Arquivo da categoria: Jô

Velloso: Timão tem que reconstruir o elenco para 2018

Leia o post original por Craque Neto

O ex-goleiro e comentarista acredita que, para manter o ritmo que teve esta temporada, o Timão precisa reconstruir seu elenco após a possível saída de jogadores importantes como Guilherme Arana, Pablo e Jô.

O post Velloso: Timão tem que reconstruir o elenco para 2018 apareceu primeiro em Craque Neto 10.

Corintianíssimo!

Leia o post original por Rica Perrone

Do remanescente Cássio ao novo ídolo Carille. Da volta do Jadson ao talento oscilante de Rodriguinho.  Da quarta força ao título brasileiro, esse Corinthians é no mínimo corintiano.

Colocado em dúvida. Sem ser galático, porque ali brilha quase sempre mais o clube do que o ídolo. Um monte de jogadores com pontos de interrogação na cabeça que hoje saem coroados por um título improvável.

Embora o corintiano vá dizer que sempre acreditou, é mentira dele. Quando o ano começou ele mesmo reclamava e dizia que “esse time” não era suficiente.  Mas talvez por não ser se tornou um time. E futebol, hoje, ganha quem tem time e não quem tem jogadores.

Esse Corinthians é chato. Não joga bonito, até porque nem pode.  Mas joga o que dá, como precisar, até que a vitória venha.

Trata-se de uma discussão meio boba o futebol apresentado. Primeiro porque no primeiro turno foi sim um futebol bem jogado. Mas estudam, aprendem, o time sente, cansa, não tem peças sobrando, se torna previsível e ainda assim manteve o título e o conquistou antecipadamente.

Não há “poréns”.

Todos os jogadores entenderam seu papel para criar uma engrenagem que não era provável que funcionasse tão bem. Carille, o autor intelectual deste Corinthians,  nunca forçou uma forma de jogar acima dos limites do que tinha em mãos. Nunca perdeu a linha, o controle e a convicção.

Esse Corinthians pouco brilhante é memorável não só pela conquista, mas pela identificação com a sua história.  Aguerrido, desacreditado, sem nenhuma estrela acima do escudo do clube, e vencedor.

Um Corinthians corintianíssimo! E portanto, campeão.

abs,
RicaPerrone

Corinthians, sem dúvida

Leia o post original por Antero Greco

Título tem de vir de forma incontestável, sem choro nem vela. Com autoridade, com vitória, que é pra ninguém botar defeito. Quer dizer, os outros torcedores chiam, reclamam, desdenham, mas isso faz parte do futebol…

Pois bem, o Corinthians fechou com antecedência, e em grande estilo, a caminhada rumo ao sétimo título do Brasileiro, ao lascar 3 a 1 no Fluminense, na noite deste 15 de novembro. Fez a festa em casa, em Itaquera, mesmo sem a presença da taça.

(Ah, a CBF não quis levar o troféu, porque o clássico acabou tarde e iria prejudicar a volta do torcedor pra casa. Conta outra… Por que não marcaram o jogo para a tarde?)

Deixa pra lá. O que importa é que, com ou sem medalha, taça e rococós, o Corinthians consolidou campanha vitoriosa com resultado incontornável. Com uma ligeira pitada de ansiedade, na forma do gol sofrido com um minuto, em cabeçada de Henrique.

A vantagem tricolor deixou apenas o jogo mais elétrico e fez com que o Corinthians se lançasse à frente desde o início. Encontrou dificuldade no primeiro tempo, ao não encaixar com frequências jogadas de ataque. O Flu, que precisava ganhar, ficou ali, a se segurar.

A história mudou em três minutos, na etapa final. Tempo suficiente para Jô fazer os dois gols que iniciaram a virada. Duas arrancadas, dois vacilos do Flu e a euforia no estádio. Dali em diante só deu Corinthians, com a certeza de que não seria mais surpreendido. E, para não dar sopa pro azar, veio o gol de Jadson, para fechar a conta.

O Corinthians é campeão nacional de 2017 por merecimento. Superou os demais pela regularidade, pela eficiência, pela simplicidade. Nem as turbulências no returno foram suficientes para tirá-lo do prumo.

Os outros não tiveram competência sequer para fazer cócegas no líder. Ah, o nível não é dos melhores? Sim, e daí? Por acaso foi nos últimos anos? A decadência surgiu agora? Assim como houve reconhecimento para as conquistas de São Paulo, Flamengo, Fluminense, Cruzeiro, Palmeiras, para ficar na história recente, o mesmo vale agora para o Corinthians.

Papo de apito amigo, de pouco empenho de outros concorrentes, são apenas amenidades para os torcedores “inimigos”. Zoeira é do futebol, assim como a taça de 2017 é do Corinthians. E vida que segue.

Parabéns aos corintianos!

 

Saber amar

Leia o post original por Rica Perrone

Todos os clubes passam por momentos ruins dentro de uma temporada.  Alguns passam a maior parte do tempo, outros um curto período. Seja qual for, é suficiente para inflamar a torcida contra ele. Em 99% dos casos se “cobra” mesmo diante de um time que não merece. Em 1% dos casos se faz diferente, e …

Em meio à tensão, falta calma para jogadores experientes do Corinthians

Leia o post original por Perrone

Diretoria, comissão técnica e torcida esperam que os jogadores mais experientes do Corinthians ajudem a controlar os nervos do time na reta final do Brasileirão. O clube está pressionado pela má campanha no segundo turno e tem um jogo decisivo contra o Palmeiras no próximo domingo. Se perder, verá o rival ficar a só dois pontos de diferença, na segunda posição na tabela. Porém, recentemente, os mais rodados do elenco têm mostrado falta de tranquilidade em momentos cruciais. Confira abaixo.

Jô, 30 anos

Chutou Rodrigo, da Ponte Preta, no último domingo, sem bola, e vai ser julgado pelo STJD. Pode pegar de quatro a 12 jogos de suspensão. Já tinha sido expulso por cometer falta violenta no empate sem gols com o Rancing, em Itaquera, na eliminação corintiana na Copa Sul-Americana.

Rodriguinho, 29 anos

Também na queda diante do Racing ficou apenas três minutos em campo após sair do banco de reservas. O tempo foi suficiente para dar uma entrada violenta num adversário e levar cartão vermelho.

Jadson, 34 anos

O meia se envolveu em polêmica no último jogo, contra a Ponte, ao se recusar a deixar Clayson cobrar falta. O companheiro não escondeu a irritação com o colega.

Cássio, 30 anos

Numa atitude de desespero, deixou sua meta no final da partida contra o Bahia em Salvador, para tentar ajudar o ataque. Nada conseguiu. O alvinegro perdeu a bola e, com a meta abandonada, tomou o segundo gol, marcado por Régis, que decretou a vitória baiana por 2 a 0.

Fagner, 28 anos

Também em Salvador, falhou no primeiro gol do Bahia. Em vez de jogar a bola para fora, tentou passar por um adversário com ela nos pés. Acabou entregando a bola de graça. “Fui tentar limpar o lance e falhei, foi falta de fazer o simples. Fui responsável pelo resultado. Foi erro meu”, afirmou o lateral após a derrota.

Braghetto: Jô sofreu pênalti no jogo contra o Botafogo

Leia o post original por Craque Neto

De acordo com o ex-árbitro Rodrigo Braghetto, o centroavante Jô sofreu um ‘carrinho’ do zagueiro Igor Rabelo, dentro da área do Botafogo. Além disso, ele ressaltou que o árbitro adicional poderia ter validado o pênalti a favor do Timão.

O post Braghetto: Jô sofreu pênalti no jogo contra o Botafogo apareceu primeiro em Craque Neto 10.

Presidente admite dívida com dois, mas outros atletas cobram o Corinthians

Leia o post original por Perrone

Roberto de Andrade afirmou nesta quinta (26) ao canal Fox Sports que o Corinthians deve luvas apenas para Jô e Gabriel entre os jogadores do elenco. Em seguida, disse que com o volante está tudo praticamente em dia. Porém, internamente, os estafes de pelo menos mais dois atletas cobram o clube: Jadson e Pedrinho.

Em ambos os casos os valores alegados são referentes a luvas. Em relação a Jadson, a cobrança feita junto à diretoria é de parte de uma parcela que deveria ter sido paga logo após o retorno dele ao time, no início do ano, e outra vencida em outubro. Com Pedrinho a conta é de três parcelas de luvas atrasadas.

Além das luvas, são contabilizadas comissões que não teriam sido pagas aos agentes dos dois jogadores.

A assessoria de imprensa do Corinthians afirmou que o clube não comentará o assunto e que se há algum problema os empresários entram em contato com a diretoria. Emerson Piovezan, diretor financeiro, e Flávio Adauto, diretor de futebol, não responderam até a publicação deste post às mensagens enviadas pelo blog.

Integrantes dos estafes de Jadson e Pedrinho também não quiseram dar entrevista sobre o tema.

Carille tem quase um time PENDURADO! E daí???

Leia o post original por Craque Neto

O Corinthians que entrará em campo no próximo domingo contra a Ponte Preta terá quase que um time completo de jogadores pendurados com dois cartões amarelos. Ou seja, qualquer vacilo poderá ficar suspenso da partida decisiva contra o Palmeiras na outra semana. No total são oito atletas que Carille tem que ficar esperto. Entre eles nomes importantes do elenco como o goleiro Cássio, o zagueiro Balbuena, o volante Gabriel, os meias Jadson e Rodriguinho, além do atacante e artilheiro Jô. O que fazer??? NADA! Isso mesmo! Não acho que o Corinthians deverá tirar o pé de alguma jogada contra a […]

O post Carille tem quase um time PENDURADO! E daí??? apareceu primeiro em Craque Neto 10.

Pênalti? O Corinthians tem mais a lamentar…

Leia o post original por Antero Greco

Os corintianos ficaram fulos com a arbitragem, por entenderem que Jô sofreu pênalti em disputa com Igor Rabello, nos segundos finais do jogo com o Botafogo. Lance no mínimo discutível. Se a falta fosse marcada, quem sabe o destino do duelo seria outro, que não a derrota por 2 a 1, a quinta do líder no campeonato, e todas no returno?

Porém, mais do que lamentar uma jogada que representaria a cartada final, a turma do Corinthians precisa rever que trajetória traça na segunda parte da competição. A primeira foi perfeita, a melhor da história. Impecável, proeza que sequer Barcelona, Real Madrid, Bayern e outros grandões fariam, em seus países nem aqui.

Mas, e agora?

Agora virou time comum, com algumas qualidades e os muitos defeitos dos demais concorrentes – ou ao menos daqueles que o perseguem. O Corinthians de sintonia fina e invejável, de aproveitamento máximo, de equilíbrio irritante, ficou no passado, nas 19 rodadas iniciais da Série A. Ultimamente, o que se vê é o acúmulo de falhas, a perda da eficiência, o crescimento da preocupação. E a sombra dos concorrentes a crescer.

Não que tenha jogado mal na noite desta segunda-feira. A derrota no Engenhão não entra na conta das apresentações sem graça. No entanto, ela é consequência da queda de produção. Antes os adversários temiam os alvinegros; neste momento, o encaram confiantes na possibilidade de pará-lo, porque tem sido rotineiro. Afinal, em dez rodadas do returno, eram 4 derrotas, 3 empates e 3 vitórias.

O Corinthians vulnerável foi o que animou o Botafogo a partir para cima, sem o medo de que estaria à mercê de contragolpes milimetricamente decididos. Nada. O primeiro tempo foi até morno demais, sem grandes emoções, exceto uma finalização de Marquinhos Gabriel que acertou o travessão do gol de Gatito Fernandes.

No segundo tempo, se impôs o mau pedaço corintiano. Começou com o gol de Brenner, aos cinco minutos, após cobrança de escanteio. Jô empatou pouco depois. Mas, em novo escanteio, aos 30, Igor Rabello de cabeça fez o gol da vitória.

E o Corinthians praticamente não criou oportunidades, não testou os reflexos de Gatito, não se comportou com a autoridade de quem está na ponta há muito tempo. Ao contrário, foi à frente com tudo, para ver no que ia dar. E deu a quinta derrota no segundo turno.

O que parecia questão de tempo para se transformar no título brasileiro mais fácil virou uma tarefa mais complicada. Ok, o Corinthians tem 6 pontos a mais do que Palmeiras e Santos, depende só de si. Mas ele não se tem ajudado. Eis o problema.

 

Sem Jô o Corinthians PERDE o Brasileirão!

Leia o post original por Craque Neto

O departamento médico do Corinthians divulgou nesta quinta-feira que o atacante Jô, um dos principais artilheiros desse Brasileirão, vai desfalcar o time do técnico Fábio Carille por conta de uma contratura na panturrilha da perna esquerda. Segundo diagnóstico ele deverá ficar 10 dias fora dos gramados. Posso falar a verdade? Hoje o esquema tático do Timão depende essencialmente do camisa 7. Se por um acaso esse período de inatividade se alongar o heptacampeonato corintiano ficará bem ameaçado. O torcedor mais otimista vai me perguntar: ‘Como assim? Um jogador só faz tanta diferença assim?’. No caso do Corinthians 2017 faz sim. […]

O post Sem Jô o Corinthians PERDE o Brasileirão! apareceu primeiro em Craque Neto 10.