Possibilidade

Leia o post original por Cristian Toledo

A rigor, as chances do Coritiba buscar uma vaga na Copa Libertadores são mínimas. Dependeria de uma sequência improvável de vitórias – isto por conta do mau rendimento fora de casa e da instabilidade que o time apresentou em todo o Campeonato Brasileiro. Mesmo assim, as possibilidades ainda existem, estão na matemática (praticamente nula para Tristão Garcia, e de 6,6% para os matemáticos da USP), e devem servir de incentivo pro jogo difícil deste domingo contra o São Paulo.

Coincidência ou não, depois de todo mundo apostar que Gil jogaria o técnico Marcelo Oliveira resolveu escalar Éverton Costa, mantendo a trinca de meias que atuou contra o Bahia. Surpreende, pois o treinador prefere adotar um perfil mais cauteloso jogando fora do Couto Pereira – porque o adversário é forte, porque o adversário quer ganhar, porque o adversário joga diferente em casa, etc., etc. e etc.

Mas mudou, e quem sabe seja um recado implícito para o time – “olha, rapaziada, vamos jogar bola, façam o que vocês sabem, vai que dá certo”. Repito algo que digo sempre quando o Coxa sai de Curitiba: se jogar com ousadia, encarando o adversário (quer dizer, respeitando, marcando, mas indo pra cima, partindo pro jogo), é possível enfrentar de igual para igual o São Paulo. Se ficar acautelado, se tiver receio, corre risco.

Pro Coritiba, o jogo de domingo, é a última flecha que sobrou pra acertar o alvo – só tem uma chance e tem que ser perfeito. Mas tem que tentar, tem que arriscar.