Arquivo da categoria: fred

Muita cobra junta costuma não dar certo!

Leia o post original por Craque Neto

Nunca fui contra reunir craques em um mesmo time de futebol. Talvez a Seleção Brasileira da Copa do Mundo de 1970 seja o exemplo mais bem acabado de sucesso utilizando os melhores jogadores da época. Tinha gente que dizia que os caras não poderiam jogar juntos, aí o Zagallo, treinador na ocasião, tratou de formar aquela que provavelmente é a melhor linha ofensiva da história com Clodoaldo, Gerson, Pelé, Jairzinho, Tostão e Rivellino. Só que o passado recente mostra que a vaidade e o dinheiro muitas vezes atrapalha esse tipo de coisa. E não falo nem de briguinhas individuais como […]

O post Muita cobra junta costuma não dar certo! apareceu primeiro em Craque Neto 10.

Por que só jogador do Shakthar Donetsk na Seleção? Tem convênio com a CBF???

Leia o post original por Craque Neto

Tenho o maior respeito e admiração pelo Tite, hoje técnico da Seleção Brasileira. É inegável que esse cara vem fazendo um trabalho sensacional. Venceu quase todos os jogos das Eliminatórias e resgatou o amor que o povo brasileiro tem pelo time verde-amarelo. Agora tem determinadas coisas que acontecem por ali na CBF – e já vem de outras gestões de treinadores – que fica difícil de entender. Uma delas que é muito nítido é esse amor que todo mundo que assume o cargo tem pelos jogadores brasileiros que atuam pelo Shakthar Donetsk. Incrível!!! Se perguntar nas ruas do Brasil o […]

O post Por que só jogador do Shakthar Donetsk na Seleção? Tem convênio com a CBF??? apareceu primeiro em Craque Neto 10.

Empate estranho entre Galo e Palmeiras em BH

Leia o post original por Antero Greco

Dei um tempo para batucar estas linhas sobre Atlético-MG 1 x Palmeiras 1, um dos destaques do sábado no Brasileirão. Esperei baixar um pouco a poeira, diminuir a adrenalina. No calor da hora, corria o risco de entrar na pilha dos torcedores.

O jogo foi estranho, por vários motivos, a começar pela qualidade técnica: as duas equipes estão aquém do que se imaginava delas no início da temporada. Houve também arbitragem tensa de Leandro Vuaden, com os três pênaltis e as duas expulsões. Para arrematar, tem gente a negar fogo, casos de Robinho e Fred, dois pesos nulos no Galo.

Vuaden acertou na marcação dos pênaltis, os dois em favor do Atlético e aquele do Palmeiras. As falhas ficaram para Fred e Deyverson, que desperdiçaram um para cada lado, e sem entrar no mérito e na experiência de Prass e Victor, dois experts pegadores de penalidades. Os palmeirenses reclamam de uma mão de Luan dentro da área do Galo. Nas imagens que vi, ficou a sensação de ter batido no peito. Se houver outra mais definitiva, reformulo a opinião.

O árbitro foi correto, ainda, nas expulsões dos palestrinos Luan e William. O zagueiro pela falta no pênalti sobre Alex Silva, o atacante por revidar entrada de Valdivia. Porém, errou ao não dar no mínimo amarelo para Valdivia, no mesmo lance. E também fechou os olhos para entrada dura de Fábio Santos no primeiro tempo. Igualmente valia ao menos o amarelo.

O jogo em si mostrou o Galo confuso, embora melhor do que o Palmeiras no primeiro tempo. Mas sentiu o baque do gol de Deyverson que havia deixado o adversário em vantagem. Reequilibrou com o empate, mas sem ser eficiente.

Pior: o Atlético passou a segunda etapa com um a mais (pelo vermelho de Luan), e com dois a mais pelo menos por 20 minutos (expulsão de William). Não soube aproveitar-se da vantagem numérica e abusou de chutes de longe ou de chuveirinhos. Fred e Robinho fizeram figuração.

O Palmeiras veio com formação diferente, mais uma vez, e sem convencer. O meio com Tchê Tchê, Moisés, Jean e Guerra não rendeu, assim como Mayke foi discreto na lateral direita e Egídio regular na esquerda (para complicar fez o segundo pênalti, o do gol de empate). Na frente, Deyverson apareceu só na hora do gol que fez e foi bizarro no pênalti perdido.

Por ironia do destino, o Palmeiras melhorou ao ficar com um a menos. E foi heroico, com nove em campo. No fim, pôde até festejar o ponto conquistado. Mas continua a balançar na parte de cima da classificação.

 

Complicou? O Ceifador resolve

Leia o post original por Antero Greco

Henrique Dourado, também conhecido como Henrique Ceifador, é daqueles jogadores relegados à condição de coadjuvante. Não costuma ser encarado como destaque, estrela, craque, referência nos times pelos quais passou. Normalmente, é deixado em segundo plano, no máximo fica com o papel de fazedor de gols. Como se isso fosse de pouca importância…

Pois eis aí uma injustiça, em tempo de ser reparada.

Henrique é mais do que um finalizador, um “empurrador de bola” para as redes, um grosso que às vezes resolve. Ele é eficiente na tarefa de resolver dentro da área, como provam os 12 gols no Brasileiro.

Porém, hoje tem importância que vai além disso. Trata-se de atacante que se movimenta muito: sai da área, abre espaços, atrai marcação de zagueiros para deixar companheiros livres. Usa bem o corpo e a inteligência, a impulsão e a pontaria.

Ceifador tem jogado muito. Não deve a fase atual à sorte – conceito muito vago para explicar brilho de quem não é tido como astro. Os 26 gols marcados até agora são consequência de amadurecimento, empenho, oportunismo também. E de entrega.

O problema de Ceifador é fazer parte do grupo de atletas com marketing discreto, personagem muito comuns no futebol. Cansei de ver profissionais como ele, bons no que fazem, mas que colhem menos louros porque o fazem sem alarde. Ao contrário, são discretos, simples, na deles.

E importantes para os grupos. E como!

O valor de Ceifador está comprovado na campanha do Flu. Muitos pontos foram conquistados graças aos gols dele, à raça, à luta. Como nos dois que marcou nesta noite fria e chuvosa de segunda-feira (21) e que garantiram a vitória por 2 a 1 sobre o Atlético-MG.

Quem esteve no Maracanã viu um operário da bola desatar o nó diante do Galo. E, por essas ironias da vida, ele tem muito mais gols e tem sido muito mais decisivo do que, por exemplo, Borja e Pratto, contratados a peso de ouro. Ou do que Fred, que brilhou com a camisa do Flu e hoje é pálida sombra em Minas.

Ceifa, Ceifador, ceifa. A torcida tricolor agradece. E torcidas de outros times que você defendeu hoje devem estar com saudade. E quanta…

 

Fred foi rejeitado pelo Palmeiras! É brincadeira???

Leia o post original por Craque Neto

Acreditem se quiser! Nesta sexta-feira o repórter Fernando Fernandes participou do programa ‘Os Donos da Bola’ da Band e veio com essa bomba: o Fred foi oferecido e o Palmeiras rejeitou. Isso mesmo! A diretoria do Palmeiras não quis o jogador que é o principal artilheiro do País e optou por contratar o desconhecido Deyverson por impressionantes R$ 18 milhões. Dá pra acreditar? O torcedor mais apaixonado pela turma do executivo Alexandre Mattos vai perguntar: mas quando foi isso, seu ‘Zé Ruela’? Isso teria acontecido com o semestre em andamento pouco antes da sondagem pelo Diego Souza do Sport. Ou […]

O post Fred foi rejeitado pelo Palmeiras! É brincadeira??? apareceu primeiro em Craque Neto 10.

A hora que quiser?

Leia o post original por Rica Perrone

O Atlético Mineiro tem o melhor time do país. Acho bem pouco discutível que entre os 11 titulares alguém tenha nomes como Fred, Robinho, Elias, Cazares, Leo Silva, Victor, Marcos Rocha. Enfim.  O que não significa que vá jogar ou ganhar algo por isso. Entre o bom time e o bom futebol é um elo …