Arquivo da categoria: Valdivia

Cinco casos em que o São Paulo repete grandes rebaixados

Leia o post original por Perrone

1 – Ídolo no comando

Em julho de 2016, o Internacional apostou em Falcão, um dos maiores ídolos de sua história, como treinador. Menos de um mês depois, ele foi demitido por causa dos maus resultados. No fim do ano, os gaúchos foram rebaixados para a Série B. Em 2017, o São Paulo montou seu planejamento com Rogério Ceni estreando na função de técnico. No início de julho, ele foi despedido por conta do risco de rebaixamento. Porém, com Dorival Júnior, a equipe segue ameaçada e ocupa a penúltima posição do Brasileiro.

2 – Crise política e caso policial

A queda do Corinthians para a Série B em 2007 foi precedida por um dos períodos mais turbulentos nos bastidores do clube. Acuado por denúncias, como a acusação de uso de notas fiscais frias em sua gestão, Alberto Dualib renunciou ao cargo em setembro. O rebaixamento aconteceria em dezembro. O São Paulo enfrentou a renuncia de um presidente em 2015, após denúncias de irregularidades. A saída do dirigente não significou calmaria. No mês passado, por exemplo, a pedido da diretoria, o DEIC (Departamento Estadual de Investigações Criminais) abriu inquérito para apurar a suposta comercialização irregular de ingressos e camarotes para shows do U2 e de Bruno Mars no Morumbi. As suspeitas culminaram com a demissão por justa causa do gerente de marketing Alan Cimerman, que nega as acusações.

3 – Estrangeiros na berlinda

Esperança da torcida do Palmeiras, Valdivia foi um dos jogadores mais cornetados na campanha do rebaixamento para a Série B em 2012. Lesões, seu comportamento fora de campo e a acusação de falta de comprometimento compuseram o cenário que fez o chileno ser detonado nas arquibancadas e por cartolas. Hoje, a crise são-paulina tem o peruano Cueva como um dos personagens. Ele também é acusado por dirigentes e parte dos companheiros de não estar comprometido como deveria com a equipe e tem seu preparo físico questionado.

4 – Desentendimentos entre atletas

Enquanto tentava evitar o rebaixamento em 2012, o palmeiras sofria internamente com o confronto entre Marcos Assunção e Valdivia. Em 2015, durante entrevista ao “Diário de S.Paulo”, assunção disse que chegou a dar um soco no chileno após uma discussão, além de fazer uma série de críticas ao ex-companheiro, rebatendo afirmações dele dadas ao “Estado de S.Paulo”. Nos último dias, o São Paulo viveu turbulência por conta de troca de farpas entre Rodrigo Caio e Cueva, que nesta segunda pediu publicamente desculpas ao zagueiro.

5 – Time grande não cai

“O Inter não vai cair”, disse Fernando Carvalho, então vice de futebol do colorado em setembro de 2016. No final do ano, seu clube caiu para a segunda divisão nacional. “Venho afirmar mais uma vez e garantir: não tem hipótese de rebaixamento do Vasco”, declarou Eurico Miranda em julho de 2015. A temporada terminou com a agremiação presidida por ele de volta à Série B. Na última segunda, foi a vez de Cueva decretar: “o São Paulo é grande, não vai cair.”

 

 

Cinco casos em que o São Paulo repete grandes rebaixados

Leia o post original por Perrone

1 – Ídolo no comando

Em julho de 2016, o Internacional apostou em Falcão, um dos maiores ídolos de sua história, como treinador. Menos de um mês depois, ele foi demitido por causa dos maus resultados. No fim do ano, os gaúchos foram rebaixados para a Série B. Em 2017, o São Paulo montou seu planejamento com Rogério Ceni estreando na função de técnico. No início de julho, ele foi despedido por conta do risco de rebaixamento. Porém, com Dorival Júnior, a equipe segue ameaçada e ocupa a penúltima posição do Brasileiro.

2 – Crise política e caso policial

A queda do Corinthians para a Série B em 2007 foi precedida por um dos períodos mais turbulentos nos bastidores do clube. Acuado por denúncias, como a acusação de uso de notas fiscais frias em sua gestão, Alberto Dualib renunciou ao cargo em setembro. O rebaixamento aconteceria em dezembro. O São Paulo enfrentou a renuncia de um presidente em 2015, após denúncias de irregularidades. A saída do dirigente não significou calmaria. No mês passado, por exemplo, a pedido da diretoria, o DEIC (Departamento Estadual de Investigações Criminais) abriu inquérito para apurar a suposta comercialização irregular de ingressos e camarotes para shows do U2 e de Bruno Mars no Morumbi. As suspeitas culminaram com a demissão por justa causa do gerente de marketing Alan Cimerman, que nega as acusações.

3 – Estrangeiros na berlinda

Esperança da torcida do Palmeiras, Valdivia foi um dos jogadores mais cornetados na campanha do rebaixamento para a Série B em 2012. Lesões, seu comportamento fora de campo e a acusação de falta de comprometimento compuseram o cenário que fez o chileno ser detonado nas arquibancadas e por cartolas. Hoje, a crise são-paulina tem o peruano Cueva como um dos personagens. Ele também é acusado por dirigentes e parte dos companheiros de não estar comprometido como deveria com a equipe e tem seu preparo físico questionado.

4 – Desentendimentos entre atletas

Enquanto tentava evitar o rebaixamento em 2012, o palmeiras sofria internamente com o confronto entre Marcos Assunção e Valdivia. Em 2015, durante entrevista ao “Diário de S.Paulo”, assunção disse que chegou a dar um soco no chileno após uma discussão, além de fazer uma série de críticas ao ex-companheiro, rebatendo afirmações dele dadas ao “Estado de S.Paulo”. Nos último dias, o São Paulo viveu turbulência por conta de troca de farpas entre Rodrigo Caio e Cueva, que nesta segunda pediu publicamente desculpas ao zagueiro.

5 – Time grande não cai

“O Inter não vai cair”, disse Fernando Carvalho, então vice de futebol do colorado em setembro de 2016. No final do ano, seu clube caiu para a segunda divisão nacional. “Venho afirmar mais uma vez e garantir: não tem hipótese de rebaixamento do Vasco”, declarou Eurico Miranda em julho de 2015. A temporada terminou com a agremiação presidida por ele de volta à Série B. Na última segunda, foi a vez de Cueva decretar: “o São Paulo é grande, não vai cair.”

 

 

Vessoni sobre Valdivia: está apagando incêndio com gasolina!

Leia o post original por Craque Neto

Os comentaristas discutem sobre o posicionamento de Valdivia após a eliminação do Verdão na Copa do Brasil. Para eles, o ex-jogador do Verdão exagerou nas críticas nas mídias sociais. Foi desnecessário.  

O post Vessoni sobre Valdivia: está apagando incêndio com gasolina! apareceu primeiro em Craque Neto 10.

Quem é a favor da volta do ‘Mago’?

Leia o post original por Craque Neto

Esses dias o meia Valdívia postou em uma de suas redes sociais que estaria interessado em voltar ao Palmeiras. Segundo o que ele mesmo escreveu “Só ligar que eu vou!”. A partir daí percebi que as opiniões se dividem sobre esse possível retorno do Mago ao clube onde é ídolo. Uns aprovam a ideia e dizem que ele é a solução ideal para movimentar esse meio-campo travado do Verdão. Outros, como eu, acham quem ele simplesmente é um jogador que produz pouco e ganha muito em salários e premiações. Ou seja, nem de longe vale o custo-benefício. Vale lembrar que […]

O post Quem é a favor da volta do ‘Mago’? apareceu primeiro em Craque Neto 10.

Que falta fazem Drogba, Pottker e Valdívia, hein? Timão vence, mas não convence!

Leia o post original por Milton Neves

Uma várzea só! Que joguinho mixuruca foi esse, não é mesmo?

O Corinthians não conseguiu impor a superioridade esperada, fato que levou a partida ser tão fria.

E a classificação só veio, porque Rodriguinho “achou” o gol que deu a vitória.

Um pouco decepcionante para o torcedor, que viu seu time sofrer contra o “sonolento” Botafogo-SP.

Agora convenhamos, despertou uma desconfiança aí, hein?

Porque Palmeiras e São Paulo atropelaram seus adversários, vão vir com moral.

Já o Santos, que ainda pega a Ponte Preta, vai sofrer também. Porém, sai classificado do confronto mais difícil.

Então, como é que fica a cabeça do corintiano?

O time ganha, mas não convence e dentre os semifinalistas é o mais fraco.

Será que o Alvinegro tem chances de chegar à final do Paulistão?

Talvez se Drogba, Pottker e Valdívia tivessem chegado…

OPINE!!!

Corinthians: o melhor ataque do Brasil!

Leia o post original por Milton Neves

Que fase a do Corinthians, hein?

Já são três vexames em negociações envolvendo nomes de peso neste ano.

O primeiro, todos se lembram, foi com Drogba.

O Timão “namorou” o marfinense por semanas e, no fim das contas, ficou longe de acertar com o ídolo do Chelsea.

Para piorar, o clube ainda publicou uma nota “agradecendo as conversas” com o atacante.

Deprimente…

Depois, veio a frustração com o bom Pottker, da Ponte Preta.

E isso que já estava “tudo certo”…

Agora, o fracasso na negociação com Valdivia, do Inter, foi a cereja no bolo dos rivais do Timão, que não estão economizando nas gozações.

Mas, por que os jogadores de ponta não estão fazendo questão de ir para o Corinthians, enquanto o Palmeiras, por exemplo, contrata de baciada?

E uma dica a Roberto de Andrade: negocie sempre em sigilo.

Além de evitar concorrência de rivais, você também não causa expectativa exagerada na torcida.

Opine!

Sem Valdívia, Andrade soma 3 ‘desastres’ em 4 meses e sofre mais críticas

Leia o post original por Perrone

O desfecho da tentativa do Corinthians de trocar Giovanni Augusto por Valdívia se somou às operações frustradas envolvendo Drogba e Pottker e aumentou as críticas de conselheiros da oposição ao presidente do clube, Roberto de Andrade. São três negociações consideradas desastrosas pelos críticos do dirigente em quatro meses.

Na transação relacionada a Valdívia as queixas são de que o presidente expôs Corinthians, Internacional e os dois jogadores.

Uma das principais reclamações de oposicionistas é de que ao telefonar para o presidente do Palmeiras, Maurício Galiotte, para saber se o concorrente queria Valdívia, o corintiano assumiu o risco de a conversa vazar e seu clube ser ridicularizado nas redes sociais por rivais, o que acabou acontecendo.

Para os descontentes, o cartola deveria ter ido até Porto Alegre e se empenhado para fechar o negócio sem se preocupar em falar com o palmeirense.

Outro motivo de insatisfação é a nota oficial divulgada pelo Corinthians para explicar que o negócio não deu certo. Nela, o clube paulista diz que foi procurado pelos gaúchos que ofereceram Valdívia e que após conversa entre Giovanni Augusto e a diretoria corintiana ficou acertado que ele não seria transferido. Os problemas apontados são que o alvinegro, com autorização de seu presidente, foi deselegante com o Inter, podendo ter criado um constrangimento entre o Colorado e seu atleta. E que também deixou Valdívia vulnerável ao descontentamento dos torcedores do Inter, pois ficou entendido que ele queria trocar de equipe. Ao mesmo tempo, apesar de afirmar que a decisão foi conjunta, ficou para a Fiel a certeza de que Giovanni não quis se mudar. Então, ele passou a enfrentar a ira da torcida corintiana. Em grande parte, ela desejava a negociação.

No resumo dos críticos, o Corinthians conseguiu perder Valdívia e Giovanni ao mesmo tempo, já que o jogador do alvinegro  deu sinais de não ter ficado contente com a movimentação e agora tem um clima péssimo com os torcedores para continuar no clube.

A atuação do presidente foi comparada com a participação dele na tentativa de trazer Drogba. Na ocasião, virou motivo de chacota entre torcedores adversários o fato de ele ter assinado nota no site do clube com o título “Valeu, Drogba”, agradecendo ao marfinense, que recusou a proposta corintiana. Além disso, no início das conversas, o clube tratou com um intermediário que não era o representante principal do atleta e houve ataques do próprio diretor de futebol, Flávio Adauto, à negociação, que não era comandada por ele.

Andrade não participou diretamente do fracasso nas tratativas com a Ponte Preta para ter Pottker, mas o fato foi lembrado agora porque a negociação também estava avançada e fracassou. Na oportunidade, o problema foi que todos os detalhes da contratação foram acertados para que o jogador fosse para o Corinthians após o Campeonato Paulista. Mas, pouco antes da estreia dele na Copa do Brasil pelo time de Campinas, a equipe da capital exigiu que o atacante não jogasse para poder defender o futuro clube na competição. A exigência não foi aceita e o trato acabou desmanchado.

O blog não conseguiu falar com Andrade.

 

Ronaldo Giovaneli: Verdão está furando o olho do Timão no negócio com Valdívia

Leia o post original por Craque Neto

O comentarista acredita que a investida em Valdívia por parte do Palmeiras seja “dor de cotovelo” e falta de ética para com o Timão.

O post Ronaldo Giovaneli: Verdão está furando o olho do Timão no negócio com Valdívia apareceu primeiro em Craque Neto 10.

O Palmeiras foi antiético com o Timão?

Leia o post original por Milton Neves

No mundo da bola, as coisas mudam na velocidade da luz.

Por exemplo, ontem pela manhã, todos os portais esportivos cravavam que Valdivia, do Inter, seria anunciado como novo reforço do Corinthians em poucas horas.

Mas, à tarde, bastou pipocar por aí a informação de que o Palmeiras tinha entrado na briga pelo meia para que a negociação envolvendo o Colorado e o Timão esfriasse.

E aí, o Verdão foi antiético neste episódio?

Muita gente dirá que sim, muita gente dirá que não…

Mas, honestamente, nessa “novela” toda o Palmeiras provou que fala uma coisa e faz outra.

Afinal, em 2014, quando o São Paulo “roubou” Alan Kardec do Palestra, o então presidente Paulo Nobre detonou o rival:

“O São Paulo foi extremamente antiético. Isso não é privilégio do Palmeiras. Se você perguntar a outros clubes, vão te falar o conceito do São Paulo. E isso acontece desde a base. O Palmeiras não é bonzinho, somos éticos”.

É aquela velha história: pimenta nos olhos dos outros…

Opine!

Justiça nega pedido de Valdivia para penhorar faturamento do Palmeiras

Leia o post original por Perrone

Colaborou Pedro Lopes, do UOL em São Paulo

Valdivia e Palmeiras duelam na Justiça sobre o que será penhorado como garantia de pagamento de uma dívida cobrada pela empresa do jogador. São R$ 116.819,30 a título de comissão pela intermediação da contratação do próprio atleta.

O alviverde ofereceu a penhora de um imóvel, que foi rejeitado pelo chileno. A rejeição foi acolhida pela  justiça sob a alegação de o dinheiro é o primeiro bem na ordem legal. Por sua vez, o jogador tentou penhorar o faturamento do clube, medida que foi considerada extremada, sendo rejeitada pela justiça no último dia 24. Porém, ele deve tentar a penhora online, bloqueando o valor diretamente nas contas do clube.

Três dias antes dessa decisão, foi publicada no Diário Oficial de São Paulo outra que frustrava um pedido de liminar pelo Palmeiras, sem detalhes do que era pretendido pelo clube. Na ocasião, também ficou anotado que o alviverde não apresentou o registro de imóvel ofertado para penhora, o que impossibilitava a análise de seu valor.