Arquivo da categoria: Mano Menezes

Velloso questiona por que grandes técnicos recusam Verdão

Leia o post original por Craque Neto

Após recusa de Mano Menezes e Abel Braga, o ex-goleiro Velloso, ídolo do clube, questionou o porquê de grandes técnicos não aceitarem treinar o Palmeiras em 2018.  

O post Velloso questiona por que grandes técnicos recusam Verdão apareceu primeiro em Craque Neto 10.

Rotina de troca de técnicos no Palmeiras ajudou Cruzeiro a manter Mano

Leia o post original por Perrone

O histórico palmeirense de trocas de treinadores na mesma temporada nos últimos anos pesou a favor da decisão de Mano Menezes de renovar contrato com o Cruzeiro, conforme apurou o blog.

Desde 2013, com Gilson Kleina, o alviverde não completa uma temporada sem mudar de treinador. Em 2017, o interino Alberto Valentim é o terceiro a comandar a equipe, que contou antes com Eduardo Baptista e Cuca.

Tal rodízio no comando não combina com os planos de Mano, defensor da tese de que os treinadores precisam de tempo para atingir os resultados esperados. Nesse ponto, o Cruzeiro falou a mesma língua que ele ao oferecer contrato até dezembro de 2019.

O atual campeão da Copa do Brasil avaliou que seria mais interessante dar continuidade a seu trabalho do que começar do zero em outro clube. Ainda que esse clube fosse o Palmeiras, que com a ajuda das parceiras Crefisa e FAM é um dos clubes do país com mais poder de fogo para contratar.

Mano ouviu da diretoria cruzeirense que seus pedidos por reforços serão atendidos e que o time na próxima temporada será competitivo. Além disso, recebeu considerável valorização financeira.

Nesse cenário, o técnico avaliou que não seria hora de mudar de ares.

Galiotte: Alberto Valentim vai fazer o planejamento do Palmeiras!

Leia o post original por Craque Neto

Presidente do Palmeiras, Maurício Galiotte diz que as notícias sobre o técnico Mano Menezes comandar o Verdão em 2018 e o meia Lucas Lima ser contratado pelo alviverde são apenas especulações.

O post Galiotte: Alberto Valentim vai fazer o planejamento do Palmeiras! apareceu primeiro em Craque Neto 10.

Ofuscado por Mano, Alberto Valentim tem lobby no Palmeiras

Leia o post original por Perrone

Com Danilo Lavieri e José Edgar de Matos, do UOL, em São Paulo

Assim que o Palmeiras oficializou a saída de Cuca, Alberto Valentim ganhou um lobby no clube para ser efetivado como treinador visando a próxima temporada. O apoio vem de conselheiros de diferentes correntes, mas não abala o favoritismo do cruzeirense Mano Menezes para ocupar o cargo.

O técnico interino é definido por seus defensores como estudioso, moderno, conhecedor do clube e bem relacionado com os jogadores. Ele também é visto como uma opção barata, o que, em tese, agradaria a Mustafá Contursi. O ex-presidente é um dos conselheiros mais influentes e prega permanentemente a austeridade financeira, apesar de atualmente as finanças alviverdes irem bem.

Recentes experiências bem-sucedidas com ex-assistentes também escoram os pedidos por uma chance para Valentim. São lembrados por conselheiros os nomes de Jair Ventura (Botafogo), Zé Ricardo (ex-Flamengo e hoje no Vasco) e do corintiano Fábio Carille.

Apesar de o ex-auxiliar agradar profissionalmente ao presidente do clube, Maurício Galiotte, a diretoria palmeirense avalia que não pode correr o risco em 2018 de mais uma vez precisar trocar de técnico durante a temporada. Isso dá força à escolha de alguém mais experiente, como Mano.

Ao falar sobre a saída de Cuca na semana passada, em entrevista coletiva, Galiotte elogiou o ex-auxiliar.  “Ele ainda está em evolução, tem características modernas e hoje é o técnico do Palmeiras. Enquanto a gente não tiver nenhuma outra notícia, ele é o técnico do Palmeiras”, declarou o dirigente.

Após deixar o clube em dezembro do ano passado, Valentim retornou em junho a pedido de Cuca. Fora do Palmeiras, ele teve a oportunidade de trabalhar como treinador do Red Bull.

A chance de o interino ser efetivado é remota e passa por um eventual fracasso na tentativa do alviverde de contratar Mano. O Cruzeiro tenta manter seu comandante.

Mano indica troca de Palestra?

Leia o post original por Craque Neto

Há algumas semanas escrevi aqui no Blog que a diretoria do Palmeiras trabalhava com o nome de Roger Machado para assumir o comando do time na próxima temporada. Isso porque não se sentia confortável com a postura passiva do técnico Cuca nas últimas partidas. Mas recebi uma informação QUENTE nesta sexta-feira que o Mano Menezes, atualmente no Cruzeiro, teria pedido em Minas para renovação uma baita bolada justamente porque estaria apalavrado para dirigir o Verdão em 2018. Será? Mano Menezes seria o nome preferido do executivo de futebol Alexandre Mattos e da patrocinadora Crefisa. Poderia indicar uma troca de clubes […]

O post Mano indica troca de Palestra? apareceu primeiro em Craque Neto 10.

Mengão perdeu a chance do título no Maracanã?

Leia o post original por Craque Neto

Quase 70 mil torcedores estiveram presentes no Maracanã para acompanhar o primeiro jogo das finais da Copa do Brasil entre Flamengo e Cruzeiro. De um lado como mandante o time rubro-negro dono de três títulos do torneio. Do outro os mineiros com quatro taças. Reinaldo Rueda colocou no campo o que tinha de melhor, mas o desfalque do centroavante Guerrero, suspenso, seria sentido. Assim como os meias Everton Ribeiro e Geuvânio que não foram inscritos a tempo. O primeiro tempo foi bem meia-boca e de um futebol que não honrou a importância do jogo. Na etapa final o Flamengo saiu […]

O post Mengão perdeu a chance do título no Maracanã? apareceu primeiro em Craque Neto 10.

Cruzeiro reage. Corinthians fica no limite

Leia o post original por Antero Greco

Para início de conversa, e antes que um apressadinho, pergunte: erro grotesco do juiz Dewson Freitas da Silva, do querido Pará, ao não dar pênalti de Cássio sobre Ábila aos 8 minutos do primeiro tempo. O goleiro corintiano não só cometeu a falta, como fez um corte na perna do rapaz. O árbitro ignorou tudo e ainda amarelou Ábila “por reclamação”.

Isto posto, o empate por 1 a 1, no clássico da noite desta segunda-feira, no Pacaembu, mostrou duas equipes em situações distintas. O Cruzeiro está ainda no fundo do poço, mas já mostrou, sob a batuta de Mano Menezes, que vai sair do sufoco. Questão de mais algumas rodadas – e, claro, de acúmulo de bons resultados. Por ora, está em antepenúltimo, com 19.

O Corinthians parece cada vez mais chegar perto do limite de suas possibilidades. Esteve a ponto de fechar o turno em primeiro lugar, desde que vencesse por três ou mais gols de diferença. Teve de contentar-se com o empate. E, com a vitória do Galo também nesta segunda, caiu para a terceira colocação, com 34 pontos.

A pontuação mostra uma contradição danada: como o Cruzeiro está em ascensão e o Corinthians meio devagar? Aparências confundem. O time mineiro recobra a autoconfiança, mostra mais organização do que nos tempos de Paulo Bento, cria mais e finaliza melhor. (Teve até bola no travessão.) Esse é um lado da questão

O outro: o Corinthians colecionou muitos pontos, tem gordura pra queimar, e pelo visto é o que deve acontecer com frequência. Cristóvão Borges testa diversas composições, mexe aqui e ali, porém não faz o grupo deslanchar. A harmonia não é a mesma de antes, a oscilação aumenta, embora os números sejam muito bons: 10 vitórias, 28 gols a favor, apenas 15 contra (a melhor defesa). Falta pegada, a cara de campeão que teve outras ocasiões.

O jogo foi nota 6. No primeiro tempo, o Corinthians animou-se com o gol de Giovanni Augusto logo com um minuto e tentou aproveitar do nervosismo do Cruzeiro pelo pênalti ignorado. No segundo, o Cruzeiro jogou muito mais, empatou com Ábila e esteve perto da virada. Volta pra casa reclamando da arbitragem – e com toda razão.

 

Santos vice-líder, Cruzeiro vice lanterna

Leia o post original por Fernando Sampaio

raw20160731048O Santos é vice-líder do Brasileirão.

Venceu a terceira seguida.

O Cruzeiro é vice-lanterna.

Perdeu a quarta seguida.

O primeiro tempo foi fraco, típico 0x0.

No segundo tempo o Cruzeiro criou duas oportunidades, estava pressionando quando o Santos fez 1×0. Daí em diante o Peixe tomou conta da partida e a Raposa perdeu a confiança. O time mineiro mostrou bom futebol na estreia de Mano Menezes mas a recuperação não é tão simples, ainda mais jogando na Vila. De qualquer forma não vejo rebaixamento.

Enquanto o Cruzeiro colhe frutos da demissão de Marcelo Oliveira e o fim de um trabalho bicampeão brasileiro, o Santos colhe os frutos da manutenção de Dorival que mais uma vez está fazendo um bom trabalho na Vila. Ficou fora da Libertadores mas foi vice da Copa do Brasil, sétimo no Brasileirão e Campeão Paulista. Balanço positivo.

Além da vitória na Vila, o time ainda comemorou a vitória do Botafogo.

 

 

Santos com tudo na briga pela ponta. Cruzeiro assustado

Leia o post original por Antero Greco

Havia previsão de acentuada queda de desempenho do Santos, por causa das convocações para a seleção brasileira olímpica. Sei lá, pode até ser que isso venha a acontecer. Até agora, porém, em dois jogos com desfalques, foram duas vitórias. A mais recente delas, os 2 a 0 sobre o Cruzeiro, na tarde deste domingo.

O Santos depende da qualidade individual. Mas Dorival Júnior consegue uma proeza e tanto, que é a de dar padrão coletivo. Por isso, eventuais baixas não são sentidas de forma aguda. Verdade que no primeiro tempo, encontrou dificuldade, diante de um Cruzeiro mais animado do que vinha sendo ultimamente. Na estreia de Mano, mostrou mais velocidade, além de ficar ligado na marcação. Foi até ligeiramente melhor.

No segundo, acabou o repertório do Cruzeiro, na mesma proporção em que o Santos se ajustou, colocou a bola no chão, voltou a trocar passes, como tem sido característico. Dali para outra vitória, não demorou muito, e veio com os gols de Victor Buenos aos 16 minutos e Lucas contra aos 28. Depois dessa vantagem, relaxou, ficou à vontade e não foi incomodado.

O duelo acentuou a eficiência do sistema santista, com muita movimentação e segurança na maneira de conduzir o jogo. Claro que fazem falta jogadores como Gabigol, Lucas Lima (contundido). Bobagem seria dizer o contrário. Mas a boa distribuição tática compensa. Não é por acaso que o campeão paulista está na corrida pela liderança.

O jogo também revelou a intranquilidade do Cruzeiro. Não é time ruim; ao contrário, tem muita gente boa e finaliza que é uma barbaridade. Mas carece de pontaria, de serenidade. Mano vai suar sangue para comandar a reviravolta, se não quiser participar do vexame de rebaixamento inédito. Porém, arrisco a escrever que o Cruzeiro não cai. Poderá terminar em posição intermediária, mas se livra da Série B.