Arquivo da categoria: Osvaldo Oliveira

São Paulo atropela Corinthians no Morumbi

Leia o post original por Fernando Sampaio

São Paulo atropela Corinthians no Morumbi

O São Paulo mereceu a vitória.

Foi um baile.

O Corinthians ficou na roda.

O Tricolor começou melhor, atacando. Aos 12′ pênalti. Olhei o lance várias vezes. Embora confuso, eu marcaria pênalti. Houve toque do Fágner. Kelvin encena, é verdade. Mas se fosse fora da área não haveria discussão. Dentro é mais grave. Virou gol. Fez diferença. Não é lance 100%. Respeito quem não viu como pênalti.

O pior da arbitragem foi a parte disciplinar. Marco Polo Del Nero já está deixando sua marca. Vai acabar com a arbitragem na CBF como fez na FPF. A escala do Claudio Francisco Lima e Silva no clássico foi sacanagem.

Depois do gol o Corinthians saiu e o São Paulo ficou com o contra ataque. Chavez teve uma boa oportunidade. Neres e Kelvin marcaram bem os laterais adversários. Só no final do primeiro tempo o Timão chegou, e chegou duas vezes com muito perigo pelo lado do Bufarini. O argentino estava nervoso, sem ritmo, virou avenida.

E pensar que tinha corneta culpando Gomes por não tê-lo escalado em Minas. Ficou provado que o argentino, voltando de contusão, não deveria ter sido escalado contra o América-MG. Ali o problema foi outro: Finalização.

No segundo tempo achei que o Corinthians daria trabalho. Nada disso. Aos 15′ David Neres marcou o segundo. Daí em diante ficou fácil. Até Chavez e Luis Araújo conseguiram fazer gol. Cueva deitou e rolou, foi o melhor em campo.

Fico imaginando se o torcedor corintiano também culpa o treinador. Osvaldo Oliveira não é meu número 1, assim como Ricardo Gomes, mas o elenco do Corinthians também é mais fraco que o treinador. Tite não faria milagre. Cristóvão não foi boa escolha mas também é injusto avalia-lo sem considerar a fragilidade técnica do elenco.

Corinthians e São Paulo estão fazendo um Brasileiro no nível dos seus elencos.

Jamais estariam no G-4 com Mourinho, Tite, Rinus Mitchel, Telê….

Técnico não é Mister M.

 

Palmeiras decepciona em Curitiba

Leia o post original por Fernando Sampaio

henriqueO Palmeiras perdeu a terceira seguida.

Ney Franco, Henrique, Negueba e Juan.

Meu Deus !!!

O Verdão não jogou nada, o time mostrou afobação, errou muitos passes, deu mole, levou dois gols do lanterna da competição. O Palmeiras que parecia entrar na briga até pelo título agora não mostra futebol nem para disputar o G-4.

Achei válida a troca de Osvaldo pelo Marcelo, porém não vi mudança radical.

Aliás ambos são Oliveira.

Não achei que Osvaldo fosse o culpado pelo fraco futebol no início do Brasileirão. Nunca vi o elenco do Palmeiras como acima da média. Minha expectativa era ver o Verdão entre os dez ou oito primeiros. O elenco não tem individualidades, sua força está no coletivo. É um time operário, e como todo operário, precisa trabalhar muito forte para dar resultado.

Em algumas partidas na temporada o time mostrou força para G-4.

Marcelo Oliveira chegou. Achei que a troca era válida para mexer com o elenco. O clube investiu, trouxe Barrios e Alecsandro para resolver a deficiência técnica do ataque. Pegou uma tabela favorável.  Minha expectativa era de melhora. Fez a lição de casa e subiu na tabela. Nos jogos contra São Paulo, Sport e Vasco fiquei otimista, passei a ver um time que poderia entrar na briga até pelo título. Atlético-MG, Corinthians e São Paulo tem mais time, mas não são insuperáveis.

Ontem o gato subiu no telhado.

Nem tanto ao céu nem tanto à terra, o Verdão continua o mesmo, elenco equilibrado, dois bons laterais que são os pontos fortes da equipe, meio campo sem criação, atacantes razoáveis, zaga tecnicamente fraca. O Palmeiras não tem qualidade técnica acima da média, não tem jogadores que façam a diferença numa partida.

A força do Verdão é o coletivo.

Para que o Palmeiras possa sonhar com título ou G-4 é preciso que os jogadores joguem no limite, mantenham a pegada e a intensidade em todos os jogos. Não vejo isso em alguns jogadores.

O Coritiba manteve o tabu em casa, não perde do Verdão em Brasileiro desde 1989.

Galo reserva surpreende, Verdão arranca empate no final

Leia o post original por Fernando Sampaio

joEmoção e clima de decisão.

Assim é o Brasileirão de pontos corridos.

Toda rodada é decisiva

As duas equipes sabiam disso e entraram com tudo em busca de uma vitória.

O time reserva do Atlético-MG mostrou maturidade e confiança, entrou preocupado em segurar a pressão da torcida, manteve a calma e conseguiu. A única chance do Palmeiras surgiu num vacilo na saída de bola. Aos 14′ Rafael Marques roubou, Zé Roberto cruzou, Lucas bateu fora. O Galo equilibrou o jogo e saiu para o ataque. Aos 28′ Maicosuel teve a primeira oportunidade clara da partida, Prass defendeu com o pé.

O Galo terminou melhor o primeiro tempo e começou melhor o segundo.

No segundo tempo o time mineiro começou pressionando. Aos 3′ Eduardo teve uma chance, aos 5′ Patric abriu o placar. Merecido. Aos 19′ Carlos teve a chance do segundo. O Palmeiras reagiu, Gabriel Jesus na individualidade quase empatou. Aos 38′ Zé Roberto bateu escanteio, Vitor Hugo empatou de cabeça.

Nos últimos minutos o jogo ficou ainda mais emocionante.

Aos 40′ Jô fez 2×1. Aos 46′ Maicosuel perdeu a chance de matar o jogo. Aos 50′, veio o castigo, Rafael Marques empatou.

No final, o Palmeiras comemorou e o Atlético-MG lamentou.

Agora, com a cabeça mais tranquila, a análise muda.

O Atlético-MG ganhou um ponto no Allianz Parque com time reserva. O Palmeiras não fez uma boa estreia, jogou mal, mostrou deficiências e deixou de somar dois pontos em casa jogando contra o time reserva do Galo. Além disso a torcida pegou no pé, atrapalhou, deixou o time nervoso…. Hoje o Allianz Parque lembrou o velho Palestra Itália.

 

Foto Marcos Ribolli

 

 

 

Share This:

Palmeiras elimina Corinthians nos pênaltis

Leia o post original por Fernando Sampaio

victor ramosDeu Verdão.

O Timão saiu invicto do Paulistão.

Clássico emocionante, pegado, equilibrado, bem jogado.

O Corinthians deixou Elias e Renato Augusto no banco. Apesar do cansaço mostrado nos últimos jogos, físico e mental, o Timão entrou bem, pressionando, levou um gol de bola aérea, teve força e tranquilidade para virar o jogo com um golaço de Mendoza, o melhor em campo na primeira etapa.

No segundo tempo o Verdão dominou o jogo.

Osvaldo mexeu bem, primeiro Cleiton Xavier, depois os garotos: Kelvin e Gabriel Jesus. O Corinthians recuou muito. Tite tentou acertar com Elias e Renato, mesmo assim o Palmeiras continuou melhor e chegou ao empate. Merecido. Antes do empate, Mendoza teve a bola do jogo, foi fominha, levou o castigo.

Nos pênaltis mais emoção, Elias teve a bola da classificação e Prass brilhou.

Faz parte, só um passaria após 90 minutos.

Thiago Duarte fez boa arbitragem, tirou de letra a encheção de saco.

Parabéns.

Incrível a incompetência da Federação Paulista. Quando vale dura pouco. Lamentável. Depois de um longo “vale nada”; com estádios vazios, pouco interesse, equipes fracas e desconhecidas; aquartas e semis disputadas em um jogo único. Ou seja, os melhores jogos são imensa minoria.

Parabéns Palmeiras !!!

Share This:

Osvaldo Oliveira tem perfil para acertar o Palmeiras

Leia o post original por Fernando Sampaio

OswaldoOliveiraINjpgTite no Corinthians é notícia velha.

Quem lê o Blog já sabia.

A novidade é Osvaldo Oliveira.

Gostei da contratação.

Apesar de dois grandes títulos, campeão brasileiro em 99 e 2000, nunca fui fã. Osvaldo evoluiu bastante. Gostei dos últimos trabalhos, considerando é claro os elencos de Botafogo e Santos. Fogão na Libertadores foi título. No Peixe o problema foi político, não escalava o Leandro Damião. Aliás, Osvaldo estava correto.

Não tenho bola de cristal, vai precisar de elenco, mas eu faria a contratação.

 

 

 

Share This:

Seedorf e a alegria de um veterano jovem

Leia o post original por Antero Greco

A festa do Botafogo campeão carioca foi bacana. Osvaldo de Oliveira e rapaziada mereceram o título, sem necessidade dos dois jogos da decisão, ao venceram com brilho os dois turnos da competição – o segundo, sobretudo, só com vitórias. Souberam aproveitar da fragilidade de Vasco e Fla, além do desinteresse do Flu, e se deram bem.

Mas o que me chamou a atenção foi a animação de Clarence Seedorf. O holandês desembarcou por aqui, no meio do ano passado, para o que parecia uma aventura maluca, tentativa descontraída de curtir a fase final de brilhante carreira. Não faltou quem duvidasse que o moço aproveitaria o convite do Botafogo para aproveitar melhor o sol do Rio, cidade com a qual tem forte ligação, pois é casado com uma carioca.

Já no Brasileiro de 2012, Seedorf, 36 anos e muita rodagem, mostrou que não estava para brincadeiras: foi um dos melhores do time. Em muitos momentos, sobrou, pela categoria que o tempo só fez apurar. Manteve o ritmo neste começo de temporada, ao comandar o time em campo na conquista da Taça Guanabara, Taça Rio e estadual.

Seedorf vibrou feito juvenil recém-promovido na noite deste domingo, depois da vitória por 1 a 0 sobre o Fluminense, clássico no qual mandou uma bola no travessão. Participou das comemorações com os companheiros, cantou na chegada a General Severiano e chorou. Se tem coisa que me comove é marmanjo emocionado! Ainda mais quem faturou títulos europeus a torto e a direito.

O camisa 10 se comportou como amador, no melhor sentido da palavra. Exemplo bonito, lição de vida para jovens que muitas vezes se consideram no auge e logo se desinteressam pela profissão. Seja qual for a atividade que exerçam. Ele ensinou que sempre há o que aprender, o que aprimorar e o que brindar.

Seedorf mostrou que para no tempo apenas quem quer.

Bota acerta técnico por 3 anos… conta outra!

Leia o post original por Mion

Osvaldo Oliveira assinou por 3 anos, mas se perder o primeiro turno do carioca…

Não dá para levar a sério. O Botafogo anunciou a contratação de Osvaldo Oliveira. Até aí mais ou menos tudo bem, porque tem o mesmo estilo de Caio Júnior, então não dá para entender a sua dispensa. Bom, o mais irônico é o período: 3 anos.

Só pode ser brincadeira, no Botafogo apenas Joel Santana aguenta acima de seis meses. E assim mesmo nos “trancos e barrancos”. Considero a decisão da diretoria uma loucura ou então, realmente resolveu peitar os corneteiros e torcedores.

Osvaldo Oliveira já mostrou qualidades. Poderia fazer um belo trabalho a médio prazo. A estrutura do time é ótima, com mais dois ou três reforços terá um time para brigar por títulos. Estou falando em brigar, sem garantias.         Agora, estou apostando com qualquer um, caso não dispute a final do primeiro turno do carioca estará na rua. Os corneteiros não conseguem entender, que apesar do Fogão ter um ótimo time, do outro lado os rivais Vasco, Flamengo e Fluminense têm equipes melhores. Infelizmente para determinadas pessoas não adianta falar, precisa “desenhar”.