Arquivo da categoria: Malcom

Coincidências do futebol

Leia o post original por Craque Neto

A cada dia que passo fico mais impressionado com as coincidências que o futebol provoca. Sobretudo o esporte aqui no Brasil. Uma semana antes de receber essa foto tinha ficado sabendo que o atacante Malcom, ex-Corinthians, estava prestes a ter seus direitos federativos negociados com um outro clube europeu. E para minha surpresa aparecem publicamente o jogador ao lado do atual deputado federal Andrés Sanchez, o empresário Fernando Garcia, que seria o agente do jogador, e seu sócio Guilherme Miranda. Aí pergunto a vocês, caros amigos, o que estaria fazendo o nobre deputado na França? Passeando? Questionado sobre o fato […]

O post Coincidências do futebol apareceu primeiro em Craque Neto 10.

Saída de um para compensar a permanência do outro?

Leia o post original por Craque Neto

Foi noticiado por um jornal forte da Europa que o Corinthians está negociando os direitos federativos do lateral Guilherme Arana com o Bayer Leverkusen da Alemanha. Entretanto fiquei sabendo que abriu uma nova possibilidade do jovem corintiano ir para o Bordeaux da França. Essa transação seria firmada para conseguir viabilizar a contratação do zagueiro Pablo em definitivo. Segundo avaliação de todos o defensor é uma realidade e valeria cada centavo de investimento. O Timão precisa pagar ao Bordeaux aproximadamente R$ 10 milhões para ficar com Pablo. Já os valores envolvendo o Arana é bem maior e seria pago como diferença. […]

O post Saída de um para compensar a permanência do outro? apareceu primeiro em Craque Neto 10.

‘Perdi mais do que lucrei no Corinthians’, diz agente de Malcom e outros 8

Leia o post original por Perrone

Ele é chamado por torcedores e críticos dentro do clube de dono do Corinthians pela quantidade de jogadores que tem lá. Mas afirma que contabiliza mais prejuízos no Parque São Jorge do que lucro.

É visto por seus detratores como um mal para o alvinegro, porém, diz que ajudou o clube até emprestando dinheiro para o pagamento de uma dívida com Pato.

Foi vítima de zombaria de colegas por demorar a vender Malcom, agora diz que o atacante de 18 anos em breve estará entre os Top 10 do mundo após se transferir para o Bordeaux.

É agente de André, atacante contestado por seu currículo na noite, entretanto atesta que o cliente hoje é exemplo de jogador que sabe se cuidar.

Abaixo, saiba mais sobre as negociações e o que pensa o empresário Fernando Garcia, um dos agentes mais influentes na equipe da Zona Leste e irmão de Paulo Garcia, ex-candidato à presidência do clube. Fernando concedeu entrevista ao blog na noite desta sexta, por telefone.

O Corinthians vai ficar com 15% dos 5 milhões de euros que o Bordeaux vai pagar pelo Malcom já que vocês venderam só 50% dos direitos econômicos? O clube receberá 15% dos 50% de uma futura venda certo?

Você é jornalista esportivo ou econômico pra falar de valores e porcentagens? Não fica falando de valores, é perigoso, tem risco de sequestro.

Outros empresários falaram que você não conseguia vender o Malcom…

Vendi. Foi um tapa em quem falava isso. Pede pra esses que te falaram isso serem homens e se apresentarem. Falem quem são, que jogadores venderam. Você deveria publicar o nome de quem falou. Você não pode trabalhar com a informação pela metade. Falou meu nome, fala o deles também.

A venda do Malcom foi feita por meio dos dois empresários (um alemão e um português) para quem você tinha prometido metade da sua comissão?

Não. Vendi com o Charles, um amigo francês que mora no Brasil. Eu estava trabalhando faz tempo nessa venda. Eles (representantes do Bordeaux, estiveram aqui no ano passado pra ver o Malcom contra o Santos pela Copa do Brasil. Mas ele foi mal. Em seguida, viram o jogo com o Cruzeiro. Daí ele foi bem e começamos a conversar. Agora anota aí, mudo de nome se o Malcom não estiver entre os Top 10 do mundo com 23 anos.

Como ficou a divisão da venda dos 50%?

Eu tenho 40% dos direitos, o Corinthians 30% e não sei quem tem mais 30%. Todos venderam a metade que tinham e receberão a outra metade numa futura venda. O Corinthians ainda vai ficar com mais uma porcentagem que é do mecanismo de solidariedade da Fifa, que protege o clube formador. Eu paguei R$ 2,5 milhões por 30% do Malcom quando ninguém queria o jogador. Você acha que estou ganhando muito? Não é bem assim, faz tempo que comprei, tem que fazer a correção. E ninguém fala dos prejuízos que eu tive com outros jogadores, todo empresário tem.

Que jogadores?

Paguei R$ 400 mil pelo William Arão e coloquei de graça no Corinthians. Só que ele saiu de graça também. Não ganhei nada. Quanto ele vale hoje? Em 2009, investi R$ 350 mil no Bruno Donizete pra jogar no Corinthians, também acabou saindo de graça. Põe em dólar aí pra ver quanto eu perdi.

Mas você ganhou mais do que perdeu. Não ficaria nesse ramo perdendo mais do que ganha.

Eu já perdi pra caramba. Vocês acham que são só flores, mas não são. Quer outro exemplo? O Marlone, quando estava no Vasco, todo mundo queria. Fui lá e comprei do clube e do procurador dele. Paguei 3 milhões de euros. O Alexandre Matos (atualmente dirigente remunerado do Palmeiras) me pediu pra levar o jogador pro Cruzeiro, que pagaria R$ 2,5 milhões de reais por uma porcentagem. Pagaria, mas não pagou e não usou o jogador. O Mano Menezes (em 2014) me pediu o Marlone, e eu levaria de graça para o Corinthians porque ele não era aproveitado no Cruzeiro. Fui pra Belo Horizonte, falei com o Mattos e com o presidente do Cruzeiro. Eles disseram que tinham conversado com o treinador e que ele ia ser usado. O Marlone ficou lá e não foi usado. Daí voltei e tirei de lá, rescindi. Outra história com o Cruzeiro. O Dedé, pagamos (ele e parceiros) oito milhões nele. Teve oferta, mas o Cruzeiro não deixou vender por 12 milhões de euros. E o nosso investimento, como fica? O investidor é quem se f… na maioria das vezes.

Na maioria das vezes não, se fosse assim, não existiriam investidores mais.

Ganha e perde pra caramba. Em dois anos, nossa empresa (Elenko Sports), está no vermelho. Não dependo do futebol, ainda bem.

Sei, você não precisa de dinheiro.

Precisar, sempre vai precisar, o homem é ganancioso, ganancioso do lado bom. Mas se eu dependesse do futebol não teria comida para colocar na mesa. Perdi mais do que ganhei no futebol, mas os melhores ativos no Brasil hoje são da nossa empresa e já fizemos bons negócios.

E no Corinthians, mais ganhou ou perdeu?

Perdi.

Mas você acaba de vender o Malcom? Não está no lucro agora?

Eu ainda não recebi o dinheiro do Malcom. E quando receber, não vai chegar a dar lucro, porque paguei R$ 2,5 milhões nele lá atrás. Quanto daria isso em euros naquela época?

Como você obteve 40% do Malcom?

Quando ele tinha 14 anos, fui ver o Corinthians jogar em Guarulhos. Ele era reserva, mas naquele dia jogaram os reservas. Em dois toques vi que ele era craque. Ajudei a família, virei procurador e fiz um acordo para ficar com 10% dos direitos dele quando virasse profissional (se o clube concordasse em dar essa fatia ao jogador). Depois comprei 30% do Corinthians porque ninguém tratava o Malcom como joia lá, só eu. Demoraram três meses pra assinar o primeiro contrato profissional dele depois que ele fez 16 anos, poderia ter ido pro São Paulo. Falei pra mãe dele que ele tinha queficar, fiquei com ela no sol duas horas esperando pra assinar contrato.

Quantos jogadores você tem hoje no Corinthians por meio de suas empresas.

Tenho oito. Walter, que eu comprei por R$ 1,8 milhão, Uendel, que sou procurador mas não tenho porcentagem, Guilherme Arana, que tenho 26%, Matheus Pereira, que tenho 42,5%, Vilson, 33%, Marlone, 15% ou 16%, Lucca, que tenho só a procuração, André e tinha o Malcom.

Na base do Corinthians você tem muito mais jogadores, não?

Não. Não é mais meu perfil. Tenho um terço da procuração do Maycon (que acaba de ser promovido para o time principal), então nem falo que tenho.

Mas muitos torcedores o criticam, você é chamado de dono do clube, dono da base.

É desinformação, acontece porque alguns palhaços escrevem qualquer coisa.

Você também é criticado por ser conselheiro do clube (o estatuto proíbe conselheiros de terem relação comercial com o Corinthians).

Não sou mais, faz tempo.

Você tinha pedido licença.

Estou afastado definitivamente.

Mas negociou com o clube enquanto era conselheiro.

Tem tanta gente que compra e vende outras coisas lá e ninguém fala nada. Eu ajudei o clube, emprestei dinheiro e não recebi tudo ainda. Fiquei dois anos e meio na fila, recebi a maior parte, mas o clube ainda me deve muito. Se a venda do Jadson deu lucro para o clube foi porque eu ajudei. Deviam para o Pato quando acertaram a troca, mas precisavam acertar a dívida para ele poder ir pro São Paulo. Eu emprestei e não recebi tudo ainda. Confio na diretoria. Se precisarem de novo e eu tiver, estou aí para ajudar.

Você confia muito no sucesso do Malcom na Europa. E do André no Corinthians?

O André mudou totalmente de um ano pra cá, mudou a forma de ser fora de campo, passou a se alimentar decentemente, a dormir as horas necessárias, tomou consciência de que é um profissional. Não tenho dúvida de que vai fazer um monte de gols. Veio praticamente de graça e o Corinthians vai fazer milhões com ele.

Apelo sensato de Tite pelo jovem Malcom

Leia o post original por Antero Greco

Os amigos que me acompanham neste espaço, no jornal e na tevê sabem que não costumo dar lições de moral pra jogador de malas prontas pro exterior. A escolha pelo local de trabalho é individual; cada um trilhas os caminhos que julga mais interessantes.

Por isso, de certa forma fui contra a maré ao não descer a lenha na turma que debandou para a China. Se o dinheiro atraiu, ok. Fazer o quê? Eu sei de minhas contas e limitações, assim como você. Da mesma forma, os boleiros. E que todos sejamos felizes.

Abro, porém, uma exceção, para falar de Malcom. Vou no embalo de Tite, que fez apelo para que o pessoal que administra a carreira do moço não leve adiante a ideia de transferi-lo agora para o Bordeaux. O técnico alega que não chegou a hora de bater asas e aventurar-se. Sugere que amadureça mais, cresça e, então, siga o destino de tantos outros.

Concordo com Tite. Não vejo mesquinharia nem egoísmo no discurso dele. Malcom tem 18 anos, mal começou a carreira profissional, tem muita estrada a percorrer. Evoluiu no time campeão brasileiro, mostrou valor. Não deveria ter pressa para saltos maiores. Tem Libertadores logo mais, tem Brasileiro, tem espaço para firmar-se.

A precipitação, o entusiasmo – e a ganância, por que não? – já truncaram muitas carreiras promissoras. O futebol está cheio de exemplos de moços que pintaram como craques e, sem sequer terem “explodido” nos times de origem, foram negociados com estrangeiros. Passada a euforia inicial, caiu a ficha, veio o ostracismo e a falta de rumo.

Tomara isso não aconteça com Malcom – como escrevi acima, que todos sejam felizes. Mas para que esse desespero de colocá-lo no mercado internacional?

Parceiro do Corinthians põe agentes europeus para tentarem vender Malcom

Leia o post original por Perrone

Foto: Ernesto Rodrigues/Folhapress

Foto: Ernesto Rodrigues/Folhapress

Cotado para ser negociado com o futebol europeu desde novembro, o corintiano Malcom não recebeu proposta oficial enquanto observava seus colegas se despedirem do clube.

Na tentativa de mudar essa situação, Fernando Garcia, sócio da empresa que detém 70% dos direitos econômicos do atacante, assinou no último dia 7 um documento que coloca dois empresários europeus no circuito a fim de negociar o jogador.

Garcia firmou um compromisso de pagamento no qual se compromete a ”ceder 50% dos valores de comissão” recebidos por ele aos empresários Cristhotth Leutrum, alemão, e Camilo Danif, português, se Malcom for vendido com comprovada participação dos dois na negociação.

O documento tem validade até o dia 1º de fevereiro e determina que “toda e qualquer decisão final sobre eventual transferência do atleta (ônus, condição de pagamentos, datas, etc) deverá ser exclusivamente decidida por Fernando Garcia”. O Corinthians não é nem citado no documento ao qual o blog teve acesso.

“Tenho um acordo com o Corinthians para poder tocar negociações pelo Malcom, e esses empresários me procuraram dizendo que tinham um clube interessado”, disse Garcia ao blog. De fato, a direção alvinegra não se incomoda com a movimentação do parceiro.

Também não há menção aos valores que a empresa dele receberá pelos direitos econômicos de Malcom. Eles não fazem parte da negociação com a dupla de agentes. Ou seja, além da receita com a fatia do atleta, Garcia espera receber comissão pela venda.

Até agora, porém, nenhuma proposta pelo atacante foi apresentada pelos dois europeus. “Eles não vão apresentar nada. Foram bater numa porta que eu conheço muito bem, sei que não virá proposta de lá”, disse Garcia, sem revelar a qual clube europeu se referia.

O empresário, irmão de Paulo Garcia, ex-candidato à presidência do Corinthians, tem sido alvo de ironia de agentes brasileiros pelo fato de ainda não ter conseguido negociar Malcom nesta janela. Um dos motivos da provocação é que as constantes notícias de que o atacante seria negociado faziam com que outros jogadores corintianos pressionassem seus agentes a apresentarem propostas.

“É só você pedir pra quem diz isso apresentar a lista de jogadores que já vendeu para Europa, pra time grande, daí eu mostro a minha. E fazer parceria com empresários de outros países não demonstra dificuldade em negociar. Ninguém vende jogador se não tiver parcerias. Tenho parceiros em vários países”, declarou Garcia.

Sobre o fato de nada oficial ter chegado para Malcom, ele disse que teve ofertas mas o salário oferecido não interessou. “Jogador que trabalha comigo só vai embora para ganhar bem. Eu penso no atleta, não vai pra qualquer lugar”.

Coadjuvantes em conquista corintiana têm mais chances de deixar o time

Leia o post original por Perrone

 

No Corinthians campeão brasileiro, os coadjuvantes na conquista do título têm mais chances de serem vendidos do que os protagonistas. São os casos de Felipe, Guilherme Arana e Malcom.

Os três têm clubes interessados neles. E eles são mais baratos que Gil, Renato Augusto e Jadson. Também ganham menos, o que facilita a saída. Por outro lado, Renato está em processo de renovação de seu contrato com o clube, o que deve elevar suas pretensões salariais em caso de oferta do exterior. Jadson também vai discutir sua renovação.

Gente com trânsito no vestiário corintiano diz que os principais jogadores do elenco só têm interesse em sair para jogar em clubes de ponta. Entendem que com Tite e a disputa da Libertadores no ano que vem podem se valorizar ainda mais. Por outro lado, Arana, Felipe e Malcom se contentariam com times de médio porte. O trio tem sondagens de clubes de fora.

Segundo pessoas próximas a Felipe, ele deixará o Corinthians para jogar num time médio da Itália. Já Malcom desperta o interesse de times da Itália e Portugal.

Ao menos metade dos titulares do Corinthians foi sondada por outros times

Leia o post original por Perrone

Valorizado por sua campanha no Brasileirão e convocações para a seleção brasileira, o elenco do Corinthians chega ao final do campeonato cercado por sondagens e especulações sobre transferências. Até o dirigente remunerado Edu Gaspar tem seu nome envolvido numa possível saída.

A diretoria reage com naturalidade ao assédio. Diz que quer manter seus principais atletas, mas não vai segurar quem quiser sair e tiver propostas boas também para o clube.

No entanto, cartolas e até empresários dos jogadores consideram difícil que todos os pretendidos cheguem a ter propostas oficiais.

Pelo menos Gil, Felipe, Renato Augusto, Jadson, Ralf e Malcom foram sondados.

Um dos destaques da vitória do Brasil por 3 a 0 sobre o Peru nesta terça, Gil é um dos mais assediados. Recebeu sondagens pelo menos de times da Itália e da Espanha. São clubes que querem saber quanto ele pediria para jogar no exterior e quanto precisariam pagar ao Corinthians, dono de 90% dos direitos econômicos do beque.

A tendência é que a atuação pela seleção aumente o interesse pelo zagueiro. Porém, segundo seu empresário, Carlos Leite, até agora nenhuma proposta oficial chegou.

Companheiro de zaga de Gil, Felipe não foi chamado por Dunga, mas tem sondagens. Pessoas próximas ao jogador afirmam que um clube médio da Itália fará uma tentadora oferta oficial em breve.

Em processo de renovação de contrato, Renato Augusto, que também se destacou contra o Peru, é outro que tem seu nome constantemente citado no Corinthians como um jogador difícil de segurar. As principais sondagens chegam da Alemanha, onde ele atuou pelo Bayer Leverkusen. O meia disse que no meio deste ano recusou negociações com Werder Bremen e Hamburgo.

Jadson é mais um que recebeu várias sondagens. A mais forte delas foi do Galatasaray, da Turquia. A diretoria corintiana quer renovar com o meia, que tem contrato até agosto de 2016, mas só deve iniciar as tratativas depois que resolver as situações de Renato e Ralf.

Em meio a tantas sondagens, o fato curioso fica por conta de Edu Gaspar. De acordo com gente com trânsito na direção alvinegra, o cartola profissional pode ir trabalhar no Valencia, da Espanha. Como jogador, ele atuou entre 2005 e 2009 pelo time espanhol. Em mensagem ao blog nesta terça, ele disse que estava fora do país e que só poderia conversar após seu retorno, na quinta.

Corinthians vê o título no horizonte

Leia o post original por Antero Greco

Claro que a função de todo mundo é a de secar quem está à frente de um campeonato. Não é diferente agora, no Brasileiro, em que o Corinthians concentra a atenção dos demais por estar na liderança e caminhar firme para o título. Pois não tem adiantado nada mandar fluidos negativos para a rapaziada de Tite – ela está imune a mau olhado e, mais do que cima, é irrefreável.

A mais recente vítima alvinegra foi o Goiás, nos 3 a 0 do início da noite desta quinta-feira. O público que foi ao Itaquerão viu um Corinthians jogar com o autocontrole e a autoridade costumeiras, uma equipe compacta, inabalável, consciente do que deseja alcançar e como fazê-lo.

O Goiás havia batido Palmeiras, São Paulo e Santos, além de segurar os corintianos com empate em Goiânia no primeiro turno. Ponderou que poderia aprontar de novo. Engano que se desfez em 25 minutos apenas. Em dois lances decisivos, o Corinthians criou vantagem inatacável, com os gols de Edu Dracena (de cabeça) aos 15 e Malcom aos 25. O zagueiro foi o melhor em campo.

O Corinthians percebeu logo que a fatura estava liquidada e o alviverde, batido. Por isso, dosou energia, tocou a bola, gastou o tempo e criou outras oportunidades com naturalidade, na calma, na maciota. Pressa para quê? Afinal, a encrenca a resolver era do Goiás.

Por isso, sem acelerar, e na toada tranquila, ainda fechou a conta com belo gol de Rodriguinho, aos 43 minutos do segundo tempo, com chutão no ângulo. Outra missão cumprida sem atropelo, de novo cinco pontos à frente do Atlético-MG e a certeza de que só uma sequência pouco provável de erros pode tirar-lhe o hexa do Brasileiro.

Timão engole Mengão no Maraca

Leia o post original por Fernando Sampaio

flaxcorO Flamengo virou saco de pancadas no Maracanã.

Só não perdeu cinco partidas, em seis disputadas, porque passaram a mão no Sport.

O Corinthians aproveitou, deitou e rolou.

Há tempos venho dizendo que Tite, aos poucos, vem acertando o time após a saída de jogadores importantes. Fábio Santos faz falta, Petros nem tanto. Sheik e Guerrero fazem diferença, principalmente o artilheiro. O clube não fez a reposição de atacantes. Malcom e Luciano são jovens, Love já conhecemos, Romero não existe.

Tite começou acertando a defesa. Felipe deu mais segurança na zaga. Uendel vem fazendo o arroz com feijão bem feito.  Elias, Renato Augusto e Jadson formam um belo meio-campo, com movimentação, marcação e transição rápida. Ralf ou Bruno Henrique fazem a cabeça de área e Malcom ajuda na marcação. Assim o time se defende muito bem.

Mesmo sem novos atacantes, o Timão pode aumentar o rendimento.

Nas vitórias contra Ponte, Figueirense e Atlético-PR o time passou sufoco, viu o placar ameaçado, poderia ter tropeçado… Ok, faz parte. O importante é que no final venceu e fez a lição de casa. As vitórias trouxeram confiança. Nestes casos, quando um time está em formação, ganhar sem jogar bem tem seu lado positivo. Se o time ganha quando não joga bem imagine quando ganhar entrosamento e começar a jogar melhor. Claro que a tabela ajudou, mas isso também faz parte.

Quando começou o Brasileirão imaginei Corinthians no G-4.

Continuo com a mesma expectativa.

 

Share This:

Criticado, empresário diz que Tite errou com Malcom, Petros e Wendel

Leia o post original por Perrone

A diretoria do Corinthians está incomodada com o empresário Paulo Garcia, agente de Malcom, Petros e Wendel, entre outros jogadores do clube. A avaliação é de que vira e mexe sai alguma notícia na imprensa envolvendo o empresário e seus atletas e que acaba provocando polêmica no alvinegro.

Segundo um membro da diretoria, no último domingo, a direção pediu que Garcia evitasse novas declarações que pudessem fazer estardalhaço. Porém, no dia seguinte, ele falou ao UOL Esporte sobre a possibilidade de Petros trocar o Corinthians pelo Flamengo, aumentando o desconforto entre os cartolas corintianos.

Ao blog, Garcia, que é conselheiro licenciado do clube, negou que tenha recebido pedido para evitar novas declarações. Falou também sobre injustiças que Tite teria cometido com Petros, Wendel e Malcom. E ainda comentou a respeito dos empréstimos que fez ao clube. Leia abaixo a entrevista.

No domingo, a diretoria pediu para você não falar mais em público sobre as possíveis saídas de seus jogadores?

Não, ninguém pediu porque eu não falo nada em público.

Mas você falou do Petros, por exemplo.

Dei entrevista para um colega seu e disse que se o Petros tiver que sair do Corinthians a preferência dele é pelo Flamengo. Não disse que ele quer ir para o Flamengo. E nunca escondi nada, falo sempre com o Andrés Sanchez que é um grande amigo. Ele sabe do interesse do Flamengo no Petros, que não é de hoje. Há muito tempo o Flamengo quer.

Mas algumas pessoas no Corinthians estão incomodadas com declarações que você dá sobre a possível saída dos jogadores que você agencia e tem participação nos direitos econômicos. Como no caso do Petros, por não estar sendo muito aproveitado pelo técnico.

Respeito o Tite, mas não preciso ser cordeiro. Ele põe quem ele quiser pra jogar, e eu tenho o direito de discordar. O Petros é um dos jogadores mais dinâmicos do Brasil e do mundo. Ele foi o maior ladrão de bola do Corinthians no ano passado. Roubou duas vezes mais bolas do que o segundo colocado. Deu o dobro de passes certos que o segundo colocado. Fez uma bela campanha no ano passado, mas começou este ano no banco. O Mano gostava, o Tite não aprecia tanto o futebol dele. Agora tem outros que gostam, tanto que de dez telefonemas que recebo dois são para saber do Petros.

Além do Flamengo, existem outros interessados?

Em dois ou três dias devo receber um papel de fora do país. Se o Corinthians gostar fazemos negócio. Se não gostar, não fazemos.

De onde?

Não posso falar porque pode não chegar.

Também teve um problema com o Malcom. Você teria dito que tinha desistido de renovar porque ele não tinha espaço no time.

Não foi isso. Antes de assinar o contrato eu disse que queria conversar com o Andrés. Acho que o Sérgio (Janikian, diretor de futebol) não gostou, mas o Andrés (superintendente de futebol) é hierarquicamente superior a ele. Conversei com o Andrés e o Edu, depois renovamos. Acho o Malcom um dos melhores atacantes do Corinthians depois do Guerrero. Só que não dão continuidade para ele. É uma sacanagem não dar chance para o garoto. Agora começaram a dar.

Você não quis dizer que o Tite sacaneia o jogador por algum motivo que nada tem a ver com o desempenho dele, quis?

Não. O Tite é sério, é uma das pessoas mais dignas do futebol brasileiro. Falei sacanagem usando o termo de maneira popular. Agora, a titularidade é subjetiva. Eu não concordo com o Wendel ir para o banco perdendo a posição para o Fábio Santos. Se ele estivesse jogando mal, mas não estava, então não se justifica a saída do Wendel.

Na minha opinião, o Wendel também não merecia ter saído.

Sabe o que é engraçado? Tenho jogadores em muitos clubes. Mas só dá fofoca no Corinthians. Tenho o Giovanni e o Marlone no Fluminense. Acabei de levar uma proposta do exterior para o Marlone, eles estão estudando, e ninguém falou nada. No Corinthians, tudo sai na imprensa. Qualquer discussão, dizem que foi briga. Discutir é normal. Sou um grande amigo do Andrés, mas a gente discute. Ele defende o clube e eu defendo meus clientes.

Por falar em defender seus clientes, alguns colegas seus de Conselho Deliberativo do clube criticam o fato de você só ter se licenciado como conselheiro em fevereiro deste ano. Não acha que deveria ter feito isso antes por ter que defender seus jogadores, não o clube?

Meus colegas não me criticaram, não. Não me licenciei antes porque nem imaginava que o estatuto do clube proibia conselheiro de fazer negócios com o Corinthians.

Mas não é impossível conciliar as duas funções?

Não, tanto é que como pessoa física emprestei dinheiro para o Corinthians. Minha empresa nunca emprestou. Agora se todo conselheiro ajudasse como ajudei, emprestando dinheiro, o clube não estaria na situação financeira em que está.

Será que mudaria muito? O clube teria que pagar do mesmo jeito.

Tem que pagar, mas tem que pagar pro banco também. Só que nem um conselheiro quer emprestar. Emprestei bastante dinheiro quando o Andrés, meu amigo de quinhentos anos, assumiu. E meu irmão (Paulo Garcia) tinha perdido a eleição para ele. Eu não tinha nenhuma relação com o clube e emprestei. Porque os outros não ajudam também?

Você fala ajudar, mas não é doação. É empréstimo, com juros, não?

Sim, ninguém faz doação. Mas emprestar ninguém quer.

E o clube ainda te deve, mas não dá época do Andrés, certo?

Deve, outros empréstimos. Do Andrés foi tudo pago.

Você conhece bem a situação do Corinthians. Acha que será preciso vender muitos jogadores no segundo semestre por causa da crise financeira?

Não acho porque o Corinthians tem muitas receitas. O problema é que foi mal gerido na administração anterior, com contratações caras. Andrés deixou o clube com caixa e faixa. O Corinthians não era nada sem o Andrés, não tinha CT, não tinha estádio. Ele fez o que todos falavam e não faziam.

O Corinthians era nada? Já tinha toda a sua história.

Tinha história, mas não tinha histórico. O Andrés fez um grande time, o melhor CT do Brasil, o melhor estádio. Ruim foi ele ter saído por causa estatuto que não permite reeleição.