Arquivo da categoria: hernanes

São Paulo diz já trabalhar pela permanência de Hernanes, mas faz mistério

Leia o post original por Perrone

O São Paulo nem esperou o Brasileirão terminar para trabalhar na permanência de Hernanes após o final de seu empréstimo, em julho de 2018. A diretoria afirma já atuar pela continuidade do meio-campista.

A avaliação foi de que devido a importância que ele teve na recuperação da  equipe, o mais prudente seria não esperar para iniciar a operação, apesar de o jogador ter ainda um semestre pela frente com a camisa do clube.

A estratégia adotada, porém, é agir em silêncio. Os tricolores esperam repetir o que fizeram quando o atleta retornou ao clube sem que a negociação vazasse antes de ser concretizada. A diretoria não revela nem se já fez proposta ao Hebei Fortune, com quem o brasileiro mantém vínculo.

Como mostrou o UOL Esporte, há um obstáculo financeiro que preocupa os são-paulinos. O time brasileiro paga hoje R$ 500 mil mensais ao ídolo. Esse é o teto salarial no Morumbi. Mas Hernanes ganha cerca de R$ 2 milhões por mês, já que os chineses completam a quantia.

Diante do destaque que o atleta conseguiu no Brasileirão, é improvável que o Hebei aceite manter o empréstimo dele e no mesmo formato financeiro. Comprar os direitos econômicos de Hernanes também não é missão simples. Os chineses adquiriram o brasileiro por 10 milhões de euros (R$ 37,9 milhões) junto a Juventus da Itália. O montante vultuoso não combina com uma das prioridades da atual gestão: cortar gastos.

 

Esse é o CRAQUE do Brasileirão até aqui!

Leia o post original por Craque Neto

Todo mundo viu durante um bom tempo o Corinthians disputando a liderança do Brasileirão com o Grêmio. Isso pelo menos antes dos gaúchos focarem exclusivamente as atenções para a Libertadores. Depois foi a vez do Palmeiras entrar na disputa pela taça. O Peixe também NUNCA deixou de figurar entre os primeiro colocados. Mas vamos falar a grande verdade? O principal CRAQUE do torneio até aqui, na minha visão, é sem dúvidas o meia HERNANES do São Paulo. Esse rapaz está jogando demais! Aí o torcedor mais pessimista vai me dizer: como um jogador de uma equipe que até outro dia […]

O post Esse é o CRAQUE do Brasileirão até aqui! apareceu primeiro em Craque Neto 10.

Opinião: os quatro principais responsáveis pela evolução do São Paulo

Leia o post original por Perrone

Hernanes

A chegada do meio-campista colocou a equipe em outro patamar. O São Paulo passou a ter um jogador que decide partidas, mantém a regularidade e combina experiência e força emocional para enfrentar o momento desesperador de luta contra o fantasma da B. Ele contagiou tecnicamente e emocionalmente os companheiros.

Diretoria

Conseguiu reforçar a equipe após a saída de atletas negociados. Além de Hernanes, Petros foi uma contratação de alto nível. Jogadores contratados no início do ano também se destacam, como Jucilei e Lucas Prato. O volante esteve quase sempre bem. Já o atacante evoluiu junto com a equipe. Os acertos, porém, não mudam o fato de que a direção foi a principal responsável pela situação delicada. Tudo começou com a decisão de montar um planejamento com o estreante Rogério Ceni e depois dar pouco tempo para ele desenvolver seu trabalho. A inexperiência do ex-goleiro como técnico foi questionada, mas todos sabiam que ele estreava estreando na profissão.

 Torcida

Organizadas hostilizando os jogadores e as arquibancadas do Morumbi às moscas. Esse histórico são-paulino em momentos de futebol ruim foi deixado de lado. O torcedor lotou jogos e até treino. Não esperou o clube ser rebaixado para dar demonstração de força. O apoio da massa ajudou os jogadores a terem calma para saírem do buraco.

Dorival Júnior

Custou, mas o treinador deu padrão de jogo à equipe. Nas últimas partidas conseguiu acabar com os erros infantis na defesa (bata na madeira, tricolor). A equipe também passou a ser mais objetiva no ataque. A atuação na vitória contra o Santos foi digna de time que briga pelo título.

São Paulo mereceu, venceu e convenceu

Leia o post original por Fernando Sampaio

São Paulo mereceu, venceu e convenceu, Santos empaca

O São Paulo venceu e convenceu.

Mereceu.

Foi um belo clássico.

O Tricolor dominou o primeiro tempo, fez dois a zero, dois golaços, levou um no rebote de escanteio, teve a chance de matar o jogo no segundo tempo mas a trave deixou o Peixe vivo no jogo até o final.

Hernanes e Cuevas fizeram a diferença.

Apesar dos cornetas, Dorival está ganhando jogos importantes e fugindo do rebaixamento. É óbvio que treinador não é o principal responsável pelas vitórias, assim como não é também o principal culpado nas derrotas. Portanto, se metem o pau nas derrotas precisam agora elogiar nas boas vitórias.

Hernanes foi a contratação que salvou o São Paulo.

Fez total diferença. Hoje duas grandes assistências. Petros, Jucilei, Arboleda, Militão, Pratto, Caio… O time atual é bom. Poderia estar numa situação bem melhor mas sofreu muito durante a temporada. Rogério Ceni foi um atraso. A diretoria está perdida há anos. Algumas contratações foram ridículas. Agora sim, finalmente o clube está vendo uma luz no fim do túnel.

Se o São Paulo mantiver elenco e treinador poderá sonhar mais alto em 2018.

O Santos está ficando mais longe do título. Ricardo Oliveira ainda luta mas Lucas Lima foi uma piada. Está insatisfeito ou boicotando o treinador? Levir Culpi está levando a culpa. Incrível, sempre a culpa é do treinador. O Peixe está numa colocação bem acima do esperado com este elenco.

 

 

São Paulo mais leve. Mas é pouco

Leia o post original por Antero Greco

O São Paulo precisa de pontos – com urgência, pra ontem, a todo momento, para fugir de vez do fantasma da Série B. E conseguiu mais três, neste domingo, no clássico com o Flamengo. Os 2 a 0 no Pacaembu são mais um passo para evitar vexame histórico. Com 37, não está fora de perigo, mas deixou um monte de concorrentes para trás.

A vitória foi construída na escalação – com a entrada de Jucilei no meio e Edimar na lateral esquerda. E prosseguiu com a postura dentro de campo, sobretudo no primeiro tempo, quando surgiram os gols decisivos, com Pratto aos 13 e Hernanes aos 39.

Gols de dois dos mais experientes do grupo, dois que voltaram a ser essenciais na tarefa de Dorival Júnior de tirar o time da lama. A dupla deu conta do recado, na primeira parte. Na segunda, no período em que o Fla buscou reação, apareceu Sidão para fechar o gol. No mais, o restante da tropa paulista se sustentou bem, na tarefa de evitar novo tropeço.

Muito bem, a hora é de o torcedor são-paulino respirar aliviado, acreditar na permanência na elite e manter o apoio, como tem sido recorrente neste ano. (Mais de 32 mil estiveram no estádio histórico e que ainda pertence ao povo paulistano…)

Mas também cabem algumas reflexões. A primeira e mais óbvia: outra vez a comemoração é porque se evitou o mal maior e não uma conquista? Novamente, um dos clubes mais vencedores do futebol brasileiro passa por constrangimento? Ok, vale a brincadeira de que “time grande não cai”. Porém, é necessário lembrar que fugir do descenso não é coisa de time grande.

Time grande briga por títulos – e isso tem sido raro pelos lados do São Paulo há quase uma década. Não custa lembrar que, após o tri nacional de 206, 2007, 2008, só veio uma taça: a Sul-Americana de 2012, e ainda assim numa final esquisita contra um rival frágil.

A seca tricolor é enorme, a maior dos últimos 50 anos. Se passar em branco em 2018, completará uma década perdida. Perdida dentro de campo, com equipes medianas (ou medíocres) e nos bastidores, com uma política interna ultrapassada.

O são-paulino está aliviado, mas é pouco. Ele quer a volta de conquistas, como manda a tradição do clube.

Quem é quem?

Leia o post original por Rica Perrone

Se me contassem só o enredo eu até desconfiaria, mas como vi com meus próprios olhos, não tenho dúvidas. O São Paulo empurrado pela massa, jogando com  faca nos dentes e dividindo cada bola compensando qualquer falta de técnica com vontade. O Flamengo jogando de ladinho, olhando pro adversário, tentando o toque mais bonito. O …

Por que só jogador do Shakthar Donetsk na Seleção? Tem convênio com a CBF???

Leia o post original por Craque Neto

Tenho o maior respeito e admiração pelo Tite, hoje técnico da Seleção Brasileira. É inegável que esse cara vem fazendo um trabalho sensacional. Venceu quase todos os jogos das Eliminatórias e resgatou o amor que o povo brasileiro tem pelo time verde-amarelo. Agora tem determinadas coisas que acontecem por ali na CBF – e já vem de outras gestões de treinadores – que fica difícil de entender. Uma delas que é muito nítido é esse amor que todo mundo que assume o cargo tem pelos jogadores brasileiros que atuam pelo Shakthar Donetsk. Incrível!!! Se perguntar nas ruas do Brasil o […]

O post Por que só jogador do Shakthar Donetsk na Seleção? Tem convênio com a CBF??? apareceu primeiro em Craque Neto 10.

SP segue roteiro de Série B

Leia o post original por Antero Greco

É duro admitir, mas o São Paulo segue roteiro de Série B. O que acontece com ele é filme velho, repetido, visto anteriormente com outros grandes times nacionais. Com desfecho sofrido e invariável.

Os personagens e episódios são conhecidos: elenco bom, embora supervalorizado e que não rende o que se espera dele. Saída de jogadores durante a temporada, oscilação no desempenho e trocas de técnico. A isso se somam os tropeços em casa e o retrospecto ruim como visitante. Então, bate o desespero. Vem a queda.

Em certas ocasiões, ocorre o milagre da salvação em cima da hora. Aquela reviravolta sonhada, que transforma vilões em heróis. Como aconteceu anos atrás com o Fluminense.

E, pelo visto, é nisso que passarão a apostar os tricolores nas 15 rodadas restantes. Além de torcerem para que os diversos concorrentes da parte de baixo da classificação não deslanchem. Ou seja, uma combinação improvável, mas não impossível, de boas notícias.

Outra vez o São Paulo ficou no quase. No jogo com a Ponte Preta, na noite deste sábado, o time de Dorival Júnior não foi bem. Teve dificuldade para criar, chutou pouco a gol, no primeiro tempo, mas ainda festejou vantagem, com cobrança de falta perfeita de Hernanes. Ele mais uma vez. Sempre o Profeta, a estrela solitária da companhia.

No segundo, as coisas melhoraram, com o gol de Bruno aos 11 minutos. Alívio, festa para os 43 mil torcedores no estádio. A confiança de que por algumas horas a zona de rebaixamento ficaria para trás. A Ponte dava a impressão de estar perdida.

O pesadelo visto em outros jogos apareceu aos 19, com pênalti de Jucilei, que tomou cartão amarelo, a cobrança de Danilo e o gol. A síndrome do pânico tomo conta do São Paulo e fez estrago aos 30, com o empate em lance de Leo Gamalho. E foi a Macaca quem teve chance de virar, em outras duas boas jogadas.

O São Paulo ruiu ao ficar com um a menos e ao ceder a igualdade. Sobressaiu o nervosismo, os erros vieram à tona, se acumularam passes errados. A bola queimava os pés dos jogadores.

As duas semanas de treinamentos não serviram para nada. Ou melhor: serviram para mostrar que, além de limitação técnica, o São Paulo está mal da cabeça. O psicológico parece lá embaixo, como a pontuação na tabela.

Dias tensos no Morumbi.

 

Não adianta homeopatizar a queda

Leia o post original por Rica Perrone

Todo saopaulino que encontro puxa o mesmo assunto: o possível rebaixamento. Diante de um rival bancamos firmes e valentes que “nem fudendo”. Entre nós, como toda torcida, a conversa é outra. Saopaulino é o cara que menos quer cair no mundo. Ele passou a vida jurando que “ele não”. E quando alguém sugeria a idéia …

Não adianta homeopatizar a queda

Leia o post original por Rica Perrone

Todo saopaulino que encontro puxa o mesmo assunto: o possível rebaixamento. Diante de um rival bancamos firmes e valentes que “nem fudendo”. Entre nós, como toda torcida, a conversa é outra. Saopaulino é o cara que menos quer cair no mundo. Ele passou a vida jurando que “ele não”. E quando alguém sugeria a idéia …