Arquivo da categoria: Jadson

Última chance do último ‘tiriça’?

Leia o post original por Craque Neto

Quem acompanha minhas mídias sabe que na última temporada fui extremamente crítico ao elenco que a diretoria do Corinthians montou. Gastaram uma baita de uma grana e trouxeram uma legião de jogadores sem vontade e sem o ‘espírito’ para atuar no clube. Foram os casos principalmente do atacante Guilherme e do meia Marlone, ambos emprestados para outros corajosos times do futebol brasileiro. Outros dois, Marquinhos Gabriel e Giovanni Augusto ainda permanecem no elenco. O primeiro melhorou bastante. Tem ficado como opção no meio aos titulares Rodriguinho e Jadson e quando acionado tem executado bem a função. Sinceramente acho que merece […]

O post Última chance do último ‘tiriça’? apareceu primeiro em Craque Neto 10.

Corinthians dá até raiva…

Leia o post original por Antero Greco

Meu amigo, o Corinthians está tão ajustado, tão regulado, tão eficiente, tão consciente do que quer e como fazer que dá até raiva! Raiva para os adversários, que tentam de tudo e, ao menos nas 13 primeiras rodadas do Brasileiro, não sabem achar o caminho para derrotá-lo. Não é por acaso que lidera com uma folga absurda e aproveitamento que beira 90%.

Esse time cirúrgico, preciso, econômico e letal fez uma vítima de peso, nesta quarta-feira: foi ao Allianz Parque e lascou 2 a 0 no Palmeiras. Não só mateve a invencibilidade, como foi a 35 pontos e praticamente tirou um rival do caminho para o título. A não ser por uma improvável reviravolta, é bom o atual campeão nacional concentrar-se em Libertadores e Copa do Brasil.

O que se viu em campo foram duas situações claras e distintas: de um lado, o Corinthians certinho, a comportar-se como uma equipe com estratégia e tática definidas. De outro, um Palmeiras sob pressão e que agiu como um bando a correr pra cá e pra lá. Até ficou mais tempo com a bola nos pés, o que não significou absolutamente nada. Deu raros chutes a gol, não arrancou um suspiro da torcida. Não sujou o uniforme de Cássio.

O Corinthians teve a escalação habitual, que se repete desde o Paulista. Nenhuma surpresa, nenhuma mudança “para adequar-se ao jogo”. Mais um sinal de autoconfiança extraordinária, de quem tem ciência de que a preocupação é dos outros e não dele. Duas estocadas milimétricas resultaram nos gols – no pênalti sobre Arana convertido por Jadson, na etapa inicial, e no gol do próprio Arana, na segunda.

E o Palmeiras? Apareceu com mudanças na defesa (retorno de Dracena e Egídio), no meio-campo (Guerra de volta) e com o ataque formado por Roger Guedes, Dudu, Willian. Coordenação frágil, nervos à flor da pele, falta de criatividade e ausência de pontaria.

A vantagem alvinegra desmoronou a turma verde. Cuca ainda apelou para a entrada de Zé Roberto, Keno e Borja, mexeu um monte, como colocar Guedes na lateral, Mina à frente quase como centroavante, Keno e Dudu aberto pelos lados. Foi uma bagunça generalizada. E só. O Palmeiras afundou.

Entra rodada, sai rodada, todo mundo prevê a queda do Corinthians. E ela não vem. Ao contrário, só aumenta a gordura

INVICTO e fez do rival freguês na casa dele! Timão está MUITO FODA!

Leia o post original por Craque Neto

Após 26 jogos invictos na temporada eu pensei por alguns instantes que esse Dérbi contra o Palmeiras seria a oportunidade do Corinthians perder pela primeira vez no Campeonato Brasileiro. A torcida alviverde estava muito confiante até porque o Verdão completava quase um ano sem perder dentro do Allianz Parque. Casa cheia com mais de 40 mil torcedores com espírito de decisão. Todo mundo querendo jogar água no chopp corintiano. Mas esse pensamento passou rápido. Ainda mais quando vi as duas equipes entrando em campo. O técnico Cuca postou em uma equipe ofensiva com Roger Guedes, Dudu e Willian no ataque. […]

O post INVICTO e fez do rival freguês na casa dele! Timão está MUITO FODA! apareceu primeiro em Craque Neto 10.

Vixe, 3 a 0 fora o baile! Mão na taça?

Leia o post original por Craque Neto

O que foi o passeio do Corinthians hoje em Campinas, hein? Disputando a final do Paulistão contra o bom time da Ponte Preta, o Timão deitou e rolou. Jogou melhor os 90 minutos e mesmo tendo como principal destaque sua defesa, os caras de meio pra frente apresentaram o fino da bola. Méritos individuais principalmente para o Rodriguinho, que nesse campeonato tem levado os companheiros nas costas. Impressionante! Marcou dois gols e tomou conta do meio-campo alvinegro. Até o Jadson, que não está bem fisicamente, deixou a marca dele. Formando um placar de 3 a 0 que dificilmente será revertido […]

O post Vixe, 3 a 0 fora o baile! Mão na taça? apareceu primeiro em Craque Neto 10.

Resultado melhor do que o desempenho

Leia o post original por Flavio Prado

Foto:Sergio Barzaghi/Gazeta Press

O empate contra a Ponte Preta em Campinas foi bom para o Corinthians. O time não apresentou um bom futebol e escapou da derrota.

Nos jogos contra Santos e Luverdense, a equipe mostrou evolução na parte ofensiva, mas em Campinas lembrou o time dos jogos anteriores, lento na troca de passes e com pouca intensidade.

Jádson acrescenta qualidade, mas ainda não está inteiro fisicamente, a sequência de jogos pesou para o meia que foi substituído por Marlone na segunda etapa.

O ano de 2017 é de reconstrução no Corinthians. A primeira etapa de reconstrução defensiva funcionou, ofensivamente o time dá sinais de melhora, mas ainda não consegue ter uma boa regularidade no nível de atuação. Dentro das possibilidades, o ano é bom até aqui para o Corinthians, nas copas pode até obter sucesso, no Brasileiro por pontos corridos não tem como sonhar tão alto.

Corinthians mostra evolução ofensiva

Leia o post original por Flavio Prado

No primeiros jogos do ano, Fábio Carille tinha clara preocupação com o sistema defensivo do Corinthians. No segundo turno do Brasileiro do ano passado, o time perdeu a consistência que mostrava nos anos anteriores.

O Corinthians voltou a ser time difícil de ser batido. Cássio trabalha pouco em 2017, mas o time criava muito pouco, nos jogos contra Santo André, Novorizontino e Brusque a dificuldade no setor ofensivo foi evidente.

Parece que o Corinthians entrou em um novo estágio do trabalho. Nos últimos jogos, o time procura ficar mais com a bola e trocar passes. Algumas peças se encaixaram muito bem no time. Jádson chegou e melhorou a criação da equipe, jogando da direita pro meio, do outro lado um jogador mais agudo e de chegada ao ataque.

Guilherme Arana e Maycon retornaram da seleção sub-20 e entraram muito bem no time. Arana é um jogador técnico, tem bom passe e precisão nos cruzamentos, evoluiu na marcação. Maycon deu dinâmica e força ao meio-campo. Marca e tem força para chegar no ataque, além do bom passe na saída de bola.

Sem cláusula de renovação automática, estafe muda planos para Jadson

Leia o post original por Perrone

O fato de não conseguir um contrato por três anos com o Corinthians mudou os planos do estafe de Jadson para o atleta. O acordo final não prevê nem renovação automática dependendo do número de partidas disputadas por ele, diferentemente do que chegou a ser discutido. Depois de dois anos, se as partes quiserem renovar, terão que iniciar outra negociação. Os representantes do atleta negam que tenham tentado incluir no documento o gatilho que aumentaria o prazo de permanência do jogador no clube dependendo de suas participações, apesar de confirmarem o interesse em vínculo de três anos.

Antes a intenção era tentar compensar o dinheiro que o meia deixou de receber ao rescindir seu compromisso com o chinês Tianjin Quanjian, que iria até dezembro deste ano, e consolidar a identificação do jogador com o alvinegro em três novas temporadas.

Agora, porém, ganha ainda mais importância uma sequência de boas atuações para tentar conquistar vaga na seleção brasileira pensando na Copa da Rússia, no ano que vem, e obter uma valorização justamente quando o meia já poderá assinar pré-contrato com outro clube. O Mundial terminará em julho. O contrato de Jadson valerá até 31 de dezembro de 2018. A partir de seis meses antes do fim do compromisso o atleta está liberado para assinar pré-contrato.

A insistência corintiana em não aceitar o terceiro ano de contrato chateou os representantes de Jadson que interpretaram a atitude como desconfiança no potencial do jogador para seguir a carreira aos 36 anos, idade que terá em 2019. Já a direção alvinegra manifestou internamente o receio da repetição do caso Cristian, 33 anos, veterano com salário top e que não está mais nos planos do clube, apesar de ainda ter contrato. Ele retornou ao Corinthians em 2015 e assinou por três temporadas.

Outro ponto que desagradou ao estafe de Jadson durante a negociação foi que ao mesmo tempo em que a idade parecia ser um problema para a diretoria, o clube tentava contratar Drogba, jogador de 38 anos e salário elevado.

Além de não haver previsão de renovação automática, o novo compromisso de Jadson tem cláusula de saída, que obriga o Corinthians a vender o meia ou equiparar a oferta salarial se aparecer proposta na quantia combinada. O blog não teve acesso a esse valor.