Arquivo da categoria: São Caetano

Blá, blá, blá

Leia o post original por Rica Perrone

Nós, jornalistas, falamos muita coisas das quais não temos o menor conhecimento. Uma delas é avaliar um time menor que não nos compete no dia a dia.  E quando digo isso me refiro a times grandes mas que não estão entre os 12 gigantes e portanto levam nossa mínima atenção.

Basta um time do interior ou do nordeste vencer 10 jogos para irmos na TV dizer que “grande trabalho faz a diretoria”.  Falamos merda atrás de merda, como as mil referências ao futebol alemão desde 2014, sem saber exatamente o que estamos dizendo. Mas precisamos dizer.

Então o São Caetano é a nova potência do futebol brasileiro. Gestão, visão, trabalho.  Sumiu.

Como ele cito facilmente um por ano nos últimos 100 anos.  E mais recentemente o Santa Cruz, time que todo país adora e respeita pela sua massa comovente.  Da série C para a A, o surto no começo de 2016, os mil comentários sobre chance de título, surpresa, “puta trabalho”, “mentalidade nova”, blá, blá, blá.

Sabe quantos jornalistas do eixo foram lá ver de fato o tal trabalho?

Nenhum.

Mas temos que falar algo. E na falta do que falar, blá, blá, blá. E colocamos tudo no alto quando vence, tudo na lama quando perde.

Hoje o Santa Cruz voltou pra serie C do Brasileirão.

E muitos de nós, que jurávamos ver ali um trabalho diferenciado e sério, vamos fazer uma semana de silêncio em respeito a falta de compromisso com o que se jura poder avaliar.

abs,
RicaPerrone

Pós-jogo: São Caetano 1 x 1 América

Leia o post original por Flávio Drummond


Design Arthur Henriques (Twitter: @arthurhenriques).

Que pelada!

 


Foto: GloboEsporte.com

Empate péssimo diante de um São Caetano morto!

“Ruim para os dois: Azulão e Coelho empatam no Anacleto Campanella”

Praticamente demos adeus a qualquer chance de acesso.

Serão necessárias quatro vitórias nos quatro últimos jogos e torcer por tropeços dos concorrentes diretos.

Mas, pela bolinha de hoje – que é a mesma das últimas partidas – dificilmente ganharemos do América-RN.

ESSE TIME DO AMÉRICA É UMA VERGONHA!!!

Espartanos, elenco que tem o Jailton como zagueiro titular não passará um jogo sequer sem tomar gol.

Se isso acontecer, é sorte, mas muita sorte mesmo.

Além disso, enquanto o Danilo e o Elvis estiverem em campo, o América dificilmente ganhará de alguém!

O trio – Jaílton, Danilo e Elvis – é o fim!

Ajuda aí, Silas!!!

“Fábio Júnior lamenta empate porque ‘equipe buscou vencer até o final’”

Quanto ao Fábio Junior, com todo o respeito que ele merece, mas, definitivamente, não dá!

Deveria ser premiado com uma placa pela Diretoria, mas a sua hora de pendurar as chuteiras chegou.

Obrigado por todas as alegrias artilheiro!

Já o Marcão é piada de péssimo gosto.

Simplesmente, ridículo!

“Depois de empate, Silas admite que conquista do acesso fica difícil”

Por fim, um puxão de orelha no treinador: está demorando muito para promover as alterações.

Acorda, Silas!!!

E insisto: segue a triste sina do torcedor americano.

MELHORES MOMENTOS

#AcreditaAmérica

“Coelho na raça, deca no peito!”

Pré-jogo: São Caetano x América

Leia o post original por Flávio Drummond


Design Arthur Henriques (Twitter: @arthurhenriques).

A uma vitória do G4…

 

Mais uma final pela frente e, novamente, o adversário é outro desesperado: o São Caetano.

“Por objetivos distintos, São Caetano e América-MG duelam no Anacleto”

Apenas a vitória interessa para o Coelhão, já que os três pontos perdidos para o Paysandu – em pleno Independência – estão fazendo falta e muito na classificação.

Ainda, dois pontos nos separam do G4. Assim, uma vitória nesta noite recolocará o América na zona de acesso até a próxima sexta-feira, quando teremos o desfecho da rodada.

É bem verdade que fizemos as nossas melhores partidas fora de Belo Horizonte, mas o jogo será bastante complicado, já que um revés pode significar um virtual rebaixamento do rival.

Para aqueles que ainda acreditam no acesso, esta será uma terça-feira daquelas.

Temos chances de conquistar mais uma vitória no campo inimigo? Sim!

Mas, pelas duas últimas apresentações, a coisa não será fácil.

Haja coração…

Para mais uma final antecipada, a equipe terá imporatente desfalque: Claudinei está fora pelo segundo jogo consecutivo.

Além disso, continuamos sem o Leandro Silva na lateral-direita e, pelos visto, teremos que aguentar o Leandro Ferreira e o Élvis novamente entre os titulares.

Quanto ao Danilo, este não merece sequer meia linha neste post.

Por fim, sofreremos com o Fábio Junior no ataque >>> queime a minha língua, por favor!

O time do Coelhão deve ir a campo com: Matheus; Elsinho, Jaílton, Vitor Hugo e Danilo; Leandro Ferreira, Andrei Girotto, Bady, Nikão e Élvis; Fábio Júnior.

Senhores, todos ligados na TV a partir das 21h00min.

Sorte Coelhão!

#AcreditaAmérica

“Coelho na raça, deca no peito!”

Com temporada regular, Palmeiras conquista o acesso à elite do Brasileirão e não faz mais que a obrigação!!! Mas o time atual vai fazer bonito no ano do centenário? Valdívia e Gilson Kleina devem permanecer no Verdão??? E na Série A o Cruzeiro quase sofre uma derrota histórica e o Galo, só pensando no Mundial, perdeu para o Bota!!!

Leia o post original por Milton Neves

Ufa, o Palmeiras voltou!

Após sua segunda queda para a Segunda Divisão do Brasileirão, o Verdão renasceu.

Em um ano em que outros planos foram traçados, subir era o mínimo.

E a campanha na Série B foi honrosa.

“Sobrando” em campo, o Alviverde teve bons valores dentro de campo e um líder na área técnica.

Mas Gilson Kleina, na frieza dos números, não fez uma temporada proveitosa.

O acesso era obrigação, mas o foco do Palmeiras era tentar uma vaga para a Copa Libertadores de 2014.

Afinal, é o ano de centenário do clube.

Não deu.

Agora, é planejar o ano que vem por aí.

100º aniversário e estádio novo.

Ingredientes perfeitos para uma receita de sucesso.

Mas Paulo Nobre e sua diretoria vão ter muito trabalho.

Na rodada das 18h30, da Série A…

O Cruzeiro quase protagonizou uma zebra homérica!

Vencendo por 2 a o o pobre Criciúma, o clube celeste conseguiu levar a virada!

Sorte da Raposa que o “Apito Amigo” deu aquela força e o clube catarinense teve um jogador injustamente expulso.

Ai fica difícil de segurar o líder, né?

Mas quase o Cavalo Paraguaio Azul dá as caras…

E o Botafogo conseguiu uma vitória lotérica sobre o Galo Mais Lindo do Mundo!

Não tem jeito, o Atlético está preocpado com um Mundial e deu de ombros pro nacional.

Sorte do Glorioso, que conseguiu mais três pontinhos.

Palmeirense, você comemora o acesso?

O que o time precisa mudar para 2014 ser mais feliz?

Você manteria Gilson Kleina?

OPINE!!!

Pós-jogo: América 2 x 1 São Caetano

Leia o post original por Flávio Drummond


Design Arthur Henriques (Twitter: @arthurhenriques)

 Valeu pelos 3 pontos, Coelhão!

 

 
Foto: GloboEsporte.com

Voltamos a vencer em casa, mas, é claro, com uma pequena dose de sofrimento.

“Rodriguinho comanda o Coelho na boa vitória sobre o São Caetano”

Quando a partida estava 2×0, o Rodriguinho perdeu um gol daqueles – na marca do pênalti – o que colocaria, certamente, uma pá de cal nas esperanças dos paulistas.

E já que citei o seu nome, a equipe é realmente outra quando o nosso maestro está em campo.

Ainda que não tenha feito uma partida brilhante como aquela diante do Sport, o Rodriguinho está em uma fase ímpar.

“Para Paulo Comelli, vitória do Coelho diante do São Caetano fez justiça”

Entretanto, me preocupa o fato de dependermos 100% do seu bom futebol para superar os adversários.

Já passou da hora do Kleber mostrar serviço.

Ano passado, o “Cabeludo” foi um dos principais atletas do Criciúma, sendo, inclusive, figurinha marcante nas seleções das rodadas da Série B.

Reage, Kleber!  

Decisiva, mais uma vez, a participação do Thiago Alves.

O jovem atacante entrou no segundo-tempo e, repetindo aquela atuação diante do Oeste, resolveu a partida a nosso favor.

Ainda, quase marcou outro belo gol, mostrando todo o seu atrevimento.

“Autor do lance mais bonito da partida, Nikão lamenta defesa”

E por falar em golaço, que pena a bicicleta do Nikão não ter entrado.

Seria o primeiro gol de placa do novo Independência.

O próximo adversário é o América de Natal.

Uma nova vitória em nossa casa e entramos definitivamente no G4.

Vamos com tudo, Coelhão!

Sinceramente, essa é uma das Série B’s mais fáceis dos últimos tempos.

Espartanos, está cheirando Primeira Divisão em 2014.

Eu acredito!  

 MELHORES MOMENTOS

#AcreditaAmérica

“Coelho na raça, deca no peito!”

Verdão já pode comemorar a volta à elite

Leia o post original por Neto

Wesley é um dos destaques do Palmeiras

Passadas 13 rodadas pra mim o Palmeiras já está de volta a primeira divisão do Brasileirão. E digo mais, do jeito que as coisas vão o time vai subir com pelo menos cinco rodadas de antecedência. Não tenho a menor dúvida disso. É o líder isolado da Série B com quase 10 pontos na frente do quinto colocado. Só um erro de percurso, tipo esse que está acontecendo no Tricolor, pode desviar o caminho do Verdão.

Vejam só, é claro que o chileno Valdívia tem sido a principal peça ofensiva da equipe do Gilson Kleina. Com ele em campo o Palmeiras faz o dobro de gols de quando ele não está. Agora contra o São Caetano, mesmo ele sendo poupado para evitar lesões, Alan Kardec e Henrique fizeram os gols da vitória de virada. Ou seja, tudo vem dando certo!

E a fase é tão boa que há muito tempo não vejo nem ouço entrevistas de cartolas do clube. Pois é, sinal que o presidente Paulo Nobre e o diretor José Carlos Brunoro estão fazendo muito bem o seu trabalho. E que assim seja, até porque no próximo ano teremos a inauguração do novo e o centenário do clube. Tempos de alegrar a torcida e esquecer o triste passado recente.

Palmeiras vê a Série A menos distante

Leia o post original por Antero Greco

Falta muito, mas muito mesmo, para definições na Série B do Campeonato Brasileiro. Mas, passadas 13 rodadas na divisão de Acesso, não é exagero dizer que o Palmeiras ficará com uma das quatro vagas para a elite de 2014. O time paulista nada de braçada, ganhou 10 vezes, empatou uma e perdeu duas, lidera com 31 pontos e com folga.

A turma de Gilson Kleina aos poucos toma forma – e o treinador usa a Segundona como laboratório. Jogadores que no início do ano tinham espaço, agora entram menos. Alguns recém-chegados cavam lugar, como Alan Kardec, autor do primeiro gol nos 2 a 1 de virada sobre o São Caetano, na noite desta terça-feira, no ABC. Com quatro gols, já é um dos artilheiros da equipe e parece ganhar a confiança do técnico.

O Palmeiras oscila, tem defeitos, tem de encorpar-se, para chegar com chances de fazer papel bonito no ano do centenário. A alternância voltou a dar as caras, no primeiro tempo do jogo no Estádio Anacleto Campanella. O meio-campo parou, a defesa ficou exposta e o São Caetano dominou, a ponto de ficar em vantagem com Geovane.

A mudança veio após o intervalo. Sem mexer na escalação, mas com empurrão no ânimo dos jogadores, Kleina conseguiu mudar o astral do time. O Palmeiras foi mais veloz, eficiente e equilibrado. Empatou com golaço de Kardec e virou com o zagueiro Henrique, ao aproveitar vacilo do Azulão. Dali em diante, teve chances de aumentar a diferença e não sofreu tanta pressão. Cumpriu o papel que se esperava.

Testes mais difíceis virão a partir de agora na Copa do Brasil. O Palmeiras estreará nas oitavas de final, com outros brasileiros que participaram da Taça Libertadores, e terá como adversário o Atlético-PR, que se recupera na Série A. Será o momento de ver se o grupo que Kleina e dirigentes preparam para 2014 será de fato competitivo.

Time que se preocupa demais com a defesa perde o hábito de marcar gol

Leia o post original por Odir Cunha

Liderados por um técnico que vê mais mérito em jogadores que “marcam bem”, o Santos está perdendo o hábito de marcar gols. O que antes era uma consequência natural de seu caráter ofensivo, agora só acontece depois de muito sofrimento. Foi assim contra o Oeste, no domingo, e voltou a ser assim nesta quinta-feira, no doloroso empate em magros 1 a 1 com o semi-lanterna São Caetano.

Não me pergunte porque é tão difícil ao Santos marcar um gol de falta, enquanto parece tão fácil ao adversário. Rafael me dá a impressão de estar sempre mal colocado nas faltas. Graças a esse mau posicionamento, o São Caetano abriu o marcador logo aos seis minutos, depois de uma falta boba de Durval na entrada da área.

Agora eu é que pergunto: se Durval é decano dos zagueiros, já ganhou uma infinidade de títulos estaduais seguidos, por que justo ele comete essas faltas na entrada da área? Será que não sabe que nosso goleiro tem dificuldade para solucionar a equação armar barreira -em que lugar colocar-se embaixo das traves? Aliás, que diferença faria escalar Jubal ou Gustavo Henrique, ou ambos, na partida do Pacaembu?

O São Caetano atacou pouco, mas mesmo assim levou perigo ao gol do Santos. Não me pergunte porquê. O Santos teve a bola a maior parte do tempo, criou muitas oportunidades, mas só fez o gol em cobrança de falta, magnífica por sinal, de Neymar (ufa!). Giva, que entrou no time fazendo gols a cada jogo, agora tem perdido alguns feitos, o que faz Muricy trocá-lo por André, o que piora o ataque.

Se Patito sempre entra bem, tanto no lugar de Cícero, como no de Montillo, por que não é escalado desde o início? E se era preciso um passe e um chute melhores, por que, ao invés de trocar Giva por André, não o trocou por Felipe Anderson, que poderia jogar pela direita, onde costuma chegar à linha de fundo com muito mais regularidade do que qualquer outro lateral santista?

Enfim, futebol é futebol e todo resultado inesperado entre um grande e um pequeno do futebol paulista pode ser explicado. Para ser um jogador profissional de um time da Série A Paulista é preciso jogar minimamente bem, o que torna qualquer resultado possível, mesmo quando se trata de um empate entre o penúltimo colocado e o Santos. Mas há coisas que me deixam encafifado…

Uma hora prestei atenção na disposição dos jogadores do Santos em campo e estavam divididos em dois blocos: um no ataque, outro na defesa. Não havia meio-campo. É óbvio que esse buraco no meio torna a equipe vulnerável. Lembro-me bem de uma aula de Vanderley Luxemburgo no curso de técnico de futebol que fiz há uns dez anos.

Professor Luxa desenhou o campo na lousa e o dividiu em três. Explicou que seu time tinha de ocupar, sempre, 2/3 do campo. Se estivesse na defesa, esses dois terços começariam no seu gol e iriam até depois da grande lua do campo; se estivesse no ataque, o espaço ocupado iria da sua intermediária até o gol adversário. É isso que faz o time jogar compactado e dá a impressão de que ele tem muito mais jogadores do que o adversário.

Mas para que se consiga jogar assim, é preciso dedicação e solidariedade de todos os jogadores, coisa que parece estar faltando a este Santos. Talvez haja até a vontade da dedicação, mas o fôlego e as pernas não obedecem aos mais veteranos. Nessas horas é que a juventude ganha da experiência. De nada vale pensar a melhor jogada e não conseguir executá-la.

Bem, mas vou parando por aqui, pois, apesar da decepção pelo resultado, acho que o Santos mostrou contra o São Caetano que vontade não faltará para buscar esse tetra.

Antes de terminar o post, lembrarei apenas a frase de um velho amigo do tênis. Ele dizia: “Eu faço tudo para ganhar, pois detesto ter de dar desculpas”. Creio que ela sirva também para o futebol e para o Santos. Espero que o técnico Muricy e os jogadores santistas tomem essa frase como uma filosofia. Que façam, sempre, tudo para ganhar, para não terem de ficar dando desculpas depois.

Reveja os melhores lances de Santos e São Caetano:

E você, o que achou desse empate com o semi-lanterna São Caetano?

Aos poucos, o Santos volta às suas origens

Leia o post original por Odir Cunha

Quatro Meninos da Vila entrarão em campo como titulares hoje, às 19h30m, no Pacaembu, contra o São Caetano: Rafael, Alan Santos, Neymar e Giva. E, se analisarmos bem, outros garotos vindos da base também já poderiam estar nesse time.

Na única oportunidade que teve, o zagueiro Jubal se portou como a classe e a tranquilidade de um Mauro Ramos de Oliveira. Não entendi porque nunca mais voltou ao time. Gostaria de vê-lo ao lado de seu companheiro da base, o grandalhão Gustavo Henrique. Com dois ou três jogos talvez se revelassem mais eficientes – e ágeis – do que os veteranos Dracena e Durval. Como saber sem lhes dar a oportunidade?

Na lateral esquerda o ídolo Léo está fazendo hora extra. Merece uma placa de ouro, coroa de louros, discursos, homenagens, etc, etc, mas precisa deixar o lugar para alguém mais jovem, forte e saudável. Por enquanto, Émerson Palmieri é o cara.

No meio, Alan Santos tem substituído bem a Arouca, justo o mais regular do time. Nessa área do campo o Santos conta ainda com os garotos Leandrinho, Lucas Otávio, Léo Citadini, Pedro Castro… Sem contar Anderson Carvalho, emprestado ao Penapolense.

Para o ataque há, ainda, Felipe Anderson, Victor Andrade, Neilton e Gabriel, além dos titulares Neymar e Giva. Assim, percebe-se que o Santos, apesar da teimosia e da desconfiança de seu treinador, está aos poucos voltando às suas origens de revelar e dar oportunidades aos Meninos surgidos nas suas divisões de base.

O que falta, agora, para realmente fazer jus aos seu DNA, é voltar a fazer gols, a aplicar goleadas acachapantes. Tudo bem que hoje os times jogam com duas linhas de quatro, todo mundo marca atrás da bola etc, etc, mas equipes ofensivas, com jogadores habilidosos e determinados, sempre conseguem marcar muitos gols, como o Atlético Mineiro mostrou ontem.

Prováveis escalações de Santos e São Caetano

Santos: Rafael; Rafael Galhardo, Neto, Durval e Léo; Renê Júnior, Alan Santos, Cícero e Montillo; Giva e Neymar. Técnico: Muricy Ramalho.

São Caetano: Fábio; Samuel Xavier, Bruno Aguiar, Gabriel e Diego; Fabinho, Moradei, Éder e Pedro Carmona; Danielzinho e Jael.?Técnico: Daniel Martine

A arbitragem será de Antônio Rogério do Prado, auxiliado por Anderson José de Moraes Coelho e Ricardo Pavanelli Lanutto. Quem tiver alguma coisa contra esses senhores, que fale agora ou se cale para sempre.

Times argentinos justificam a fama

O Tigre perdeu dos meninos do Palmeiras e apelou o tempo inteiro, confundindo futebol com rugby, ou coisa pior. O Arsenal genérico de Sarandi perdeu para o Atlético Mineiro pelos mesmos 5 a 2 que já havia perdido na Argentina, e cismou de brigar com a polícia. Ou seja, eles continuam os mesmos.

E depois a imprensa esportiva argentina, bem mais passional que a nossa, aproveita a confusão provocada pelos sarandistas para criticar “o país que organizará uma Copa”. Ora, a dor de cotovelo dos caras chega a ser constrangedora.

Uma vez a violência e o jogo sujo de uma seleção da Argentina foi saudada aos gritos de “Animals!” pela torcida inglesa que lotava o estádio de Wembley. Foi uma vergonha para os sul-americanos, olhados como sub-raça. Entra ano e sai ano e percebe-se que eles não mudam. A Argentina ainda está na idade da pedra do futebol.

Reveja agora dois jogos marcantes entre Santos e São Caetano e não se emocione se for capaz:

O futebol não precisa de mais meninos e menos valentões?

Paulistão 2013: Mudar é preciso, ter um time é digno, vencer é necessário.

Leia o post original por Flavio Canuto

Saudações alviverdes, nobres palestrinas.

Hoje eu não vou falar sobre o jogo em si, que foi uma das coisas mais terríveis que eu já vi, que o time é/está simplesmente digno de Série C, que vários jogadores que estão aí não podem mais continuar a vestir a camisa do Palmeiras (mas que mesmo assim não merecem apanhar…), que o treinador esgotou sua cota no Palmeiras, enfim, hoje não entrarei em detalhes sobre isso. Hoje não.

Hoje, em meio a uma partida surreal, que acabou em empate contra o patético São Caetano, um dos últimos colocados do Paulistão, após desperdiçarmos milhares de chances e até pênalti, desliguei do jogo e passei a divagar, perambulando por entre pensamentos nostálgicos, de quando o Palmeiras era verde e não essa coisa desbotada que nos representa em campo. Ou que NÃO nos representa, melhor dizendo.

Conversei sozinho, falei com alguns bons amigos que dividem a paixão pelo Verdão, mas não cheguei a uma conclusão. Apesar de eu ser totalmente favorável à forma com que Nobre e Brunoro estão mudando a cara do Alviverde Imponente, espero sinceramente que ambos estejam pensando e lembrando que o Palmeiras é gigante, assim como eu me peguei pensando. Espero que a dupla tenha conversado e percebido que chegou a hora de mudar, que classificar no Estadual será fácil e que a Libertadores ainda não está perdida, desde que haja mudança. E rápido.

Acho que é hora de pararem um pouquinho os projetos, um pouquinho só, para olharem para a camisa do Palmeiras, a camisa mais gloriosa e mais tradicional do futebol brasileiro, para o escudo, o nosso histórico escudo, olharem para a nossa torcida, que sofre e chora a cada dia, a cada partida medíocre e bisonha como essa, contra o pequenino São Caetano. Por isso não falarei mais nada por hoje. Silenciarei. Guardarei minha corneta alviverde na gaveta e vou preferir o silêncio.

E nesse silêncio deixarei que vocês expressem nos comentários tudo o que sentem, tudo o que pensam desse time, para que as pessoas importantes dentro do clube, que eu sei que leem o Blog, acompanhem essa nossa dor e percebam que passamos do limite. Todos os clubes passam por fases ruins, por períodos negros em suas histórias, entretanto o nosso calvário parece interminável, um castigo que nunca acaba, chega a bonança para todo mundo e, para nós, a tempestade parece nunca passar…

É preciso mudar. Com esse mesmo time não dá para continuar.

Agora, recolho-me ao silêncio. Quanto ao jogo, não tenho estômago para comentá-lo. Quem viu sabe do que estou falando, quem não viu é melhor nem se dar ao trabalho.

Abraço a todos!

___________________________________________

Adicionem, Curtam e Sigam-me os bons (e alviverdes), conto com todos vocês, afinal somos muito mais que uma torcida, somos uma família:
Facebook – http://www.facebook.com/femalaga
Fan Page – http://www.facebook.com/FellipeMalagaBrasil
Twitter – @FellipeMalaga