Arquivo da categoria: Paulista

São Paulo precisa de mais reforços.

Leia o post original por Nilson Cesar

O São Paulo precisa de mais reforços para a temporada. Esta mais do que evidente essa necessidade. Se quiser títulos novamente não adianta ter um time apenas razoável. O torcedor tem razão. Chega de só participar de campeonatos. Dorival Junior também corre risco se não ficar ao menos entre os 4 semifinalistas do campeonato paulista. Palmeiras e Corinthians são os favoritos para o título. O Santos corre por fora, mas não vejo chance do peixe ser campeão. O Paulista é um campeonato de pré temporada e quem duvida de sua importância está enganado. O importante é o campeonato que se disputa no momento. E o que tem pra hora é o campeonato regional.

Estaduais: Inteligencia rara

Leia o post original por Rica Perrone

Os campeonatos estaduais são ruins. Ponto. É impossível um torneio recheados de clubes da série D e outros que nem série tem juntando com alguns tops fazerem um grande campeonato.

Politicamente existem porque o sistema quer assim. Enquanto os grandes não peitarem, nada mudará. Talvez porque esteja bom pra todos, talvez seja bom pra quem manda. Enfim. Temos estaduais longos e sem o menor apelo.

Quando o torcedor vai ao jogo é pelo time, a fase, o idolo. Não pelo jogo ou pelo torneio. Ou você acredita que algum palmeirense está indo ao jogo porque quer ganhar o Paulistão desesperadamente?  Sabemos que não.

O Grêmio está com técnico reserva. É surreal como conseguem arrumar um calendário onde o grande destaque de 2017 tem que começar o ano prejudicado por ter ido longe demais.

Mas de curioso fui ver as formulas de disputa. Procurar alguma que não seja estúpida, que entenda que já que é ruim, que seja breve e emocionante. De fato, carioca e paranaense entenderam isso. Os demais, não.

Paulista: 12 rodadas para termos 8 classificados dos quais 4 todos nós já conhecemos. Insuportável.

Mineiro: 12 times, 11 rodadas, 8 classificados. É tão emocionante quanto dançar com a própria irmã.

Carioca: 5 rodadas, semifinal e final. 6 rodadas, semifinal e final. A bobagem fica pro final onde entre o time de “melhor campanha no geral”.  Mas ainda assim, dura menos até ter jogos decisivos.

Paranaense (melhor formato): Igual ao carioca sem a bobagem do “melhor campanha”. Jogam os campeões e ponto.

Gaúcho: Igual ao Mineiro.

Catarinense: Esse merece o prêmio “Padre Baloeiro” de idéia ruim do ano. São 10 times, DEZOITO rodadas. Ida e volta. E então os dois primeiros jogam uma final.  Se alguém não dormir até lá, é claro.

Enfim. Se é pra ser ruim e o título pouco cobiçado, é razoável imaginar que encurtar a disputa e dramatizar o cenário sejam os caminhos óbvios para se tornar menos chato.

Carioca e Paranaense entenderam isso melhor que os outros. Em 1 semana haverá decisão em ambos enquanto em algumas semanas os demais passam a cumprir tabela sabendo da classificação óbvia dos grandes.

Enquanto isso não acaba ou se limita a um mês, oremos para que sejam o menos sonolento possível.

abs,
RicaPerrone

Início dos estaduais

Leia o post original por Flavio Prado

Foto: Sergio Barzaghi/Gazeta Press

Neste ano de Copa do Mundo o calendário do futebol brasileiro ficou ainda mais apertado. Nos últimos anos, pelo menos o período de pré-temporada passou a ser respeitado, mas em 2018 não será assim.

Alguns times começam o estadual com menos de 10 dias de preparação, isso mostra total falta de preocupação com a saúde dos atletas e com a qualidade do jogo. Pelo menos em 2018, os estaduais poderiam ter diminuído, mas não aconteceu.

Está muito claro que os estaduais existem no formato atual por uma questão política. O calendário atual não é bom nem para os grandes e nem para os pequenos. Muitos times ficam sem calendário em abril e outros sofrem com o excesso de jogos na temporada.

 

Mercado dos paulistas

Leia o post original por Flavio Prado

Mais uma vez o Palmeiras é o time que mais contratou no mercado de transferências entre os paulistas. Chegaram Wéverton, Émerson Santos, Marcos Rocha, Diogo Barbosa e Lucas Lima. Gostei mais do mercado deste ano do que do ano passado. O elenco é forte, mas não pode repetir alguns erros de 2017. Seria importante deixar Róger Machado trabalhar durante todo o ano e não mexer muito no elenco. Entre os jogadores mais utilizados no ano passado, saíram Mina, vendido ao Barcelona e por opção do clube Róger Guedes foi envolvido na troca com Marcos Rocha, além da aposentadoria de Zé Roberto. Victor Luis e Allione que retornam de empréstimo podem ser úteis.

O campeão brasileiro Corinthians perdeu 3 titulares importantes. Deixaram o clube Pablo, Guilherme Arana e Jô. Para repor chegou o jovem Juninho Capixaba do Bahia para a lateral e estão próximos Henrique e Henrique Dourado, ambos do Fluminense, seriam bons substitutos para Pablo e Jô. O Corinthians é um dos poucos times brasileiros com uma identidade clara de jogo, isso pode diminuir o prejuízo com as saídas.

O São Paulo perdeu Hernanes e Pratto, dois jogadores importantes. Chegou Diego Souza que pelo menos no início deve ser utilizado na função do argentino. O time terminou o ano com uma base, que já começou a ser mexida, e com algumas carências que ainda não foram preenchidas, Ainda é necessária a chegada de um lateral-direito e um atacante de velocidade, sem Hernanes será preciso buscar mais um jogador para o meio. Chegou o goleiro Jean do Bahia, considero uma ótima contratação. Reinaldo e Hudson retornam de empréstimo e serão úteis.

Até aqui, o Santos é o que mais preocupa. O time mantinha uma base desde 2015 e conseguiu bons resultados no período. Vice da Copa do Brasil 2015 e do Brasileiro 2016, terceiro no Brasileirão do ano passado, além de dois títulos estaduais. Essa base não existe mais, no ano passado saíram o técnica Dorival Júnior e o volante Thiago Maia, neste ano não estarão Zeca, Lucas Lima e Ricardo Oliveira, um novo time terá que ser montado pelo técnico Jair Ventura, com pouco dinheiro. Mais uma vez a base precisará ajudar o Santos.

Parabéns ao Fabio Carille. Cara simples e competente. Gosto de gente assim

Leia o post original por Nilson Cesar

Não gosto de pessoas muito empavonadas em nenhuma área de atividade. Esse rapaz, técnico do Corinthians, está se mostrando simples e competente. Fez escola com Mano Menezes e Tite e está se dando muito bem. Não inventou em nada. Primeiro consertou a defesa e sabe que precisa de mais força no ataque para o campeonato brasileiro. O Corinthians têm um jeito de jogar e mostra muita aplicação tática. Isso é sinal evidente que os jogadores estão de acordo com o treinador. O Corinthians será Campeão Paulista no próximo domingo e boa parte desse título se deve a competência de seu técnico. Parabéns à direção do Corinthians que apostou no cara e vem lhe dando retaguarda. Parabéns ao Corinthians, Campeão Paulista com todos os méritos em 2017.

Corinthians x Ponte Preta. Final justíssima e muito interessante. Aposto minhas fichas no Corinthians.

Leia o post original por Nilson Cesar

O Corinthians foi melhor que o São Paulo em dois jogos e está na final do Campeonato Paulista. A Ponte Preta sobrou no jogo de Campinas e o Palmeiras não teve forças para reverter. Portanto, ninguém pode questionar os méritos das equipes que irão decidir o Paulistão 2017. Entendo que o Corinthians é o favorito por jogar em casa a partida decisiva. O jogo de Campinas é a grande chance para a Ponte Preta. De toda maneira acho que a Ponte Preta não irá vencer nem o jogo de Campinas. Serão dois jogos apertados , mas o Corinthians deve levar a melhor. Por já estar fora da Copa do Brasil o Corinthians vai se aplicar e muito para conquistar o Paulistão. Tem mais time que a Ponte Preta e todas as chances para ser Campeão Paulista em 2017.

Palmeiras vence e evolui

Leia o post original por Flavio Prado

Foto: Djalma Vassão/Gazeta Press

O Palmeiras passou com muita facilidade pelo Novorizontino, no placar agregado 6×1. Muito mais importante do que o resultado e a classificação é a evolução do Palmeiras.

Ninguém tem dúvida sobre a qualidade do elenco do Palmeiras, mas isso não é garantia de bom futebol e nem de resultado. No início da temporada, a cobrança e a desconfiança eram grandes em cima de Eduardo Baptista e o técnico tem mostrado competência no comando do badalado elenco palmeirense.

Eduardo é diferente de Cuca. Prefere um jogo mais cadenciado, troca mais passes, já o técnico campeão brasileiro prioriza um jogo mais direto. No sistema defensivo, Cuca gosta da marcação individual, Eduardo marca por zona, são diferenças que precisam de tempo para serem assimiladas e o time tem evoluído no tempo certo.

O Palmeiras tem o elenco mais forte do continente, mas é sempre bom lembrar, isso não obriga o time a conquistar todos os títulos da temporada, isso é muito difícil de acontecer em um futebol tão equilibrado, principalmente no mata-mata.

Santos precisa jogar muito mais para eliminar a Ponte Preta.

Leia o post original por Nilson Cesar

O Santos está jogando mal.Tem um elenco de muito boa qualidade, mas não está rendendo. A Ponte Preta jogará por um empate na segunda feira dia 10 no Pacaembu. Se jogar da mesma maneira que se apresentou em Campinas o Peixe ficará de fora das semi finais do campeonato paulista. Corinthians irá passar jogando em casa diante do Botafogo. São Paulo e Palmeiras na minha opinião já estão garantidos para a próxima fase. Gosto muito do Paulistão e acho que teremos jogos empolgantes na fase final. Só como palpite acho que os quatro grandes seguirão em frente. O Santos irá se superar e estará com Corinthians, Palmeiras e São Paulo decidindo o campeonato paulista de 2017.

Ponte larga na frente

Leia o post original por Flavio Prado

A Ponte Preta foi melhor que o Santos na maior parte do jogo. Os times tinham propostas opostas, o Santos queria a posse de bola e a Ponte buscava o contra-ataque. O time de Campinas conseguiu executar melhor.

Em muitos jogos no campeonato, o Santos teve muita posse de bola e pouca finalização, o time roda a bola de forma lenta, não consegue avançar e agredir o adversário. A Ponte Preta se defende bem e usa velocidade pelo lado.

No primeiro tempo, o lado direito da Ponte funcionou bem com Nino Paraíba e Claysson. Jean Mota, que jogou na lateral, muitas vezes teve que encarar os dois jogadores da Macaca. Com dificuldade de avançar, Lucas Lima recuou muito para ajudar na saída de bola e ficou distante de Ricardo Oliveira, os pontas também não conseguiam encostar no camisa 9. Dorival inverteu Vitor Bueno e Bruno Henrique, por alguns minutos pressionou, mas não conseguiu manter a intensidade por muito tempo.

No intervalo, saiu Vitor Bueno e entrou Copete. O Santos passou a ter dois jogadores de força física pelo lado, mas só conseguiu pressionar nos primeiros minutos. A Ponte voltou a levar perigo no contra-ataque, principalmente com Potker aberto pela direita.

O resultado foi justo. O time de Campinas esteve até mais perto do segundo gol do que o Santos do empate. A volta será no Pacaembu com o confronto ainda muito aberto.

Ótimo jogo na Vila

Leia o post original por Flavio Prado

Foto: Fernando Dantas/Gazeta Press

Santos e Palmeiras fizeram um excelente clássico. Nos últimos dois anos, as equipes decidiram Campeonato Paulista, Copa do Brasil e brigaram pelo título brasileiro.

O Palmeiras tem um elenco numeroso. Eduardo Baptista tem opções para mexer na equipe e mudar a característica do time dentro de um jogo complicado, isso faz grande diferença no Campeonato Brasileiro por pontos corridos.

O time titular do Santos é muito bom, não deve nada para nenhum outro do Brasil. No confronto direto, pode derrotar qualquer adversário no continente, mas falta reposição, isso fez diferença na briga com o Palmeiras no Brasileirão e pesou no início do ano com as ausências de Renato, Lucas Lima e Ricardo Oliveira.

O Palmeiras venceu, o resultado de um clássico sempre tem peso nas avaliações, nos elogios e nas críticas, mas os dois times jogaram bem. Claro que o resultado é importante, mas a avaliação deve ser feita pelo desempenho.

O Santos melhorou com a volta de seus principais jogadores, voltou a apresentar um futebol parecido com o que mostrou em 2016. A situação na tabela é fruto do início complicado. Como são apenas 12 rodadas, existe o risco de eliminação, mas o que importa é o desempenho que pode render bons resultados ao longo do ano.