Arquivo da categoria: Pablo

Velloso: Timão tem que reconstruir o elenco para 2018

Leia o post original por Craque Neto

O ex-goleiro e comentarista acredita que, para manter o ritmo que teve esta temporada, o Timão precisa reconstruir seu elenco após a possível saída de jogadores importantes como Guilherme Arana, Pablo e Jô.

O post Velloso: Timão tem que reconstruir o elenco para 2018 apareceu primeiro em Craque Neto 10.

Corinthians reduz proposta para Pablo, mas está otimista sobre renovação

Leia o post original por Perrone

Em reunião na última terça-feira, o Corinthians remodelou a proposta que havia feito de um novo contrato para Pablo. O blog apurou que o clube ofereceu redução de cerca de 30% nos valores que tinha apresentado ao jogador. Mesmo assim, ele terá aumento em comparação com o que ganha hoje.

No encontro, o empresário Fernando César aceitou estudar as novas condições, por isso há otimismo na diretoria em relação a um acerto rápido. “As conversas estão caminhando e ficamos de conversar de novo ainda nesta semana”, disse ao blog Flávio Adauto, diretor de futebol corintiano.

Pablo está emprestado pelo Bordeaux, e o Corinthians tem prioridade até o fim deste mês para dizer se vai pagar 3 milhões de euros (R$ 11,5 milhões) para ficar definitivamente com o beque.

Os franceses permitiram as conversas entre a direção alvinegra e o jogador sobre um novo contrato. O acerto esteve perto de acontecer, mas a negociação travou. O Corinthians decidiu tentar a redução de valores e está perto de conseguir. As quantias envolvidas têm sido mantidas em sigilo.

Corinthians faz nova reunião por permanência de Pablo

Leia o post original por Perrone

Nesta terça-feira (14), o Corinthians fará nova tentativa de acerto pela permanência de Pablo. O gerente de futebol Alessandro e o diretor Flávio Adauto vão se reunir com o empresário do zagueiro, Fernando César.

No encontro, a dupla de dirigentes deve apresentar uma nova proposta.

A tentativa de encerrar a novela acontece perto do final do período de prioridade dado ao alvinegro, que termina no próximo dia 30. Até lá os corintianos precisam informar se vão pagar 3 milhões de euros (R$ 11,49 milhões) ao Bordeaux para ficar com o atleta. Em recente conversa entre o empresário do beque e a direção do clube francês ficou combinado que até esta data não seriam ouvidas propostas de outros times.

Pablo está emprestado pelos franceses até o final do ano. Porém, o Corinthians obteve autorização para discutir com o jogador um novo contrato.

O zagueiro esteve perto de assinar compromisso por quatro anos e meio, com validade a partir de julho de 2017, mas a negociação emperrou.

César afirmou para a diretoria do Bordeaux que não existe diferença de valores na negociação com o Corinthians. Alegou que a única discordância é em relação à forma de pagamento.

No clube, apesar de a diretoria não falar sobre de detalhes da negociação, a informação é de que ainda há divergência em relação a cifras.

 

Preparo físico gera clima de desconfiança no Corinthians

Leia o post original por Perrone

Com Diego Salgado, do UOL, em São Paulo

Uma rede de desconfianças e críticas compõe o cenário da brusca queda de rendimento do Corinthians no segundo turno do Brasileirão. A trama envolve suspeitas de falta de comprometimento e cuidado com o físico por parte de jogadores. Mas também há queixas de supostas falhas de profissionais que zelam pela saúde dos atletas.

Enquanto torcedores e conselheiros criticam a condição física de parte do elenco, há na comissão técnica quem entenda que a culpa é de atletas que não cuidam do corpo como deveriam na hora das folgas. Não estariam comprometidos com o grupo.

Fonte com trânsito na comissão técnica afirmou ao blog que a saída de alguns jogadores do time titular por questões físicas chegou a ser discutida. Porém, Fábio Carille optou pela manutenção deles. Indagado sobre a veracidade do episódio, por meio de sua assessoria de imprensa o treinador afirmou que não se manifestaria. Walmir Cruz, preparador físico corintiano, disse que não pode dar entrevistas individuais por orientação da diretoria.

Rodriguinho, Jadson e Arana são os atletas cobrados por conselheiros e torcedores por supostamente não estarem descansando suficientemente nas folgas, o que estaria prejudicando a preparação física deles.

“Eu posso te garantir que nunca faltou vontade. Tive uma contusão que me atrapalhou. Mas pode ter certeza que todos estamos muito dispostos, determinados e vamos atrás do objetivo  principal”, disse Arana à reportagem por meio de sua assessoria de imprensa. Os assessores de Jadson e Rodriguinho declararam que eles não falariam sobre o tema.

Antes do jogo contra a Ponte Preta, a concentração do elenco foi antecipada em um dia. A medida é costumeira em clubes que acreditam que seus jogadores não se cuidam de maneira correta fora do trabalho. Ao comentar o assunto na semana passada em enrevista no CT corintiano, Flávio Adauto negou que a medida tenha sido adotada para evitar boleiros na noite. “A preocupação não é que eles saiam, é sim que durmam cedo e se alimentem bem”, disse o diretor de futebol, atribuindo a decisão a Carille.

Insatisfação

Mas, do lado dos jogadores as reclamações são outras. Integrantes de estafes de atletas alegam que parte do elenco está descontente com médicos e outros responsáveis por cuidar deles. As críticas são referentes a supostas demoras para diagnosticar corretamente jogadores contundidos, lentidão em algumas recuperações e falhas que teriam ocorrido na análise de atletas mais propensos a “estourar” por causa do desgaste físico.

Um dos casos citados pelos que criticam o departamento médico corintiano é o de Guilherme Arana. Ele sofreu uma lesão muscular na coxa contra o Vitória, em agosto e voltou em outubro diante do Vasco, mas fez seis jogos no Brasileirão sentido dores. Só atuou sem estar dolorido contra o Botafogo. Ivan Grava, médico do Corintians, diz que o jogador teve uma fibrose (aumento de tecidos durante a cicatrização) e que ela é normal em atletas que se recuperam de lesões semelhantes. Declarou ainda que Arana havia dito para ele estar sem dores.

Outro caso apontado pelos que questionam o departamento médico é o de Pablo. O zagueiro não jogou contra o Atlético-PR por causa de uma contratura na coxa. O jogador não criticou os médicos, mas, internamente, quem reclama do departamento questiona o fato de ter havido demora na realização de uma ressonância magnética para melhor avaliação. Ele vinha sendo examinado por meio de ultrassom, que nada apontava, mas continuava se queixando de dores e ficou fora da partida contra o Coritiba, na qual se esperava que ele jogasse. O atleta então treinou dois dias para enfrentar o Bahia. Depois do segundo treino, o jogador apontou dores de novo. Só então foi feita a ressonância que detectou uma contratura com prazo de recuperação entre 7 e 10 dias. A suspeita dos críticos dos médicos corintianos é de que, se tivesse sido feita antes, a ressonância já teria apontado o problema.

Grava, porém, rebate essa versão. Afirma que a lesão foi num local diferente daquele que vinha sendo examinado. Afirmou também que o ultrassom identifica esse tipo de contratura. Mas, segundo ele, o exame só não foi feito novamente, de acordo com o médico, porque era feriado, e o profissional que opera o aparelho no CT estava de folga. Nesse caso, foi escolhida a ressonância. O médico sustenta que não houve falha.

É sob essa nuvem de suspeitas que o time treina em busca de uma vitória contra o Palmeiras, domingo, para estancar seus maus resultados e ficar mais perto do título Brasileiro.

 

Seis problemas que explicam queda de rendimento do Corinthians

Leia o post original por Perrone

1 – Preparo físico

É visível o desgaste físico do time. Isso afeta a equipe tanto no ataque como na defesa.

No primeiro turno, quando um corintiano tinha a posse de bola na frente, pelo menos dois companheiros se movimentavam perto dele para oferecer opção de passe. Agora, com o cansaço, essa movimentação diminuiu e quem está com a bola nos pés tem menos opções. A distância para os companheiros aumenta a dificuldade na troca de passes e faz crescer a chance de erros.

Por causa da falta de gás de boa parte dos atletas, quando é perdida a posse de bola, a transição para a defesa é mais lenta do que era no turno inicial. Assim, os contra-ataques dos adversários passaram a ser mais perigosos. Procurado pelo blog, o preparador físico Walmir Cruz disse que não poderia dar entrevista por ordem da diretoria.

2 – Laterais

A queda de produção de Guilherme Arana e Fágner tem tudo a ver com a piora de desempenho do Corinthians. Os dois, principalmente o lateral esquerdo, estavam entre as principais armas da equipe no primeiro turno. Atacavam com eficiência e voltavam com rapidez para compor a defesa. Os cruzamentos de Arana eram letais.

A dupla agora é pouco eficiente no ataque. Fágner erra passes em demasia e tem dificuldade para recompor a defesa. Ele foi o corintiano que mais perdeu a bola na derrota do último domingo por 1 a 0 a Ponte Preta, de acordo com o site Footstats. Foram oito bolas perdidas graças a passes errados. Ainda assim, foi um dos mais eficientes no ataque. O lateral-direito também comete falhas de posicionamento defensivo que contribuem para gols adversários.

Por sua vez, o antes perigoso Arana fez apenas dois cruzamentos em Campinas, ambos errados. Sem contar com sua eficiência, o time acertou apenas quatro cruzamentos no jogo inteiro. Dois com Fágner e a mesma quantidade com Clayton. A Ponte fez seis cruzamentos certos.

3 -Meias

Jadson e Rodriguinho eram fonte de criatividade e articulação de jogadas no primeiro turno. Agora demonstram esgotamento físico e repetem atuações apagadas.

Jadson errou cinco lançamentos e acertou só um contra a Ponte. Rodriguinho lançou duas bolas com precisão e uma de maneira errada. Cada meia deu apenas um passe para a finalização de colegas.

4 – Manutenção do time

Apesar de ver despencar o rendimento de jogadores que foram fundamentais no primeiro turno, Carille prefere não tirá-los da equipe. Nomes como Jadson e Rodriguinho repetem más atuações e seguem na equipe. O desempenho coletivo não melhora e a diferença para os rivais vai derretendo.

5 – Contusões

No primeiro turno, o Corinthians também sofreu com lesões, mas quem entrou deu conta do recado. Na etapa final do campeonato, as lesões prejudicaram mais o time. Pablo custou a se recuperar de contusão e o rendimento da defesa sem ele não foi o mesmo. Pedro Henrique não conseguiu manter o mesmo nível da zaga. Pablo voltou contra a Ponte. Arana teve dificuldades para se recuperar de lesão e jogou várias vezes com dores causadas por uma fibrose. O lateral alegou que contra o Botafogo fez a sua primeira partida depois do retorno ao time sem estar dolorido. O departamento médico do clube afirma que a fibrose (aumento de tecidos em processos de cicatrização) é normal após algumas contusões.

6 – Gols sofridos em cruzamentos

Fábio Carille não conseguiu corrigir as falhas que o time apresentava já no primeiro turno nas bolas cruzadas em sua área e o problema parece ter se acentuado agora. Os três gols levados pelo líder do Brasileirão nos últimos dois jogos, contra Botafogo e Ponte Preta, foram a partir de jogadas desta forma.

Até 30 de novembro prioridade é acerto com Corinthians, diz agente de Pablo

Leia o post original por Perrone

Em reunião com o presidente do Bordeaux, Stéphane Martin, nesta quarta (18), o agente de Pablo, Fernando César, afirmou que tem um acordo pela permanência do jogador no Corinthians e vai manter o que combinou. Isso até o alvinegro se manifestar se vai exercer sua opção de compra por 3 milhões de euros (R$ 11,18 milhões).

“O Corinthians tem a prioridade até 30 de novembro, e ela vai ser respeitada. O interesse do jogador é ficar, e é o meu também. Não estamos conversando com Flamengo, com ninguém”, disse o empresário ao blog.

Ao cartola do clube francês, César explicou que não existe diferença de valores na conversa com os corintianos. Afirmou que o problema é a forma de pagamento. “Com boa vontade de ambas as partes, isso pode ser resolvido rapidamente”, declarou o agente.

Flávio Adauto, diretor de futebol do Corinthians, afirmou ao UOL Esporte que as partes devem voltar a conversar nos próximos dias.

Autorizado pelo Bordeaux, que o emprestou, Pablo esteve bem perto de assinar contrato de quatro anos e meio com o alvinegro valendo a partir de julho de 2017. Ficaram definidos salários, luvas e comissão de 10% sobre o contrato integral para o empresário, de acordo com César, mas houve impasse na forma de pagamento. A partir de então, as partes se distanciaram.

Segundo o empresário de Pablo, foi definido com o presidente do Bordeaux que haverá uma nova reunião no começo de dezembro para discutir o futuro do jogador, caso o Corinthians não exerça sua opção de compra. “O presidente considerou serem possíveis todas as hipóteses (se o zagueiro não ficar no Corinthians), inclusive o retorno de Pablo”, afirmou César.

O beque tem sido hostilizado em redes sociais por alguns torcedores que afirmam que ele quer deixar o clube para ganhar mais dinheiro em outra equipe. O empresário nega esse interesse afirmando já existirem quantias acordadas para a permanência em sua atual equipe. Pablo não vem atuando por estar contundido.

Corinthians vive indefinição sobre Pablo após recuo do Bordeaux

Leia o post original por Perrone

Com Dassler Marques, do UOL em São Paulo

Após confirmar a prorrogação do empréstimo de Pablo pelo Bordeaux por mais seis meses, o Corinthians agora vive incerteza em relação a situação do zagueiro. Por meio de um telefonema, conforme apurou o blog, o clube francês informou que não tem mais interesse no negócio. Assim, para ficar com o jogador após dezembro, quando termina o acordo atual, o alvinegro terá que pagar 3 milhões de euros (cerca de R$ 11 milhões). Além disso, precisa desembolsar essa quantia se outro clube fizer oferta oficial pelo atleta na janela europeia de transferências, aberta atualmente.

Mas a direção corintiana não considerou o comunicado oficial e espera ser procurada de maneira formal pelos franceses para saber se o acordo selado anteriormente será assinado. Chegou a haver troca de documentos para sacramentar a prorrogação do empréstimo.

Apesar da reviravolta, a diretoria alvinegra não demonstra preocupação. O discurso é de que o Bordeaux sugeriu esticar o empréstimo até julho de 2018. Assim, a desistência não muda o plano inicial que erar comprar os direitos do beque no final de 2017. Os corintianos afirmam não haver motivo de pressa para definir a situação, principalmente por já haver um acordo com os franceses para a compra em definitivo. O trato, porém, não foi assinado por divergência na forma de pagamento de luvas ao jogador e comissão para o agente Fernando César. O Corinthians no entanto, chegou a confirmar que tinha havido consenso com o empresário, que não se pronunciou sobre o assunto.

Apesar da calma corintiana, Pablo interessa a outros clubes brasileiros que podem se aproveitar da demora. Agente brasileiro com trânsito no Bordeaux diz que o Flamengo é um dos que tem interesse no zagueiro para a próxima temporada. O time da Gávea não confirma a informação.

Corinthians e agente de Pablo tentam acertar renovação na próxima semana

Leia o post original por Perrone

Com Dassler Marques, do UOL, em São Paulo

A novela da renovação do contrato do zagueiro Pablo com o Corinthians terá um novo capítulo no início da próxima semana, quando o agente do jogador, Fernando César, vai se encontrar com a direção do clube. O empresário tem pressa na resolução do caso.

“Quero resolver tudo até o final do mês”, disse César ao blog. O beque está emprestado pelo Bordeaux até dezembro. Porém, há uma cláusula que permite a venda do jogador nesta janela de transferência se houver uma oferta e o Corinthians não pagar 3 milhões de euros (R$ 11,1 milhões) pelos direitos do atleta.  Esse é o valor que precisa ser pago pelo alvinegro em dezembro para assegurar a manutenção de Pablo.

Mesmo sem ainda ter sacramentado a venda do zagueiro para o clube brasileiro, o Bordeaux autorizou o jogador a tratar de sua renovação que é discutida por mais quatro anos.

De acordo com o agente de Pablo, o defensor tem sido sondado por outros clubes, mas não vai conversar com ninguém até resolver se renova ou não seu compromisso agora. Nesse cenário, é importante uma definição em julho para o atleta ter chances de aproveitar a janela de transferências em agosto.

As duas partes, porém, acreditam no acerto para a renovação. Mas ainda há divergências. O empresário quer um valor de luvas que havia informado já no início do empréstimo, mas o Corinthians entende que a quantia é alta.

A renovação também passa pelo desejo do Bordeaux de dar os direitos econômicos de Pablo como parte do pagamento pela compra do lateral-esquerdo Guilherme Arana. Nesta terça, as duas partes conversaram, mas ainda não houve consenso. O Corinthians mantém a posição de liberar Arana só depois do Campeonato Brasileiro. A comissão técnica do Bordeaux faz pressão para ter o jogador agora.

Corinthians recusa oferta verbal do CSKA por Arana levada por intermediário

Leia o post original por Perrone

Com Dassler Marques, do UOL, em São Paulo

O Corinthians recusou uma oferta verbal feita pelo CSKA por Guilherme Arana através de um intermediário. O valor é mantido em sigilo pelo clube, porém, de acordo com duas fontes, os russos desembolsariam pelo menos 10 milhões de euros (R$ 37,7 milhões) pelo lateral-esquerdo.

A proposta era para que o jogador fosse liberado imediatamente, o que o Corinthians se nega a fazer. Além disso, o valor foi considerado baixo.

Com a recusa, o clube põe em prática o discurso adotado nos últimos meses de que não negocia Arana antes do final do Campeonato Brasileiro para não enfraquecer o time. Só uma proposta na casa dos 15 milhões de euros (R$ 56,5 milhões) é capaz de fazer os alvinegros repensarem essa decisão. O Corinthians tem 40% dos direitos econômicos de Arana. O restante pertence a investidores.

Pelo fato de a proposta não ter sido enviada por escrito e em papel timbrado do CSKA a direção alvinegra não considera uma oferta oficial, mas assegura que se ela tivesse chegado em forma de documento seria rejeitada do mesmo jeito.

Arana também interessa ao Bordeaux, que pode pagar até 9 milhões de euros (R$ 33,9 milhões), além de ceder os direitos de Pablo, fixados em 3 milhões de euros. O Corinthians está otimista em relação a fechar essa negociação liberando o lateral depois do Brasileiro. Na França, porém, Jocelyn Grouvenec, treinador do Bordeaux, disse que esperar até janeiro para ter Arana não é o ideal e que sua agremiação tem outras opções.

A transação também depende da renovação contratual de Pablo, emprestado pelos franceses até dezembro, com o alvinegro. Apesar de todos os envolvidos confiarem que  chegarão a um consenso ainda há divergências.

O Bordeaux autorizou o Corinthians a tratar da renovação mesmo sem ainda ter definido o repasse definitivo dos direitos econômicos do zagueiro.