Arquivo da categoria: Sem Categoria

Pelo alto. E avante. Grêmio 1 x 0 Botafogo.

Leia o post original por Mauro Beting

ESCREVE GUSTAVO ROMAN

Foi uma classificação suada, em um confronto dos mais equilibrados. O Imortal Tricolor avança as semifinais da Libertadores e agora está apenas quatro jogos de uma grande conquista. Enfrenta agora o traiçoeiro time do Barcelona do Equador, que eliminou Palmeiras e Santos, ambos fora de casa. Mas tem bola, elenco, torcida e tradição para passar com tranquilidade. Ou ao menos sem passar sufoco.

Na noite de hoje, o Botafogo foi bem superior no primeiro tempo. Teve menos a bola, como de costume. Porém, finalizou e criou mais oportunidades. Quatro contra apenas uma dos donos da casa. Renato até tentou fazer com que seus comandados mantivessem o estilo de toque de bola. Contudo, os jogadores foram incomodados pela marcação alta do Botafogo. O que acabou levando a inúmeros passes errados, especialmente no sistema defensivo. Felizmente sem maiores consequências.

A coisa estava tão feia que o jovem Arthur, melhor jogador na partida de ida e convocado por Tite para a seleção brasileira ficou sumido, encaixotado pela forte e implacável marcação. Renato foi obrigado a mudar o time. Aos 37, Léo Moura deixou o gramado para a entrada de Everton na extrema esquerda. Ramiro foi jogar como meia central e Fernandinho veio para a direita.

O Tricolor melhorou na etapa final. Mesmo assim, o Alvinegro ainda era levemente superior.  Até Igor Rabello cometer falta desnecessária na intermediária. Edílson cruzou e Barrios foi para a disputa como quem disputa uma vaga na semifinal da Libertadores. Honrando o espírito, a raça e o sangue derramados por De León em 83. Matheus Fernandes, ao contrário, parecia que disputava uma pelada de fim de ano. Barrios, subiu, atropelou, testou e marcou. Um a zero. Se por baixo a coisa estava difícil, o caminho para a glória era pelo alto. Aos 28, nova chance em uma jogada aérea. Gatito Fernández salvou o que seria o gol do desafogo Tricolor.

Jair Ventura tentou tornar o Botafogo mais ofensivo com suas alterações. Entretanto, a bola já queimava nos pés cariocas. Bruno Silva, Roger, Arnaldo e Lindoso, todos caíram demais de produção. E o Grêmio se defendeu sem levar mais sustos até o fim.

Uma classificação mais do que justa pelo conjunto da obra. Que hoje derrotou um grande oponente. E que segue na trilha certa para uma terceira volta olímpica. Faltam só quatro jogos.

ESCREVEU GUSTAVO ROMAN

Veja a análise de Gustavo Roman 

Não deu. Santos 0 x 1 Barcelona do Equador.

Leia o post original por Mauro Beting

Levir não tinha Lucas Lima, Renato e Victor Guedes. Não tinha no banco opções que não foram aquelas como Nilmar e Vítor Bueno. Não teve mais uma vez o melhor de Ricardo Bueno. Bruno Henrique só foi ser decisivo como tem sido ao cuspir no rival e ser expulso como ele. Vanderlei não tinha o que fazer na bela cabeçada do bom Alvez, que arrancou a camisa (amarelo) e deixou o cotovelo na sequência para ser tolamente expulso quando já estava o placar justo para quem jogou melhor e buscou mais o gol em 180 minutos.

O Santos que não sabia o que era perder foi eliminado não sabendo jogar para ganhar. Os desfalques pesaram. A boa organização rival e o rápido contragolpe do Barcelona fizeram estragos. O árbitro deu pouco acréscimo no final. Mas nem isso justifica tão pouca bola. Vista em outros jogos. Mas só escancarada de vez na eliminação dolorida na casa inexpugnável na Libertadores havia 33 anos.

Nem a Vila conseguiu jogar pelo Santos. Sentiu o time pesado e sem ideias desde o início. Vecchio não pôde ser aquele. Um meio-campo com Leandro Donizete e Alisson só podia ser o que não foi.

Os placares alvinegros eram melhores do que o futebol. Como parece ser este 2017 santista. O Barcelona segue bem e bonito. Eliminou na casa dos brasileiros o campeão e o vice do Brasil.

É o que temos. Pouco.

Volantes de qualidade. Flamengo 4 x 0 Chapecoense.

Leia o post original por Mauro Beting

ESCREVE GUSTAVO ROMAN

A posição de volante é uma das mais importantes para qualquer equipe de futebol. Ele é o jogador responsável pela cobertura dos zagueiros, laterais e até mesmo outros meio-campistas. Mas não se resume somente a isso. Hoje, a função de começar a construção ofensiva começa também pelos seus pés. São eles os incumbidos de dar velocidade a saída de bola. Portanto, não podem nem devem errar passes. Seria roubar e arriscar devolver a posse ao adversário em seguida. Diante desse quadro, é fantástico observamos bons jovens valores surgindo como Arthur, do Grêmio e da seleção. Wendell, do Fluminense. Maycon, do Corinthians.

Com Rueda, o Flamengo parece ter aprendido essa lição. William Arão e Cuellar foram, na partida de hoje, o mais fiel retrato de volante moderno que se possa querer. Cumpriram a risca sua parte defensiva, roubando bolas. E não deixaram de dar qualidade na frente. Fizeram até mais. Apareceram na área adversária. Infiltraram. Marcaram os dois gols em um ótimo primeiro tempo Rubro-Negro. E encaminharam a classificação para as quartas de finais da Copa Sul Americana.

Com a vantagem, o Fla tirou o pé na etapa final. Normal pra quem tem uma decisão importantíssima na semana que vem. Sofreu um pouco, principalmente com a velocidade do bom Penilla, seja pelo lado direito, seja pelo esquerdo. E ainda se deu ao luxo de poupar seus principais jogadores (Diego e Guerrero) no fim da partida.

Mesmo assim, chegaram naturalmente a goleada com mais dois gols. Um de Juan, parecendo vinho, quanto mais velho, mais joga. E outro de Lucas Paquetá depois de ótimo passe (e atuação de Everton Ribeiro).

Aos poucos, Rueda vai conhecendo seus atletas e encaixando melhor suas peças. Pelo que vimos hoje, chega a ser um crime inafiançável o que Zé Ricardo fazia de deixar Cuellar e Juan no banco de reservas. A goleada foi importante para dar tranquilidade e confiança. E para fortalecer ainda mais o grupo que busca os títulos da Copa do Brasil e da Sul Americana, além de um final digno de brasileirão. Talento pra isso existe de sobra. Basta saber utilizá-lo. De preferência, com volantes de extrema qualidade.

ESCREVEU GUSTAVO ROMAN

Veja a análise de Gustavo Roman 

 

Dirigentes temem que uso de árbitro de vídeo às pressas seja fracasso

Leia o post original por Perrone

A CBF é criticada por dirigentes de clubes que consideram sem planejamento a decisão de implantar rapidamente o árbitro de vídeo no Brasileirão. Os que pensam assim acreditam que a correria possa fazer com que a novidade se transforme em fracasso.

Uma das principais cobranças é para que o novo sistema só seja implementado se puder ser usado em todos os jogos de cada rodada do Campeonato Brasileiro. Em entrevista, Marcos Marinho, presidente da comissão de arbitragem da confederação, admitiu que algumas partidas podem ficar sem o recurso por falta de estrutura dos estádios. Esse é um dos pontos criticados.

Porém, cartola ouvido pelo blog afirmou que Marco Polo Del Nero, presidente da CBF, assegurou a dirigentes de clubes que a ajuda das imagens de TV só começará a valer quando todos os jogos puderem contar com esse método. A afirmação, de acordo com o mesmo cartola, foi feita em reunião na sede da confederação, nesta terça, para tratar da venda de direitos de transmissão do Brasileirão para o exterior. Indagada pelo blog por volta das 20h  se Del Nero de fato fez tal promessa, o departamento de comunicação da entidade informou que não conseguiria checar a informação à noite.

Na avaliação de parte dos dirigentes de times da Série A, CBF teve tempo para implantar o árbitro de vídeo desde o início do Brasileirão. Porém, não conseguiu viabilizar o projeto. E agora, mesmo sem ter tudo pronto, decidiu lançar a novidade por causa do barulho feito pelo erro da arbitragem que culminou com o gol de braço de Jô na vitória corintiana por 1 a 0 sobre o Vasco no último domingo.

“Sinto que é necessário. Mas não deveria ser decidido em cima de uma jogada que originou o gol do Jô. Fica a impressão de que estavam esperando uma polêmica e que não é uma posição estudada, pensada. Por que não iniciar no Brasileiro do ano que vem?”, afirmou ao blog Flávio Adauto, diretor de futebol do  Corinthians.

Depois do erro no jogo em Itaquera, Del Nero pediu para que o departamento de arbitragem tentasse estrear nas próximas rodadas o sistema que ainda estava em estudo. Não há definição de quando isso será possível.

“Defendemos o uso do árbitro de vídeo, mas de um jeito benfeito, em todos os jogos”, disse Modesto Roma Júnior, presidente do Santos.

Outra preocupação é se os responsáveis por operar o sistema já estão aptos a atuar de maneira eficiente. “Sou a favor caso possamos implantar com segurança e caso todos os envolvidos estejam treinados para que o instrumento não caia em descrédito”, declarou Eduardo Bandeira de Mello, presidente do Flamengo. Ele não vê problemas em o recurso ser usado no segundo jogo da final da Copa do Brasil entre seu clube e o Cruzeiro e também em relação ao novo sistema começar a valer no Brasileirão depois que muitos clubes foram prejudicados sem poder recorrer às imagens de TV.

“O Flamengo foi prejudicado contra Santos e Palmeiras e beneficiado contra o Corinthians. Sempre é hora de começar qualquer coisa, desde que seja para melhorar”, analisou o flamenguista.

Raciocínio semelhante tem o presidente do Santos. “Não é porque você começou errando que precisa errar até o final”, disse Modesto.

 

 

 

América para os americanos. Vamos sair do armário com nossas camisas.

Leia o post original por Mauro Beting

Maravilhoso ver o América de volta à turma de cima (não a “elite”) do futebol do Rio. Lindo ver o amigo Alex Escobar celebrando no gramado o acesso do clube e o acesso de alegria dele e do pai que o acompanhou ao estádio.

Como foi a alegria inebriante do Trajano quando o América chegou a uma decisão de Taça Guanabara, em 2006. Entrou até pelos ares na ESPN como se estivesse na Tijuca até de madrugada. Como provavelmente ficou. E como. E bebo. E celebro.

É isso. Alex e Trajano são como tantos. Torcedores. Só fazem o que muitíssimo bem fazem por serem torcedores. Apaixonados.

Fica mais fácil até trabalhar quando se torce por quem poucos torcem. E muitos se identificam. No caso, não tem como não achar linda a camisa do América. A cor do América. A paixão do América. O amor do Alex e do Zé.

Só torço para que outros torcedores entendam quando nós torcedores saímos do armário com nossas camisas que nos levaram ao jornalismo futebolístico. Estou há 27 anos aqui por estar no mundo há 51 como palmeirense.

Não defendo que sejamos clubistas. Clubismo não é assumir o time pelo qual torcemos. Clubismo é distorcer a favor dele e distorcer contra o rival no exercício do ofício.

Só entende a loucura que é o futebol quem ainda tem um clube para torcer. Jornalista que deixa de torcer ou não tem time, com o devido respeito, já perdeu o meu indevido respeito.

Otimista, Corinthians vê negociação por patrocínio principal se arrastar

Leia o post original por Perrone

Por pelo menos cerca de dois meses o Corinthians mantém negociação com uma empresa interessada em ser a patrocinadora principal do clube. No final de agosto, Fernando Sales, diretor de marketing alvinegro afirmou ao blog que as tratativas estavam bem encaminhadas e que esperava fechar o negócio em breve. Cerca de 20 dias depois, no entanto, o martelo ainda não foi batido.

A demora gera apreensão no clube e críticas ao marketing corintiano por parte da oposição. Um dos argumentos é de que a diretoria se recusou a renovar com a Caixa e agora não consegue assinar contrato mesmo com time disparado na liderança do Brasileiro. E que enquanto isso, o Corinthians segue com dificuldade para honrar seus compromissos.

Sales, no entanto, nega que a negociação tenha travado. “Estamos caminhando”, disse ele, sem dar detalhes. O dirigente afirma que não pode revelar o nome da interessada porque um termo de confidencialidade foi assinado.

Eles não vão pagar nada

Leia o post original por Mauro Beting

Alexandre Moraes, aquele, ministro do STF, aquele, concedeu liminar, aquela, que desobriga os clubes, aqueles, de estarem com as contas, aquelas, em dia para disputarem as competições, aquelas. Por ora, os clubes, esses mesmos, não serão rebaixados, aquilo mesmo, por falta de pagamento e vergonha no cofre. Enfim, liberou geral. Você pode não pagar pro país. Pros seus pais e filhos. Paga mal os funcionários e atletas. Não paga as comissões devidas – só as indevidas. Rola a dívida como a bola. E não acontece nada com os incompetentes e/ou coniventes. Não deram a menor pelota ao Profut. Aquele. A ação de inconstitucionalidade foi impetrada pelo PHS, aquele, do deputado federal Marcelo Aro, aquele, mais titular da seleção da CBF, aquela, que o NeymarO melhor, pior, de tudo foi a entidade, aquela, que cuida de nosso futebol dizer que isso é bom porque, desse modo, ou falta de modos, “o torcedor tem o direito de ver as competições resolvidas exclusivamente dentro do campo de jogo.”..A ce-be-efe falando em resolver dentro de campo as coisas…

Como Carille entra na disputa eleitoral no Corinthians

Leia o post original por Perrone

A escolha de Fábio Carille como técnico do Corinthians, líder com folga do Brasileirão, entrou na pauta política da próxima eleição presidencial no clube, prevista para fevereiro de 2018. Em discussão está a “paternidade” da decisão de efetivar o ex-auxiliar como treinador.

Em recente entrevista ao programa Bandsports News, Andrés Sanchez, nome mais cotado para ser o candidato da situação, afirmou que o corintiano será o próximo técnico da seleção brasileira. Declarou ainda que, pela sua vontade, o jovem treinador estaria há mais tempo no comando do time. “Carille não me surpreende. Pelo contrário. Ele tinha que ter ficado até o final do ano (2016) quando o Cristóvão saiu. Foi opção do presidente (Roberto de Andrade contratar Oswaldo de Oliveira). Se deu errado, todo mundo critica. Ele colocou o Carille esse ano e todo mundo achou uma loucura. Hoje, ele já é o melhor técnico do Brasil”, declarou o ex-presidente corintiano para a Band.

Andrés, porém, não explicou porque indicou Cristóvão para assumir o lugar de Tite e não sugeriu a efetivação de Carille na ocasião. Quando Oswaldo caiu e o ex-auxiliar assumiu, o deputado federal e seus aliados estavam em campanha pelo afastamento do gerente de futebol Alessandro, o que poderia mudar os rumos da comissão técnica.

Nesse cenário, adversários políticos de Andrés, avaliam que, após negar interferência no futebol alvinegro, ele tenta colar sua imagem ao sucesso de Carille. O ex-presidente não fala com o blog, por isso não pôde ser ouvido.

Porém, o atual deputado federal pelo PT não é o único presidenciável visto como quem se coloca no papel de “padrinho de Carille”. Interlocutores de Paulo Garcia afirmam que ele diz no Parque São Jorge ter sugerido o nome do ex-auxiliar como treinador para Andrade. Tradicional opositor ao grupo de Andrés e Andrade, ele se aproximou do atual presidente e indicou dirigentes para a gestão.

Indagado pelo blog se indicou Carille como treinador para o presidente, Garcia respondeu, por mensagem no celular, apenas: “não quero polemizar”.

Por sua vez, Osmar Stabile, opositor que já está em campanha ironizou os dois colegas de Conselho Deliberativo. “De filho bonito todo mundo quer ser pai. Se todos querem ser pai do Carille, eu também quero ser pai, tio, mãe, tudo”, disse ele.

Ufa! Mas ainda falta muito. Vitória 1 x 2 São Paulo.

Leia o post original por Mauro Beting

Militão subiu no escanteio e abriu o placar no segundo tempo de um São Paulo melhor com Cueva. Filipe Souto ampliou contra, na infelicidade de nova bola parada contra o Vitória. O gol no final do mandante ampliou o sufoco contra o São Paulo que, no final das contas, mereceu os três suados pontos. Eles ainda não tiraram um dos quatro grandes incaíveis da zona. Ainda não fizeram o torcedor dormir sossegado. Ainda não apagaram os tantos erros fora e dentro do campo. Ainda não viram um sistema defensivo confiável. Ainda não veem uma equipe forte e firme. Ainda não conseguem vislumbrar um final de campeonato mais cômodo e seguro.

Mas é hora de celebrar mesmo o resultado. Baita placar pelas circunstâncias em que o São Paulo se enfiou no pelotão de baixo. Sidão talvez tenha feito sua melhor partida pelo clube. Além do gol, Militão parece ser a opção mais confiável na lateral. Arboleda foi bem. Cueva jogou o que desde março não fazia pelo São Paulo.

E Hernanes, como Hernanes, teve alguns Hernanes a mais para ajudar o São Paulo que só tem sabido errar.

Mas ainda tem salvação. Porque são muitos times querendo cair. A distância para o 12º colocado é de apenas dois pontos. É um bolo só. Nessa maçaroca, tem como ser a cereja.

E se o atacante que fez o gol com a mão assumisse a irregularidade?

Leia o post original por Mauro Beting

Não estou falando do Jô, nem do Corinthians, nem de Itaquera, do Vasco, Euriquinho, FPF, Dalai Lama. Estou falando do lance irregular. Erro crasso. Como também foi erro quase tão claro o pênalti no primeiro tempo sobre o atacante que meteu o braço no instinto artilheiro. No instante do gol. Algo que acontece. Mas que poderia ser evitado usando o mesmo braço para assumir a irregularidade.

Ele perderia um gol. Ganharia um amarelo. O time dele perderia a chance de ampliar ainda mais a mais do que merecida liderança no campeonato. Mas ele ganharia um lugar na história. Uma bela chance de dar um exemplo. Belo exemplo. Chance de ser condecorado pela Fifa.

Só que o atacante fez o que quase todo mundo faria. Acredito. O que é muito triste. E mais ainda pela hipocrisia dos clubistas. Quase todos talvez tivessem atitude ou discurso diferentes se torcessem pelo time que foi beneficiado.

Todos acabaram metendo a mão nesse lance. Todos saíram derrotados.

Mas, acredite. O futebol já ganhou algumas vitórias muito além do campo. Nos casos que mostro no vídeo abaixo. Lances históricos de fair-play em campo.

Fair-play existe no futebol