Arquivo da categoria: Gaviões

Cuidado com a “culpa” dos dirigentes

Leia o post original por Rica Perrone

É mais um dia onde um enorme tumulto foi causado por uma organizada num estádio. E mais uma vez vemos debates vazios e pouco fundamentados sobre.  Um dos que mais gosto e me preocupa é a do “dirigente que dá o ingresso”.

Clube algum deveria ajudar esses caras, menos ainda facilitar ingressos. Mas clube é clube, dirigente é dirigente. Fulano, na figura de presidente ou seja lá o cargo que for, não vai ser o machão de ir na frente de uma gangue e dizer que ele é o cara que está dizendo não pra eles sozinho.

Esse cara tem filhos, mulher e cu, pra ser grosseiramente claro.

Se os clubes todos fecham numa de ninguém dá mais nada, com o Ministério Publico ajudando a proibir, vá lá. O cara pode dizer que tá proibido. Agora, esperar que um sujeito num cargo alto do clube peite um grupo de marginais que nem a polícia é capaz de segurar, é um pouco utópico.

Entre a realidade e a teoria há muita coisa. Uma delas é o bom senso.  É mole ir no dirigente e condená-lo por dar ingressos. O duro é perguntar qual dirigente tem coragem de dizer “não” pra um grupo terrorista que há 30 anos brinca com a polícia, a justiça e com os clubes que tomaram de assalto pelo medo.

Não individualize uma decisão que um homem só, de clube algum, tem tamanho pra tomar.

abs,
RicaPerrone

O crime organizado, uniformizado e escoltado

Leia o post original por Rica Perrone

Todo mundo sabe quem são, o que querem e os reais interesses. Ninguém fala, porque todo mundo tem medo.  Torcidas organizadas deixaram de ser um grupo de apaixonados por um clube há muitos anos. Tirando essas novas, que fatalmente a médio prazo também serão tomadas por pessoas com o ego maior que a paixão, as …

Confusão no Itaquerão, Timão sem Cristóvão

Leia o post original por Fernando Sampaio

Confusão no Itaquerão, Timão sem Cristóvão

O Itaquerão sofreu com os vândalos.

Incrível, o Brasil não consegue combater a violência. O brasileiro aceita um nível de criminalidade muito alto. Não entendo porque esta corja continua frequentando os estádios. Sempre os mesmos bandidos e as mesmas facções criminosas… Tudo fotografado e filmado. Ora, proíbe logo a entrada nos estádios para o resto da vida.

Falta vontade política.

Houve tentativa de invasão nos camarotes, correria de familiares de jogadores…

Lamentável.

Daqui a pouco aparece alguém do MP querendo holofote para virar candidato.

Além disso o Corinthians demitiu Cristóvão. Na minha opinião nem deveria ter vindo. Não era o nome certo. Eu não contrataria. Mas não acho que ele seja responsável pela má fase do time. O elenco é fraco. Não dá para fazer mágica. Não foi só a saída do Tite, vários jogadores de qualidade que saíram. Agora é preciso paciência.

O trabalho de reconstrução não será fácil.

Disse e repito: Não espero o Corinthians terminando no G-4.

Justiça contraria PM e manda torcedores brigões ficarem em batalhões

Leia o post original por Perrone

Em decisão que contraria entendimento da Polícia Militar, a Justiça determinou nesta sexta que seis membros da Gaviões da Fiel e dois da Mancha Alviverde compareçam a batalhões da PM nos dias de jogos de seus times.

Réus em caso de homicídio, eles estão proibidos de comparecer às partidas de Corinthians e Palmeiras como mandantes no Estado de São Paulo desde março, mas até agora não cumpriram a medida restritiva imposta pela Justiça. Isso porque a PM, escorada numa decisão da Secretaria de Segurança Pública, não aceita receber os torcedores.

A nova decisão da Justiça é baseada na “obrigação legal da Polícia Militar de garantir o cumprimento de ordens judiciais”. A PM, no entanto, está desobrigada de fornecer alimentação aos torcedores enquanto eles estiverem no batalhão.

O “castigo” vai durar até o final do processo relativo às mortes de dois palmeirenses em confronto entre as torcidas na Avenida Inajar de Souza, em São Paulo, em 2012.

A Secretaria de Segurança Pública sustenta que foram alterados os locais de cumprimento das medidas restritivas com, os torcedores devendo ser encaminhados para prestar serviços no Corpo de Bombeiros e em outras instituições. Porém, pelo menos um dos advogados dos réus argumenta que a Justiça não ordenou que eles prestassem serviços. Desta forma, acredita que eles não têm como cumprir a medida.

A Polícia Militar pode recorrer da decisão.

Ministério Público de SP pede suspensão de atividades da Gaviões por 120 dias

Leia o post original por Perrone

Como parte de um pacote de punições, o Ministério Público foi à Justiça para que a Gaviões da Fiel suspenda suas atividades por 120 dias. Não se trata apenas de impedir a entrada de seus integrantes nos estádios de São Paulo. A intenção é obrigar a principal uniformizada corintiana a parar de funcionar por quatro meses.

  • 11747
  • true
  • http://esporte.uol.com.br/enquetes/2013/09/06/a-gavioes-da-fiel-merece-receber-a-suspensao-sugerida-pelo-ministerio-publico-de-sp.js

O promotor Roberto Senise Lisboa alega que a organizada descumpriu um TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) assinado em 2011. Ela se comprometia a não “promover, incitar ou estimular, ainda que como mero partícipe, a violência” dentro e fora dos estádios.

Em seu pedido à Justiça, o promotor declara ser notório que a Gaviões descumpriu o acordo quando seus integrantes brigaram com vascaínos em Brasília. Por isso, pede que a torcida seja citada para em dez dias suspender as atividades.

Ele ainda fala numa multa de R$ 30 mil por partida, se a Gaviões comparecer aos estádios no período da suspensão.

Corintianos em confronto com policiais no Mané Garrincha

Como o blog mostrou na quinta, o Ministério Público também entrou na Justiça para cobrar outra multa de R$ 30 mil reais, também sob a acusação de descumprir o TAC.

Em breve, o promotor fará à Justiça um novo pedido de extinção da Gaviões. Já existe um processo, iniciado após a morte de dois palmeirenses em confronto entre a organizada corintiana e a Mancha Alviverde, em 2012.

Por sua vez, o MP do Rio suspendeu a Gaviões em jogos no Estado por 90 dias. Já em Brasília as uniformizadas corintianas estão vetadas por dois anos.

Veja abaixo o pedido do promtor. Como presidente da torcida aparece o responsável por assinar o TAC, que já deixou o cargo.

Punição em tempo recorde para Gaviões enfraquece desafeto da FPF em final

Leia o post original por Perrone

Na segunda-feira, o Corinthians bateu o pé para fazer um jogo da final do Paulista no Pacaembu, rejeitando o Morumbi e passando por cima do regulamento que dá ao departamento de competições da FPF o poder de decidir os locais dessas partidas.

Na quarta, soube que o caldeirão do Pacaembu ferverá um pouco menos neste domingo, no jogo com o Santos porque a Gaviões da Fiel foi vetada pela FPF.

A punição aplicada à principal organizada do Corinthians foi rápida como todas deveriam ser. A federação anunciou o castigo apenas três dias após o jogo contra o São Paulo, no qual a torcida foi acusada pela PM de agir com violência.

Em 17 punições divulgadas este ano pela federação em seu site, a média é de um prazo de 13,4 dias entre o fato ocorrido e a publicação da pena. Nesse ritmo, o Corinthians, desafeto de Marco Polo Del Nero, presidente da entidade, contaria com a Gaviões na final.

Apenas em outros dois jogos, nenhum deles na capital, o castigo demorou só três dias para sair. Os envolvidos nessas outras punições em tempo recorde foram integrantes de torcidas de Guarani, Botafogo e São Bernardo.

As maiores demoras aconteceram em penas dadas para a Torcida Jovem do Santos (31 dias) e a Independente, do São Paulo (27 dias).

“O caso da Gaviões foi mais rápido porque demorou menos para o relatório da Polícia Militar chegar na Federação. Aqui é assim, chegou, punimos. Não existe decisão política”, disse Marcos Marinho, responsável na federação pelo departamento de segurança nos estádios.

Vale lembrar que integrantes da torcida poderão entrar no estádio, sem uniformes, faixas e instrumentos musicais. Farão menos barulho do que normalmente.

 

Crime na Bolívia: Oruro espera o criminoso

Leia o post original por Wanderley Nogueira

Kevin BeltranAdvogados, torcidas organizadas, deputados , entre outros, tentam a libertação dos 12 torcedores que estão em Oruro.

Acusados e defensores dizem que os “Doze de Oruro” são inocentes.

Até agora , a justiça boliviana está inflexível.

O principal argumento é que o autor do disparo já se apresentou à justiça brasileira e as imagens “provam que é ele mesmo” .

Na última vez que eu falei por telefone com a Dra. Abigail Sabá, ela disse que está tudo muito bom, tudo muito bem, mas espera o moço em sua salinha na bonita Oruro.

Todo mundo sabe que o jovem não pode ser extraditado. Mas, as pacientes autoridades bolivianas esperam que o menor H.A.M. de 17 anos, autor confesso do crime , apareça por lá.

Ele pode viajar sozinho , com autorização dos pais, exatamente como fez para acompanhar o Corinthians.

Outra coisa: a polícia acha que, se os “Doze” forem soltos, eles não ficarão por lá.

A informação de que a Gaviões alugou uma casa em Oruro para abrigá-los não convenceu a Dra. Abigail de que eles ficarão no domicílio.

Como todo mundo sabe, sair e entrar na Bolívia não apresenta nenhuma dificuldade.

Nesse momento, aqueles que investigam o caso dizem que “no mínimo os que estão aqui são cúmplices ou facilitaram a fuga do autor”.

A imprensa boliviana lembra que “como o jovem que entregou-se no Brasil está livre, nada impede a sua viagem para Oruro. Aí ficará tudo mais fácil para o esclarecimento do crime”.

Um ano após morte de palmeirense, caso tem sete indiciados e nenhum preso

Leia o post original por Perrone

Quase um ano após a morte do palmeirense André Alves Lezo, as investigações sobre o caso continuam e ninguém está preso, segundo Ricardo Cabral, advogado da Gaviões da Fiel.

O Ministério Público indiciou sete torcedores da Gaviões no ano passado. Entre as acusações estão  homicídio simples e formação de quadrilha.

A polícia chegou a fazer várias prisões, mas todos os envolvidos ganharam o direito de responder ao processo em liberdade.

Douglas Deungaro, ex-presidente da organizada corintiana, chegou a ser preso, mas não foi indiciado. Aparece no processo apenas como declarante.

Antônio Alan Souza Silva, o Donizete, presidente da Gaviões, também foi  preso em maio do ano passado. Saiu dias depois e não está entre os indiciados. Ele foi proibido de assistir aos jogos do Corinthians, mas derrubou a decisão na Justiça.

De acordo com o Tribunal de Justiça de São Paulo, o caso foi remetido  para a Polícia Civil em dezembro para novas averiguações. O site do TJ registra o local físico do processo como “mesa do escrevente”.

A expectativa de advogados que trabalham no caso é de que o julgamento não aconteça antes de mais dois anos. No entanto, policiais e torcedores afirmam saber quem matou o integrante da Mancha. No último confronto entre Corinthians e Palmeiras, a Gaviões fez coro para chamar a uniformizada alviverde de torcida de “cagueta”. Referência ao fato de que a rival teria entregado à polícia o nome do assassino.

Gaviões diz pagar advogado ligado à embaixada após Itamaraty informar que Corinthians pagaria

Leia o post original por Perrone

 

Corintianos têm novo advogado

Corinthians e Itamaraty apresentaram versões conflitantes sobre quem paga o novo advogado boliviano dos corintianos presos em Oruro. O órgão do Governo Federal afirmou ter a informação de que a contratação foi feita pelo clube. Por sua vez, os corintianos negaram firmemente o fato.

Ao blog, Ricardo Cabral, advogado da Gaviões da Fiel, encerrou a celeuma afirmando por meio de uma mensagem pelo celular que a torcida paga os honorários de seu colega.

Desde a prisão dos torcedores, o Itamaraty enviou para acompanhar o caso um advogado que presta consultoria para a Embaixada do Brasil na Bolívia. Ele estava no processo só como observador, mas nesta terça foi contratado para assumir a defesa dos corintianos. Os advogados bolivianos que atuavam até então foram dispensados.

A assessoria de imprensa do Itamaraty desmentiu ao blog informação de veículos de comunicação de que a Embaixada escalou seu advogado para trabalhar para os corintianos.

Funeral do boliviano Kevin Douglas

De acordo com a assessoria, o Itamaraty não paga advogados para brasileiros em apuros no exterior. Apenas coloca seus consultores como observadores quando julga necessário.

A assessoria explicou ainda que a notícia que chegou ao Itamaraty é de que o Corinthians fez a contratação. Para o departamento de comunicação do clube, porém, houve um equívoco. Desde o começo do caso a direção corintiana sustenta que não ajuda financeiramente suas torcidas organizadas.

Fiel autêntica sabe: um simples jogo não vale uma vida

Leia o post original por Mion

Cartaz movimenta a Fiel. Perguntinha: por que o torcedor precisar falar errado como "vamo invadir". Falar errado não significa ser popular e sim ignorante. Além disso, invadir é ação de bárbaro.

Cartaz movimenta a Fiel. Perguntinha: por que o torcedor precisa falar errado como “vamo invadir”. Falar errado não significa ser popular e sim ignorante. Além disso, invadir é ação de bárbaro.

    Pra mim futebol sempre vai ser jogo. Apenas um esporte onde 22 homens tentam marcar gols para vencer. Nada mais do que isso. Nas últimas décadas parte da população transformou um simples clube de futebol em uma crença fanática, raivosa e inconseqüente. É até bonito ver uma torcida mobilizar pessoas e torcer freneticamente por uma equipe. Ter adoração pela instituição e camisa, mas dentro de parâmetros baseados no convívio social respeitando o direito de cada um .

Porém a morte do menino na Bolívia não pode passar em branco. A Conmebol tomou uma posição coerente. Não prejudicou o clube e sim penalizou os torcedores. Lógico as torcida corinthiana não gostou. Aqueles que são verdadeiros aficcionados entendem que algo precisava ser feito e apesar de lamentar, deve aceitar o exemplo dado para servir de breque, compreender a situação e engolir a punição, esperar que assim a violência diminua e a morte do adolescente não seja apenas mais uma.  

Sem demagogia tenho convicção absoluta que 99% dos cornthianos são cidadãos corretos, trabalhadores, cumpridores de seus deveres e principalmente humanos. Agora 1% é composto de marginais, bandidos, vândalos e arruaceiros. E esse grupo mancha não só a imagem da Fiel e da Gaviões, mas principalmente do clube.

Os anos passaram e por ser um clube popular sofreu preconceito com relação às pessoas que torcem para o Timão, principalmente aqueles mais humildes, são vistos como arrruaceiros. Pura ignorância, entretanto atos como o ocorrido na última quarta-feira reforçam aqueles que desfazem dos torcedores que integram a classe mais necessitada. Cansei de ouvir frases repugnantes como “ quem torce para o Corinthians é favelado”. Como se favela significasse banditismo e não de irmãos brasileiros marginalizados por uma sociedade alienada às necessidades básicas dos mais pobres, consumista e desumana. Infelizmente até o ex-presidente Andrés Sanchez uma vez disse: o nosso time é de maloqueiro. Isso não pode ser razão de orgulho, o dirigente deveria exaltar o fanatismo e a devoção. A massa corinthiana é enorme passando por todas as classes sociais com a mesma intensidade e também culturalmente diversificados. 

Por isso até entendo o movimento da Fiel em prometer lotar o entorno do Pacaembu na próxima quarta-feira no jogo em que o Timão enfrenta o Milionários da Colômbia. Se quer mostrar força, algo decente e correto, o Corinthians deveria instalar vários telões na praça Charles Miller, pedir apoio da polícia evitando a circulação de marginais. Além disso, solicitar ao árbitro do jogo um minuto de silêncio em memória e respeito ao garoto que morreu por causa de um marginal travestido de corinthiano. A Fiel deve ser a primeira a condenar qualquer violência, o clube comprovar que realmente sentiu a fatalidade e não apoia este tipo de gente fazendo parte de sua torcida. A nação corinthiana é do bem e precisa deixar bem claro: violência não é nossa praia e não aceitamos em hipótese alguma.