Jovens

Leia o post original por Cristian Toledo

Tudo começou naquela extemporânea declaração de Paulo Baier. Era mais reclamando da “atitude juvenil” dos jogadores que propriamente da idade dos atletas, mas não pegou bem. Situação resolvida, agora são os “cascudos”, como diz Antônio Lopes, que estão vivendo mau momento – exemplo de Wendel, que foi muito mal contra o Santos, e Cleber Santana, que… Bem, deixa pra lá.

E ainda as más atuações em sequência de Guerrón, Nieto e Marcinho.

Daí uma teoria perigosa, mas que pra mim tem que ser pensada pra reta final do Brasileiro. É hora de apostar nos garotos do Atlético. É hora de ver nessa meninada quem tem força pra suportar a pressão e ajudar o time, porque é a única solução que se apresenta em um momento tão complicado. E há talento entre os jovens atleticanos.

Principalmente no meio-campo e no ataque. Vítor, que já vem aparecendo entre os concentrados e aqueles que vão para o banco de reservas, poderia entrar nos planos de Antônio Lopes pro jogo contra o Atlético-GO. Sem Paulo Baier e Cleber Santana, falta qualidade ao meio rubro-negro. Então, por que não colocar Deivid, Marcelo Oliveira, Vítor e Marcinho?

E no ataque? Já se viu que Pablo e Edigar podem dar respostas mais positivas que Guerrón e Nieto. Eles têm grande potencial, precisam de oportunidades. Na Arena, com o apoio da torcida, eles podem render. Merecem jogar.

Aí vem aquela questão – mas eles não podem se queimar? Até entendo, mas lembro que não foram eles que colocaram o Atlético nesta situação. E eles sabem o quanto é importante pro torcedor atleticano a fuga do rebaixamento. Por isso, força aos jovens.