Arquivo da categoria: indisciplina

“O que se espera dele”

Leia o post original por Rica Perrone

Assisti atentamente alguns programas de TV nos últimos 3 dias em virtude de uma merda de pneumonia que arrumei. Fazia tempo que não fazia isso. Me arrependi, óbvio.  Mas algo me chamou atenção. De dia tinha um pessoal comparando Messi, Cristiano e Neymar, algo que toda vez que não há assunto pra mesa é convocado …

Para diretoria do São Paulo, indisciplina de Luis Fabiano faz parte de “pacote”

Leia o post original por Perrone

 

A diretoria do São Paulo tem mais paciência com os atos de indisciplina de Luis Fabiano do que até mesmo amigos do jogador.

Gente próxima ao atleta ficou surpresa por ele não ter sido punido pelo clube após a expulsão contra o Arsenal da Argentina. A avaliação é de que o atleta vira e mexe perde a cabeça por não ter medo de ser castigado pelo clube.

No ano passado, por exemplo, ele desfalcou o time na final da Conmebol, justamente por estar suspenso.

Mas a diretoria do São Paulo  discorda que erre na sua relação com o atacante. Sustenta  que o clube conhecia o temperamento de Luís Fabiano ao trazê-lo de volta. E que seu pavio curto faz parte do “pacote”.

O raciocínio é de que outros jogadores não são expulsos mas não têm a mesma qualidade do atacante. Então, vale a pena. A direção altega também que multou Luis Fabiano em outras oportunidades.

No caso específico do jogo com o Arsenal, uma das justificativas para não haver punição foi o relato de companheiros do atacante, como Fabrício. Eles confirmaram para a diretoria a versão do colega de que não exagerou ao reclamar com o juiz no final do jogo. Queria mais tempo para compensar paralisações durante a partida.

Para diretoria do São Paulo, indisciplina de Luis Fabiano faz parte de “pacote”

Leia o post original por Perrone

 

A diretoria do São Paulo tem mais paciência com os atos de indisciplina de Luis Fabiano do que até mesmo amigos do jogador.

Gente próxima ao atleta ficou surpresa por ele não ter sido punido pelo clube após a expulsão contra o Arsenal da Argentina. A avaliação é de que o atleta vira e mexe perde a cabeça por não ter medo de ser castigado pelo clube.

No ano passado, por exemplo, ele desfalcou o time na final da Conmebol, justamente por estar suspenso.

Mas a diretoria do São Paulo  discorda que erre na sua relação com o atacante. Sustenta  que o clube conhecia o temperamento de Luís Fabiano ao trazê-lo de volta. E que seu pavio curto faz parte do “pacote”.

O raciocínio é de que outros jogadores não são expulsos mas não têm a mesma qualidade do atacante. Então, vale a pena. A direção altega também que multou Luis Fabiano em outras oportunidades.

No caso específico do jogo com o Arsenal, uma das justificativas para não haver punição foi o relato de companheiros do atacante, como Fabrício. Eles confirmaram para a diretoria a versão do colega de que não exagerou ao reclamar com o juiz no final do jogo. Queria mais tempo para compensar paralisações durante a partida.

São Paulo pune, em média, um jogador indisciplinado por mês

Leia o post original por Perrone

Ao justificar para o blog a decisão de não confirmar se multou Luis Fabiano, Adalberto Baptista declarou que desde que assumiu a direção de futebol do São Paulo já aplicou 12 ou 13 sanções disciplinares. E que a maioria delas não chegou ao conhecimento do público.

Ele está no cargo há 13 meses. Ou seja, repreendeu em média um atleta por mês com multa ou advertência. O cartola não detalhou os casos.

Apesar de não falar se Luis Fabiano foi castigado por ter recebido três cartões amarelos em três jogos do clube pelo Brasileiro, o dirigente disse que o atacante não faz parte da dúzia de jogadores punidos anteriormente.

Jóbson assina sentença de morte

Leia o post original por Mion

Jóbson luta para acabar com a carreira. Desta vez deve conseguir.

A indisciplina no Bahia não apenas fecha mais um capítulo negativo na vida do atacante Jóbson como abre a maior incógnita em sua vida. A Corte Arbitral do Esporte pode entender a nova indisciplina como uma demonstração clara de falta de profissionalismo, de um caso perdido e assim usar de pretexto para a ampliação de sua punição por doping.

Jóbson é talentoso bem acima da média dos atacantes brasileiros. Infelizmente a falta de preparo psicológico e senso profissional atrapalham a sua trajetória. Todas as oportunidades foram dadas, jogou no Botafogo, Atlético Mineiro e agora Bahia. Para piorar a situação, trabalhou com dois técnicos considerados experts em lidar com jogadores problemáticos: Joel Santana e René Simões.

 Caso não receba uma nova pena, com certeza não terá mais espaço nos grandes clubes. O destino é jogar em um clube abaixo dos médios brasileiros e depois encerrar a carreira de forma melancólica e quem sabe na miséria.