Arquivo da categoria: Jadson

Vixe, 3 a 0 fora o baile! Mão na taça?

Leia o post original por Craque Neto

O que foi o passeio do Corinthians hoje em Campinas, hein? Disputando a final do Paulistão contra o bom time da Ponte Preta, o Timão deitou e rolou. Jogou melhor os 90 minutos e mesmo tendo como principal destaque sua defesa, os caras de meio pra frente apresentaram o fino da bola. Méritos individuais principalmente para o Rodriguinho, que nesse campeonato tem levado os companheiros nas costas. Impressionante! Marcou dois gols e tomou conta do meio-campo alvinegro. Até o Jadson, que não está bem fisicamente, deixou a marca dele. Formando um placar de 3 a 0 que dificilmente será revertido […]

O post Vixe, 3 a 0 fora o baile! Mão na taça? apareceu primeiro em Craque Neto 10.

Resultado melhor do que o desempenho

Leia o post original por Flavio Prado

Foto:Sergio Barzaghi/Gazeta Press

O empate contra a Ponte Preta em Campinas foi bom para o Corinthians. O time não apresentou um bom futebol e escapou da derrota.

Nos jogos contra Santos e Luverdense, a equipe mostrou evolução na parte ofensiva, mas em Campinas lembrou o time dos jogos anteriores, lento na troca de passes e com pouca intensidade.

Jádson acrescenta qualidade, mas ainda não está inteiro fisicamente, a sequência de jogos pesou para o meia que foi substituído por Marlone na segunda etapa.

O ano de 2017 é de reconstrução no Corinthians. A primeira etapa de reconstrução defensiva funcionou, ofensivamente o time dá sinais de melhora, mas ainda não consegue ter uma boa regularidade no nível de atuação. Dentro das possibilidades, o ano é bom até aqui para o Corinthians, nas copas pode até obter sucesso, no Brasileiro por pontos corridos não tem como sonhar tão alto.

Corinthians mostra evolução ofensiva

Leia o post original por Flavio Prado

No primeiros jogos do ano, Fábio Carille tinha clara preocupação com o sistema defensivo do Corinthians. No segundo turno do Brasileiro do ano passado, o time perdeu a consistência que mostrava nos anos anteriores.

O Corinthians voltou a ser time difícil de ser batido. Cássio trabalha pouco em 2017, mas o time criava muito pouco, nos jogos contra Santo André, Novorizontino e Brusque a dificuldade no setor ofensivo foi evidente.

Parece que o Corinthians entrou em um novo estágio do trabalho. Nos últimos jogos, o time procura ficar mais com a bola e trocar passes. Algumas peças se encaixaram muito bem no time. Jádson chegou e melhorou a criação da equipe, jogando da direita pro meio, do outro lado um jogador mais agudo e de chegada ao ataque.

Guilherme Arana e Maycon retornaram da seleção sub-20 e entraram muito bem no time. Arana é um jogador técnico, tem bom passe e precisão nos cruzamentos, evoluiu na marcação. Maycon deu dinâmica e força ao meio-campo. Marca e tem força para chegar no ataque, além do bom passe na saída de bola.

Sem cláusula de renovação automática, estafe muda planos para Jadson

Leia o post original por Perrone

O fato de não conseguir um contrato por três anos com o Corinthians mudou os planos do estafe de Jadson para o atleta. O acordo final não prevê nem renovação automática dependendo do número de partidas disputadas por ele, diferentemente do que chegou a ser discutido. Depois de dois anos, se as partes quiserem renovar, terão que iniciar outra negociação. Os representantes do atleta negam que tenham tentado incluir no documento o gatilho que aumentaria o prazo de permanência do jogador no clube dependendo de suas participações, apesar de confirmarem o interesse em vínculo de três anos.

Antes a intenção era tentar compensar o dinheiro que o meia deixou de receber ao rescindir seu compromisso com o chinês Tianjin Quanjian, que iria até dezembro deste ano, e consolidar a identificação do jogador com o alvinegro em três novas temporadas.

Agora, porém, ganha ainda mais importância uma sequência de boas atuações para tentar conquistar vaga na seleção brasileira pensando na Copa da Rússia, no ano que vem, e obter uma valorização justamente quando o meia já poderá assinar pré-contrato com outro clube. O Mundial terminará em julho. O contrato de Jadson valerá até 31 de dezembro de 2018. A partir de seis meses antes do fim do compromisso o atleta está liberado para assinar pré-contrato.

A insistência corintiana em não aceitar o terceiro ano de contrato chateou os representantes de Jadson que interpretaram a atitude como desconfiança no potencial do jogador para seguir a carreira aos 36 anos, idade que terá em 2019. Já a direção alvinegra manifestou internamente o receio da repetição do caso Cristian, 33 anos, veterano com salário top e que não está mais nos planos do clube, apesar de ainda ter contrato. Ele retornou ao Corinthians em 2015 e assinou por três temporadas.

Outro ponto que desagradou ao estafe de Jadson durante a negociação foi que ao mesmo tempo em que a idade parecia ser um problema para a diretoria, o clube tentava contratar Drogba, jogador de 38 anos e salário elevado.

Além de não haver previsão de renovação automática, o novo compromisso de Jadson tem cláusula de saída, que obriga o Corinthians a vender o meia ou equiparar a oferta salarial se aparecer proposta na quantia combinada. O blog não teve acesso a esse valor.

 

Jadson quer 3 anos de contrato para compensar dinheiro que deixou na China

Leia o post original por Perrone

A conversa entre a Think Ball, empresa que representa Jadson, e a diretoria do Corinthians nesta sexta-feira (27) evoluiu em relação aos detalhes financeiros, mas travou no tempo de contrato. A negociação segue, porém, o meia insiste em três anos de compromisso, enquanto o clube oferece dois. Mas qual a justificativa de Jadson para insitir em três temporadas?

O blog apurou que a explicação dada internamente pelo estafe do atleta é de que ele deixou de ganhar uma quantia importante ao rescindir seu contrato com o Tianjin Quanjian, clube com o qual tinha compromisso até dezembro deste ano por um salário muito maior em relação ao que vai receber no Brasil. Assim, os representantes de Jadson passaram a fazer as contas tendo em mente recuperar o máximo possível das receitas que o atleta deixará de embolsar. Por essa versão, a quantia a ser gerada no terceiro ano é considerada fundamental em termos de compensação.

O salário de Jadson na China não foi revelado, mas era superior a R$ 1 milhão por mês. Também não foi divulgado quanto ele deixou de ganhar ao assinar a rescisão.

Conforme noticiado pelo UOL Esporte, a oferta corintiana feita na sexta foi de R$ 450 mil mensais e luvas de R$ 3 milhões diluídas ao longo do contrato. Em dois anos, ele receberia R$ 14,7 milhões. Nesses moldes, o terceiro ano renderia mais R$ 5.850.000.

Porém, as contas que os corintianos fazem levam em consideração, além das cifras, a idade do meia. Hoje com 33 anos, ele chegaria aos 36 no último ano do contrato por três emporadas. Daí bate a insegurança nos cartolas alvinegros sobre com qual fôlego ele estaria.

Jadson deixou a China porque seus representantes temiam que ele ficasse na reserva, já que o Tianjin decidiu trazer novos estrangeiros após vencer a Segunda Divisão local. Cinco podem ser inscritos, mas apenas três têm autorização para atuar em cada partida. Segundo explicação dada por Marcelo Robalinho, CEO da empresa que cuida da carreira de Jadson, como o clube chinês decidiu pagar salários ainda maiores para os novatos, os representantes do jogador acharam justo pedir uma renovação contratual com equiparação salarial. A contraproposta chinesa não agradou e foi feito o acordo para a rescisão.

Agora o meia tem pressa para decidir seu futuro, mas, como ele deu prioridade para o Corinthians, nenhuma negociação será tocada até as conversas com os alvinegros serem encerradas.

Mercenário? Jadson se assusta com críticas de corintianos na internet

Leia o post original por Perrone

Depois de cerca de 14 horas de voo em seu retorno ao Brasil, vindo da China, Jadson aproveitou uma escala em paris para ligar o celular e acessar a internet. Teve uma surpresa negativa. Parcela da torcida do Corinthians o chamava de mercenário em diferentes fóruns e pedia para que ele seguisse no futebol chinês, pouco depois da rescisão contratual com o Tianjin Quanjian.

Apesar de muitos torcedores pedirem seu retorno, o meia ficou assustado com a rejeição parcial, de acordo com gente próxima a ele. Quem convive com o jogador diz que a preferência declarada pelo Corinthians se justifica pelo fato de ele conhecer o clube e ser ídolo da torcida, o que facilitaria a readaptação ao futebol brasileiro. E que as ofensas o fizeram enxergar outro lado da moeda e pensar com mais cuidado se vale, por exemplo, recusar uma oferta financeiramente melhor para retornar ao alvinegro.

A reação negativa de parte da Fiel aconteceu por causa do noticiário a respeito de seus empresários terem pedido luvas de R$ 10 milhões para concretizarem a transferência. Os agentes do jogador negam que essa tenha sido a pedida, mas não falam sobre valores da negociação, que segue em andamento.

Nos bastidores, representantes do meia declaram existirem outros clubes interessados no atleta. Um deles, o Atlético-MG, já teria oferecido mais do que o time paulista. O Corinthians vive acentuada crise financeira e espera que a afinidade de Jadson com o clube pelo qual foi campeão brasileiro em 2015 pese.

Apesar da surpresa com as críticas feitas por parte dos torcedores, Jadson já havia sido chamado de mercenário na internet por torcedores descontentes com a sua ida para o futebol chinês.

Na noite desta terça, os comentários mais recentes na conta do jogador no Twitter eram de apoio dos corintianos.

Jadson, Anderson ou Wagner: quem o Timão deveria escolher?

Leia o post original por Milton Neves

trio timao

O Corinthians, que ainda não anunciou nenhuma contratação de impacto para 2017, agora corre atrás de um meia de renome para reforçar o seu discreto elenco.

De acordo com o jornal Lance!, o Timão negocia com três jogadores: Jadson, Wagner e Anderson.

No entanto, o Alvinegro terá que se contentar apenas com um nome deste trio.

E então, em quem o Corinthians deveria apostar?

E, honestamente, só um jogador deste trio conseguirá resolver o problema do Timão?

Opine!