Final de semana

Leia o post original por Cristian Toledo

Eu sei que é cedo, mas como esta sexta será cheia (inclusive com transmissão) e o final de semana de folga, antes deixar alguma coisa escrita sobre os jogos de Atlético e Coritiba do que prometer escrever no sábado e não cumprir. Então, vamos lá, começando por quem joga em casa.

***

A preocupação com a marcação do Atlético no jogo contra o Internacional foi ressaltada por outros colegas – o Leonardo Mendes Júnior escreveu na Gazeta, o Fernando Gomes falou na Transamérica. É algo que realmente precisa ser pensado pelo Lopes, mas como escrevi no post anterior, a entrada de um segundo volante no lugar do Cleber Santana pode diminuir o problema. No momento em que escrevo, não há a confirmação da presença de Marcinho, se ele jogar será um baita reforço. E que a tática mais ofensivado Furacão funcione, porque é muito importante vencer o forte Inter na Arena. Como disse o Éder nos comentários do blog, “acho que o nosso time foi retranqueiro o ano inteiro e não ganhamos nada – aliás, fomos um desastre”.

***

O jogo entre Figueirense e Coritiba, em Florianópolis, tem quase as mesmas características da maioria dos jogos alviverdes fora de casa. Melhor que o adversário o Coxa é, mas terá que superar suas limitações emocionais para conseguir o resultado. Quando fez isso, triunfou contra Santos e América-MG. Se repetir a dose, é possível imaginar uma vitória. E se Marcos Aurélio resolver jogar, também facilita. O Figueira, que é uma das boas surpresas do Brasileiro, tenta sempre um “abafa” nos primeiros minutos quando joga no Orlando Scarpelli. É preciso ter atenção a essa pressão inicial, e depois o Cori tem que jogar seu jogo, pensando que Florianópolis é Curitiba, que o Estreito é o Alto da Glória, que o Scarpelli é o Couto Pereira.

***

Ótimo final de semana a todos! Até segunda!