Arquivo da categoria: Sem Categoria

Mustafá apresenta e-mail em nome de Leila e com promessa de doação

Leia o post original por Perrone

Na última terça (20), a defesa do Sindicato Nacional das Associações de Futebol Profissional, presidido por Mustafá Contursi, apresentou à Justiça contestação em processo no qual é cobrado em R$ 430 mil, mais juros, por José Roberto Lamacchia, dono da Cresfisa. O advogado David Chien anexou cópia de e-mail, que sustenta ter sido enviado pela mulher de Lamacchia, no qual Leila Pereira, promete doar essa quantia à entidade. Com a mensagem, Mustafá pretende desmentir a versão do empresário de que emprestou o dinheiro e ainda não recebeu o pagamento.

“Vamos fazer a doação de 430 mil reais p (para) o sindicato. Até segunda-feira o dinheiro estará na conta do sindicato. Assim que fizermos o depósito te aviso”, diz a mensagem com a assinatura de Leila M. Pereira. O advogado da entidade apresenta uma série de elementos para sustentar a autenticidade do e-mail e a mulher e sócia de Lamacchia como remetente do aviso enviado em 4 de maio de 2017.

A assessoria de imprensa do dono da Crefisa disse ao blog que ele não tem conhecimento da mensagem. “O sr. José Roberto Lamacchia desconhece esse e-mail. O empréstimo foi tratado com o sr. Mustafá diretamente por Lamacchia. E nem a sra. Leila Pereira e nem as empresas do grupo tem nada com o assunto”, afirmou a assessoria dos patrocinadores do Palmeiras em mensagem pelo celular.

O advogado do sindicato alega que Lamacchia “propositadamente alterou a verdade dos fatos” e que por isso deve ser condenado por litigância de má-fé com o pagamento de indenização correspondente a 20% do valor da causa. Isso além de solicitar que a ação de cobrança seja considerada improcedente.

Ao entrar com a ação, Lamacchia havia apresentado um e-mail no qual Mustfá enviou dados bancários do sindicato. Porém, a mensagem não explicava se a operação era um empréstimo ou doação. O empresário não apresentou à Justiça contrato de empréstimo. Esse é um dos pontos atacados pela defesa do sindicato.

A transferência de dinheiro de Lamacchia para Mustafá aconteceu quando eles e Leila andavam de mãos dadas no Palmeiras. O ex-presidente alviverde já tinha sido o principal articulador da campanha vitoriosa dos empresários ao Conselho Deliberativo. Mustafá também foi protagonista da principal polêmica do pleito ao apresentar documento no qual atestava ter Leila o tempo de sócia necessário para se candidatar. A peça foi fortemente contestada pelo então presidente Paulo Nobre.

Já a cobrança na Justiça aconteceu depois de as partes romperem. Um dos motivos é o caso que foi parar na policia e no Ministério Público sobre o suposto repasse de ingressos dos patrocinadores para Mustafá e que teriam parado na mão de um cambista. Ele nega ter feito tal repasse.

Abaixo, veja copa do e-mail apresentado pelo advogado do sindicato de Mustafá à Justiça.

O São Paulo não sabe o que faz

Leia o post original por Michelle Giannella

O São Paulo não sabe o que faz. 23

Tirar Dorival Junior no começo do Campeonato não faz o menor sentido.

A culpa é dele? Dorival pediu jogadores velozes e a direção trouxe atletas que não se encaixam nesse perfil.

Leco, deu toda liberdade e autonomia para Raí trabalhar. Mas o que ele tem feito parece não fazer sentido no time do Morumbi. Dorival não recebeu os reforços combinados. Ele queria Gabigol, ok era uma negociação complicada. Ele não fazia questão do Trellez, não votou contra o Diego Souza e não queria o Nenê.

O desempenho do time é péssimo, parecido ao que obteve Rogério Ceni quando treinador. A torcida está pressionando, Dorival tem que ser cobrado. Lembrando o desempenho em números dos últimos treinadores do tricolor:

Muricy teve 59% de aproveitamento. Ney Franco 57%. Osório 52%. Dorival tem 50,4%.

Nos últimos anos o São Paulo teve 3 presidentes, 8 diretores de futebol, 9 técnicos e nenhum título. A diretoria do São Paulo está perdida. Melhor encontrar logo um rumo ou conseguirá destruir uma equipe tão forte e importante para o futebol brasileiro.

 

‘Caso Pablo’ vira argumento corintiano para tentar fazer Balbuena ceder

Leia o post original por Perrone

A diferença entre o que os empresários de Balbuena pedem de luvas e o que o Corinthians pretende pagar é muito grande. Por isso ainda não houve acerto para a renovação do contrato do jogador, que termina no final de 2018.

Nesse cenário há no clube o temor de que se repita o que aconteceu com Pablo. Seu empresário não aceitou as condições de parcelamento de luvas propostas pelos corintianos, pediu garantias e não houve renovação.

Curiosamente, o caso de Pablo é usado para convencer Balbuena a aceitar menos do que seus agentes pedem.

Gente do clube disse ao zagueiro que seu ex-companheiro não conseguiu de nenhum time brasileiro proposta semelhante ao que pedia e voltou para Bordeaux. Assim como Balbuena, Pablo estava valorizado e seu agente jogou duro na negociação.

A diferença, no entanto, é que Pablo ainda tinha vínculo com o Bordeaux, o que encarecia a operação. Balbuena ficará livre de seu compromisso em dezembro. Seis meses antes ele já pode assinar contrato com outro clube, apesar de assegurar que não fará isso.

O blog não conseguiu confirmar os valores das propostas do zagueiro e do alvinegro.

Renato Bittar, um dos agentes de Balbuena não respondeu à mensagem enviada em seu celular pelo blog até a publicação deste post.

Já o Corinthians divulgou nota nesta terça informando que as negociações com Balbuena seguem e que o clube não revela valores.

Perder Balbuena de graça para a próxima temporada seria um golpe para a atual diretoria. Porém, não inflacionar a folha salarial do elenco tem sido uma bandeira dos dirigentes.

 

 

Opinião: Willian encara Messi e pede espaço entre os melhores do mundo

Leia o post original por Perrone

Willian encarou Messi em pé de igualdade no empate em um gol entre Chelsea e Barcelona nesta terça pela Champions League, na Inglaterra.

O brasileiro brilhou mais do que o argentino. Carimbou a trave duas vezes, abriu o placar e deu literalmente o sangue após levar uma bolada no rosto. Porém, Messi, mesmo mais discreto, aproveitou uma boa chance para empatar a partida e impediu que a festa do jogador da seleção brasileira fosse completa.

Os dois deram aula sobre o que deve fazer um líder de time. Willian tentando decidir a todo instante. E decidindo. Messi, decidindo, mesmo num dia de atuação apagada, pelo menos para seus padrões.

No final, o empate deixa o Barcelona com um ligeiro favoritismo por decidir a vaga em casa. O jogo também confirmou que Willian merece espaço entre os melhores jogadores da atualidade. Não é só por hoje, claro. Faz tempo que joga em alto nível. Está entre os grandes, sem dúvida.  Sorte de Tite.

Perícia particular descarta indícios de fraude em eleição corintiana

Leia o post original por Perrone

Laudo particular preparado por cinco peritos atesta que não existem sinais de manipulação de resultado na eleição corintiana, que terminou com Andrés Sanchez eleito para um novo mandato. Paulo Garcia, segundo colocado na votação, acionou na Justiça a Telemeeting Brasil, empresa responsável pelo sistema eletrônico usado no pleito, por suspeitar de irregularidades.

“Não há indícios de fraude ou alteração por meio técnico do sistema de urna”, diz o documento elaborado pelos especialistas Leandro Morales Baier Stefano, Marcelo Nagy, Leonardo Nery, Jayme Paiola e Joaquim Gomes Vidal. A equipe trabalhou na fiscalização da eleição como representante de Antonio Roque Citadini, terceiro colocado e que encomendou o laudo.

Garcia entrou na Justiça principalmente porque um código existente para assegurar que não houve violação apareceu diferente no final do pleito em relação ao registrado antes da votação. Mas o parecer obtido pelo blog relata que a perícia aponta que não houve alteração de “hash’, como é chamado o código, uma espécie de impressão digital do arquivo.

“O confronto de ‘hash’ diferentes identificado foi um erro operacional do técnico da empresa Telemeeting, que no momento final da apuração de votos não pôde ser corrigido devido à confusão generalizada (tentativa de agressão a Andrés) ocorrida no local do pleito”, dizem os peritos no relatório.

Os especialistas questionaram a empresa sobre a diferença de códigos. Em resposta anexada ao laudo, ela informou que houve uma falha técnica que fez ser apresentado aos fiscais um código diferente. A perícia feita pelos especialistas por meio de uma técnica chamada engenharia reversa confirmou a versão da Telemeeting e afastou suspeita de manipulação.

“Só não podemos dizer se votou só quem deveria votar. Não fizemos controle de associados porque nosso trabalho foi técnico, apenas na parte de informática”, afirmou ao blog o perito Stefano.

Com o resultado da perícia, Citadini não deve ir à Justiça contra a Telemeeting ou para contestar de alguma forma o resultado do pleito.

Apesar de não encontrarem indícios de fraude, os peritos registraram no parecer críticas ao sistema usado. Entre eles está o uso de internet por rede sem fio, que segundo o relatório é inseguro. “É possível atacantes tentarem o acesso ao servidor de banco de dados”, afirma parte do documento.

Outra fragilidade apontada foi a falta de criptografia completa dos dados para dificultar o acesso de pessoas estranhas ao processo, o que reduziria o risco de fraudes.

Os peritos também entenderam que a equipe de técnicos da empresa e seus computadores deveriam ter ficado em um local mais seguro durante a votação.

Procurado, Andrea Mosiic, diretor da Telemeeting, disse que não poderia se pronunciar conforme orientação de seu advogado.

Vale lembrar que esta perícia não tem nada a ver com o processo na Justiça.

Abaixo veja parte da conclusão dos peritos.

 

 

 

 

Sócrates

Leia o post original por Mauro Beting

Fala, Magrão! Parabéns por hoje. 64 anos! Tudo mal que 64 não traz boas lembranças. Não tem nada a ver com você. Melhor lembrar os Beatles cantando lá nos 20 anos deles o que seria quando Paul

tivesse 64. Ele chegou. Você, não. A vida é assim. A partida de gente querida como você também nos deixa assim.

O filhão Gustavo hoje trabalha no Santos do seu coração juvenil que, Doutor, ninguém comete esse engano, virou outro alvinegro desde que pisou no Parque São Jorge, em 1978, e foi além de 1984. Quando as Diretas não passaram e você com pesar foi se exilar na Fiorentina. Onde você não se estendeu e nem se fez entender.

Uma pena.

Vida seguiu, e você seguiu por ela como “artista” como sempre falou seu amigo Cachaça. Um médico que não sabia nem operar galinha. Um jogador que jogava de costas. O “8” que não saía da sombra do Santa Cruz, nem com o pai te orientando como muito bem fez a vida toda fora de campo.

Magrão, só você para me fazer erguer o braço e o brado. Um brinde ao craque que virou ídolo que virou colega que virou amigo. Você faz muita falta neste Brasil perdido e pedindo para se perder. Sua utopia seria batismo. Seu arroubo seria santidade. Sua receita seria remédio. Sua loucura seria sanidade.

Samba de uma bola só. São Paulo 0 x 1 Santos

Leia o post original por Mauro Beting

Foi o melhor tempo do São Paulo em 2018 – o que não tem sido difícil de ver. Mas foi uma atuação de bom nível, com belos lances como as tabelas entre Nenê e Diego Souza, e alguns lances interessantes de Cueva. Só que com pouca velocidade e a falta da palavrinha da moda: intensidade.

Jair fechou o Santos em reconstrução. Quando não conseguiu com o ótimo miolo de zaga que tem, Vanderlei mostrou mais uma vez que o Brasil segue muito bem servido de goleiros – não de equipes que façam gols.

Na segunda etapa, o São Paulo foi mais uma vez definhando fisicamente e, pra piorar, levou um gol que o Tricolor não vinha levando. Talvez por não enfrentar um senhor atacante como Gabriel Barbosa. Gol de quem sabe. O terceiro em três jogos do centroavante que saiu como se não tivesse deixado a Vila Belmiro. Mesmo.

Depois do gol, o São Paulo não se achou. Criou pouco. Talvez não merecesse a derrota. Mas, certamente, o torcedor não merece o que não tem visto desde 2012. E o santista pode esperar dias e jogos melhores, quando tiver o time mais completo do que tem estado à disposição de Jair.

Não é só a torcida. Conselheiros também pedem demissão de Dorival

Leia o post original por Perrone

As críticas da torcida do São Paulo a Dorival Júnior após a derrota para o Santos neste domingo ecoam no clube. É forte a pressão de conselheiros pela demissão do comandante.

O mau resultado derrubou argumento que membros do Conselho de Administração e também do Deliberativo usavam para poupar o técnico. O discurso era de que apesar das dificuldades o time vinha vencendo. Assim,  não havia motivo para afastar o comandante.

Mas a queda diante do Santos valorizou os problemas enfrentados pelo time até aqui. A principal queixa de conselheiros irritados com Dorival é de que ele não consegue dar padrão de jogo ao time.

Fechada, a diretoria por enquanto não deu sinais de que pode derrubar o treinador. O histórico do presidente Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, mostra que ele costuma ter sintonia com a torcida.

O fator novo é a presença de Raí como principal dirigente do futebol tricolor. No Morumbi, praticamente ninguém é capaz de avaliar como ele reagirá à pressão sobre Dorival.

Campeão da Taça Guanabara. Flamengo 2 x 0 Boavista.

Leia o post original por Mauro Beting

Era o jogo mais importante da história do clube de Saquarema. Era mais uma decisão de Taça Guanabara para o time que faz de Cariacica e de quase todas as plagas o seu Maracanã.

Por isso também foi mais equilibrado que o esperado. No tiro longo e na bola parada, o Boavista criou no primeiro tempo mais do que o Flamengo dos laterais presos na ajuda à defesa, do Cuellar atento na proteção geral, e do meio-campo talentoso mas ainda longe do seu potencial.

Na segunda etapa, o Flamengo melhorou e fez a lógica e a história. Ainda que com mais duas entre tantas bolas mais erguidas do que trabalhadas. Dois lances mais lotéricos que condizentes à caríssima camisa de carisma e a quem veste – que não é barato: um gol contra de Kadu Fernandes depois de cabeçada de Réver, e outro gol de Vinicius Jr. que mal tocou mal na bola para dar o título ao time de melhor campanha. Melhor elenco que nem precisou jogar tudo e jogar com todos para ter campanha exemplar, com apenas um gol sofrido contra alguns rivais sofríveis.

Mais ainda não se pode cobrar do Flamengo. E nem precisa. Mas é preciso mais para a estreia sem torcida na Libertadores contra o River Plate que não vem bem. Mas é River. Como se espera que o Flamengo seja mais Flamengo.

Clássico das pás de cal

Leia o post original por Mauro Beting

Bahia e Vitória, Vitória e Bahia, torcedores e jogadores, cartolas e treinadores, cidadãos e bípedes, imprensa e políticos, brasileiros e brasileiras, todos temos nossas digitais no grotesco Ba-Vi que não acabou. O Clássico da Paz da foto antes do jogo que não terminou por expulsões em excesso, simulações além da conta, provocações desmedidas, reações destemperadas, infantilidades explícitas, machezas despropositadas.

Todos somos responsáveis pela irresponsabilidade no Barradão. Todos. A mídia sem modo e abaixo da média que insufla e depois quer sair debaixo do insufilm. Profissionais que são mais remunerados que adoram dizer que o “futebol tá chato” e não aguentam a bronca ou pilham além da conta e dos contras. Treinadores que não conseguem ou não podem treinar e que são levados pelo mercado insano é intenso. Indisciplinas que não são punidas e que são mesmo incentivadas por baixo dos panos ou acima dos trapos.

O resultado lastimável é esse clássico aos trancos e barracos depois de uma celebração que é tanto gif prévio do goleador quanto provocação prévia da batalha. É tanto brincadeira quanto baixaria. Tanto pertence ao futebol quanto à falta de decoro.

Saudades do Dario que defendia o dele sem atacar o do outro. Do humor que era humorado e não humilhava. Da alegria compreendida e da tristeza respeitada. Quando não tinha mimimi – e, se tivessem, se aturavam os memes. Quando se resolvia em campo e sem chororô e chatice.

Sei que no futebol é válido gostar mais da derrota alheia do que do próprio triunfo. É mais gostoso berrar “chupa” a gritar “gol” muitas vezes. É gostar do seu e não gostar do outro. Tudo isso é futebol. Inclusive as cenas lamentáveis.

Mas num mundo sob intervenção, melhor usar minimamente o espaço entre as orelhas. Melhor puxar algumas orelhas a levar alguns pés nelas.

Ter mais responsabilidade não é tirar a zoação. É não colocar gasolina na fornalha da inquisição de nossos tempos. Difícil dizer quem errou mais no Ba-Vi das pás de cal na paz. Todos têm suas responsas e respostas.

Todos. Sem exceção. E não vou julgar ninguém aqui e nem jogar às bestas e bostas no ventilador. Só vou pedir um pouco mais do que tem faltado a todos.

Paz de espírito. E espírito de paz.