Arquivo da categoria: Neto

Há 28 anos começava uma história de vida!

Leia o post original por Craque Neto

Se hoje tenho um nome marcado com o Corinthians – e muita gente me ama e odeia por isso – tudo começou em uma quinta-feira, dia 27 de julho de 1989. Há 28 anos o Timão recebia o Tiradentes do Distrito Federal no Pacaembu pela Copa do Brasil. Pouco mais de 11 mil torcedores estavam por lá. O técnico corintiano era o ídolo Palhinha. Do outro lado estava comandando os visitantes o Dadá Maravilha. Ele mesmo! O artilheiro Dadá! Eu fazia apenas minha segunda partida com a camisa alvinegra. E logo de cara, para minha alegria, uma baita goleada de […]

O post Há 28 anos começava uma história de vida! apareceu primeiro em Craque Neto 10.

Vice corintiano diz que Dualib deixou legado maior do que Matheus

Leia o post original por Perrone

Com Dielgo Salgado, do UOL, em São Paulo

Quem deixou maior legado para o Corinthians entre os ex-presidentes Vicente Matheus e Alberto Dualib? Essa é a polêmica que despontou na última quinta-feira no Parque São Jorge.

Durante reunião com conselheiros, o 1º vice-presidente do clube, André Luiz Oliveira, o André Negão, afirmou que Dualib, afastado após uma série de acusações de irregularidades, deixou legado maior do que o lendário cartola. Vicente presidia o clube no histórico título paulista de 1977, depois de um jejum iniciado na sequência da conquista do Estadual de 1954.

André, primeiro enumerou os feitos de seu grupo, Renovação e Transparência, liderado por Andrés Sanchez, como a construção da Arena Corinthians, além de uma respeitável coleção de taças. Entre elas uma da Libertadores e outra do Mundial. Realçando a importância de se deixar um legado, disse que Dualib, praticamente escorraçado pelo grupo de André, fez mais nesse quesito do que Matheus. Citou a construção do auditório onde foi o encontro. O local é uma das melhorias implantadas pelo ex-presidente no Parque São Jorge.

Dualib também tem em seu currículo uma série de títulos, incluindo o Mundial de 2000.

Por sua vez, Matheus era o comandante alvinegro na conquista do Brasileiro de 1990. Além de frases cômicas, tem sua história marcada por manobras astutas nos bastidores. Entre as mais famosas estão a rasteira no São Paulo ao contratar Sócrates e uma troca com o Palmeiras que recebeu o Dida (lateral) e Ribamar cedendo Denys e Neto. O atual comentarista se transformaria em seguida num dos maiores ídolos da história corintiana.

Milionário, Matheus também ganhou fama de ser um presidente que colocava dinheiro do próprio bolso no clube. Dualib diz ter feito o mesmo, apesar de ser execrado por conta dos escândalos ocorridos durante sua gestão.

O carinho com que a maioria dos corintianos trata Matheus e a revolta da maior parte deles com Alberto, gerou indignação entre conselheiros, principalmente da oposição, com a afirmação feita por André.

“Falei mesmo. Disse que o Dualib deixou uma construção. É diferente. O Vicente teve três (títulos) paulistas e um brasileiro. Falei o legado que todo mundo deixou”, afirmou André, confirmando a declaração que gerou polêmica.

“Meu avô deixou um legado moral para o clube. Ele tirava dinheiro de casa, da família para colocar no Corinthians”, disse ao blog Afonso, neto de Matheus, ao ser indagado pelo blog sobre a comparação entre os dois ex-presidentes e envolvendo também a gestão do Renovação e Transparência.

Sócio do Corinthians e integrante do grupo oposicionista Lava Jato, o descendente do cartola campeão em 1977 diz que nos tempos de seu avô não existiam algumas facilidades atuais. “Se ele fez o que fez sem internet, sem 50 patrocinadores na camisa, sem a visibilidade (e as receitas) de hoje, imagina o que teria feito se fosse presidente agora?”, declarou Afonso. Sua mãe é filha do primeiro casamento de Vicente, que depois se casou cm Marlene Matheus, também ex-presidente corintiana.

 

Marcas para guardar no coração

Leia o post original por Craque Neto

Esses dias fiquei sabendo que tenho marcas importantes vestindo a camisa do Corinthians. Com 80 gols em 228 gols sou o 24º jogador que mais balançou as redes pelo Timão. Para um menino simples, que não tinha onde cair morto, nascido e criado em Santo Antônio de Posse, isso até que é bem respeitável. Além disso meu amigo jornalista e historiador Celso Unzelte me veio com uma informação bem bacana. Ele disse que sou o maior artilheiro do time em edições diferentes de Campeonatos Brasileiros. Entre 89 e 92 fiz 32 gols como camisa 10 do Corinthians. Foram 4 em […]

O post Marcas para guardar no coração apareceu primeiro em Craque Neto 10.

Neto diz: vão colocar os argentinos na final da Libertadores!

Leia o post original por Craque Neto

O apresentador diz que, se os times brasileiros prensarem a Conmebol, a instituição vai ceder, já que os clubes brasileiros geram a maior quantidade de receita nos campeonatos sul-americanos.

O post Neto diz: vão colocar os argentinos na final da Libertadores! apareceu primeiro em Craque Neto 10.

Neto diz a Felipe Melo: use a bíblia para fazer o bem, não o mal!

Leia o post original por Craque Neto

Neto critica as ações de Felipe Melo na confusão após a partida contra o Peñarol, e lembra das citações bíblicas que o jogador já fez em outras entrevistas.

O post Neto diz a Felipe Melo: use a bíblia para fazer o bem, não o mal! apareceu primeiro em Craque Neto 10.

Marin, o abandonado, e Mário Sérgio, Marcelinho e Neto que nunca foram Kaká

Leia o post original por Milton Neves

marcelinho x messi“Roberto Firmino é o Afonso Alves que deu certo”.

Boa sacada do jornalista Vitor Guedes deste Agora e do portal www.terceirotempo.com.br.

“Marcelinho Carioca foi muito mais efetivo que Messi, que vive de lampejos”.

Boa polêmica do sempre polêmico Mário Sérgio Pontes de Paiva, mas que ficaria melhor se a comparação atingisse só o Messi da seleção argentina.

Mas Marcelinho Carioca é mesmo o maior jogador da história do SC Corinthians Paulista, desde 1910.

Só que não soube aproveitar em 100% o enorme talento que Deus lhe deu.

Só fez uso de 47.27%.

Neto e Mário Sérgio também não.

Esses três “bad boys”, tivessem adotado, por exemplo, o bom-mocismo de Kaká dentro e fora de campo, teriam disputado duas ou três Copas do Mundo.

E os três, ontem, tiveram muito mais bola do que, hoje, tem o bom jogador Kaká, cidadão exemplar.

Neto em 1990 cobrava faltas melhor que Maradona.

E jogava tanto quanto Hagi, o romeno chamado de “Maradona dos Cárpatos”.

E que falta fez Neto em 90 na Itália, hein, “burronildo” Lazaroni?

Naquele Brasil 0 x 1 Argentina, em Turim, gol de Caniggia, nós tivemos três faltas a caráter para Neto bater.

Só que não tínhamos batedores à altura.

Naquelas três faltas, “garanto”, Neto colocaria uma na trave, uma raspando o travessão e a outra na rede.

Mas, valeu, Mário Sérgio, o óbvio nunca empolga e é sempre grande fabricante de situações modorrentas nestes momentos de futebol Série B de nossos times e da Seleção Brasileira.

Tanto que o Neymar não pode nem dar carretilha.

Ora, fosse assim ontem, o Garrincha seria banido do futebol com seu sensacional “vai e não vai”.

E o Zico?

Exemplar, o Pelé da Gávea agora quer ser presidente da FIFA.

Pleito justo.

Eu voto nele.

O Japão também.

Afinal, foi Zico a abrir os olhos japoneses para o futebol.

Mas suas chances inexistem, entendo.

Nesta grande máfia da Fifa, gente boa e pura como Zico não tem lugar.

E Del Nero?

Liso como o velho e bom quiabo, vai se esgueirando aqui e acolá, mas penso, pelo andar da carruagem, que o pior para ele ainda está por vir.

Tomara que não, mas esse implacável FBI…

Já para os apressados e gulosos fabricantes de engenharia financeira a alavancar pontes de ligações continentais em transferência de jogador, a perspectiva é ainda pior.

Não custa aguardar.

Como também esperar a já possível delação premiada de José Maria Marin, o abandonado pela CBF de Del Nero.

Sei não, hein?

Imagem: Thiago Tufano Silva/Portal TT

Causos do Miltão: Robert De Niro é corintiano; Neto está próximo de assinar com a Bloomberg; e o primeiro e único encontro de Pelé com seus netos

Leia o post original por Milton Neves

placar 1

Em final de ano para Natal e Reveillón em Upper East Side em Nova York, tive o prazer de conhecer o empresário brasileiro de João de Matos, corintiano doente e há 42 anos na capital do mundo. “Eu sou malaco-gavião do centro velho de São Paulo e vendia carro usado no Bom Retiro e no Brás, onde nasci e me criei. Mas meu negócio sempre foi ser corintiano.” Assim, o criador do “Brazilian Day” de Nova York (um milhão e meio de pessoas em 2014), dono de forte agência de turismo e da consagrada “Churrascaria Plataforma” (316 West 49th Street NYC) se define. Indo para os Estados Unidos “só para conhecer”, em 1971, nunca mais voltou. “Só quando da inauguração do Itaquerão, mortes na familia ou em aniversários do Corinthians”, afirma. Pois não é que ele, pelo destino, já agregou mais um nobre torcedor ao bando de loucos? E que “louco”! Simplesmente… Robert De Niro! Sim, o célebre ator do mundo tem seis filhos, apenas um biológico, hoje Broker (corretor de imóveis de altíssimo padrão em Tribeca-NYC). E não é que De Niro filho casou-se com uma das filhas do corintiano João de Matos? E ele conta: “o Robert me liga sempre e logo vai dizendo ‘Vai Curintcha, é nóis’, good morning.” E será que os dois netos de De Niro e João de Matos também serão corintianos? Esse Corinthians…

**********

placar 21

Naquela manhã cinzenta de Nova York, com pinta de Gotham City, uma grande coincidência. Meu edifício fica bem do lado da monumental sede da Bloomberg TV de onde são monitoradas as cotações de todos os mercados e ações do mundo. E observem em meu dedo da mão esquerda o local exato do estúdio XJGVOO-17 em que o Craque Neto estava fazendo testes para entrar na emissora. É que a forte rede econômica do mundo, de propriedade do ex-prefeito de Nova York Michael Bloomberg, captou que o comentarista tem forte tendência de alta em suas ações de várias mídias do Brasil. Assim, resolveu trazer o polêmico jornalista brasileiro para Nova York para eventualmente implantar o programa “Baita Bôrsa” para discutir e mostrar online e diariamente a situação monetária mundial. Tratado como estrela televisiva, Neto deixou sua proposta e aguarda para 30 de janeiro a resposta formal dessa notável espécie americana de “Band Mercado” do mundo.

**********

placar 3

Pelé assustou o mundo no final do ano internado no Hospital Albert Einstein, mas ele já esteve também em hospital para salvar vidas. Foi em Curitiba, em março de 2009, quando inauguramos juntos a ala especial para crianças carentes com câncer do exemplar Hospital Pequeno Príncipe da capital paranaense, do qual o Rei Pelé é patrono. O curioso é que quem tinha acabado de sair de um hospital, o Sírio-Libanês de São Paulo, era eu. À época, após queda acidental em meu escritório, fui operado no braço e na clavícula e de tipóia acompanhei Pelé até Curitiba. Inauguração feita em meio a milhares de pessoas que cercaram o hospital para ver o Rei, já no hotel ocorreu o primeiro e único encontro de Pelé com seus dois netos, Octávio e Gabriel. Fui procurado pelo marido pastor de Sandra, saudosa filha de Pelé, para ajudar a apresentar os meninos que queriam conhecer o avô. E isso fiz, mesmo sem consultá-lo. Quando Pelé desceu para o saguão o encontro-surpresa aconteceu, meu filho Netto a tudo fotografou, durou uns 15 minutos e foi só. Na volta, no jatinho King Air, Pelé justificou: “Adorei ver os meninos, meus netos, mas o pai deles, não. Ficou anos pedindo e pedindo, ganhando e ganhando e depois exigindo mais e cada vez mais até tudo vir a público passando ser eu o vilão. Vocês não sabem da verdade”, disse. Minha tese: em briga de família ninguém tem 0% ou 100% de razão.