Arquivo da categoria: Thiago Neves

As vezes tem lógica

Leia o post original por Rica Perrone

Era óbvio que se um goleiro fosse falhar na final, seria o do Flamengo. Que se um fosse brilhar, seria o Fábio. Mais óbvio que isso apenas a redenção do Muralha nos pênaltis. E quando o juiz apitou, aposto, não teve um brasileiro vivo que não pensou:  “Futebol é foda. O Muralha vai sair herói”. …

As vezes tem lógica

Leia o post original por Rica Perrone

Era óbvio que se um goleiro fosse falhar na final, seria o do Flamengo. Que se um fosse brilhar, seria o Fábio. Mais óbvio que isso apenas a redenção do Muralha nos pênaltis. E quando o juiz apitou, aposto, não teve um brasileiro vivo que não pensou:  “Futebol é foda. O Muralha vai sair herói”. …

O craque, o goleiro, a definição

Leia o post original por Antero Greco

Pênalti, meu amigo, é coisa séria. Momento que consagra ou arrasa, que ergue ou destrói mitos. Ainda mais em decisão de campeonato. Nessas horas, necessariamente haverá um herói e um vilão. Não tem escolha, não existe meio-termo. Sem alternativa. Sem saída.

Numa hora, ocorrerá o erro – a bola na trave, pra fora, por cima chutada pelo batedor. Ou o goleiro que a deixou passar por baixo do corpo. Ou, o que é muito costumeiro, o próprio goleiro que cresceu na frente do cobrador, virou monstro, agarrou, espalmou, mandou o perigo para longe. Garantiu o troféu, arrasou o adversário.

Pois foi esta última imagem que prevaleceu na noite da quarta-feira no Mineirão. Depois do 0 a 0 no tempo normal, com esporádicas jogadas de maior emoção, Cruzeiro e Flamengo foram no tira-teima das penalidades para ver quem ficava com a Copa do Brasil.

A turma celeste foi impecável nas finalizações – cinco cobranças, cinco gols. Os rubro-negros falharam uma, a terceira, na batida de Diego que desviou nas mãos de Fábio. 5 a 3, Cruzeiro pentacampeão. O maior de todos, que de novo se junta ao Grêmio. O Fla ficou no quase. O goleiro saiu como destaque, o craque, o regente rubro-negro, baixou a cabeça…

Foi o fecho de um duelo amarrado, em que nenhum dos dois lados se arriscou. Desde o primeiro minuto, predominou a cautela. Parecia que um e outro sabiam que o menor vacilo seria suficiente para selar a sorte do jogo. O Fla esboçou impor-se nos primeiros minutos, tocou a bola, foi à frente. O Cruzeiro controlou os nervos e aos poucos se soltou.

Equilíbrio, marcação forte de lado a lado, porém sem truculência, tampouco catimba. Só mais cadência e olho vivo. Muralha e Fábio apareceram pouco, passaram batidos – ou perto disso. Já mais perto dos minutos finais, Guerrero fez jogada individual e testou os reflexos do indestrutível goleiro da Raposa. Fábio desviou para escanteio.

E só. O Cruzeiro finalizou pouco, assim como o Flamengo. Diego não brilhou – e, ainda por cima, perdeu a chance dele. Thiago Neves também esteve aquém do habitual, no Cruzeiro. Compensou com o fecho de ouro na quinta cobrança de pênaltis. As duas equipes se ressentiram de jogadas arquitetadas por seus maestros.

Defesas não comprometeram, os meias foram bem, os atacantes andaram no ostracismo. Poderia ter sido uma final mais intensa, com muitos “ohhhsss!” das torcidas. Foi discreta, embora com a tensão implícita em todo jogo desse quilate.

Deu Cruzeiro, primeiro brasileiro já garantido na Libertadores de 2018. Ao Fla, resta a Sul-Americana para ainda neste ano fazer uma festa de título. Se serve como consolo…

 

Thiago Neves? Andrezinho merece ser testado

Leia o post original por Mion

Andrezinho é tão talentoso quanto Thiago Neves, leva vantagem em marcar mais gols, ajudar na marcação e ter mais velocidade.

 O técnico Mano Menezes caiu da seleção brasileira talvez porque também andava desatento ao campeonato brasileiro. Alguns jogadores provaram potencial para uma convocação e Mano Menezes fez  ”vistas grossas”. Enquanto a imprensa se preocupa em fazer campanha por Fred, um matador como tantos outros (pena que Barcos é argentino. Fico com ele). Esquecem de Jean e Wellington Nem. O mesmo ocorre com Thiago Neves, marca alguns gols e quando “acorda” enfia ótimas bolas aos companheiros. Mano ignorou o potencial de Andrezinho do Botafogo, optou por Neves. Andrezinho está jogando muito bola e se fosse fazer um “checklist”, ou avaliar os “itens de série”, no caso de um automóvel, seria bem mais completo.

Andrezinho cria tanto quanto Thiago Neves, inteligente e leva vantagens: tem mais velocidade, ajuda na marcação, erra menos passes. Conforme a estatística do site da UOL, o botafoguense tem um aproveitamento de 82,5% de passes certos contra 79,9 do tricolor. Se estender a comparação na artilharia, Andrezinho marcou 8 gols contra 5 de Thiago Neves. Mano falava em rendimento do jogador em seu clube, o botafoguense está muitos pontos acima e atua tanto pela direita quanto esquerda. É versatilidade pura, garanto se precisar joga como segundo volante com sobriedade e alto rendimento.

Abaixo a estatística do UOL de Andrezinho (números à esquerda) e Thiago Neves (à direita):

Andrezinho/ Thiago Neves

28 Jogos disputados 26

4,1 Bolas perdidas 3,3

26,6 Bolas recebidas 23,4

6,4 Cruzamentos 4,3

25,7 Aproveitamento (%) 25,5

1,6 Cruzamentos certos 1,2

6,4 Desarmes 4,3

5,7 Desarmes completos 3,4

1,5 Dribles certos 0,8

0,3 Dribles errados 0,2

0,9 Escanteios conquistados 0,7

1 Faltas cometidas 0,9

2,7 Faltas recebidas 1,2

0,8 Finalizações certas 0,9

0,9 Finalizações erradas 1,7

0,5 Lançamentos 0,1

29,9 Passes 23,2

Brasil ganha da Argentina nos pênaltis. Jogo só teve luz nos minutos finais

Leia o post original por Quartarollo

fred

fredO Brasil especulou bastante o empate de 0 x 0 para ficar com o título de bicampeão do Superclássico das Américas contra a Argentina, em Buenos Aires. Parece que o apagão do jogo que não aconteceu em Resistência se estendeu … Continuar lendo


Seleção não esteve a mil no empate com a Colômbia

Leia o post original por Antero Greco

Era o jogo número 1000 da seleção brasileira, nas contas da CBF. Mas o time de Mano Menezes não esteve a mil, no empate por 1 a 1 com a Colômbia, na noite desta quarta-feira, em New Jersey. A apresentação nos Estados Unidos foi a penúltima do ano. Ainda falta um dos famigerados Superclássicos das Américas, contra a Argentina, na semana que vem.

Não foi um espetáculo o jogo com número tão especial. Mas também não foi um fiasco. Já vi partidas sonolentas e arrastadas da turma que veste a amarelinha. Até que desta vez não foi bem assim. O Brasil teve criou mais do que os colombianos, teve até bola na trave (Kaká, no primeiro tempo) e perdeu pênalti (Neymar mandou a bola pra fora do estádio). A vitória não teria sido resultado fora de propósito.

A iniciativa esteve, na maior parte das vezes, com a seleção. A Colômbia teve o mérito de segurar o ritmo, não se expôs em demasia, e ainda contou com algumas boas defesas de Ospina, em chutes de Kaká e Neymar. O astro santista fez o gol de empate, depois de Cuadrado ter deixado os colombianos na frente, e foi um dos destaques. Apesar de ter ficado aquém do que já mostrou sob o comando de Mano.

Não gostei de algumas escolhas do treinador. Castán improvisado na esquerda teve dificulades na marcação – e não alcançou Cuadrado no lance do gol. Thiago Neves, mais pelo lado esquerdo também, nem de longe foi o jogador dos melhores momentos do Flu. Talvez tenha sido o mais apagado em campo. Oscar também não foi exuberante.

Melhor enfrentar a Colômbia, um teste mais difícil, do que a sequência de babas que cruzaram o caminho da seleção, recentemente, como Iraque, China, ou adversários de segunda linha, como África do Sul e Japão. Pena que a efeméride (sempre pelas contas pouco elucidativas da CBF) tenha sido celebrada longe de casa. Casa?! Faz tempo que o Brasil deixou de ser a casa da seleção, que foi morar fora e só vem aqui esporadicamente para matar saudades.

Brasil 1 x 1 Colômbia foi um teste válido para Mano Menezes

Leia o post original por Quartarollo

neymar

neymarO Brasil fez boa partida contra a Colômbia agora há pouco em Ney Jersey, Estados Unidos, e empatou por 1 x 1, mas poderia ter vencido. Perdeu boas chances com Neymar e duas com Kaká, que inclusive colocou uma bola … Continuar lendo


Questionar a capacidade do Fluminense é burrice!

Leia o post original por Neto

Quarteto de craques do time das Laranjeiras

Tudo bem que tem um monte de gente com dor de cotovelo do Fluminense, que está com as duas mãos na taça desse Brasileirão. Os adversários ficam levantando ‘trocentos’ lances polêmicos a favor do time das Laranjeiras para justificar a posição de líder isolado. Mas é ridículo questionar uma equipe com tamanha superioridade. Perderam para o vice-líder Atlético/MG no confronto direto? Sim. Mas e daí? Foi apenas a terceira derrota em 33 rodadas. É muito pouco. Regularidade absoluta.

Aliás, tudo isso é fruto de um planejamento que já vem sendo traçado há muito tempo. Desde que a Unimed entrou como parceira o clube só cresceu. No início deu uma patinada, é verdade. Mas depois foi um verdadeiro ‘BOOOM’. Hoje não é só melhor time do Rio como uma das principais equipes do País. É só analisar os resultados recentes. Nos últimos anos foram títulos estaduais, da Copa do Brasil, vice da Sul-Americana e da Libertadores e caminha para o segundo troféu do Campeonato Brasileiro.

Individualmente o elenco é sensacional! O Abel, que é um baita treinador, tem a disposição jogadores tecnicamente excelentes como Fred, Deco e Thiago Neves. Pra completar tem o Carlinhos, renegado no Santos, arrebentando na lateral. E o Diego Cavalieri? O Palmeiras não investiu no cara. Olha no que deu. Não preciso nem falar do Wellington Nem. O menino inferniza as defesas adversárias. O Flu é inquestionável. Merecia mais respeito e reverência de todos. A minha ele tem.

Santos vence Palmeiras de virada e segue firme na arrancada para o G-4; Flu bate Vasco e não sai da cola do Galo

Leia o post original por miltonneves

E não é que o esquema tático de Felipão quase funcionou?

Com Betinho fazendo duas funções, subindo para o ataque e marcando Neymar, o Palmeiras foi superior ao Santos, dominou boa parte do primeiro tempo.

Pois bem, enquanto Ganso andava em campo e Valdivia era pouco acionado, outro jogador tentou ser protagonista: Correa!

No seu retorno ao Verdão, o velho conhecido da torcida alviverde, tratou de abrir o placar.

Mas quem tem Neymar…

O camisa 11 cobrou falta perfeita, mandou a bola no ângulo de Bruno, empatando a partida.

E o craque santista não parou por aí, fez o segundo, deu a vitória de virada para a alegria de Muricy, que segue firme com o time, na arrancada para zona da Libertadores.

Ô menino bom esse do Peixe!

Já no Engenhão…

No clássico carioca, o equilíbrio e a forte marcação de ambos os lados predominou.

Como já era de esperar, Vasco e Fluminense travaram um grande duelo.

As equipes tiveram várias oportunidades, mas as defesas prevaleciam sobre os ataques.

Sem nenhuma chance perigosa, o jogo caminhava para um zero a zero sem graça.

Fred até tentou, mas o árbitro invalidou a jogada, que culminou no tento do artilheiro.

E no intervalo, os jogadores devem ter levado um “chacoalhão” dos técnicos.

Foi aí que brilhou a estrela de Thiago Neves, que fez dois gols. Gum marcou contra e tentou ajudar os vascaínos.

No Moisés Lucarelli…

A partida seguia equilibrada, com as duas defesas e ataques trabalhando bastante.

Giancarlo marcou dois e a pobre Lusinha sofreu mais uma derrota, mas marcou o seu tento de honra com Bruno Mineiro.

Opine!!!