cadeira Amarela – portão 16: R$ 70,00 (meia entrada R$ 35,00);

Setor Deficiente – portão 17: R$ 60,00 (meia entrada R$ 30,00);

Setor Térreo VISA (Vermelha) – portão 18: R$ 70,00 (meia entrada R$ 35,00);

Arquibancada Vermelha – portão 15 – torcida do Guarani: R$ 60,00 (meia entrada R$ 30,00).

Meia entrada

Possuem direito à meia entrada estudantes do ensino fundamental, médio ou superior (público ou particular). Para compra e acesso ao estádio, o estudante deverá apresentar declaração escolar relativa ao ano letivo ou carteirinha escolar com validade e carimbo da escola, ou boleto referente ao mês vigente e RG original ou cópia autenticada (lei Municipal nº 11.355/1993 – Decreto Municipal nº 33.468/1993 – Lei Municipal nº 13.715/2004).

Aposentado do INSS paga meia entrada com a apresentação do holerite ou cartão do benefício e RG original ou cópia autenticada (Lei Estadual nº 10.858/2001).

Cadastro de torcedores

Em atendimento à lei 14.590, que prevê identificação dos frequentadores de partidas de futebol, o Santos FC está realizando o cadastro dos torcedores no momento da compra. Sócios do clube não precisam realizar este cadastro.

Boteco da Vila

A Santos FC Tour, operada em parceria com a Futebol Tour, realizará um “Boteco da Vila” especial direto do Morumbi com as presenças de Lima e Edu. O ingresso custa R$ 275,00 e dá direito a assento em local privilegiado para a hora do jogo, alimentação e bebida não-alcoólica. A entrada dos torcedores deverá ser feita pelo portão 2, a partir das 14h.

Os interessados em comparecer a esta edição especial do “Boteco da Vila” devem adquirir suas entradas antecipadamente com a Santos FC Tour pelos telefones (13) 4062-9446 e (11) 3813-3231, pelos e-mails santos@futeboltour.com.br e atendimento@futeboltour.com.br ou pelo site www.botecodavila.com.br .

As vendas serão realizadas pelo www.botecodavila.com.br até as 10 horas de domingo (06).

Retrospecto de decisões no Morumbi

Se vencer o Guarani, o Santos poderá conquistar seu sétimo título no Morumbi e o segundo tricampeonato da história no estádio – em 1969, o título do estadual que nos deu o último tri veio depois de um 0 a 0 com o São Paulo. Aliás, este foi o primeiro título da história do Morumbi.

Depois disso, quatro Paulistas ainda seriam conquistados no Cícero Pompeu de Toledo: 1973 (Santos FC 0 x 0 Portuguesa, decisão nos pênaltis), 1979 – referente ao estadual de 1978 (Santos FC 0 x 2 São Paulo, título veio após empate de 0 a 0 na prorrogação), 1984 (Santos FC 1 x 0 Corinthians) e 2007 (Santos FC 2 x 0 São Caetano). Além disso, o Brasileirão 2002 também foi conquistado no Morumbi após um 3 a 2 contra o Corinthians.

E aí, criou coragem para comprar o seu ingresso?

Prevaleceu o profissionalismo. Decisão será no Morumbi!

Leia o post original por Odir Cunha

Glória aos deuses do futebol nas alturas! O profissionalismo prevaleceu. Graças à oportuna intervenção de Marco Polo Del Nero, presidente da Federação Paulista de Futebol, os dois jogos da decisão do Campeonato Paulista serão disputados no Morumbi nos domingos 6 e 13 de maio.

Ao invés de jogar no Brinco de Ouro e na Vila Belmiro, Guarani e Santos acataram o bom senso e aceitaram a decisão da Federação Paulista de Futebol de fazer os dois jogos no maior estádio de São Paulo, onde se espera no mínimo 50 mil pessoas por partida.

Com isso, as duas arrecadações serão divididas e cada clube deverá receber cerca de R$ 2 milhões líquidos. Além do valor, importante para equilibrar as finanças de Guarani e Santos, os jogos terão mais visibilidade e mostrarão, mais uma vez, a tremenda força da torcida santista.

Como os dois times são técnicos, jogam aberto e buscam o gol, as dimensões maiores do Morumbi certamente favorecerão a qualidade do espetáculo. Que os dois times façam grandes jogos e vença o melhor.

Reveja agora a última decisão do Campeonato Paulista no Morumbi:

E você, o que achou de os dois jogos serem no Morumbi?

Futebol: a “lojinha” pode quebrar

Leia o post original por Wanderley Nogueira

Sobram motivos para a ausência de torcedores nos estádios de São Paulo. E, pelas informações que chegam, em todo o país o número de assistentes é decepcionante.

Sei que não é fácil compreender a causa das coisas. Também reconheço que é melhor compreender pouco do que compreender mal.

Aqui em São Paulo, a federação, organizadora da competição, não mexe uma palha para tentar mudar a situação. Está chegando a fase mais importante do campeonato, e o pequeno público virou motivo de chacota.

Fiquei observando a lojinha de um simpático “turco” lá pelos lados do Mercadão. Depois, tomei coragem e perguntei como ele faz quando os clientes somem. A minha curiosidade era descobrir se ele ficava esperando o retorno da clientela ou fazia alguma coisa para atraí-la.

Olhando com jeito de quem sabia que eu não entendia nada do “negócio”, o negociante deu uma pequena aula: “claro que eu faço alguma coisa. Um dos segredos é que a mesa que os meus clientes comem deve ser melhor que a minha, caso contrário eu quebro”.

Imediatamente, pensei na cartolagem do futebol. Os dirigentes fazem exatamente o oposto. O futebol perde consumidores nos estádios. Os estaduais estão anêmicos. Alguns, não voltaram às praças esportivas nunca mais depois de decepções pelo tratamento recebido.

Mas, vamos lembrar apenas das arquibancadas vazias nos estádios do interior e das capitais. Com cada vez mais raras exceções. Se o público é pequeno, qual a dificuldade para liberar a entrada para todas as crianças com suas mães? Qual o empecilho para franquear a entrada de escolas com seus professores e coordenadores ? Que tipo de barreira existe para não conceder ingresso livre para casais?

Você deve estar pensando que seguindo o meu desejo, ninguém vai pagar para ir ao jogo. E é exatamente isso. A rica Federação Paulista de Futebol, por exemplo, deveria garantir a renda equivalente ao público médio da temporada 2011 e determinar o “portão livre”.

Pesquise e constate que a grande maioria dos clubes tem presença/média de 2 mil pessoas gerando arrecadação aproximada de 40 mil reais. Há jogos com 600 torcedores ou menos!

Se a entidade estivesse mesmo interessada em resolver o problema, pagaria essa cota/padrão e tentaria acabar com o triste cenário de estádios vazios.

O público definha na “lojinha” e ela não mexe uma palha, não faz nada e ignora a terrível possibilidade do futebol quebrar…

O Doping

Leia o post original por Wanderley Nogueira

* Publicado na Gazeta Esportiva de 03/10/1980

Em 1974, a Federação Paulista de Futebol e o Laboratório de Análises Toxicológicas da Universidade de São Paulo, procurando levar uma contribuição ao Serviço Médico dos Clubes de Futebol em relação ao problema do controle antidopagem, chamou a atenção para o Artigo 2 da Deliberação 5/72 do Conselho Nacional de Desportos, de importância fundamental, todavia, bastante resumido quando ao seu conteúdo. Ambas as entidades relacionaram os principais exemplos fármacos que constituem os princípios ativos dos medicamentos cujo uso È EXPRESSAMENTE PROIBIDO.

“A legislação está carente de uma melhor adequação. É claro que o Sindicato entende que o doping é um cancro dentro de qualquer esporte. É um artifício que não pode ser aceito por ninguém”.

“Mas não podemos execrar, submeter a julgamento com penas gravíssimas diante de uma legislação deficiente”.

A deliberação é falha realmente e tanto é verdade que apenas Alcino foi punido por 60 dias em decisão do Superior Tribunal de Justiça Desportiva. O TJD paulista havia condenado o atacante por 180 dias, mas a punição foi reduzida. César, Anselmo, Getulio e Luis Américo foram absolvidos. Bugre teve a sua suspensão administrativa revogada após ter sido constatada uma falha na colheita do material. Didi e Rubão são os jogadores citados pelos exames do Laboratório da USP como dopados na partida entre Francana e Marília.

O clube só perde os pontos quando o médico ou mesmo á agremiação assumem a responsabilidade pelo doping, o que dificilmente acontecerá um dia. O jogador costuma ficar sozinho no processo e diante da falha deliberação geralmente é absolvido.

O advogado José Geraldo de Góes, do Sindicato dos Atletas Profissionais do Estado de São Paulo critica o controle antidopagem:

“A opinião do Sindicato é a mesma dos médicos que militam no futebol; a deliberação é falha. A matéria de doping está disciplinada apenas pela deliberação 5/72. não consta no Código Disciplinar Desportivo qualquer alusão a respeito do doping. A deliberação peca desde o seu primeiro artigo.

“Não há condição de determinar a dosagem da droga ingerida pelo atleta para uma apreciação se a quantidade presente no corpo do jogador seria suficiente para dopar uma pessoa”.

“Cada individuo é um individuo. O Laboratório não tem condições de aferir a quantidade ingerida pelo jogador. Um comprimido para dor de cabeça pode dopar alguém? Mas se esse comprimido contiver uma substância considerada proibida, o atleta é considerado dopado, quando na verdade a realidade é outra”.

“Na Justiça Comum é registrada a quantidade de milímetros cúbicos de álcool no sangue de uma pessoa. Assim se sabe se alguém estava bêbado ou não”.

O diretor jurídico do Sindicato dos Atletas continua falando:

“E nos casos de doping, sempre os atletas são arranhados. E sinceramente acho que em quase todos os casos eles são usados como instrumentos”.

A Federação Paulista de Futebol já convocou os médicos e os dois jogadores para participarem do início da Sindicância determinada por Nabi Abi Chedid. O trabalho será presidido pelo advogado Murilo Antunes Alves e todos estarão reunidos na próxima terça-feira, às 9:30 minutos. Uma coisa está mais clara ainda: o doping continua arranhando imagens e liquidando carreiras.

Horários dos Jogos em São Paulo – Interesses e Desdobramentos

Leia o post original por Robert Alvarez Fernández

A Cidade de São Paulo, por meio de sua câmara de representantes, aprovou uma lei que limita o horário de término de espetáculos esportivos às 23h15min, era 23h00 no original, mas houve uma acomodação de quinze minutos. Após a aprovação, de forma incomum, houve audiência pública e tudo mais onde vários interessados manifestaram suas opiniões […]