Arquivo da categoria: Thiago Silva

Thiago Silva, que tem mais panca do que bola, volta a ser titular do Brasil! Tite está certo?

Leia o post original por Milton Neves

Foto: Lucas Figueiredo/CBF

Semana de pausa no Campeonato Brasileiro de Amistosos para a realização de mais uma rodada das Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2018.

E o Brasil de Tite, na próxima quinta-feira (05), enfrenta a inofensiva Bolívia, que já não tem chances de conseguir uma vaga para o Mundial da Rússia.

Mas, honestamente, a altitude de La Paz não é nada inofensiva.

Não entendo como até hoje milagrosamente não morreu um jogador visitante nessa desumana condição.

Enfim, o ótimo Tite, que com muita competência já garantiu o Brasil no primeiro lugar na disputa da América do Sul, agora começa a fazer testes em sua equipe.

E uma das grandes novidades do escrete canarinho para o duelo na Bolívia é a volta de Thiago Silva ao time titular.

O zagueirão, que tem mais panca do que bola, não estava em campo nos “felipônicos” 7 a 1, mas foi um dos jogadores mais criticados da Copa de 2014.

Principalmente após “pipocar” na disputa por pênaltis diante do Chile, nas oitavas de final.

Por essas e outras, o que você pensa sobre a escolha de Tite?

O técnico está certo ao promover Thiago Silva ao time titular do Brasil?

Ou ele não deveria mexer em um time que está ganhando?

Opine!

Sete dúvidas para tirar em Paraguai x Brasil

Leia o post original por Perrone

A partida entre Paraguai e Brasil, pelas Eliminatórias da Copa da Rússia, na noite desta terça, pode ser útil para dissipar uma série de dúvidas. São elas:

1 – Como está Gil após se transferir para a China?

2 – É possível montar uma dupla de zaga para jogar a Copa da Rússia sem David Luiz e Thiago Silva, como a que estará em campo com Gil e Miranda?

3 – A seleção brasileira conseguiu diminuir sua dependência em relação a Neymar, que pela terceira vez cumpre suspensão nessas Eliminatórias?

4 – Atuar com um atacante como referência na área, caso de Ricardo Oliveira nesta noite no Paraguai, é mesmo uma boa opção para a seleção?

5 – O bom futebol apresentado pelo Brasil no primeiro tempo do empate com o Uruguai foi uma evolução que terá continuidade nesta terça ou mero acaso?

6 – O Brasil sairá do Paraguai fora do grupo dos quatro primeiros que garantem vaga direta no Mundial, o que acontece com uma derrota, dependendo do resultado da Argentina diante da Bolívia?

7- O corintiano Romero não merece mesmo nem uma chance no banco da seleção paraguaia?

 

Dunga chama Coutinho e os “chineses” para enfrentar o Uruguai de Suarez

Leia o post original por Quartarollo

Seleção Brasileira foi convocada agora há pouco pelo técnico Dunga para os jogos contra Uruguai, dia 25 de março, no Recife, e Paraguai, na terça-feira seguinte, dia 29, em Assunção.

São dois jogos cruciais para a Seleção embora ainda haja uma série de partidas até o fim das Eliminatórias.

Suarez voltará ao time do Uruguai justamente na sexta-feira santa contra o Brasil na capital pernambucana. Depois da mordida será seu primeiro jogo na Celeste.

Dunga manteve Ricardo Oliveira no ataque, mesmo em má fase, e confirmou os “chineses” Gil e Renato Augusto na relação.

Por enquanto a transferência para a China não afastou esses jogadores da Seleção como aconteceu, por exemplo, com Diego Tardelli.

Cássio perdeu a convocação no gol para Diego Alves, bom goleiro do Valência que tem tudo para jogar no embora Alisson seja o escolhido do momento.

Diego teve grave contusão e ficou muito tempo afastado, mas como voltou a jogar Dunga se lembrou dele novamente. Dos goleiros convocados até agora, é aquele que mais tem condição de ser titular do time, na minha opinião.

Thiago Silva que deu entrevista nesta semana, na França, reclamando veladamente de Dunga e da faixa de capitão, além  de ter dito que caiu em depressão após a Copa de 2014, não está relacionado mais uma vez.

Caiu em desgraça com o treinador depois de tantas declarações e tantos pênaltis bobos feitos em vários jogos. Tostão, um grande analista de futebol e um dos maiores jogadores da história, no entanto, acha que Dunga está errado.

Para ele, Thiago Silva é o melhor zagueiro que o Brasil tem ainda e um dos melhores do mundo.

Concordo em parte com Tostão. Thiago está longe ser mau jogador, mas é estabanado principalmente quando se trata de Seleção. Não tem personalidade para ser capitão e já demonstrou isso várias vezes.

Mas se Dunga convoca o não menos estabanado David Luiz que vive se metendo em confusão na sua área e fora dela, então a tese passa a ser válida.

As laterais estão enfraquecidas. Tem apenas de respeito o veterano Daniel Alves, titular há anos do grande Barcelona, mas que também  fracassou na última Copa Copa. Mas ainda é o melhor que temos.

Os demais são apenas bonzinhos. Não me agradam Danilo, na direita, e principalmente Filipe Luiz na esquerda.

Ainda prefiro o “maluco” Marcelo, do Real Madrid. É o que temos para o momento.

Convocou novamente Kaká que está jogando nos Estados Unidos e sem Elias, contundido, abriu-se novamente vaga para o bom Philippe Coutinho, que sempre joga bem, mas precisa evoluir para ser aquele jogador que todos estamos esperando. Hoje é apenas bom.

Mas também admito que minha exigência talvez esteja muito alta. Estou querendo só craques e esse tipo de mercadoria está escassa nessa maldita safra brasileira cheia de jogadores médios que parecem bons.

Eis a convocação de Dunga:

Goleiros:

Alisson – Internacional

Diego Alves – Valência

Marcelo Grohe – Grêmio

Zagueiros

Miranda – Internazionale

David Luiz – Paris Saint-Germain

Gil – Shandong Luneng

Marquinhos – Paris Saint-Germain

Laterais

Danilo – Real Madrid

Daniel Alves – Barcelona

Filipe Luís – Atlético de Madrid

Alex Sandro – Porto

Meio-campo/atacantes

Luiz Gustavo – Wolfsburg

Fernandinho – Manchester City

Renato Augusto – Beijing Guoan

Philippe Coutinho – Liverpool

Lucas Lima – Santos

Kaká – Orlando City

Willian – Chelsea

Oscar – Chelsea

Douglas Costa – Bayern de Munique

Neymar Jr. – Barcelona

Hulk – Zenit

Ricardo Oliveira – Santos

Acabou o ciclo de Thiago Silva na Seleção?

Leia o post original por Quartarollo

Eu já achei que o Dunga nunca mais ia convocar o zagueiro Thiago Silva depois daquela reclamação estúpida por causa da faixa de capitão que foi retirada dele e dada à Neymar.

Dunga, que foi um grande capitão de Seleção, levou na boa, não bateu de frente e avisou que faixa se conquista, não se pede.

Neymar não pediu. Quem pede por ele são os patrocinadores e os babas ovos de plantão que acham que o melhor jogador da Seleção também tem que ser capitão.

Pelé nunca foi capitão de time nenhum. Ademir da Guia também não e foram o máximo dentro de campo.

Tinham o que poucos têm hoje, tinham liderança técnica sobre todos os demais.

Capitão só serve para tirar a sorte na moedinha antes do jogo. Alguns acham que podem ajudar o árbitro a apitar o jogo, mas para a arbitragem são jogadores iguais aos outros.

Thiago Silva é muito chorão e um dos mais falsos zagueiros da história.

Ele parece muito bom, sabe jogar, confia demais num futebol que não tem nos pés.

O mercado internacional pagou alto pelos seus direitos econômicos, mas o Milan se livrou rapidinho dele.

Talvez por conhece-lo de perto dentro das quatro linhas. É o famoso parece, mas não é.

Ultimamente se notabilizou por fazer mais besteiras como zagueiro.

Resolveu jogar vôlei dentro da área brasileira.

Aquela alegação na Copa América que não sabia que pôs a mão na bola é simplesmente ridícula.

Além disso na Copa do Mundo não estava nos 7 x 1 que tomamos da Alemanha, em Belo Horizonte.

Tinha conseguido um cartão amarelo de graça no jogo anterior o que o tirou do confronto com os alemães.

Deixou o time na mão, não teve coragem para bater pênalti contra o Chile.

Sentou na bola e chorou.

Acho que desta vez ele não volta mais. Vai chorar na cama que é lugar quente.

O dia que nunca devia ter existido

Leia o post original por Quartarollo

Talvez se tivéssemos sido eliminados pelo Chile não estaríamos chorando tanto.

Talvez se Dante não tivesse jogado não haveria tantos jogadores do Bayern na área brasileira jogando contra nós.

Talvez se Thiago Silva não tivesse chorado antes e não tivesse provocado um cartão amarelo bobo no jogo anterior, Dante não teria jogado.

Não, não foi o inferno de Dante. Foi o inferno de todos nós.

Foi também de Fernandinho, hoje titular de Dunga, e que “só” falhou em quatro gols.

A data ficará marcada para sempre. A data da mais vergonhosa eliminação da Seleção Brasileira Copa do Mundo.

Foi há um ano, mas dói como se fosse agora há pouquinho.

Talvez se fosse em outro país doeria menos e talvez não tivesse acontecido. Mas foi aqui, na nossa casa.

Talvez, muitos talvezes, mas nada que console o inconsolável placar de 7 x 1.

Pela primeira vez na história um adversário teve dó de nós no sentido lato da palavra.

Os alemães resolveram parar de fazer gols e nos deixaram fazer um. Era para ser 10 ou mais.

Foi o dia da quase morte do futebol brasileiro. Só não morreu porque a Seleção não mora mais aqui.

Aqueles jogadores não nos pertencem. São europeus travestidos de brasileiros.

Não sentem a nossa dor e não choram as nossas lágrimas.

E quando choram são iguais a Thiago Silva. É por medo, não por amor.

Muitos que foram goleados estão por aí e não se explicaram até hoje.

Nem técnico e nem jogadores. A única explicação foi dada por uma carta fantasma da Dona Lúcia que não se sabe mãe de quem é. Talvez conheçamos seus filhos, não é verdade?

Depois disso pouca coisa mudou. O país piorou economicamente apesar das promessas eleitorais e o maior legado da Copa foi a vergonha.

As obras de mobilidade nem sempre foram executadas, ou concluídas, e as empreiteiras estão no pelourinho com seus poderosos comandantes presos fazendo delação premiada para entregar tudo e todos.

Eles entregam mais que a zaga brasileira. Mas nesse caso as vítimas somos nós que pagamos a conta da corrupção. Nesse particular ganhamos de 100 a 0.

As Arenas que se vaticinava que virariam elefantes brancos cumpriram a sua missão.

O Estádio Mané Garrincha, em Brasília, o mais caro da Copa e um dos mais caros do Mundo serve para quase tudo, até para se jogar futebol. É um nobre elefante branco fincado na capital federal.

Sem falar nas arenas de Manaus, Cuiabá e até mesmo de Pernambuco que já tinha três estádios e construíram mais um em troca de muita grana.

A única coisa certa foi a vaia para Dilma e Blatter.

Isso prova que o povo já sabia antes o que ia acontecer com os dois “chefes de estado”.

Pena que as vaias chegaram tarde demais às urnas. Tomamos outra goleada.

Pena que não foram levadas em consideração antes das novas eleições da Fifa.

É melhor tirarmos do calendário o dia 8 de julho de 2014.

Esse dia jamais deveria ter existido.

Agora é tarde, não adianta chorar.

Share This:

O “cagão” Thiago Silva é mesmo de chorar

Leia o post original por Quartarollo

Thiago Silva é mesmo de chorar.

Chorou na Copa, não quis bater pênalti contra o Chile e agora há pouco, em Concepcion, fez um pênalti idiota dando a chance ao Paraguai para empatar o jogo e decidir de novo na marca da cal como na Copa América da Argentina em 2011.

Naquela ocasião também foi eliminada pelos paraguaios nos pênaltis.

Hoje o Brasil fez o gol com Robinho numa jogada bem transada no primeiro tempo e depois parou de jogar.

Sumiu de campo e só deu Paraguai que merecia mesmo pelo menos o empate.

Mas não justifica a mão boba de Thiago Silva dentro da área. Coisa de jogador que se caga, desculpando a expressão, na hora da pressão.

Gonzales, bom jogador de apenas 21 anos de idade, converteu e levou o jogo para uma nova decisão nos pênaltis.

Esperava-se que os jogadores mais experientes do Brasil se apresentassem para bater, mas Daniel Alves, Elias e o chorão Thiago Silva não fizeram isso demonstrando a falta de personalidade mais uma vez.

Sobrou para Fernandinho que converteu, Everton Ribeiro que chutou para fora, Douglas Costa que perdeu e Philipe Coutinho que fez o seu.

Miranda como capitão do time, ao contrário do que fez Thiago Silva na Copa, botou a bola debaixo do braço e partiu para a marca da cal convertendo a sua cobrança.

Talvez o ex-zagueiro sãopaulino seja a única coisa boa que sobrou no Brasil nessa Copa América.

Com 4 x 3 contra, já que o experiente Roque Santa Cruz perdeu também o seu pênalti, o Paraguai se classificou para jogar as semifinais contra a Argentina e o Brasil volta para casa mais cedo.

O problema é que nossa seleção parece estar se acostumando com a derrota. Perdeu o brio e os adversários perderam o respeito por nós.

Hoje qualquer um pode ganhar do Brasil.

Dunga não tem boas opções para mexer na equipe que agora vai enfrentar uma duríssima Eliminatória com 18 rodadas de todos contra todos na América do Sul.

Hoje o treinador, na minha opinião, errou ao tirar de campo Willian e não Philipe Coutinho ou Roberto Firmino que só saiu depois.

Tirar Robinho faltando 3 minutos para acabar o jogo também não tem explicação. Ele podia bater um dos pênaltis e é mais experiente que os garotos que foram jogados às feras.

Dunga culpou uma virose que afetou todo o elenco pela péssima apresentação.

Desculpa esfarrapada. Seu time sujou o uniforme por outras coisas. A virose não é culpada por mais uma eliminação da Seleção Brasileira.

Mais uma vergonha para a gente carregar, isso sim.

Share This:

Seleção continua a descer a ladeira

Leia o post original por Antero Greco

Dunga, assessores e jogadores costumam fazer bico, quando ouvem críticas à seleção. Alegam, de maneira exaustiva, que há má vontade, impaciência, prevenção e outros sentimentos negativos em relação à equipe que representa o Brasil. A prática tira a razão dos bravos convocados pela CBF.

O futebol da turma só entusiasma os fanáticos de plantão, e olhe lá. Pois anda feio como a fome, por mais que se sustente em resultados, em vitórias em amistosos, em classificações como as que têm ocorrido na Copa América. O tal pragmatismo, tão ao gosto do treinador atual e seus antecessores, é de doer.

O sofrimento, o pão-durismo, a falta de ousadia deram as caras no início da noite de ontem, no duelo com o Paraguai, pelas quartas de final da competição continental. A seleção adoçou a boca do público com o gol de Robinho – em bonita jogada – e com pressão no minutos seguintes. Parecia que, depois de início lento, iria impor-se e passar de maneira garbosa para a semifinal para enfrentar a Argentina.

Engano, ilusão que a primeira neblina de Concepción levou. À medida que o tempo passou, o time se acomodou diante de um rival limitado, que tinha como alternativa, bolas longas ou pelo alto, fora desmedida vocação para defender-se. Quando mais se esperava que Robinho, Willian, Firmino e outros explodissem, aí que ficou no traque mesmo. Comodismo, toques pra cá e pra lá, desleixo, contenção.

Ou, o que é mais preocupante, é o máximo que o Brasil consegue no momento. A queda técnica no segundo tempo foi mais intensa do que a descida da temperatura na região central do Chile. A partida arrastou-se, adaptou-se ao que queriam os paraguaios, e complicou para a amarelinha.

Nenhum chute perigoso, tampouco tentativa de dribles, de tabelas, de lances emocionantes. Nada que revelasse uma equipe em crescimento, segura e madura, como atesta o técnico. Quer dizer, emoção quem proporcionou foi Thiago Silva, ao cometer falta tola na área, que permitiu o empate e levou a decisão para os pênaltis. Daí veio festival de erros, com castigo final e adicional da desclassificação melancólica.

A quem querem enganar com desculpas esfarrapadas como apagão, virose, cartinhas da Dona Lúcia? Chega, já encheu

Hum… não!

Leia o post original por Rica Perrone

Eu sou o cara mais esforçado neste país para acreditar na seleção, convenhamos!  E acredito, sempre.  Mas se já sai do jogo com a Colômbia preocupado, hoje fiquei ainda mais. Na minha cabeça, mesmo que a seleção tenha feito um jogo razoável e tido o domínio da partida até o Dunga surtar e encher o […]

Apesar da vitória, Brasil leva sufoco da fraca, mas atrevida Venezuela!

Leia o post original por Milton Neves

1

A briga pela classificação para a próxima fase da Copa América começou antes mesmo do apito inicial do árbitro.

Miranda e Thiago Silva duelaram cordialmente pela braçadeira de capitão, abandonada por nosso maior craque, Neymar.

E que briga boa essa, hein?

Assim que a bola rolou, Thiago Silva abriu o marcador para o Brasil e provou que ainda tem “culhão” pra ser o capitão.

É bem verdade que contra uma fraca Venezuela, mas atrevida, não se pode tirar nenhuma conclusão precipitada.

Por outro lado, o ataque que tinha perdido um pouco do foco pela saída de Neymar, emplacou!

Robinho deu conta do serviço e supriu a ausência do “camisa 10” brasileiro.

A entrada do ídolo santista deu outra cara à Seleção de Dunga, que teimou em não colocá-lo contra a Colômbia.

Mesmo tendo ampliado o marcado, Firmino deu lugar a David Luiz. E Robinho, saiu para a entrada de Marquinhos.

Povoar o meio-campo e retrancar o time contra a Venezuela ganhando de 2 a 0, é medo demais Dunga!

O certo seria se fosse contra a Alemanha, na Copa do Mundo de 2014.

Essas alterações não mexeram muito com a estrutura tática do Brasil, que conta com grandes nomes, mas os venezuelanos passaram a dar bons sufocos no time canarinho.

Tanto que eles diminuíram o placar em uma falha, no mínimo, grotesca.

Com esse futebolzinho, era melhor desistir e entregar de vez, a taça para a Argentina.

Opine!

Neymar foi disparado o melhor brasileiro no exterior em 2014, certo? Mais algum outro destaque? E quais foram as decepções?

Leia o post original por Milton Neves

Neymar

Foto: UOL

Os sinos de Natal já estão tocando. Papai Noel já está embalando os presentes para colocar no saco e chegou a hora de fazer um balanço da legião brasileira que joga no exterior.

É claro que a pífia participação brasileira na Copa do Mundo acionou o “desconfiômetro” sobre os jogadores brasileiros, mas eles ainda continuam “bem na fita”.

Neymar ainda é, disparado, o melhor entre aqueles que atuam fora de nossos domínios, certo?

Quem mais foi bem?

Lucas, que começou apagado e claudicante no PSG, melhorou bastante, sobretudo no segundo semestre deste ano.

O atacante Luiz Adriano, do Shakhtar (Ucrânia) está voando.

Oscar (Chelsea), mesmo sem provocar tantos suspiros, tem seus lampejos de craque.

Miranda, do Atlético de Madri, talvez seja o melhor zagueiro brasileiro na Europa, mesmo não sendo tão valorizado quanto David Luiz e Thiago Silva.

E quem decepcionou?

Thiago Silva, o refugante zagueiro da Copa, que perdeu a vaga justamente para Miranda.

Daniel Alves, em curva descendente no Barcelona?

Ou Douglas, que se atrapalhou desde as “embaixadinhas”  também no Barça?

Opine!