Arquivo da categoria: hipocrisia

Precisamos falar sobre o Instagram

Leia o post original por Rica Perrone

Ele não tem culpa. Aliás, é extremamente competente na arte de nos jogar na cara o que negamos por um século: “sim, a opinião alheia importa. E pra caralho!”.

“Mas eu não posto pros outros…”, não fode. Então bota no mural de casa a foto.

O entendimento de que ali é uma ferramenta para se contar vitórias é que nos falta.  Ninguém posta boleto, foto com dor de barriga no banheiro, nem o risoto queimado.

Ninguém posta foto dividindo conta no restaurante. Não se escreve na legenda: “esse famoso nem me conhece mas eu pedi a foto ele nem me olhou e tirou, e eu to aqui fingindo que somos parça”.

A vida que queremos mostrar não é a vida que temos. É a vida que eu quero que você saiba. Por ego, vaidade, ostentação, mera estratégia de marketing pessoal. Tanto faz. Eu nunca postei o quanto tenho de parcelas pra pagar do carro ainda. Nem vou.

O problema é quando as pessoas começam a se sentir inferiores por não ter a vida que eles assistem no Instagram.  Mesmo sabendo que ela não é real.

E então vem surgindo uma geração de pessoas malucas por um objetivo impossível, que é a vida perfeita.  Se em 30 segundos a Doriana enganou o Brasil com aquela família de lençóis brancos, imagina o que acontece na cabeça das pessoas vendo isso a cada 30 segundos, não mais por 30 segundos.

É mentira. É quase tudo mentira.

Sua foto é a sua melhor foto. Aquela que deu certo no angulo, a luz, o tapinha no photoshop. E por mais que a gente queira dar uma de diferentão e dizer que “nem se importa”,  o fato de estarmos na rede social implica em nos importarmos.

Gente, eu preciso dizer pra vocês algumas duras verdades.

Atriz gostosa tem diarréia. Maridos de terno fofos que postam a semana toda quanto amam a mulher, também traem.  Ator galã fica sem contrato e mantém a pose pegando até o último centavo de empréstimo no banco pra pagar o aluguel.

Dirigente torce contra o time pela força política e lá ta de camisa “juntão” com a massa que tá chateada pela crise.

Aquele jantar caro é permuta. As roupas que você não pode pagar são merchan.  E existe um aplicativo que clareia os dentes nas fotos.

Cachorro vomitando na sala ninguém posta.  Mas eles vomitam no sofá.

Ontem desejaram o corpo de uma menina que tem cancer no estomago. E pessoas chegando a dizer que “preferem ter a doença se for pra ter aquela barriguinha”.

Caras, é quase tudo mentira. Se espelhe no seu pai, no seu avô, não no seu youtuber favorito.  Até porque você jamais saberá de fato quem é o seu youtuber favorito.

E se souber… deixa pra lá.

abs,
RicaPerrone

Não vejo tantos fantasmas

Leia o post original por Rica Perrone

Talvez por estar meio desacreditado no ser humano, talvez por ser um cara prático. Mas eu não consigo ver metade dos fantasmas que a maioria vê no caso Jô. Foi mão. Ponto. Gol irregular e fim de conversa. A discussão é:  Ele deveria ter se acusado como fez Rodrigo Caio num lance contra ele uma …

Não vejo tantos fantasmas

Leia o post original por Rica Perrone

Talvez por estar meio desacreditado no ser humano, talvez por ser um cara prático. Mas eu não consigo ver metade dos fantasmas que a maioria vê no caso Jô. Foi mão. Ponto. Gol irregular e fim de conversa. A discussão é:  Ele deveria ter se acusado como fez Rodrigo Caio num lance contra ele uma …

Foda-se a Nigéria

Leia o post original por Rica Perrone

Faz quase 24 horas que um atentado aconteceu na Nigéria e mais de 80 pessoas morreram, entra elas diversas crianças, que inclusive foram queimadas vivas pelos terroristas. Você sabia? Não. Aposto que não.  Nem eu. E agora que sei, sigo meu dia normalmente, afinal, são só crianças pobres e pretas de um país onde eu …

Unidos da Hipocrisia…. Dez!

Leia o post original por Rica Perrone

Ah, minha Guiné Equatorial! Quantas e quantas noites de sono perdi pelo regime ditatorial que tantos irmãos atingem naquele país. São incontáveis as vezes que orei por eles. Que me neguei a receber um presente da Nike porque sei que sei da exploração de mão de obra pelo mundo. Me lembro como se fosse hoje […]

Que Copa no Brasil não seja símbolo de hipocrisia e injustiça

Leia o post original por Mion

Pênalti não existente em Fred deu início às desconfianças com relação a idoneidade desta Copa.

Pênalti não existente em Fred deu início às desconfianças com relação a idoneidade desta Copa.

Algo cheirava mal, estava latente. O caso do uruguaio Suárez fez implodir na Copa o sentimento de injustiça e manipulação do torneio. De uma hora para outra a mídia brasileira ignorou uma série de fatos, se fossem contra o Brasil, certamente ocuparia grandes espaços de indignação. Talvez por medo de levar a culpa pelo fracasso brasileiro. Felipão deu a entender isso e a partir dali houve uma mudança de comportamento de boa parte da mídia. A Copa corre sério risco de ser espelho da sociedade de nosso país, corrupção e hipocrisia vistas com certa complacência. Lá fora não é assim, as reações são proporcionais ao ato ilícito ou hipócrita.

Tudo começou com a penalidade máxima em Fred inventada pelo juiz japonês. Não pela “garfada” em si, mas a reação do técnico Luis Felipe Scolari. Com a maior cara lavada afirmou categoricamente que foi pênalti. Quando um repórter afirmou que milhares de pessoas não viram penalidade, respondeu: pra nós foi. Logo o Felipão, imagem de homem correto, justo, com personalidade e incorruptível. Ali deixou margem para todos os brasileiros refletirem: Scolari é o que parece, ou apenas interpreta aquele personagem idôneo. Scolari poderia se limitar a dizer: árbitro marcou e pronto, mas jamais afirmar algo tão absurdo.

Depois as denúncias na CNN ao entrevistar o diretor da Interpol sobre as investigações do órgão sobre manipulação de resultados na Copa. O técnico Van Gaal da Holanda deu mais uma pitada ao reclamar da falta de fair play da FIFA ao trocar ordem de jogos para beneficiar o Brasil. Não deu para escolher adversário porque quando a tabela foi confeccionada ninguém imaginava o país sede chegar na última rodada sem estar classificada. Havia certeza do Brasil atuar diante de Camarões já nas oitavas-de-final.

Aí chegamos ao caso fatídico de Suárez. Partiu como canibal para cima do italiano Chiellini. O juiz não viu, mas a entrada mais violenta do italiano viu e o expulsou, num lance em que amarelo não seria nenhum absurdo. Nem o bandeira observou a investida alucinada do uruguaio. Também me causou estranheza a escalação de um árbitro das Américas para apitar jogo decisivo entre uma seleção da América do Sul e outra europeia. Seria mais sensato escalar árbitro asiático ou africano, já que a rivalidade na Copa entre latinos e europeus é muito grande. A maior prova disso, brasileiros nos estádios torcem para seleções dos continentes americanos contra as do Velho Mundo.

Ao perceber o rolo em que se meteu Suárez agiu exatamente como Luis Felipe Scolari: negou que tivesse mordido. Usou da mesma hipocrisia e falta de decência. Em seguida, Lugano em entrevista coletiva deu o golpe de misericórdia: a FIFA não usou as imagens da cotovelada de Neymar no rosto do croata para aplicar alguma punição.   Uruguaios errados? Que nada ficou claro dolo de Neymar, bola estava no ar em ato contínuo deu uma braçada no rosto do adversário. Não houve banho de sangue, assim como na mordida também não teve. Vale o ato, Suárez recebeu uma punição pesada pelo ato em si, mesmo deveria acontecer com Neymar. O uruguaio recebeu 9 jogos porque é reincidente (nem vou me prender ao restante da punição), Neymar deveria receber de 1 a 2 jogos.

Agora um fato deve ser registrado. Se grande parte da imprensa “abrasileirou” em suas opiniões e comportamento, não ocorreu o mesmo com a maior parte do povo brasileiro. Não há mais aquela necessidade de ganhar de qualquer jeito. De levar vantagem sempre, talvez reflexo de tanto sofrer por ver tanta sujeira imperando na sociedade. O povão cansou e quer mais lisura. Que me desculpe parte da imprensa, ao contrário, vestiu a camisa de Felipão, faz vistas grossas para tudo que possa atrapalhar a “retumbante” caminhada ao hexa. A Copa está manchada e caso Brasil conquiste esta Copa temo a sexta estrela não terá nenhum brilho. Ao contrário, poderá ser símbolo da Copa da falta de fair play, hipocrisia e injustiça.