Otimismo

Leia o post original por Cristian Toledo

Vai chegando o final do ano, vão surgindo as expectativas para o ano que virá. E por mais que o panorama do futebol paranaense seja preocupante como um todo, é possível imaginar que teremos um bom 2012. Apesar de estarmos ainda no campo das especulações, é um período em que se pode medir a ousadia de cada clube, o interesse em crescer e atingir mais objetivos. O que é bastante interessante.

***

Tive a oportunidade, por conta das entrevistas exclusivas da 98FM, de conversar com os dois candidatos à presidência do Atlético – Diogo Fadel Braz e Mário Celso Petraglia. Acima do “quem é melhor”, gostei de saber que ambos vão investir no futebol. Não dá pra esquecer que clube de futebol não precisa ter lucro, o que ele fatura tem que ser reinvestido, ou em patrimônio, ou no campo mesmo. Isso ficou em segundo plano na maior parte da atual gestão, que pensou em sanear o clube, mas esqueceu de se preocupar com o que realmente importa para o Atlético e para o torcedor – o sucesso nos campeonatos.
Isso faz acreditar que o 2012 do Atlético, apesar de sofrido e doído por conta da disputa da Série B do Brasileiro, poderá ser positivo. Não se pode cravar, mas pelo menos é possível ser otimista. Depende, claro, de sucesso nas contratações, de um trabalho profissional no departamento de futebol, de uma conduta serena do presidente eleito – e esta decisão é do sócio, que vai às urnas pra decidir o destino rubro-negro.

***

Também graças ao trabalho da produção da 98FM foi possível conversar com o presidente eleito do Coritiba, Vílson Ribeiro de Andrade. Como o Coxa foi o clube que se saiu bem na temporada (poderia ser melhor, e o próprio Vílson admite isso), as correções de rota não são tão fortes. É o momento de buscar reforços que venham pra jogar – principalmente um cara pra assumir a responsa de ser o “craque” do time e mais atacantes. O elenco será mantido quase à totalidade, inclusive os jogadores mais veteranos. Para a diretoria, os líderes do grupo são fundamentais, pois controlam o ímpeto dos mais novos e evitam que indisciplinas ganhem corpo (não é à toa que Bill não vai ficar). Até se admite vender um jogador, mas por valores maiores do que os especulados nos últimos dias por Jonas e Willian, por exemplo.
O Coritiba abrirá 2012 como candidato ao título da Copa do Brasil e postulante a voos mais altos no Brasileiro e na Sul-Americana – e como favorito no Paranaense. Como já foi dito, a expectativa cresce e a exigência também. A diretoria sabe disso, e aceita essa responsabilidade.

***

O Paraná Clube se obrigou a fazer o que a Federação Paranaense de Futebol não fez – tentar um acordo com todos os times da Divisão de Acesso para antecipar a competição. A FPF poderia fazer isso bem antes, a própria diretoria do Tricolor poderia ter pedido antes, mas agora vai ter que ser assim. Se a televisão se interessar (Joel Malucelli, dono da TV Bandeirantes no Estado, garantiu no estúdio da ÓTV que só transmite se houver viabilidade comercial, quer dizer, se algum anunciante se mostrar interessado e fechar negócio logo), antecipa-se a competição e facilita-se a vida de todo mundo. É bom lembrar que, por conta do Estatuto do Torcedor, não será possível antecipar para janeiro, a tendência é que se der certo a segunda divisão estadual se inicie depois do Carnaval.
Enquanto isso, espero, a diretoria tricolor está trabalhando pra montar uma estrutura pra 2012. É preciso conciliar os planos imediatos (volta à elite estadual, volta à elite nacional) com a estruturação do clube nos próximos anos. Que os dirigentes consigam cumprir essa tarefa complicada.